Você está na página 1de 25

Planeamento e controlo de gestão

18/11/2003
Estratégia
Forças Descrição/ Qualificação Conclusão

Rivalidade  Concorrência agressiva e em Elevada


crescimento.

 Fraco poder negocial;


 Tendência positiva;
Clientes  Valorização positiva do Moderada
produto;
 Demografia potencialmente
desfavorável.

 Situação económica difícil;


Fornecedores  Poder negocial actual fraco. Baixa

Barreiras à entrada Baixa


 N/A

Produtos substitutos  Procura rígida; Elevada


 Preços nivelados.
Síntese estratégica

Conclusões

Crise económica que provocou estagnação no sector em particular e na economia em geral;

Concorrência elevada caracterizada por muitos concorrentes, sem capacidade de influenciar o preço;

Pela rigidez de preços os clientes têm fraco poder negocial;

Por todos os tópicos anteriores e pela definição do mercado alvo, a estratégia a seguir não deve alterar
muito os preços.
Síntese estratégica
Estratégia

Moderada, em consonância com as forças de Porter;

Ameaças:
Concorrência agressiva;
Preços nivelados;
Procura rígida.

Oportunidades:
Fraco poder negocial dos clientes;
Tendência positiva;
Valorização positiva do produto.
Cenário 1
Moderado
Previsão de crescimento:
60% em quantidade;
67,6% em volume de negócios;
132% em lucro.
7 moradias a 208.000€ cada
+ 1.676.000€
1 moradia a 220.000€
Cenário 2
Pessimista
Previsão de crescimento:
60% em quantidade;
61,12% em volume de negócios.
7 moradias a 200.000€ cada
+ 1.611.200€
1 moradia a 211.200€
Cenário 3
Optimista
Previsão de crescimento:
80% em quantidade;
109,2% em volume de negócios.
9 moradias a 208.000€ cada
+
2.092.000€
1 moradia a 220.000€
Definição do preço
Definição do preço:
Aumento da margem em 4% 200.000*1,04=208.000€

Tendo em conta o nosso target e de acordo com a nossa estratégia


conclui-se que os preços das moradias são praticáveis.
Definição da quantidade
Crescimento acima do mercado
60% no cenário pessimista;
60% no cenário moderado;
80% no cenário optimista.

Conclusão: Em concordância com a análise estratégica


deduz-se que os crescimentos previstos, à excepção do
cenário optimista, apenas se alteram devido à variável
preço, sendo que este, como foi dito anteriormente
mantém-se em harmonia com a análise das forças de
Porter.
Pipeline
Estratégia

Rubricas N-1 N

Áreas geográficas A.M.L e A.M.P A.M.L, A.M.P e A.M.F

Nº. Moradias
5 (2+3) 8 (3+4+1)
construídas

Volume de vendas 1.000.000€ 1.676.000€


Pipeline

Estratégia (continuação)

•Aumento de uma moradia em cada área onde actuámos anteriormente


(porque se prevê um crescimento de mercado de 20%);

•Construção de uma moradia na A.M.F – uma vez que apesar deste


segmento se encontrar em maturidade a competitividade do preço
sustenta a probabilidade definida no pipeline (90%);

•Quanto à estratégia de preço, esta é definida por ajustamentos derivados


de uma margem comportável e aceite pelo mercado sendo que a do
Algarve, por factores de ordem económica justificam um aumento em
comparação com as outras moradias (220.000€).
Pipeline

Áreas geográficas Q Preço Total Probabilidade Volume conta


A.M.Lisboa 3 208.000 € 624.000 € 0,6 374.400 €
A.M.Porto 4 208.000 € 832.000 € 0,7 582.400 €
A.M.Faro 1 220.000 € 220.000 € 0,9 198.000 €
∑ 1.154.800 €
Pipeline
Plano de vendas

Ano/Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

A.M.L

A.M.P

A.M.F
Pipeline
Afectação de trabalhadores

6 Trabalhadores 16 Trabalhadores

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

10 Trabalhadores

Legenda:
A.M.F

A.M.L + A.M.P

A.M.L + A.M.P
Orçamento de proveitos
Pessimista Optimista

R D A DIV PAG R D A DIV PAG

A.M.L 374.000€ 374.000€ 624.000€ 624.000€

A.M.P 582.400€ 582.400€ 832.000€ 832.000€

A.M.F 198.000€ 198.000€ 220.000€ 220.000€

∑ 1.154.800€ ∑ 1.676.000€
Orçamento de proveitos Em milhares de Euros

Janeiro Fevereiro Março


1º Tri
R D A DIV P R D A DIV P R D A DIV P
A.M.L 52 52 52 52 104 104

A.M.P 52 52
A.M.F 55 55 55 55 55 55
2ºTri Abril Maio Junho
R D A DIV P R D A DIV P R D A DIV P
A.M.L 156 104 208 104 104 104 52 208

A.M.P 104 104 104 104 104 52 208

A.M.F 55 55 220
Orçamento de proveitos
Em milhares de Euros

3º Tri Julho Agosto Setembro

R D A DIV P R D A DIV P R D A DIV P

A.M.L 52 208

A.M.P 104 104 156 104 208 104 104

A.M.F

4º Tri Outubro Novembro Dezembro

R D A DIV P R D A DIV P R D A DIV P

A.M.L

A.M.P 104 52 208 52 208

A.M.F
Orçamento de custos

Custos com pessoal:

Proporcional às moradias construídas

Custos anuais:
400.000*1,6=640.000€

Custos mensais:
640.000/12=5333,33€
Orçamento de custos
Gastos gerais de fabrico:

Custos anuais:
200.000*(1+0,62)=324.000€
Existe um aumento de 62% equivalente ao aumento proporcional de 60% e 2%
devido à estratégia de expansão de mercado, por forma a cobrir os custos de
controlo do projecto.
0,02*200.000=4.000€ anuais
4.000/4=1.000€ mensais.

Custos mensais:
324.000/11=29.454,55€
11 meses porque no mês de Dezembro não existem gastos gerais.

Custos por moradia:


320.000/8=40.000€
40.000*7=280.000€ (A.M.L e A.M.P)
40.000+4.000=44.000€ (A.M.F)
Orçamento de custos
Nº Moradias em construção em cada mês

6
5
4
3
2
1
0
Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Orçamento de custos
Aumento proporcional de consumo de matérias primas:

300.000*1,6=480.000€

Consumo do ano anterior

Aumento de 60% em relação ao consumo do ano anterior

Custos por moradia:


480.000/8=60.000€
Orçamento de custos
Custos trimestrais de matéria-prima

Pelo volume de construção:

1º Trimestre: 30%= 144.000€

2º Trimestre: 50%= 240.000€

3º Trimestre: 15%= 72.000€

4º Trimestre: 5%= 24.000€


Orçamento de custos
Custos mensais de matéria-prima:

1º Tri Jan Fev Mar


Valor 36.000€ 36.000€ 72.000€

2ºTri Abr Mai Jun


Valor 88.000€ 88.000€ 64.000€

3ºTri Jul Ago Set


Valor 27.000€ 27.000€ 18.000€

4º Tri Out Nov Dez


Valor 16.000€ 8.000€ 0€
Lucro

1.676.000€ (Vendas)- 1.444.000€ (Custos) = 232.000€

∆ %Lucro(N-1 N): 132%


Quadro resumo

N-1 N ∆

N.º casas
5 moradias 8 moradias 60%
vendidas

Proveitos 1.000.000 1.676.000 67,6%

Custos 900.000 1.444.000 60,44%

Lucro 100.000 232.000 132%