Você está na página 1de 28

ÁREA CIÊNCIAS DA VIDA

CURSO DE ENFERMAGEM

TUBERCULOSE

Orientadora: Prof Francielle Battiston.

Acadêmicas: Bárbara Fernandes;


Micheli Zandoná;
Rafaela Sassanovicz.

Disciplina: Morfofisiologia II
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• Compreender a fisiologia, diagnóstico e
tratamento da tuberculose;

• Analisar os índices de casos e óbitos no


município de Xanxerê e no Estado de Santa
Catarina;
HISTÓRIA DA TUBERCULOSE
• No século passado, foi uma doença da paixão,
ceifando a vida de literatos, poetas, músicos,
filósofos e mundanas célebres.

• Na virada do século XX, passou a ser considerada um


mal social e sua ocorrência encontra-se, desde então,
associada às condições de vida.
O QUE É TUBERCULOSE?
• A tuberculose-(TB) uma doença infecciosa,
causada pelo Mycobacterium tuberculosis.

• O principal reservatório da tuberculose é o ser


humano.
Apesar de também atingir vários órgãos do corpo, a
doença só é transmitida por quem estiver infectado
com o bacilo no pulmão.

A disseminação acontece pelo ar. O espirro de uma pessoa


infectada joga no ar cerca de dois milhões de bacilos. Pela
tosse, aproximadamente 3,5 mil partículas são liberadas.

Os bacilos da tuberculose jogados no ar permanecem em


suspensão durante horas.
SINTOMAS
• Febre baixa, geralmente vespertina;

• Sudorese noturna;

• Perda de peso;

• Tosse com expectoração por mais de 3 semanas;

• Dor torácica;
DIAGNÓSTICO

• Baciloscopia;
• Teste rápido molecular para tuberculose;
• Cultura para micobactéria;
• Teste para diagnóstico do HIV;
• Radiografia de tórax;
• Diagnóstico da Infecção Latente da Tuberculose com
Prova Tuberculínica (PT).
TRATAMENTO

• Rifampicina;

• Isoniazida;

• Etambutol;

• Pirazinamida.
XANXERÊ
XANXERÊ
SANTA CATARINA
SANTA CATARINA
DEPOIMENTO FAMILIAR
• Gestação de uma jovem;

• Sem acompanhamento Médico;

• Nascimento com 35 semanas;

• Parto normal;

• Pesando 1880kg;

• Medindo 42cm;
• Permaneceu com a mãe por um mês, depois foi
deixado com os seus familiares;
• Dieta era baseada em leite em pó e mucilon;
• Foi levado ao Hospital por apresentar tosse acerca
de um mês e febre esporádica;
• Febre diária em torno de 38°C;
• Apresentava crise de tosse seguida de vômito;
• Solicitação de exames;

• Internada com suspeita de Pneumonia;

• Radiografia de tórax;
• Confirmação da suspeita de Pneumonia;
• Início do tratamento;
• Paciente mesmo com tratamento não apresentava
melhoras;
• Médico solicita novos exames;
• Surge a suspeita de Tuberculose;
• Foi realizado três culturas para BAAR em dias
diferentes;

• Todas com resultados positivos;

• Confirmando a suspeita de TB;


• Modificação do tratamento para TB;

• Houve melhora do quadro clínico;

• Previsão de alta hospitalar;

• Após alguns dias o seu estado de saúde agrava;

• Infelizmente o paciente evoluiu para óbito;


CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
• QUEIROZ, E. M et al. Tuberculose: limites e potencialidades do
tratamento supervisionado. Rev. Latino-Am. Enfermagem. v. 20, n. 2, mar-
abr. 2012.p.308.

• RODRIGUES, A.C.P.S. Tuberculose, um problema de saúde pública.


Faculdade de Ciências e Tecnologias da Saúde. Lisboa. 2015. p. 36.

• BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Saúde de A A Z: Tuberculose.


Orientações para os profissionais da saúde- Diagnóstico. Brasília – DF.
2017.

• BENTO J. et al. Métodos diagnósticos em tuberculose - artigo de revisão.


v. 24, p. 145-154, 2011.
TUBERCULOSE
não se combate com sorte, mas com atitude.
Eduardo Castro.

Você também pode gostar