Você está na página 1de 42

Compassos e

descompassos

Profa. Jusilene Rodrigues Rocha


Psicomotricidade
transdisciplinar
Uma visão holística
acerca do
desenvolvimento
psicomotor.
Psicomotricidade

 “Em razão de seu próprio objeto de estudo, isto é, o indivíduo


humano e suas relações com o corpo, a Psicomotricidade é uma
ciência encruzilhada... que utiliza as aquisições de numerosas ciências
constituídas (Biologia, Psicologia, Psicanálise, Sociologia,
Linguística...)

 Em sua prática empenha-se em deslocar a problemática cartesiana e


reformular as relações entre alma e corpo: O homem é seu corpo e
NÃO - O homem e seu corpo” (Jean-Claude Coste, 1981).

 A psicomotricidade pode também ser definida como o campo


transdisciplinar que estuda e investiga as relações e as influências
recíprocas e sistémica
Transdisciplinaridade
 Trata-se de um nível bem superior e complexo
de integração contínua e ininterrupta dos
conhecimentos tal como conhecemos hoje.
Neste caso, não há mais disciplinas
segmentadas, mas o propósito da vida e do
conhecimento é a relação complexa
dos diversos saberes sendo que nenhum é mais
importante que o outro. É um processo
dialógico onde as relações disciplinares não
estão mais em foco, não são mais importantes.
 Algumas escolas de orientação holística já
propõem práticas transdisciplinares. Ainda é
algo muito recente e inovador e há dificuldades
conceituais para aplicar a transdisciplinaridade,
por exemplo, nas escolas brasileiras, que são
seriadas, segmentadas e com forte apelo
tradicional, apesar de que muitas iniciativas
interdisciplinares têm sido propostas nas últimas
décadas.
Visão holística da
psicomotricidade

 A psicomotricidade possui as linhas de atuação


educativa, reeducativa, terapêutica e relacional.
 Holístico ou holista é um adjetivo que classifica
alguma coisa relacionada com o holismo, ou
seja, que procura compreender os fenômenos na
sua totalidade e globalidade. A
palavra holístico foi criada a partir do termo
holos, que em grego significa "todo" ou
"inteiro".
O que é ser um terapeuta?
 É o profissional que dá assistência com
alternativas, buscando integrar o indivíduo ao
meio, seja pelo físico ou emocional.
O Educador pode ser considerado
terapeuta educacional?
Sim !!!!
 Pois compreendemos que promover ambiente e
atividades adequadas para o desenvolvimento
psicomotor de uma criança é contribuir para a
construção de um ser humano em sua totalidade,
físico, afetivo e intelectual.
Atividade Prática
Neurociência e psicomotricidade
 Sob o ponto de vista biológico, é fundamental
ressaltar que o entendimento do processo de
aprendizagem não pode prescindir do estudo do
sistema nervoso, uma vez que “o cérebro é o
órgão privilegiado da aprendizagem”.
 “Conhecer sua estrutura e funcionamento é
fundamental na compreensão das relações
dinâmicas e complexas da aprendizagem.”
(TABAQUIM, 2008, p. 93).
Cérebro
Vídeo
Alguns aspectos da história e da fundamentação da terapia

• O ser humano é um ser de relação (relação consigo mesmo, com o


mundo, com os outros);

• Totalidade e integração (a pessoa como uma unidade psique-corpo-


espírito);

• O ser humano como unidade indivíduo-meio (o ser humano está


constantemente interagindo com limites sociais e ambientais);

• Considera o indivíduo como um todo, uma entidade


biopsicossocioespiritual;

• Unidade de passado, presente e futuro (o aqui-e-agora é o tempo e


o lugar onde as modificações podem ocorrer);

• Auto-regulação (o ser humano é um todo unificado que se auto-


regula).

17
• Estruturas da personalidade - funções ou conjuntos de funções, não
como entidades.

• São mais importantes o ‘como’ e o ‘para que’ do que o ‘o que’ ou o


‘porquê’.

• Terapia - teoria de processos: o que importa é o relacionamento


entre eventos.

• O ser humano é regulado e tende ao equilíbrio. Realiza-se


intensamente atendendo às suas necessidades. Para tanto,
compõe-se com o ambiente e/ou redistribui intensamente sua
energia pelo organismo. É este o homem uno e integrado.

• Os processos básicos, em termos de dinâmica específica de


comportamento, são 3:

1) Processo de equalização ou centragem do organismo;


2) Auto-realização;
3) Pôr-se em acordo com o meio ambiente.
18
EXERCÍCIO DAS CORES

FALE EM VOZ ALTA E O MAIS RÁPIDO


POSSÍVEL AS CORES QUE APARECERÃO
A SEGUIR. OBSERVEM AS CORES E NÃO
AS PALAVRAS.

SEJA RÁPIDO, ELAS APARECERÃO E


SUMIRÃO RAPIDAMENTE.
AMARELO
AZUL
LARANJA
VERDE
PRETO
CINZA
MARROM
ROXO
LILÁS
BRANCO
AMARELO
AZUL
LARANJA
VERDE
PRETO
CINZA
MARROM
ROXO
LILÁS
BRANCO
PERCEPÇÃO
 Quando vemos uma parte de um objeto, há a tendência de
restaurar o equilíbrio da forma, garantindo o entendimento do
que percebemos.
Figura 1

23
Examine esta imagem: O que você pode achar?

24
Olhe de longe... Olhe de perto...
25
PODE ACHAR O CACHORRO?
ONDE ESTÁ A
MULHER ?
EO
CAVALO?
EO
LEÃO?
E O VELHO ?
E O LOBO?
O QUE MAIS?
26
27
Pode achar quantos cavalos nesta imagem? São sete.
Pode
achar
10 faces
nesta
árvore?

28
QUANTAS COLUNAS?
29
LINHAS RETAS OU TORTAS?
30
MAIS OU MENOS QUANTOS ANOS TEM ESTA PESSOA?
31
ENCONTRE O BEBÊ
32
Ilusão Visual: “Rotating Snakes”
Psicomotricidade Holística +
Neurociência + Movimento
 Entendendo o Movimento
 O movimento e o pensamento do ser humano,
estão relacionados ao trabalho global do corpo,
atuando como meio de relação/comunicação
através da linguagem corporal (gestos,
movimentos) que nos integra ao meio.
 A linguagem corporal é uma forma de
comunicação não verbal, expressa por meio de
gestos e movimentos em sintonia com nossas
ações corporais que se manifestam pela
interação significativa e harmônica da totalidade
do ser humano.
 A Dança pode existir como manifestação
artística, como forma de divertimento, numa
cerimônia, ou como forma de educação dos
movimentos corporais (nas escolas).
 Como arte, a Dança se expressa através dos
signos de movimento, com ou sem ligação
musical, para um determinado público.
Atualmente, a Dança se manifesta nas ruas, na
mídia, em qualquer outro ambiente em que for
contextualizado o propósito artístico ou
educacional.
 A Dança retrata ideias, ansiedades e interesses de
toda uma época, aliados a uma imensa
necessidade que o ser humano tem de mover-se
e ultrapassar sua essência e de transcender sua
existência em evasões positivas e cheias de
significados nos acontecimentos de sua vida real.
 Dança como linguagem corporal, diz que se nós
pudéssemos dizer certas coisas, não
precisaríamos dançá-la. Retratando a magia da
expressão corporal da qual somos capazes,
através de nossos corpos.
 A Dança é uma linguagem do movimento
corporal na sua essência, uma articulação
harmônica dos movimentos que possibilita o
desenrolar de uma imagem, ideia e sentimento.

 Uma linguagem corporal capaz de simbolizar


alegrias, tristezas, vida e morte, amor, guerra,
paz, etc. Era assim nos tempos primitivos, de
onde se tem os primeiros registros de que havia
dança e se pôde conhecer os costumes, as
representações mímicas, lúdicas e religiosas da
época.
Curiosidades

 Nova pesquisa publicada no Philosophical Transactions: Biological Sciences pode


explicar por que você não se torna o Patrick Swayze na pista de dança. A realidade é
que, na maioria das vezes, timidez e falta de destreza são suficientes para justificar o
seu péssimo rebolado; mas talvez isso seja sintoma de numa doença recém-
descoberta: a “beat-deafness”, ou surdez da batida.
 Análoga ao daltonismo e à surdez, a doença foi descoberta apenas há três anos por
um grupo de pesquisadores. Para descobrir, os cientistas realizaram testes em que as
pessoas que sofriam dessa deficiência não conseguiam acompanhar a batida de sons.
Os erros foram identificados como déficits de ritmos biológicos.
 “Notamos que os erros se davam por causa das frequências naturais não operarem
em conjunto com as oscilações pulsantes do organismo”, conta Caroline Palmer,
autora do estudo. Contudo, ela diz que ainda é uma doença rara: “Muitas pessoas
vêm para saber se sofrem desse problema; a grande maioria dá negativo”. Ou seja,
não tente justificar seu péssimo estilo de dança.
 Apesar de muitos não acreditarem, o coração também
sente, pensa e decide. Nele se concentram em torno
de 40.000 neurônios e uma rede de neurotransmissores
com funções muito precisas que o transformam, para
nossa admiração, em uma extensão perfeita do nosso
cérebro.
 Uma coisa curiosa é que quando queremos nos referir a
nossa própria pessoa é comum levarmos a mão ao
coração. É uma coisa automática, quase instintiva,
como se uma voz misteriosa nos mostrasse que bem ali
está localizado o centro do nosso verdadeiro ser, da
nossa própria consciência.
Atividades Práticas
 Vídeos
 Percussão Corporal (mãos, presidente-vice)
 Dança