Você está na página 1de 11

O Ninho do Pássaro

Qan Ha'Tzipor

Rosh
M.B.Y – Makaby Ben Yossef
INTRODUÇÃO

Sabemos que muitos grupos isolados, supostamente ‘judeus-messiânicos’, não


estudam e não dão a devida autoridade à Torá e ao ensino Apostólico. São pessoas
que nunca foram discipuladas, orientadas e guiadas por outros judeus
messiânicos. Tal isolamento produz uma forma de “pseudo-judaísmo”, com
práticas e doutrinas estranhas em todos os aspectos, incluindo o judaico.

Não foi à toa que Yeshua nos ordena a fazermos TALMIDIM (discípulos), pois tal
ação requer convívio e relacionamento.

‫ ונביאים מסרוה‬,‫ וזקנים לנביאים‬,‫ ויהושע לזקנים‬,‫משה קיבל תורה מסיני ומסרה ליהושע‬
.‫לאנשי כנסת הגדולה‬

Moshê recebeu a Torá no Sinai e a transmitiu a Yehoshua; Yehoshua aos Anciãos;


os Anciãos aos profetas; e os Profetas transmitiram-na aos Homens da Grande
Assembléia. Estes [os Homens da Grande Assembléia] disseram três ditos: Sejam
prudentes no julgamento; formem muitos discípulos; e ergam uma cerca para a
Torá.
Pois eu até desejaria ser amaldiçoado e separado de Cristo por amor de meus
irmãos, os de minha raça, o povo de Israel. Deles é a adoção de filhos; deles é a
glória divina, as alianças, a concessão da lei, a adoração no templo e as
promessas. (Rm 9:3-4)

Vamos aprender da fonte, pois apenas um ensino equilibrado e condizente com a


Torá e com os Apóstolos poderá contribuir genuinamente para a redenção
universal (tikkun olam) anunciando o tão esperado OLAM HABÁ (Era
vindoura).
A HISTÓRIA DE DOIS PÁSSAROS (Lv 14)

Este primeiro ritual consistia em pegar dois passarinhos, pau de cedro, carmesim e
hissopo. Um passarinho era degolado, e o outro, banhado no sangue do primeiro,
era solto. O que isso significa?

Os dois passarinhos representem profeticamente o sacrifício do Messias, pois a


Torá inteira se refere a Yeshua Moshieinu (nosso Messias).

Segundo a tradição judaica, o carmesim pode simbolizar o pecado. O pau de cedro


simbolizaria o madeiro de Yeshua. O hissopo foi dado a Yeshua no madeiro. Os
pássaros representariam os dois momentos cruciais do seu sacrifício: O pássaro
degolado representaria a sua morte expiatória, enquanto o pássaro que era solto e
voava representaria a sua ressurreição e retorno aos céus. Mais uma vez, vemos o
plano de salvação claramente desenhado na Torá!
‫‪386‬‬
‫ישוע ‪ -‬ציפור‬
“… O Messias é o fiador de Israel; ele assumiu o sofrimento de expiar os pecados
de Israel para encurtar o exílio (Yalkut Shimoni 949). ”

“O filho de Davi não virá até que o mundo inteiro seja convertido à crença dos
hereges. Raba disse: Que verso [prova isto]? tudo fica branco: ele está limpo. ”
Sanhedrin 97ª

O Rebe Menachem Mendel, de abençoada memória, revelou em uma de suas


pregações: "O Mashiach é branco". Primeiro, nunca leve isto para interpretação
literal (P´shat), isto é proibído! e nunca para o "racial“ isto só criará confusão.

Só para que vocês possam começar a compreender: O termo hebreu "Ór Lavan
(Pele Branca) é igual a 358 e este número por sua vez é o mesmo que
"Mashiach(Messias)".

A Qabalah nós informa que o "Messias“ está atado a este segredo. Neste caso, a
pele branca é como a pele daquele que possui a "Lépra", e então o messias é
chamado de "leproso", não que ele tenha a Lépra", mas por estar atado a este
segredo da “Luz Branca”, e ser o "Justo que Sofre".
O Ninho Do Pássaro - Qan Ha'Tzipor

O Zohar nos conta que, há um lugar no Gan Éden (Jardim do Éden) onde o
Messias se esconde. Este lugar é chamado “Kan HaTzzipor (Ninho do Pássaro).

‫כִּ י יִּ קָּ ֵרא קַ ן־צִּ פֹּ ור ׀ לְ פָּ נֶיָך בַ דֶ ֶרְך בְ כָּל־עֵץ ׀ אֹּ ו עַל־הָּ אָּ ֶרץ אֶ פְ רֹּ חִּ ים אֹּ ו בֵ יצִּ ים וְ הָּ אֵ ם‬
‫ֹּא־תקַ ח הָּ אֵ ם עַל־הַ בָּ ִּ ָֽנים‬
ִּ ‫ַל־האֶ פְ רֹּ חִּ ים אֹּ ו עַל־הַ בֵ יצִּ ים ל‬
ָֽ ָּ ‫רֹּ בֶ צֶ ת ע‬
Se encontrares pelo caminho, numa árvore ou no chão, um ninho de ave com
passarinhos ou ovos, e a mãe posta sobre os passarinhos, ou sobre os ovos, não
temerás a mãe com os filhotes. (Dt 22:6)

"Naquele tempo, o rei, o Messias, se levantará para sair do Jardim do Éden do


lugar chamado o 'Ninho do Pássaro' e ele será revelado na terra da Galiléia" Zôhar
Porção Shemot (Êxodo). Este é grande segredo que não foi revelado pelos antigos
e sobre qual os novos nada sabem, ele se chama "Qan Ha'Tzipor (‫)קַ ן־צִּ פֹּ ור‬.

Todas as manhãs há uma proclamação no Jardim do Éden, um criptograma é


anunciado pelo pássaro que vive lá e somente o messias pode ouvi-la e decifrá-lo
e quando ele o decifra, esta proclamação se chama "Ará D'Galili” - Terra da
Revelação" " que é a sefira yesod..
Frase poética do Zohah - Pág. 201: “No Paraiso há um palácio conhecido
como o Palácio dos Enfermos, onde o Mashiach entra para visitar todas as
enfermidades, as dores e os sofrimentos convidando-os a se apossarem dele.
Fazem isto, e o Mashiach então sofre todos os castigos que Israel merece. Se o
Mashiach não tivesse sofrido todos os castigos merecidos por Israel, ninguém
seria capaz de suportar os sofrimentos do mundo. Mas o Mashiach suporta o
sofrimento de toda a humanidade”

Veja que o conceito do Mashiach padecer por Israel é totalmente judaico. Está no
Zohar, a terceira fonte de luz judaica, sendo elas o Tanach (Primeira aliança), o
Talmude e o Zohar. Em alguns lugares, o Zohar foi a maior fonte de unificação do
judaísmo antigo.

Se porventura você observar certos “judeus”, dizendo que este conceito do


Mashiach sofredor é amplamente romano, é sem dúvida uma enganação e uma
controvérsia. Haja vista, o Zohar ser um livro intocável dentro do conceito
ortodoxo. Sendo assim, hoje em dia, alguns que se dizem “judeus ortodoxos”, na
verdade vieram do messianismo ou cristianismo.
O Mashiach é a Porta de acordo com o Zohar

Ainda na página 201 - Zorah - O livro do Esplendor (Ariel Bension), temos:

“Nosso conhecimento sobre o Santíssimo é imperfeito... o conhecemos somente


porque certas portas estão abertas ás pessoas que buscam o conhecimento do
Eterno. UMA ÚNICA PORTA CONDUZ A TODOS OS GRAUS. E é por esta
PORTA e este GRAU que conhecemos a Majestade (Kavod) de Elohá. A primeira
porta pela qual alguém deve entrar é a PORTA DO TSADIK (JUSTO)... Todas as
portas mais altas se apoiam nesta. Mas a porta está desconhecida porque Israel
está em exílio (depois de 70 dc. Quando o templo foi destruído) Mas quando
Israel for libertado de seu exílio (lembrando que Israel renasceu como nação
soberana e independente em 1948, este texto fora escrito quase 1000 anos antes),
ele VOLTARÁ (o Mashiach) a se elevar a todos os graus mais autos... Eis que os
olhos dos homens se abrirão e poderão ver a primeira porta, que é a PORTA DA
TENDA ou a PORTA DO JUSTO, E todos confiarão no Mashiach, que julgará o
mundo”.
O Zohar mostra que o Mashiach é a porta que abre todas as outras portas para o
conhecimento de Hashem. Mostra que o Mashiach surgirá depois do exílio de
Israel.

O Mashiach é chamado de Porta da Tenda ou Porta do Justo! Compare com


Yochanam (João) 10:9: “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e
entrará, e sairá, e achará pastagens”.

Segundo o Zohar - Em que lugar de Israel se revelará o Mashiach?

“Mas como a Galileia foi a primeira cidade a ser destruída na época da destruição
do Templo, a galileia será a primeira cidade na qual o Mashiach se revelará”

Matityahu (Mateus) 2:19 – 22: “...mas avisado em sonho por divina revelação,
retirou-se para as regiões da Galileia”

Yeshua igualmente, até antes do seu Mikvé – Unção – esteve na Galil (Galileia)
veja: Matityahu 3:13: “Então veio Yeshua da Galil (Galileia) ter com Yohanam
(João), junto do Yarden – Jordão - para ser imergido por ele”​
Matityahu 4:23: “E percorria Yeshua toda a Galil (Galileia), ensinando nas
sinagogas, pregando a palavra do reino, e curando todas as doenças e
enfermidades entre o povo”

Como mostrado, Yeshua operou na Galileia e segundo o Zohar, é de lá que o


Mashiach irá se manifestar em poder novamente. Bem pragmático não acha?
Muitas coisas similares entre as narrativas do livro mistico e o cumprimento de
Yeshua haMashich. Ainda na página 204, indica uma terrível aflição a Israel nos
últimos dias, acometido pelas nações opressoras. Também afirma que o Mashiach
irá aparecer juntamente com uma coluna de fogo (nada-nada, como o judaísmo
atual espera, apenas um bom homem, justo e político para Enaltecer Israel
politicamente ante às nações).