Você está na página 1de 14

Capítulo 7:

Cisalhamento
transversal
Cisalhamento em elementos retos
• Quando o cisalhamento V é aplicado, essa distribuição não uniforme na
seção transversal fará com que ela se deforme.
• A relação entre o momento e o cisalhamento é

V  dM dx

slide 2 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


A fórmula do cisalhamento
• A fórmula do cisalhamento é usada para encontrar a tensão de
cisalhamento na seção transversal.

VQ

It
onde Q   ydA  y ' A'
A'

τ = tensão de cisalhamento no elemento


V = força de cisalhamento interna resultante
I = momento de inércia da área da seção transversal inteira
t = largura da área da seção transversal do elemento

slide 3 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Tensões de cisalhamento em vigas

• Para uma viga com seção


transversal retangular, a tensão
de cisalhamento varia
parabolicamente com a altura. A
tensão de cisalhamento máxima
ocorre ao longo do eixo neutro.

slide 4 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Exemplo 7.1

A viga é feita de madeira e está sujeita a uma força de cisalhamento vertical


interna resultante V = 3 kN. (a) Determine a tensão de cisalhamento na viga no
ponto P e (b) calcule a tensão de cisalhamento máxima na
viga.

slide 5 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Solução:
(a) O momento de inércia da área da seção
transversal calculado em torno do eixo neutro é

bh  100125  16,28 106 mm 4


1 3 1
I
3

12 12
 
Q  y A'  125  50 50100  18,75 10 4 mm 3
1
 2 

Aplicando a fórmula do cisalhamento,


temos

VQ 318,75 104 
P    0,346 MPa (Resposta)
It 16,28 10 100
6

slide 6 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


(b) A tensão de cisalhamento máxima ocorre no eixo neutro, visto que t é constante
em toda a seção transversal,

 65,2 
Q  y ' A'   10062,5  19,53 10 mm
4 3

 2 

Aplicando a fórmula do cisalhamento,

VQ 319,53 104 
 máx    0,360 MPa (Resposta)
It 16,28 10 100
6

slide 7 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Fluxo de cisalhamento em estruturas compostas por
vários elementos
• Para projetar os elementos de fixação, é necessário conhecer a força de
cisalhamento à qual eles devem resistir ao longo do comprimento da
estrutura.

VQ
q
I
q = fl uxo de cisalhamento
V = força de cisalhamento interna resultante
I = momento de inércia de toda a área da seção
transversal

slide 8 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


• Esse carregamento, quando medido como força por unidade de
comprimento, é denominado fluxo de cisalhamento q.

slide 9 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Exemplo 7.4

A viga é composta por quatro tábuas coladas. Se for submetida a um


cisalhamento V = 850 kN, determine o fluxo de cisalhamento em B e C ao qual a
cola deve resistir.

slide 10 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Solução:
O eixo neutro (centroide) será localizado em relação à parte
inferior da viga,

y
 ~
yA
 0,1968 m
A
O momento de inércia calculado em torno do eixo de inércia, é,
portanto, .
 
I  87,52 106 m 4

Visto que a cola em B e B’ mantém a tábua da parte superior


presa à viga,

 
QB  y'B A'B  0,305  0,19680,2500,01  0,271 103 m3

slide 11 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Da mesma forma, a cola em C e C’ mantém a tábua interna presa à viga, portanto

QC  y 'C A'C  0,205  0,19680,1250,01  0,01026 103 m3 


Temos para BB’ e CC’

q'B  

VQB 850 0,27110 3 
 2,63 MN/m
6
I 87,52 10

q 'C  

VQC 850 0,01026 10 3 
 0,0996 MN/m
I 87,52 10 6

Visto que são usadas duas linhas de junção para prender cada tábua, a cola por
metro de comprimento de viga em cada linha de junção deve ser forte o bastante
para resistir à metade de cada valor calculado de q’.

qB  1,31 MN/m e qC  0,0498 MN/m (Resposta)

slide 12 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Exemplo 7.7
A viga-caixão de paredes finas está sujeita a um cisalhamento de 10 kN. Determine
a variação do fluxo de cisalhamento em toda a seção transversal.

slide 13 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.


Solução:
O momento de inércia é

I
1
683  1 463  184 mm 4
12 12
Para o ponto B, a área A' 0 visto que q’B = 0.
Temos QC  y A'  3,551  17,5 cm 3
QD   y A'  2214  30 cm 3

Para o ponto C,
VQC 1017,5 / 2
qC    0,951 kN/cm  91,5 N/mm
I 184
O fuxo de cisalhamento em D é
VQD 1030 / 2
qD    1,63 kN/cm  163 N/mm
I 184
slide 14 © 2009 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.