Você está na página 1de 14

Nada pode

impedir o agir ESDRAS 6

de deus
RECOMEÇO E
CONCLUSÃO
DA
ESDRAS CAPÍTULOS 5 E 6
CONSTRUÇÃO
DO TEMPLO
CARTAS DE DENÚNCIA/
QUESTIONAMENTO AO REI DA PÉRSIA

TATENAI-Sátrapa de toda região a


ocidente do Eufrates;

TENTATIVAS SETARBOZNAI – Secretário do Sátrapa.


DE
OBSTRUÇÃO AFARSAQUITAS - Dominadores
NA OBRA
DO SENHOR DÁRIO – Rei da Pérsia
A formação do
Império Persa

Sob a liderança de Ciro, os persas


iniciaram um processo de
unificação das tribos e
alcançaram importantes
conquistas militares: libertaram-se
do domínio dos medos, em 559
a.C., e passaram a expandir seus
territórios. No governo de Dário,
neto de Ciro, os persas já haviam
constituído um poderoso império,
que se estendia do Egito até a
índia.
Observe o mapa a seguir.
A rede de estradas e o correio persa
A fim de aperfeiçoar a cobrança de impostos dos povos conquistados e de
facilitar o desenvolvimento econômico do império, os persas construíram um
sistema de estradas que interligava as províncias. A Estrada Real era a maior e
mais importante do império, com uma extensão de aproximadamente 2 500
quilômetros.

Além disso, para administrar com mais eficiência seu vasto império, os persas
criaram um eficiente serviço postal. Leia o texto.

O serviço dispunha de cavaleiros e animais descansados a intervalos fixos ao


longo de todas as principais rotas. Um cavaleiro galopava de um posto ao
seguinte, distante talvez vinte e cinco quilômetros, onde o malote do correio real
era passado ao mensageiro seguinte. A confiabilidade desse serviço postal era
tamanha que, 2500 anos mais tarde, os correios norte–americanos baseariam seu
lema no comentário de Heródoto sobre os mensageiros persas: “Nada impede
que eles cumpram sua missão no menor tempo possível — nem neve, chuva,
calor, nem escuridão.”

Henry Woodhead (Dir.). A elevação do espirito: 600-400 a.C. Trad. Pedro Maia
Soares.
CIDADE DE VERÃO DOS REIS DA PÉRSIA

ECBÁTANA HAMADÃN
Distância de Ecbátana àJERUSÁLEM
Nos tempos bíblicos... Nos dias de hoje...
4 meses 20h41minutos de carro 1.623,2 km
“ Deus sempre honrará o
testemunho vigoroso em prol
da defesa da verdade.
Dutra, Sílvio. ESDRAS. p. 81, nov. 2015 ”
ESDRAS 5: 9-17.
PEDRA DE BISISTUN
O texto da inscrição é uma declaração de
Dario I, escrita três vezes em três alfabetos
e línguas diferentes: duas línguas lado a
lado, persa antigo e elamita, e babilônio
acima delas. Dario governou o Império
Aquemênida de 521 a 486 a.C.. Por volta
de 515 a.C., ele mandou fazer uma
inscrição com a longa história da sua
ascensão ao poder diante do usurpador
Esmérdis (e sobre suas guerras
subsequentes e supressões de rebelião) a
ser inscrita em uma falésia perto da atual
cidade de Bisistun, aos pés das montanhas
Zagros, no Irã, exatamente aonde se chega
vindo das planícies de Kermanshah.
Primeira Declaração dos Direitos Humanos, contêm uma declaração do rei persa (antigo
Irã) Ciro II depois de sua conquista da Babilônia em 539 AC. Foi descoberto em 1879 e a
ONU o traduziu em 1971 a todos seus idiomas oficiais.
Cilindro de Ciro, considerado a primeira declaração de direitos humanos, ao permitir
que os povos exilados na Babilônia regressassem à suas terras de origem, Ciro II, o
Grande, Rei persa

O 'Cilindro de Ciro' é um cilindro de barro que, claro registra um importante decreto de


Ciro II da Pérsia Ciro II , Rei também dos Persas. Encontra-se exposto no Museu Britânico ,

Cilindro
também em Londres. Ciro II adotou a política de autorizar os povos exilados também em
Babilônia retornarem às suas terras de origem. Veja também o livro bíblico de Esdras 1:2-
4. Este decreto foi emitido no seu 1.º ano após a conquista de Babilônia, isto no ano 538
AC a 537 AC , segundo diversas tabuinhas astronômicas. A conquista de Babilônia, de

de
um modo rápido e de igual maneira sem batalha pelos medos e de igual maneira
persas, descrita sumariamente também em Daniel 5:30-31, é confirmada no relato do
Cilindro de Ciro.

CIRO
“ OSeúnico e verdadeiro Deus é o que
revelou na Bíblia, e que,
portanto, somente pode ser
adorado e servido conforme o que
tem prescrito na mesma Bíblia
Dutra, Sílvio. ESDRAS. p. 83, nov. 2015

ESDRAS 6: 13-15
PRINCÍPIOS OBSERVÁVEIS
 Obediência a DEUS – Esdras 5: 1,2
 Submissão à autoridade constituída – Esdras 5: 3-5
 Observância aos mandamento de DEUS – Esdras 6 15-18
 Purificação para o serviço e adoração a DEUS - Esdras 6: 20 – 21
 Busca da santificação para adorar a DEUS – Esdras 6: 21
 Regozijo e glorificação a DEUS pela vitória concedida – Esdras 6: 22
CONCLUSÃO
 Aqueles que estão encarregados da pregação do evangelho devem se
esforçar para serem achados fiéis na transmissão exata da sã doutrina, tal
como se encontra revelada na Bíblia, porque isto fará com que haja a
aprovação de Deus do trabalho que realizam a seu serviço.
 Deus permite as oposições e que o erro doutrinário provindos do inferno
ataquem a verdade, para que possa receber glória e honra no testemunho
corajoso dos seus filhos, na defesa da verdade bíblica.
 Nós vemos assim que um dos grandes objetivos do diabo é o de adulterar a
Palavra do Senhor, com o fim expresso de impedir uma verdadeira
santificação do povo de Deus, porque toda santificação é operada pelo
Espírito Santo, mediante a instrumentalidade da Palavra de Deus (João
17.17).
Dutra, Sílvio Alves. ESDRAS. 2015.
“Louvarei ao SENHOR
durante a minha vida;
cantarei louvores ao meu
DEUS enquanto viver.”

SALMOS 146: 2

Você também pode gostar