Você está na página 1de 184

SINAN (SISTEMA DE

INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE
NOTIFICAÇÃO)
 O SINAN foi implantado, de forma gradual, a
partir de 1993. No entanto, esta implantação foi
realizada de forma heterogênea nas unidades
federadas e municípios, não havendo uma
coordenação e acompanhamento por parte dos
gestores de saúde, nas três esferas de governo.

 Em 1998, o Centro Nacional de Epidemiologia –


Cenepi retoma este processo e constitui uma
comissão para desenvolver instrumentos, definir
fluxos e um novo software para o SINAN, além de
definir estratégias para sua imediata
implantação em todo o território nacional,
através da Portaria Funasa/MS n.o 073 de 9/3/98
(BRASIL, 1998).
 Com a criação da Secretaria de Vigilância em Saúde
(SVS), em 2003, as atribuições do Cenepi passam a
ser de responsabilidade da SVS.

 Este sistema é alimentado, principalmente, pela


notificação e investigação de casos de doenças e
agravos que constam da lista nacional de doenças de
notificação compulsória.

 O seu uso sistemático, de forma descentralizada,


contribuirá para a democratização da informação,
permitindo que todos os profissionais de saúde
tenham acesso a informação e as tornem disponíveis
para a comunidade. Pode, portanto, tornar-se um
instrumento relevante para auxiliar o planejamento
da saúde, definir prioridades de intervenção, alem de
permitir que seja avaliado o impacto das intervenções.
A utilização do SINAN, em conjunto com
os demais Sistemas de Informação em
Saúde, torna-se uma importante
ferramenta para facilitar a formulação e
avaliação das políticas, planos e
programas de saúde, subsidiando o
processo de tomada de decisões, com vistas
a contribuir para a melhoria da situação
de saúde da população.
OBJETIVO

 Coletar, transmitir e disseminar dados gerados


rotineiramente pelo Sistema de Vigilância
Epidemiológica das três esferas de governo, por
intermédio de uma rede informatizada, para
apoiar o processo de investigação e dar subsídios
a análise das informações de vigilância
epidemiológica das doenças de notificação
compulsória.
COMPETE AOS MUNICÍPIOS
 I. prestar apoio técnico as unidades notificantes;
 II. coletar e consolidar os dados provenientes de unidades notificantes;
 III. estabelecer fluxos e prazos para o envio de dados pelas unidades notificantes;
respeitando os fluxos e prazos estabelecidos pela SVS/MS;
 IV. enviar os dados ao nível regional , observados os fluxos e prazos estabelecidos
pelos estados e pela SVS/MS;
 V. distribuir as versões do Sinan e seus instrumentos de coleta de dados para as
unidades notificantes;
 VI. informar a unidade federada a ocorrência de casos de notificação compulsória,
detectados na sua área de abrangência, residentes em outros municípios, ou a
ocorrência de surtos ou epidemias, com risco de disseminação no pais;
 VII. avaliar a regularidade, completitude, consistência e integridade dos dados e
duplicidade de registros, efetuando os procedimentos definidos como de
responsabilidade do município, para a manutenção da qualidade da base de dados;
 VIII. realizar analises epidemiológicas e operacionais;
 IX. retroalimentar os dados para os integrantes do sistema;
 X. divulgar informações e analises epidemiológicas;
 XI. normatizar aspectos técnicos em caráter complementar a atuação do nível
estadual para a sua área de abrangência.
 XII. Executar a rotina “fluxo de retorno” para obter os casos residentes notificados
por outros municípios/estado e disponibilizar o arquivo gerado para os seus distritos
sanitários, semanalmente.
FICHAS DE NOTIFICAÇÃO
 A Ficha de Notificação, deverá ser utilizada para
Notificar ou não a ocorrência de Agravos nos
Municípios, podendo ser Negativa, Individual ou
Surtos.

* Basta Fazer a marcação de qual tipo de Notificação


será, que a ficha se tornará – Negativa, Individual ou
Surto
FICHA DE NOTIFICAÇÃO NEGATIVA

 Deverá ser usada para Notificar quando não


houver nenhum agravo a ser Notificado nas
Unidades, pois a falta de informação acarreta em
Unidades Silenciosas, ou seja esta notificação é
usada para informar que não houve nenhum
agravo na semana epidemiológica.
FICHA DE NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL
 Esta ficha é usada para informar/notificar os
casos/agravos existentes naquela semana.

 Segue algumas Observações:


Notifica-se IMEDIATAMENTE

Para os agravos discriminados a seguir, alem da notificação periódica,


deve ser comunicado imediatamente ao Órgão de Vigilância
Epidemiológica Estadual, e este para o SVS, no ato da constatação da
suspeita ou diagnostico de caso ou surto, por meio de telefonema, fax ou
e-mail, sem prejuízo do registro das notificações pelos procedimentos
rotineiros do Sinan.
Através do Notifica-se
E-notifica: notifica.se@saude.mg.gov.br
Subsecretaria de Vigilância em Saúde
Telefone: 55 (31) 3916.0297/ Celular: 55 (31) 9744.6983
Ou através do Site:www.saude.mg.gov.br e procurar o
formulário para notificações imediatas.
Segue Link Direto:
http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=1042

* Acrescente-se agora os Óbitos Maternos e Infantis (099 –


 Notificação individual de casos suspeitos
e/ou confirmados dos seguintes agravos de
interesse nacional:

 acidente por animais peçonhentos, atendimento


anti-rábico humano, intoxicação exógena e
varicela;
OBSERVAÇÃO
 Estes agravos são notificados apenas após a
CONFIRMAÇÃO de caso.

 AIDS(menores de 13 anos e maiores de 13 anos),


Esquistossomose em área não endêmica,
Hanseníase, Gestante HIV +, Leishmaniose
Tegumentar Americana,Tuberculose, Sífilis
Congênita, Sífilis em Gestante e as Doenças
Relacionadas a Saúde do Trabalhador (Acidente
de Trabalho com Exposição a Material Biológico,
Acidente de Trabalho Grave, Câncer Relacionado
ao Trabalho, Dermatoses Ocupacionais, Ler/Dort,
Pair, Pneumoconioses, Transtornos Mentais
relacionados ao trabalho).
NOTIFICAÇÃO DE SURTO
FICHA ACOMPANHAMENTO DE SURTO
FICHA DE INVESTIGAÇÃO
 Com relação as fichas de investigação de casos
suspeitos e/ou confirmados, a sua numeração
devera ser a mesma da Ficha de Notificação que
deu origem ao caso, devendo ser transcrita,
manualmente, no momento da abertura desta
ficha.
OBSERVAÇÃO

 Os municípios informatizados deverão digitar


tanto os casos Residentes no próprio município,
quanto aqueles residentes em OUTROS
Municípios (Habilitando assim a Ficha ao
FLUXO de RETORNO).

 Quando a Notificação for feita em um Município


diferente da Residência, o encerramento de
caso compete ao Município de RESIDÊNCIA.
 O Fluxo de Retorno foi desenvolvido pelo Datasus
em 2007 como uma funcionalidade do Sistema de
Informação de Agravos de Notificação, versão net.
Seu principal objetivo é complementar o processo
de apoio de investigação e dar subsídios à análise
das informações de vigilância epidemiológica.
Seu objetivo específico é enviar os dados da ficha de
notificação/investigação, por meio magnético, dos
casos notificados fora do município de residência
(ou seja é um processo do município de
notificação para que o município de residência
enxergue os casos Notificados fora dele).
ENVIO PARA O FLUXO DE RETORNO
 Considerando as regras do sistema, de que todos
os municípios informatizados deverão digitar
tanto os casos residentes no próprio município,
quanto àqueles residentes em outros municípios,
regras também foram estabelecidas para o Fluxo
de Retorno.
 O fluxo de retorno do sistema deverá ser
utilizado para enviar a
notificação/investigação do local de
NOTIFICAÇÃO para o local de RESIDÊNCIA
do caso.
A Habilitação de forma manual será feita de
acordo com a decisão do município de
Notificação, nas seguintes situações:

 Quando for preencher apenas a Ficha de Notificação;


 Quando não tiver mais dados a serem incluídos na
Ficha de Investigação;
 Quando o caso for encerrado;
 Após a liberação das notificações/investigações
para o fluxo de retorno, o registro fica
bloqueado no município de notificação para
alteração e exclusão e não pode ser desmarcado
com o objetivo de não ocorrer superposição das
informações incluídas pelo local de residência
(município que finalizará a investigação,
acrescentando os demais dados da ficha de
investigação), responsável pelo encerramento do
caso.
DOWNLOAD DAS NOTIFICAÇÕES
HABILITADAS PARA FLUXO DE RETORNO

 A execução da rotina e o recebimento para o


Fluxo de Retorno deverão ser acessadas pelo
Município Semanalmente, através da pagina
http://www.saude.gov.br/sinan_net, acessando o
SINAN-NET (WEB).
SINAN-NET (WEB)

 Nesta Primeira aba, será solicitado


ao Usuário que informe o seu Login
e sua Senha.
PÁGINA PRINCIPAL
ROTINAS DISPONÍVEIS NO FLUXO DE
RETORNO

 Relatório gerencial;
 Gerar arquivo de conferência;

 Baixar arquivo de fluxo de retorno;

 Liberar novamente para fluxo de retorno


(Somente para Estado).
#RELATÓRIO GERENCIAL
 OBS: Este relatório identifica as notificações e a
quantidade de registros disponíveis para serem
baixados.
 Obs:Com relação ao agravo de Dengue, que já estão
digitando no sistema SINAN ONLINE (Dengue) não
precisam baixar do fluxo de retorno.
GERAR ARQUIVO DE CONFERENCIA
 O arquivo de Conferencia, serve para o Usuário
Avaliar se alguma Notificação já foi Baixada do
Fluxo de Retorno.
 Informar o Cod. IBGE apertar TAB.
 Salvar o arquivo de Conferencia em
C:\Recebe
OBSERVAÇÃO
RECEBENDO NO SINAN
Por padrão o SINAN consulta a pasta C:\Recebe
FLUXOGRAMA DE DADOS
PRAZO PARA INCLUSÕES DE DADOS

A inclusão de casos novos no sistema muito tempo


depois da ocorrência do evento distorce a real
magnitude do perfil epidemiológico dos agravos de
notificação compulsória, não permitindo dessa
forma que os dados gerados pelo SINAN possam
auxiliar no planejamento das ações de saúde,
avaliar impacto das intervenções e por
conseqüência, não subsídia o processo de tomada de
decisões
PRAZO PARA ENCERRAMENTO OPORTUNO
DA INVESTIGAÇÃO DOS CASOS

 Após a Notificação no SINAN, deverá ser


Observado o prazo para encerramento Completo
das fichas de Investigação segundo cada Agravo.
SINAN’S
 Atualmente contamos com 04 Ferramentas de
Notificações Disponíveis.

 SinanNET (Local)
 SinanNET(Web – Fluxo de Retorno – Já Citada
acima)
 SinanNET(Web – Dengue)

 Sinan(Web – Influenza)
CONHECENDO OS SISTEMAS
 Sinan Net (Local)
COMO ACESSAR?!
 O Sinan-Net, ficará no Desktop e/ou Notebook
instalado, apresentando esta primeira aba, onde o
usuário entrará com um Login e uma Senha Pré-
Definida pelo próprio Usuário (Formulário que
irão preencher posteriormente).
PAGINA PRINCIPAL
MENU DE NOTIFICAÇÃO
Para Registrar Notificações
Individuais
Para Registrar Notificações
Negativa
Para Registrar Notificações de Surtos
NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL NO SINAN
 Ao Clicar em Notificação Individual, o usuário
Obrigatoriamente terá que informar o CID ou o
Nome do Agravo.
# DICA

Ao informar o agravo você poderá digitar o nome todo


ou usar a caractere de
(% - porcentagem) que servirá como uma ferramenta
de (Auto-Completar).
Ex: Quero Digitar o Agravo de Acidente de
Trabalho Grave. Usando o símbolo de (%),
poderia digitar (acid%), assim o sistema me daria
todos os agravos que começariam com (‘acid’),
independentemente do final, seja ele acidente de
acidente de trabalho com exposição a material
biológico, acidente de trabalho grave ou acidente
por animal peçonhento.
ABA DE DIGITAÇÃO NO SINAN
 As fichas do SINAN e/ou o SINAN acompanha
as modificações feitas pela SES, então todo o
Sistema será Totalmente Compatível com as
Fichas ou novas fichas que forem surgindo, seja
ela de Notificação, Investigação ou Conclusão.
NOTIFICAÇÃO NEGATIVA
 Será feita quando não ocorrer nenhuma
doença(Agravo) a ser notificado.
MENU CONSULTAS
 Como o próprio nome já diz, o menu Consultas
serve para Consultar/Tirar Relatórios das
Notificações Feitas e/ou casos Notificados.
Onde poderemos efetuar Consulta das Notificações:
 Individuais

 Negativas

 Surto

 Inquérito Tracoma e Epizootia


ABA DE CONSULTA
Sempre após preencher os
requisitos clicar em Adicionar
DUPLICIDADE E VINCULAÇÃO
TABELAS
# MENU FERRAMENTA
*MOVIMENTO
#TRANSFERÊNCIA VERTICAL
 A transferência do Banco de Dados do SINAN a esta
Regional, deverá ser feita toda QUARTA-FEIRA, o
não cumprimento dessa ação acarretará em perca de
meta do CO-AP (enviar semanalmente a base de
dados – lotes do SINAN ao nível central).
LOTES
 Os Lotes Gerados ficarão em
C:\\Sinan_NET\TransferenciaVertical.
 Basta copiar e me enviar no
Viep.una@saude.mg.gov. br
 Pela facilidade e agilidade do Sistema em efetuar
Backup, indico fazer Backup TODOS os dias, ou
sempre ao final do dia após lançar registros, pois
o Backup é a única forma de recuperar os
arquivos digitados.
#EXPORTAÇÃO DO BANCO DE DADOS
 A exportação do BD será feita nas seguintes
situações:
 Sempre que for utilizar a ferramenta do TabWin
(ferramenta que tira relatorios do SINAN).
 Sempre que for verificar Diretamente no BD.
OTIMIZAÇÃO DO BANCO DE DADOS
TAXA DE INCIDÊNCIA: NÚMERO DE CASOS NOVOS
DE UMA DOENÇA EM UM DADO LOCAL E PERÍODO,
RELATIVO A UMA POPULAÇÃO EXPOSTA;
RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DE
ALIMENTAÇÃO DO SINAN
SINAN-NET (WEB - DENGUE)
COMO ACESSAR?!
 Através do Site www.saude.gov.br/sinan
 O SINAN – WEB Dengue, serve apenas e
exclusivamente para notificações/relatórios do
Agravo de DENGUE, não sendo permitida ou
possível a inclusão de outros agravos no mesmo.
PAGINA DE LOGIN
LOGIN E SENHA
 Será enviado aos gestores do SINAN, um
formulário onde deverão informar alguns dados
posteriormente enviadas a SES para liberação de
Login.
PÁGINA PRINCIPAL
INTERFACE DE DIGITAÇÃO
# DICAS
 Utilizar TAB para pular de campo em campo
Clicar na Seta
Começar a escrever que
aparecerá as Ocupações
Disponiveis
Para Abrir
DUPLICIDADE
#MENU RELATÓRIOS
#MENU RELATÓRIOS ESPECÍFICOS
#MENU EXPORTAÇÕES
FAÇA A CONSULTA
Salve em algum lugar que lembre...
Baixe o
arquivo
BANCO DE DADOS EXPORTADOS
UTILIZANDO O TABWIN
SINAN - WEB INFLUENZA
COMO ACESSAR?!
 Através do Site www.saude.gov.br/influenza
 No SINAN Influenza são Notificados os casos de
SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave)
PÁGINA DE LOGIN
PÁGINA PRINCIPAL
#MENU NOTIFICAÇÃO
#MENU CONSULTA
#MENU RELATÓRIOS
Obrigado Pela
Presença...