Você está na página 1de 33

MATERIAIS

ELÉTRICOS

Prof. Me. Rodrigo Mendonça de Carvalho


1

Goiânia
APRESENTAÇÃO DA
DISCIPLINA

2
Objetivos

- Dotar o discente com condições para classificar os


materiais utilizados em aplicações elétricas segundo
suas propriedades funcionais.

- Reconhecer princípios operacionais de condutividade,


isolação, respostas sistêmicas, durabilidade e
limitações.

- Conhecer aplicações práticas em dispositivos


eletroeletrônicos.

3
Ementa

- Propriedades gerais dos materiais.


- Condutividade elétrica.
- Materiais condutores e resistividade.
- Dielétricos.
- Comportamento magnético, materiais magnéticos e
ferromagnéticos.
- Semicondutores.
- Supercondutores.
- Soluções de mercado.

4
Programa

 Materiais condutores:
1. metais;
2. ligas metálicas;
3. grafita, peças de contato;
4. resistores;
5. fusíveis;
6. bimetais;
7. condutividade e resistência elétricas;
8. fatores que influenciam na resistência elétrica;
9. termoeletricidade;
10. supercondutividade;
11. fator custo

5
Programa

 Materiais Isolantes:
1. polarização e rigidez dielétrica;
2. capacitância;
3. perdas no dielétrico e fator de perdas;
4. permissividade dielétrica;
5. materiais dielétricos;
6. capacitores;
7. isoladores;
8. eletretos e piezoeletricidade;
9. isolamento de fios e cabos condutores;

6
Programa

 Materiais Magnéticos:
1. materiais magnéticos:
2. o conceito de domínio magnético;
3. classificação dos materiais quanto ao comportamento
magnético;
4. magnetização, curva e laço de histerese;
5. materiais e ligas ferromagnéticas;
6. indutores;
7. magnetoestricção

7
Programa

 Materiais Semicondutores:
1. semicondutor intrínseco;
2. dopagem e semicondutores extrínsecos tipos P e N;
3. Efeito Hall;
4. Aplicação da energia térmica e luminosa em dispositivos
semicondutores;
5. corrente de difusão;
6. junção PN
7. Dispositivos a Semicondutor:
I. Diodo de Junção Bipolar
II. Transistor Bipolar de Junção (TBJ)

8
Programa

 Materiais Semicondutores:
7. Dispositivos a Semicondutor:
I. Diodo de Junção Bipolar
i. polarização direta e reversa da junção PN;
ii. equação e característica tensão-corrente do diodo de
junção bipolar;
iii. linha de carga;
iv. modelos do diodo para grandes sinais e baixas freqüências;
v. aplicações elementares de diodos a baixas freqüências
(circuitos DC e AC);
vi. modelos do diodo para pequenos sinais;
vii. capacitâncias de difusão e transição;
viii. tempos de comutação do diodo de junção;
ix. diodo Zener;
x. componentes optoeletrônicos.

II. Transistor Bipolar de Junção (TBJ) 9


Programa

 Materiais Semicondutores:
7. Dispositivos a Semicondutor:
I. Diodo de Junção Bipolar

II. Transistor Bipolar de Junção (TBJ)


i. polarizações do TBJ;
ii. modos de operação;
iii. o Efeito Early;
iv. configurações do TBJ;
v. modelos DC e análise de circuitos de polarização do TBJ;
vi. fototransístor.

10
Avaliação

Provas:
A avaliação final alcançada nesta disciplina será baseada na
média aritmética obtida em três provas individuais sem
consulta, 𝑁1, 𝑁2 e 𝑁3, tal que:

𝑁1 + 𝑁2 + 𝑁3
𝑁𝑜𝑡𝑎 𝐹𝑖𝑛𝑎𝑙 = ≥ 6,0
3
Onde
N1 (Materiais Condutores, Isolantes e Magnéticos) – 14/09/19
N2 (Materiais Semicondutores - Diodos) – 23/11/19
N3 (Materiais Semicondutores – TBJ) – 14/12/19

*Obs. Não existe nenhuma forma de avaliação substitutiva.


11
Bibliografia
Básica:
- SCHIMIDT, Walfredo. Materiais Elétricos. São Paulo: Editora Edgard Blücher
Ltda, 1979.
- CALLISTER, William D.. Ciência e engenharia de materiais: uma introdução.
Rio de Janeiro: LTC, 2008.
- MAMEDE FILHO, João. Manual de Equipamentos Elétricos. Rio de Janeiro:
LTC, 2008.

Complementar:
- WERNECK, Marcelo M.. Transdutores e Interfaces. Rio de Janeiro: LTC, 1996.
- PADILHA, Angelo F.. Materiais de Engenharia Microestrutura e Propriedades.
São Paulo: Hemus Editora, 1997.
- SARAIVA, Delcyr B.. Materiais Elétricos. Rio de Janeiro: Editora Guanabara,
1988.
- ZACHARIASON, Rob. Electrical Materials. Delmar Cengage Learning. 2012.
- SOLYMAR, Laszlo; WALSH, Donald, SYMS, Richard R. A.. Electrical Properties
of Materials.
Oxford University Press. 2014.
12
1. INTRODUÇÃO

13
1.1 – Introdução aos materiais elétricos
A indústria de elétrica e eletrônicos desde sempre teve uma grande
necessidade de novos materiais com melhores características e de fácil
utilização, como:
Grandes avanços como os associados ao desenvolvimento de ligas
metálicas, ligas avançadas em geral e materiais cerâmicos, tornaram
possível melhorara eficiência e deixar menos consumo dos equipamentos
eletrônicos e elétricos;

Substituição de novos materiais e o aperfeiçoamento de materiais


existentes, bem como da disponibilização de materiais mais leves, mais
resistentes, mais tenazes, mais tolerantes aos danos, e/ou mais resistentes
a altas temperaturas, recicláveis e fáceis de reparar, para uma nova
geração de componentes mais seguros, econômicos e eficientes;
14
1.2 – Necessidade do Estudo dos Materiais Elétricos

Materiais: são as substâncias com as quais se produz objetos ou coisas,


e os Materiais Elétricos são utilizados na fabricação de
máquinas,equipamentos e dispositivos elétricos.

O estudo dos Materiais Elétricos permite selecionar esses materiais


visando:
Aumento da confiabilidade,
Redução de custos de fabricação,
Redução do custos de manutenção

15
1.3 – Requisitos fundamentais para os profissionais da Área Elétrica
Perceber as perspectivas futuras;

Entender como as propriedades químicas, elétricas, físicas, térmicas,


óticas, mecânicas, a disponibilidade e o custo dos materiais se
relacionam no projeto e na seleção;

Saber que apesar do avanço das ciências, muitos desafios ainda estão
por vir (ex. tudo que se relaciona com Impacto Ambiental e
Sustentabilidade).

16
1.4 – Regras práticas para seleção dos materiais elétricos

• Conhecimento do material e as condições a que estará sujeito.

• Propriedades consistentes com as condições de serviço.

• Efeito das mudanças de condições além dos limites normais.

• Listagem de todos os materiais possíveis

• Eliminação dos materiais de propriedades inadequadas, tais como


fratura, corrosão, segurança, alto custo, disponibilidade, etc

17
1.5 – Classificação dos materiais na engenharia
Por convenção os materiais na engenharia são classificados, como:

18
1.5.1 – Materiais metálicos (condutores)

Elementos com valência 1, 2 ou 3


Ligação metálica (compartilh. dos elétrons livres)
Microestrutura cristalina
Dúcteis (alta plasticidade)
Rígidos (alto módulo de elasticidade)
Tenazes (resistentes a trincas)
Encruáveis (endurecem por deformação)
Opacos
Bons condutores de calor e eletricidade
Temperáveis ( mais de uma fase alotrópica)
Ligas endurecíveis por precipitação
Ativos quimicamente
Propagação de discordâncias muito mais fácil
19
Ex: Aços, Ligas de alumínios, ligas de titânios etc..
1.5.2 – Materiais poliméricos (isolantes)

Longas cadeias de moléculas repetidas


Ligações covalentes nas cadeias (entre as cadeias é secundária nos Termoplásticos e
covalente nos Termofixos)
Baixa temperatura de fusão ou de decomposição
Microestrutura amorfa ou pouco cristalina
Pouco rígidos
Maus condutores de calor
Viscoelásticos e dúcteis acima da temperatura de transição vítrea
Pouco densos
Bons isolantes elétricos
Podem ter boa resistência química e
Ótima fabricabilidade
20
Ex:Termoplasticos,Termoelasticos,Elastomeros etc..
1.5.3 – Materiais cerâmicos (isolantes)

Em geral a combinação de metais com não-metais (valência 5, 6 ou 7)


Ligação iônica ou covalente
estrutura cristalina (complexa) ou vítrea
Alta rigidez
Alta dureza
Frágeis
Não encruáveis nem maleáveis
Quimicamente estáveis
Propagação de discordâncias quase impossível
Alto ponto de fusão
Isolantes elétricos
Maus condutores de calor
21
Ex: Vidros, cerâmicas, carbertos etc..
1.5.4 – Materiais compósitos (isolantes-condutores)

Combinação de dois ou mais materiais cujas propriedades são diferenciadas das dos
constituintes
Formados por dois materiais a nível macroscópico
Enorme gama de propriedades
Excelentes rigidez e resistência específicas
Fibras e matriz cerâmicas resistem a altas temperaturas
Baixa densidade
Excelente resistência mecânica

Ex:Fibras de carbono, Kevlar, Matriz de epoxy, etc


22
1.5.5 – Materiais semicondutores

Liga PbSnTe

Si, Ge, GaAs


Base da indústria eletrônica
Todos os componentes eletrônico do computador
Condutividade finamente controlada pela presença de impurezas (dopantes)
Podem ser combinados entre si para gerar propriedades eletrônicas e óticas sob
medida
São a base da tecnologia de opto-eletronicos-lasers, detetores, circuitos
integrados óticos e células solares.
Ex: Silício , germânio, boro, carbono, etc
23
1.6 – Classificação dos materiais na tabela periódica

24
1.6 – Classificação dos materiais na tabela periódica

25
1.6 – Classificação dos materiais na tabela periódica

26
1.7 – Classificação dos materiais na engenharia elétrica
Divisão do Estudo dos Materiais Elétricos:
• Materiais Condutores: São materiais que deixam a corrente elétrica circular
livremente por seu interior.
Exemplos: Alumínio, Bronze, Cobre, Estanho, etc.

• Materiais Dielétricos ou Isolantes: São materiais capazes de prover a


separação entre diferentes elementos condutores apresentando grande oposição
a passagem de corrente elétrica em seu interior.
Exemplos: Borracha, Porcelana, PVC, Papel etc.

• Materiais Magnéticos: São materiais que interagem com campos magnéticos.


Exemplos: Aço Silício, Alnico e Ferrite de Bário.

• Materiais Semicondutores: São materiais que possuem condutividade


intermediária entre a dos condutores e isolantes.
Exemplos: Germânio, Silício. 27
1.8 – Comportamento elétrico dos materiais

28
1.8 – Comportamento elétrico dos materiais

29
1.8 – Comportamento elétrico dos materiais

Propriedades dos materiais sólidos


- dependem do arranjo geométricos dos átomos
- dependem das interações que existem entre os átomos e as moléculas
que constituem os sólidos
Em materiais sólidos
- os átomos são mantidos por ligações
Ligações
- propiciam resistência
- propiciam propriedades elétricas e térmicas dos materiais
Ligações fortes
- Baixa condutibilidade elétrica
- coeficientes de dilatação térmicas bem baixas 30
1.8 – Comportamento elétrico dos materiais

Ligação iônica
- Ligação forte -> baixa condutibilidade elétrica -> isolante

Ligação covalente
- Ligação forte -> alta condutibilidade elétrica -> isolante

Ligação metálica
- Ligação forte -> alta condutibilidade elétrica -> condutor

31
1.8 – Comportamento elétrico dos materiais

Classificação das 14 Células Unitárias de Bravais, baseada nos 7


Sistemas Cristalinos

32
1.8 – Comportamento elétrico dos materiais

33