Você está na página 1de 50

PSICOLOGIA PASTORAL

Capítulo 2

Aconselhamento
Pastoral

eo

Conselheiro
PSICOLOGIA PASTORAL

Capítulo I – Psicologia Secular e Psicologia Pastoral


Capítulo 2 – Aconselhamento Pastoral e o
Conselheiro
Capítulo 3 – Motivos que levam as Pessoas
Buscarem o Aconselhamento Espiritual – I
Capítulo 4 – Motivos que que levam as Pessoas
Buscarem o Aconselhamento Espiritual – II
EMENTA DO CAPÍTULO 2

Estudaremos no Aconselhamento Pastoral


e o Conselheiro:
1. Ser pastor, de fato, é ser conselheiro?
2. A necessidade de um Ministério de
aconselhamento.
3. Quais as qualidades espirituais mais importantes
que o conselheiro precisa desenvolver?
4. O conselheiro espiritual deve ser extrema/te
escrupuloso quanto à ética sexual.
Pág.71

Ser pastor, de fato, é ser


conselheiro?
 De algum modo todo ser humano acaba
aconselhando, pois o aconselhamento surge
espontaneamente;

 O pastor deve procurar ser um conselheiro, mas


também fazer de sua igreja uma equipe de obreiros
nesta área, motivando-os e treinando-os.
Pág.72

Ser pastor, de fato, é ser


conselheiro?
 As pessoas procuram um conselheiro no líder religioso;
 Uma das funções mais importantes do ministério
pastoral vem a ser a de aconselhar;
 O pastorado deve ser entendido, não como trabalho
exclusivo de uma pessoa em particular, mas de toda
uma equipe que o pastor está treinando e dando
oportunidades para se desenvolver.
 Quando isso acontece a função de aconselhar adquire
um valor ainda maior.
Pág.72

Ser pastor, de fato, é ser


conselheiro?
 As pessoas procuram um conselheiro no líder religioso;
 Uma das funções mais importantes do ministério
pastoral vem a ser a de aconselhar;
 O pastorado deve ser entendido, não como trabalho
exclusivo de uma pessoa em particular, mas de toda
uma equipe que o pastor está treinando e dando
oportunidades para se desenvolver.
 Quando isso acontece a função de aconselhar adquire
um valor ainda maior.
Pág.72

Ser pastor, de fato, é ser


conselheiro?
 Porque toda a pessoa é, por sua condição humana,
um conselheiro. Não o será talvez em termos
profissionais. Mas, sim na no
O aconselhamento prática diária;pastoral
trabalho
 O líder espiritual jovem deve planejar seu ministério
desempenha um papel de
com uma visão clara de chegar a ser um bom
conselheiro; enorme importância.
Portanto:
 O pastor experiente deve ampliar e renovar seus
conhecimentos
SER PASTOR e procedimentos, ao mesmo tempo
É SER CONSELHEIRO!
em que os compartilha e, assim, treina muitas
pessoas.
Pág.73

Conceito de
Aconselhamento Pastoral
O que é aconselhamento pastoral?
 Aconselhamento pastoral é o processo de
orientação espiritual com base nos princípios da
doutrina em que um pastor auxilia o orientando nos
momentos de tomar decisões na vida, ou quando
esse precisa fazer escolhas diante de crises e
conflitos, bem como nas circunstancias em que o
líder espiritual percebe que o orientando deve ser
corrigido por algum pecado cometido.
Pág.73

Conceito de
Aconselhamento Pastoral
 Aconselhamento pastoral é um encargo sagrado e um
relacionamento terapêutico entre o pastor que aconselha
e o congregado, o membro da igreja e, às vezes, até
pessoas que não pertencem à congregação que vão até
o pastor para receber orientação.
 Segundo o dr. Richard Dobbins, o pastor influencia
positivamente as imagens negativas que uma pessoa
tenha de Deus; ideias estropiadas do ego, hábitos
destrutivos e mágoas do passado.
Pág.73/74
Conceito de
Aconselhamento
Pastoral
 Terapia – grego therapeuo - “o ato de curar” ou “ato de
reestabelecer”. Deus trouxe a cura quando se encarnou
em nosso mundo. E o pastor capacitado pelo Espírito,
aplica a graça de Deus com fidelidade;
 O pastor como terapeuta da alma e espírito - promove a
cura; ajuda o aconselhado a desenvolver o potencial
divino que Deus tem para a vida dele; oferece
esperança, conforto, orientação, confronta e oportuniza
crescimento.
Pág. 74

Conceito de
Aconselhamento Pastoral
Gary Collins disse que:
“O conselheiro cristão é servo de Jesus
Cristo profundamente dedicado e guiado
pelo Espírito (e cheio do Espírito); é alguém
que aplica suas habilidades, treinamento,
conhecimento e discernimento dados por
Deus; tem a tarefa de ajudar os outros a
alcançar saúde pessoal, competência
interpessoal, estabilidade mental e
maturidade espiritual.”
Pág.75
Há base bíblica para
Base bíblica do O ministério de
Aconselhamento aconselhamento?

 A única fonte segura de conselho é o próprio Deus;


 Declaração dos profetas Amós e Jeremias: “Certamente
o Senhor JEOVÁ não fará coisa alguma, sem ter
revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas”
(Am 3.7);
 Jr 23.18,22: “Porque quem esteve no conselho do
SENHOR, e viu, e a ouviu? [...]Mas, se estivessem no
meu conselho, então fariam ouvir as minhas palavras ao
meu povo, e o fariam voltar do seu mal caminho e da
maldade das suas ações”.
Pág.76/77
Base bíblica do Ideias no
Aconselhamento Antigo Testamento:

 Em Gn 41.37, 45.24 – o conselho de José aos seus


irmãos;
 Dn 4.27 – conselho de Daniel ao rei Nabucodonosor;
 Conselho de Jetro à Moises; Natã corrigindo Davi
contra seu pecado.
 Profetas e sacerdotes como conselheiros:
 Is 6.8,9; Jr 25.4,5; Ml 2.7; Ex 28.29,30,38.
 O livro de Provérbios, em sua sabedoria, exalta a
importância dos bons conselhos na vida do ser
humano.
Pág.76/77

Base bíblica do Os conselheiros no


Aconselhamento Novo Testamento:

 Cada crente é um sacerdote.


 Como sacerdote ele interpõe entre Deus e um carente
quando aconselha.
 No NT encontramos duas palavras: parakaléo e noutetéo.
 Parakaléo - “pedir com insistência” e “consolar”.
 Noutetéo – admoestar; aconselhar.
Pág.78/79

Base bíblica do PARAKALÉO:


Aconselhamento
 Do grego - significa literalmente “chamar ao lado”
1. Exortar a permanecer na fé – At 14.22ª;Hb 3.13;
2. Exortar doutrinamente – Tt 1.9; Hb 13.22;
3. Confortar e encorajar – At 20.1,2; 16,40;IICo 7.6,7;
4. Consolar e edificar – Its 5.11;Ef 6.22;
5. Solicitar em nome do amor – Fm 9,10

CRISTO, o Messsias, é chamado de “MARAVILHOSO


CONSELHEIRO”! E Ele cumpriu plenamente esse papel em
todo o seu ministério!
Pág.80, 81

Base bíblica do NOUTETÉO:


Aconselhamento
 Do grego – tem três significados literais
1. Admoestar – repreender com brandura. At 20.31; Rm 15.14; Its
5.12,14;
2. Instruir, ensinar – Cl 1.28; 3.16 a;
3. Advertir – censurar levemente. II Ts 3.15; Ico 10.11;
Nesse sentido, o aconselhamento é dever de todo cristão!
Paulo exortava com firmeza e decisivo, mas com lágrimas (At 20.31;
IICo 2.4). Quando a exortação é feita nesse padrão, ela produz
fortalecimento! (At 15.32;Its 3.2)
Pág. 82

Base bíblica do
Aconselhamento
Diferença entre conselho e repreensão
Conselho Repreensão
Trata de problemas da vida, Relaciona com o andar
situações de crise. Sem errôneo de um cristão, sendo
implicações morais. chamado para corrigir seus
passos. De caráter moral.
Espera que a pessoa O pastor ou irmão vai em
necessitada venha buscar busca do que anda em
ajuda pecado expondo sua situação.
Ajuda as pessoas a entender Declara o que está errado e o
sua situação, encontrar as que deve ser feito.
causas e buscar solução.
Pág. 83/ 84

Base bíblica do
Aconselhamento
Os tipos de conselhos
Os diferentes tipos de conselhos
Quanto à sua natureza Conselho preventivo
Conselho terapêutico
Quanto à motivação Conselho solicitado
Conselho oferecido
Quanto ao alcance Conselho individual
Conselho coletivo
Pág. 84/85/86

Objetivos do ministério de
aconselhamento espiritual

1. Evitar que o povo caia – Pv 11.14


2. Evitar contendas, através do uso da sabedoria - Pv 13.10: “Da
soberba só provém a contenda, mas os que aconselham se acha a
sabedoria”
3. Estabelecer a confirmação de projetos santos – Pv 15.22
4. Produzir cura para a alma
5. Tomar decisões de modo autônomo
Segundo Alberto Barrientos, o pastor deve conhecer bem esses casos
para evitar um relacionamento de dependência com a pessoa
aconselhada. O aconselhamento traz maturidade para a pessoa em
crise, no qual ela mesma é o personagem principal.
A Necessidade de um Ministério de
Aconselhamento

A Doutrina das Escrituras conduz o conselheiro,


o aconselhado e o processo de aconselhamento
a submeterem-se à autoridade
absoluta das Escrituras.

“A área do aconselhamento tem se divorciado da Palavra” Powlison

“A palavra deve ser ministrada no aconselhamento com tanta prontidão


quanto na pregação”. Adams
Pág.91
A Necessidade de um
Ministério de
Aconselhamento
 A maioria das pessoas prefere aconselhar-se com seu
pastor;
 O pastor é mais acessível porque desfruta de um
relacionamento com os membros de congregação, e tem
acesso às casa e vida dessas pessoas por muitas
situações pelas quais passam;
 Pv 20.18:”Cada pensamento se confirma com conselho e com
bons conselhos se faz a guerra”
 Pv24.6: “Com conselhos prudentes tu farás a guerra; e há
vitória na multidão dos conselheiros”.
Pág.91

A Necessidade de um Ministério de
Aconselhamento
 Problemas de saúde mental que o pastor confronta
nos membros; problemas:
1.Relacionados a fé;
2. Uso de álcool ou drogas;
3. Sexuais;
4. escolha de faculdade, profissão, emprego;
5. Matrimonial; Familiares;
6. Morte
A Necessidade de um Ministério de
Aconselhamento

A maioria Doutrina das Escrituras conduz o


conselheiro, o aconselhado e o processo de
aconselhamento a submeterem-se à autoridade
absoluta das Escrituras.

“A área do aconselhamento tem se divorciado da Palavra” Powlison

“A palavra deve ser ministrada no aconselhamento com tanta


prontidão quanto na pregação”. Adams
Pág.92

Cuidados prioritários a serem


tomados no Ministério de
Aconselhamento
 Uma das áreas ministeriais na qual o pastor poderá
mais se frustrar é a do aconselhamento pastoral, pois
nela vemos os pecados, os conflitos, as decepções, as
ideias erradas sobre Deus que as pessoas têm.
 O pastor precisa depender:
1. da unção de Deus;
2. Da vontade do aconselhando em abandonar o
pecado, renunciar o ego e exercer a fé.
Pág.92/ 93

Cuidados prioritários a serem


tomados no Ministério de
Aconselhamento
 Leitura compartilhada das páginas 92 a 98
A Relação entre Teologia e
Aconselhamento

A Doutrina das Escrituras conduz o conselheiro,


o aconselhado e o processo de aconselhamento
a submeterem-se à autoridade
absoluta das Escrituras.

“A área do aconselhamento tem se divorciado da Palavra” Powlison

“A palavra deve ser ministrada no aconselhamento com tanta


prontidão quanto na pregação”. Adams
A Relação entre Teologia e
Aconselhamento

A Doutrina da Responsabilidade Humana conduz o


homem a uma verdadeira, clara e objetiva
avaliação de si mesmo.

“O conselheiro bíblico oferece muito mais que um ouvido atento e


palavras de conforto ou compreensão. Ele também conduz o
aconselhado à compreensão bíblica de si mesmo e dos seu
problemas, à luz de quem Cristo é. O conselheiro bíblico
esforça-se desde o início para promover uma imersão do
aconselhado na Palavra de Deus, de modo que aquilo que o
aconselhado planeja alcançar com o aconselhamento seja cada
vez mais condizente com o plano bíblico. Desde o início do
aconselhamento, ele é colocado sob
a autoridade de Deus por meio das Escrituras”.
Tripp
A Relação entre Teologia e
Aconselhamento

A Doutrina de Deus conduz o aconselhado a um


encontro e a um relacionamento com Deus.

“A fé cristã é capaz de fazer a grande síntese, unindo o todo


da vida: o corpo em sua dimensão física,
relacionamentos, pensamentos, sofrimento, emoções...”.
Powlison
“Homem algum pode fazer um exame de si mesmo sem ter que
imediatamente se voltar para a contemplação
do Deus em quem ele vive e se move”
Calvino
A Relação entre Teologia e
Aconselhamento

A Doutrina da Santificação Progressiva conduz o


aconselhado a interagir com outros no
processo de aconselhamento.

“Esta vida, portanto, não é retidão, mas crescimento em


retidão, não é saúde, é cura, não é ser, é se tornar, não é
descanso, mas exercício. Ainda não somos o que viremos
a ser, mas estamos crescendo nessa direção; o processo
ainda não está concluído, mas em andamento; este não é
o fim, mas o caminho. Nem tudo já refulge em glória,
mas tudo está sendo purificado”
Martinho Lutero
Pág. 103

O CONSELHEIRO PASTORAL

Quais as qualidades espirituais mais importantes que o


conselheiro precisa desenvolver?
 II Tm 2.15(NVT): “Esforce-se sempre para receber a aprovação do
Deus a quem você serve. Seja um bom trabalhador, que não tem
de que se envergonhar e que ensina corretamente a palavra da
verdade”. (NVT – Nova versão Transformadora)
 É o próprio servo de Deus que deve investir em seu ministério.
Deus chama; Deus consagra; a igreja separa; o Senhor confirma;
mas, quem se prepara é o próprio obreiro chamado.
Você está bem preparado?

Leia e estude a Bíblia


“Porque à semelhança daqueles a quem ministro,
eu também necessito de uma mudança radical
de mente. Quando eu estou pensando
corretamente, o aconselhamento floresce
e dá frutos bons”.
Powlison
Pág. 104

O CONSELHEIRO PASTORAL

1. O conselheiro espiritual deve ser disciplinado


 Segundo Foster, as disciplinas espirituais são as seguintes:
a) Disciplinas interiores: meditação, oração, jejum e estudo;
b) Disciplinas exteriores: simplicidade, isolamento, submissão e
serviço;
c) Disciplinas coletivas: confissão, adoração, orientação e
celebração.
 Propósito da disciplina espiritual: levar-nos a um lugar diante de
Deus, onde a presença do Espirito Santo nos transforme na
mesma imagem de Jesus Cristo (Rm 8.26-29)
Pág. 104

O CONSELHEIRO PASTORAL
1. O conselheiro espiritual deve ser disciplinado
 O pastor deve ser:
1. Sério no que se refere ao seu desenvolvimento de “hábitos santos”,
que o levem a ter um bom relacionamento transformador com o
Espírito Santo;
2. Desenvolver e exercer domínio próprio; caso contrario jamais será
conselheiro frutífero;
3. Deve conhecer as técnicas do aconselhamento pastoral;
4.Deve dedicar tempo ao ministério do aconselhamento.
William Law: temos de fazer desse Espírito o governante de todas as
nossas ações”.
Nossas vidas devem ser tão santas quanto nossas orações
Pág. 105

O CONSELHEIRO PASTORAL

2. O conselheiro deve aplicar-se a ler e estudar tudo o que


se relaciona sobre a psicologia humana
 O pastor deve ler livros, frequentar seminários, e se possível,
treinamento e cursos sobre aconselhamento bíblico;
 O pastor que está fundamentado na Palavra de Deus tem condições
de aprofundar-se com a confiança nas ciências comportamentais,
determinar o que se alinha com as Escrituras e permitir que a verdade
descoberta e operacionalizada sirva ao crente no âmbito relacional do
aconselhamento.
Pág. 106

O CONSELHEIRO PASTORAL

3. O conselheiro deve ser uma pessoa espiritual

 Espiritual - é um servo de Deus que conjuga uma vida ungida à


competência técnica, bem como compaixão à oração:
1. O pastor ajuda o aconselhado a desenvolver o potencial divino que
Deus tem para a vida do aconselhado. Dessa forma ele promove a
cura;
2. “Os conselheiros servidores são eficientes a proporção que seus
aconselhando ficam em melhor posição para lidar com as
circunstancias problemáticas e/ou desenvolver novos recursos e
oportunidades em suas vidas com mais eficiência”
doutor Richard Dobbins
Pág. 106/107

O CONSELHEIRO PASTORAL

4.O conselheiro cristão deve estar preocupado na produção do


fruto do Espírito não somente no aconselhamento,
mas também em si próprio

 O pastor cheio do Espírito experimentará um amor pelas coisas que


Deus ama e um ódio pelas coisas que Deu odeia. O pastor
entristecerá com aquilo que entristece Espírito.
 Lichi ensina: “o pastor que deseja aconselhar no poder do Espírito
Santo tem de ansiar por duas coisas: ser como Jesus e responder
imediatamente à unção do Espírito Santo”.
Pág. 108/ 109

O CONSELHEIRO PASTORAL

5.O conselheiro deve ser sociável:


 O pastor conselheiro deve ser tratável, social e acessível;
 Deve saber ouvir e com calma e ser disponível;
Há pessoas que ninguém as ouve, quando chegam ao gabinete
pastoral falam, falam, falam... – somente o fato de o conselheiro ouvi-
las já as deixa aliviado .
6. O conselheiro deve conhecer o poder transformador do amor de
Cristo em sua própria vida e na dos outros.
7. É preciso que o conselheiro espiritual tenha sensibilidade.
8. O conselheiro deve ser uma pessoa séria.
Pág. 115 à 118

O CONSELHEIRO PASTORAL
9. O conselheiro espiritual deve ser extremamente escrupuloso quanto à
ética sexual. Algumas postura ética do pastor conselheiro, segundo
Wayde I. Goodall:
a) Quem aconselha deve inicialmente fechar as principais brechas
onde o inimigo quer entrar em nossa vida, na área sexual;
b) Quem aconselha deve se acautelar para não se considerar acima de
toda e qualquer tentação;
c) Quem aconselha não deve fazer perguntas desnecessárias ou
procurar saber detalhes da vida sexual de uma pessoa aconselhada;
d) Quem aconselha deve tomar cuidado redobrado com as pessoas
que já foram vitimas de abuso sexual;
Pág. 119 à 121

O CONSELHEIRO PASTORAL
f) Se o conselheiro já foi tentado sexualmente por um membro da
congregação, quando esta lhe pede conselho, deve encaminhar essa
pessoa a outro conselheiro cristão confiável e buscar ajuda para si
mesmo;
g) Quem aconselha deve tomar cuidado para que o aconselhado não se
apegue exageradamente a si;
h) Quem aconselha deve ter um plano de fuga para escapar de alguma
situação que parecer questionável;
i) Quem aconselha deve tomar precauções para evitar circunstancias que
possam ser erroneamente interpretadas (ou aumentadas) como
relacionamentos impróprios com uma criança ou com uma pessoa do mesmo
sexo.
Pág. 122/123

O CONSELHEIRO PASTORAL

10. O conselheiro espiritual deve desenvolver senso de justiça e


imparcialidade em seus juízos.
11. É imprescindível que o conselheiro espiritual seja extremamente
sigiloso:
 O obreiro tem direito legal de se eximir de ser testemunha em litígios
civis caso seja arrolado para tal incumbência:
 “A testemunha não é obrigada depor de fatos a cujo respeito, por
estudo ou profissão, deva guardar sigilo” (Artigo 406, inciso II, do Código de Processo Civil Brasileiro)
 “Ninguém pode ser obrigado a depor de fatos, a cujo respeito, por
estado ou profissão, deva guardar segredo” (Artigo 144 do Código Civil Brasileiro)
Quem pode ser Conselheiro?
Formação e Ética
1. O Aconselhamento é função exercida prioritariamente
por pastores, mas nem todo “pastor” é pastor e
portanto, é conselheiro.
2. O Aconselhamento pode ser exercido por membros,
preferencialmente profissionais, estudantes ou
estagiários de Psicologia ou Psiquiatria, sob a
supervisão espiritual de pastor.
3. Situações Críticas:
• envolvimento emocional – contra-transferência.
• quebra da privacidade do aconselhado.
• manipulação e abuso emocional, sexual ou físico.
Você está bem preparado?

1. Faça uma avaliação das suas próprias


atitudes e da sua própria vida.
• Em relação aos seus próprios problemas.
• Em relação à pessoa com quem vai trabalhar.

“O fator mais singular e significativo que afeta o meu


ministério de aconselhamento é a qualidade da minha fé
em Deus, assim como o arrependimento e a obediência”.
Powlison
Você está bem preparado?

2. Leia e estude a Bíblia


“Porque à semelhança daqueles a quem ministro,
eu também necessito de uma mudança radical
de mente. Quando eu estou pensando
corretamente, o aconselhamento floresce
e dá frutos bons”.
Powlison
Você está bem preparado?

3. Invista tempo para pensar seriamente


nas pessoas que vai aconselhar.
• Revisão dos encontros anteriores.
• Anotações detalhadas durante ou após o
encontro.
• Procure entender as “questões críticas”.
Você está bem preparado?

4. Ore por si mesmo e pelas pessoas,


pedindo que Deus atue.
• Dando convicção de verdade ao aconselhado.
• Dando sabedoria, clareza, coragem, ouvido
diligente, amor e graça, honestidade e
praticidade, paciência ao conselheiro.
Você está bem preparado?

5. Esboce um plano de ação para o encontro


de aconselhamento.
• Geral e específico, sistemático e flexível ao
mesmo tempo.

Atenção:
O ser humano é imprevisível !!!
Você está bem preparado?

6. Faça uma revisão freqüente dos


princípios básicos de aconselhamento
que orientam seu ministério.
• Há esperança! Deus está no controle.
• O problema está lá dentro no coração da pessoa.
• Ame. Conheça. Fale. Faça.
• Qual é a questão específica?
• Pequenas mudanças são bem vindas.
• Nada de mágica, nem técnica, nem cura garantida.
7. Faça coisas que lhe dispõem para a
tarefa ministerial.
• Como é estar no lugar do outro?
• “Aconselhar Pessoas com problemas e não problemas
nas pessoas”. Powlison
• A vida é mais abrangente do que o problema sendo
tratado. A vida é bela!
Você está bem preparado?

8. Verifique se está cumprindo o que você


prometeu.
• A credibilidade do conselheiro é
fundamental para o bom andamento do
aconselhamento.
• Pontos importantes:
• Pontualidade e Assiduidade.
• Bom trato e Boa apresentação.
• Atenção e Respeito.
Uma Palavra Final

O Conselheiro Cristão é o ombro amigo que o


Espírito Santo materializa para ajudar ao próximo
e, ao mesmo tempo, é o meio de conscientizar,
despertar e apoiar na direção da mudança.
Depender totalmente de Deus na certeza de que
tudo depende dele em última instância, sem
esquecer que deve fazer o seu melhor, como se
tudo dependesse de si é o desafio do equilíbrio no
aconselhamento.