Você está na página 1de 49

Produção de Peixes em

Tanque-rede
Rondon Yamane
Zootecnista

São Gabriel da Cachoeira


2013
Introdução

Região Amazônica: diversas condições favoráveis ao


desenvolvimento da produção de peixes em tanque-rede:

1. Considerável 5. Presença de espécies com


disponibilidade de recursos potencial para cultivo;
hídricos;
2. Custo da terra e da água 6. Inexistência de
relativamente baixo; necessidade de concorrer
com espaço físico
3. Clima tropical que propicia destinado à agropecuária;
energia solar abundante;
4. Temperatura adequada, 6. Possibilidade de o cultivo
durante o ano todo; se constituir em atividade
complementar.
Introdução

Região Norte:
• 6,6% da produção
nacional

O Estado do Amazonas é o
maior produtor da região:
• produção estimada de 1,8% da
produção nacional

• A produção em tanque-rede ainda é a menos difundida;


• Maior potencial para crescimento;
• Possibilita o aproveitamento dos recursos hídricos já disponíveis.
Introdução

Criação de peixes em Tanque-rede:


Um sistema de criação de peixes no qual se
emprega:
• alta densidade de estocagem;
• altas taxas de renovação de água;
• os peixes são cultivados em tanques
revestidos com telas;
• se alimentam de ração completa e
balanceada.
Introdução

• Este sistema vem viabilizando a produção


de peixes em áreas que seriam
impossíveis de serem exploradas pela
piscicultura convencional.
Vantagens do Sistema
• 1) menor variação dos parâmetros físico-
químicos da água durante a criação;
• 2) maior facilidade de retirada dos peixes
para venda (despesca);
• 3) menor investimento inicial (60 a 70%
menor do que viveiros escavados);
• 4) facilidade de movimentação ou
transferência dos peixes;
• 5) intensificação da produção;
Introdução

Vantagens do Sistema

• 6) facilidade de observação dos peixes;


• 7) redução do manuseio dos peixes;
• 8) diminuição dos custos com tratamentos de
doenças;
• 9) utilização dos recursos hídricos já
disponíveis;
• 10) possibilidade de uma rápida expansão na
capacidade de produção;
• 11) não requer energia elétrica para
bombeamento;
Vantagens do Sistema
• 12) Aproveita o transporte fluvial não
sendo necessário a abertura de estradas
ou ramais;
• 13) maior proteção contra predadores
naturais;
• 14) a possibilidade de deslocar todos os
tanques para outros locais de criação e;
• 15) a atividade é compatível com a cultura
do ribeirinho.
Ainda assim, esse sistema
apresenta algumas desvantagens,
como:
• 1) necessidade de fluxo constante de
água através das redes;
• 2) dependência total de arraçoamento;
• 3) risco de rompimento da tela da gaiola e
perda da produção;
• 4) possibilidade de introdução de doenças
e/ou peixes no ambiente, prejudicando a
população natural; e
• 5) facilidade de roubo.
Tanque-rede ou gaiola?
• A denominação tanque-rede é empregada
para tanques que se comportam como
uma rede na hora da despesca, ou seja,
utilizam-se redes flexíveis na sua
construção. Já as gaiolas são
confeccionadas com material rígido.
Qual é o mais usado?
• Normalmente há uma maior preferência
dos produtores em optar por tanques-
rede, visto suas facilidades de transporte,
confecção e despesca dos peixes, mesmo
não apresentando diferenças no manejo
empregado durante a criação.
• Os materiais que podem ser utilizados
para a confecção dos tanques-rede ou
das gaiolas podem ser os mais diversos
como, por exemplo, telas em aço
inoxidável, em arame galvanizado
recobertas com PVC, plásticas ou de
multifilamento sem nó, podendo também
ser feitos com ripas de madeira.
• Qualquer que seja o material escolhido
para a confecção dos tanques, estes
deverão apresentar boa resistência ao
esforço mecânico e à corrosão,
resistência mínima a passagem de água,
ser leve e de baixo custo, ser de fácil
aquisição e ainda ser fácil de ser
consertado ou reparado.
Escolha do local para instalação
dos tanques-rede
• Qualidade do ambiente onde os tanques
estão instalados;
• Taxa de renovação de água no interior
dos tanques;
• A qualidade do alimento utilizado;
• A quantidade e espécie dos alevinos e;
• As características de cada espécie a ser
criada.
Qualidade do ambiente onde os
tanques estão instalados

Variáveis Valores adequados


Temperatura (T) 26 a 30 oC
Oxigênio dissolvido dentro do tanque > 60% de saturação (> 4mg/L)
pH 6,5 a 8,0
Alcalinidade total > 10 mg CaCO3/L (> 20 ideal)
Dureza total > 10 mg CaCO3/L (> 20 ideal)
Amônia tóxica < 0,20 mg/L
Nitrito < 0,30 mg/L
Gás carbônico < 10 mg/L
Turbidez mineral < 80 mg/L
• Os efeitos negativos da má qualidade da
água somados aos efeitos do
adensamento poderão acarretar em danos
irreparáveis a produção, podendo levar a
morte de todos os peixes.
• No ambiente natural os peixes tem
condições de procurar locais que
apresentem melhores condições para o
seu crescimento e desenvolvimento, como
locais que apresentem uma melhor
qualidade de água, o que não é possível
quando os peixes estão alocados em
tanques-rede.
• Dessa maneira, os locais escolhidos para
a implantação dos tanques-rede devem
apresentar água de qualidade boa a
excelente durante todo o ciclo produtivo.
• É importante lembrar que, na maioria dos
casos, as correções da qualidade da água
são impossíveis, portanto, não se
esqueça: escolha bem o local onde os
tanques serão instalados!
Tipo de água Características Fatores limitantes Exemplos
Água de cor Excesso de
amarelada, devido a correnteza, e
grande quantidade excesso de argila em
de argila em suspensão, podendo
suspensão. É acarretar em Rios: Solimões,
Branca/Barrenta encontrada dificuldade de Juruá, Purus e
principalmente em respiração devido à Madeira.
rios com fortes abrasão das
correntezas. É o tipo partículas de argila
de água mais rica em nas brânquias.
nutrientes desta
região.
Oscilação muito
Águas com grande dos níveis de
tonalidade cor de oxigênio dissolvido Rios: Negro, Içana,
café, pobres em durante o ano, Uaupés, e grande
Preta nutrientes, possuem podendo apresentar parte dos igarapés de
o pH ácido e valores próximos a 1 terra firme.
alcalinidade e dureza mg/L, inviabilizando a
próximas de zero. produção da maioria
das espécies.
Apresenta grande
transparência e
coloração A carência de corpos
esverdeada, pH d’água com essas Rios: Tapajós,
Clara neutro, oxigênio características, e o Mortes, Teles Pires,
dissolvido por volta excesso de Cristalino.
de 6 mg/L. Ideal luminosidade no
para produção de interior dos tanques.
peixes em tanque
rede.
Temperatura

26 30
Temperatura (oC) Resposta esperada
>34 Maior incidência de doenças e mortalidade crônica
30 a 34 Redução no consumo de alimento e no crescimento
26 a 30 Crescimento ótimo
<22 Consumo de alimento e crescimento são bastante reduzidos
<18 Consumo de alimento e crescimento praticamente cessam
10 a 15 Faixa letal para a maioria dos peixes tropicais
Renovação de água no interior
dos tanques
Formato dos tanques
Alimentação
• Os peixes confinados em tanques ou
gaiolas não têm a opção de “procurar”
seus alimentos em outros locais, não
sendo possível, por exemplo, se alimentar
de outros organismos ou pequenos peixes
e frutos encontrados nas margens dos
viveiros ou barragens.
• Portanto, a ração a ser utilizada na
criação de peixes em tanque-rede deverá
ser nutricionalmente completa, atendendo
todas as exigências nutricionais dos
peixes.
• Tendo isso como pressuposto, pode-se
entender porque em alguns casos os
indicadores zootécnicos, como ganho de
peso e conversão alimentar, não são os
considerados ótimos, levando os
possíveis investidores a não confiarem
totalmente neste sistema no momento da
realização dos seus investimentos.
Características da ração

Característica Extrusada Peletizada


Flutuabilidade flutua afunda
Observação da resposta alimentar fácil difícil
Estabilidade na água alta baixa a média
Possibilidade de perdas baixa alta
Digestibilidade da ração maior menor
Eficiência alimentar maior menor
Potencial poluente menor maior
Estrutura para alimentação anel/tela periférica cocho de fundo
Custo da ração maior menor
Retorno econômico maior menor
Quantidade e qualidade da
espécie a ser estocada
• A maioria dos empreendimentos aqüícolas
se concentra nos estados do sudeste e
nordeste e as espécies mais utilizadas
são: tilápia, carpa, pacu do pantanal,
tambaqui, matrinxã e o bagre americano
(catfish). Na região amazônica, o
tambaqui e o matrinxã são os peixes que
apresentam as melhores características
para esse tipo de produção.
E qual deverá ser a espécie
escolhida?
• Boa aceitação e bom valor de mercado;
• Facilidade de produção de alevinos em
cativeiro;
• Fácil adaptação à alimentação a base de ração;
• Boa tolerância às condições ambientais;
• Boa tolerância aos cultivos intensivos;
• Crescimento rápido e bom desenvolvimento
produtivo;
• Boa tolerância a doenças e parasitoses.
Tamanho do alevinos
• Em geral, alevinos de maior porte (50g)
toleram melhor o manuseio e o transporte
e se adaptam mais rapidamente ao
confinamento. Além disso, peixes com
peso próximo de 50g já poderão ser
estocados em telas com malha que varia
de ¾ a 1” (polegada).
Quantidade de alevinos
• Em sistemas intensivos os termos
utilizados para definir a densidade de
estocagem são diferentes dos
empregados nos sistemas convencionais,
por exemplo, não se diz peixes por
hectare, e sim peixes por metro cúbico ou,
ainda, kg de peixe por metro cúbico (m3).
E como saber quantos metros
cúbicos cada tanque rede possui?
A conta é bem simples, basta
multiplicar:
• largura x comprimento x altura = m3 tanque
• Por exemplo, um tanque-rede de 2 m de
largura, 2 m de comprimento e 1,5 m de
altura, temos então:

2m x 2m x 1,5m = 6 m3
• Em seguida, basta calcular quantos
alevinos serão estocados em cada
tanque. Tanques com pequeno volume
(até 4m3), podem estocar mais peixes ou
mais kg de peixe por tanque do que
tanques com volumes maiores, isso
porque a renovação de água em tanques
de pequeno volume é mais rápida e o
oxigênio é reposto com mais freqüência.
• Em geral, se utiliza 100 kg de peixe/m3
em tanques de até 4 m3 e 80 kg de
peixe/m3 em tanques de 6 m3 . Portanto,
para o tanque de 2m x 2m x 1,5m (6 m3)
serão criados, por ciclo, 480 kg de peixe,
ou 480 peixes de 1kg.
Problemas comuns na produção
de peixes em tanque-rede
• O entupimento das telas pode acontecer
pelo crescimento de algas ou pela
deposição de resíduos, com fezes e restos
de ração. Esse processo acontece, mas,
pode ser acelerado em águas que
apresentam temperatura elevada e grande
quantidade de matéria orgânica e em
tanques fabricados com malhas de
tamanho pequeno.
Peixes indesejáveis
• A presença de peixes que habitam
naturalmente o ambiente onde os
tanques-rede estão instalados
normalmente é indesejável, pois pode
trazer prejuízos a produção, já que esses
animais podem invadir os tanques e
competir por alimento com os peixes da
criação.
• Peixes predadores, como as piranhas,
também podem causar estresse nos
peixes de cultivo pela “intimidação”,
quando atacam o tanque em busca de
alimento, além de cortar a malha dos
tanques.
Animais predadores
• Alguns animais podem ser considerados
predadores na produção de peixes em
tanque rede, sendo os mais comuns os
jacarés, cobras aquáticas e ariranhas,
além de pássaros como os socós,
arirambas, garças e tuiuiús. Esses
animais podem assustar os peixes,
fazendo com que não se alimentem e
ainda destroem o material dos tanques
facilitando a fuga dos peixes.
Roubos e vandalismo
• Os roubos de peixes pode ser comum na
criação em tanque-rede pois esse tipo de
criação facilita a captura. Isso pode ser
evitado utilizando vigias ou cães de
guarda e iluminação adequada. Também
podem ser utilizados cadeados e
correntes para fechar as coberturas do
tanque-rede, dificultando o acesso aos
peixes.

Interesses relacionados