Você está na página 1de 33

Documentos Médico- legais

Documento
1. É uma declaração escrita, oficialmente
reconhecida, que serve de prova de um
estado, facto ou acontecimento,
Classificação
1. Notificação
2. Atestados
3. Relatórios
4. Pareceres
5. Depoimento ou declarações orais
Depoimento ou declarações orais: São
esclarecimentos não escritos durante uma
audiência nos tribunais.
• Notificação: É uma comunicação compulsória
feita pelos médicos ou técnicos de saúde ás
autoridades competentes de um facto
profissional, por necessidade social, de saúde
pública e jurídico-legal, tais como: acidentes
de trabalho, doenças profissionais, infecto-
contagiosas, morte ecefálica, sendo que a
notificação desta última tem carácter de
emergência.
Notificações não compulsórias: Uso habitual
ou não de substâncias psicotrópicas lícitas sob
control, se o médico ou técnico de saúde
tomou conhecimento de um crime público
praticado ou com conivência do seu paciente,
não pretendendo que este se exponha a um
procedimento criminal.
Finalidade das notificações

Impedir a propagação de epidemias ou surtos


epidémicos.
• Não pode o profissional se escusar da
responsabilidade alegando o sigilo
profissional;

• o médico não é dado direito de guardar


segredo individual quando os direitos
colectivos estiverem em perigo;

• A lei proíbe a quebra do sigilo médico por


maldade, jactância ou simples leviandade;
• Os demais profissionais, tais como os
responsáveis por organizações ,
estabelecimentos públicos e particulares de
saúde e ensino da saúde tem as mesmas
responsabilidades de notificação, de
denunciar casos suspeitos ou confirmados de
doenças que tem compulsoriedade de
notificação á autoridade sanitária.
• Contudo o crime se restringe ao médico, pois
aqueles outros profissionais estão fora do
alcance penal, mas sim podem sofrer sanções
regulamentares administrativas.

• As doenças profissionais e as produzidas em


decorrência de condições especiais de
trabalho, tem uma compulsoriedade
determinada através da comunicação do
acidente de trabalho.
• A comunicação do acidente de trabalho pode
ser emitida por qualquer pessoa que tenha
interesse em fazê-lo, mas ao médico é
imperativo;

• Se houver agravação da lesão por não


atendimento médico, ante a ausência de
comunicação de acidente de trabalho se
configurará negligência e, por tanto, conduta
culposa;
Atestado ou certificado médico

É um documento assinado sob


responsabilidade, pelo qual se certifica, se
atesta alguma coisa ;

É elaborado ou escrito de forma simples num


papel timbrado, em formulário de respectiva
instituição;

Emitido pelo médico ou técnico de saúde


que esteja no exercício regular da sua
profissão ;
Sem compromisso prévio e independente do
compromisso legal;

Com o objectivo de provar o estado mórbido


real, presente ou anterior

Para fins de licenças, dispensa, justificativa de


faltas e e um estado de saúde.
Classificação
1. Quanto a procedência
• Oficiosos
• Administrativos
• Judiciários
2. Quanto ao conteúdo ou veracidade
• Idóneo
• Gracioso ou complacente
• Imprudente
• Falso
Oficiosos

• São solicitados por pacientes funcionários


destinados a justificar faltas ao trabalho e as
aulas, não exigem compromisso legal, mas
não permite ao médico firmar inverdades pois
pode ser imputado o delito de falsidade de
atestado médico.
Administrativos
São aqueles cobrados pelo serviço público
para efeitos de licenças, aposentadorias ou
abono de faltas, etc. cujo conteúdo deve
conter o grau de incapacidade, o tempo de
afastamento recomendado e os exames
complementares realizados e o diagnóstico
nominado ou através do CID- Somente se
colocará com autorização expressa do
interessado
Judiciários
São os que interessam a justiça, requisitados
pelos juízes ou pela administração da justiça
( somente estes constituem documentos
médicos legais).

Os factos revelados neste tipo de atestados


devem ter o consentimento expresso ou
tácito do solicitante quando vivo ou do seu
representante legal.
Exemplo de atestados judiciários

• Atestado de óbito
• Atestado do nascido vivo
• Atestado de saúde ocupacional
Atestados de óbitos

• Permitem que os órgãos de saúde tenham o


controle sobre a mortalidade da sua população;

• Produzir as estatísticas de mortalidade, de


grande valor na epidemiologia , na demografia e
administração sanitária.
• Apartir destes dados se constroem os
indicadores de saúde , úteis para o
planejamento e financiamento de acções para
a saúde.
• O médico só atestará óbito após tê_lo
verificado pessoalmente;

• Óbito do paciente ao qual vinha prestando


assistência, ainda que o mesmo ocorra fora do
ambiente hospitalar;
• Excepto em caso de morte violenta ou
suspeita em que o médico assistente deve
atestar o óbito e este deve estar legalmente
autorizado.

• Quando o óbito ocorrer em hospital caberá


ao médico que houver dado assistência ao
paciente a obrigatoriedade do fornecimento
do atestado de óbito ou, em seu
impedimento, ao médico de plantão.
Idóneo
Presume-se verdadeiros os documentos
particulares, escritos assinados, ou apenas
assinados.
Atestado gracioso, complacente ou de
favor
É concedido por alguns profissionais menos
responsáveis , que buscam através deste gesto
condenável uma forma sub-reptícia de obter
vantagens, sem nenhum respeito ao código de
ética médica.
• agradar o cliente e ampliar pela simpatia os
horizontes da clientela. Estes tipos de
atestados desprestigiam o médico e a
medicina e devem ser proscritos.
• Crime dolosos a fé pública pelo que a lei
pune ao médico pela falta da veracidade
atestada, nos casos de afirmar saúde de
quem na verdade está doente,
Imprudente
É aquele que é dado de forma
inconsequente, insensata e intempestiva,
quase sempre em favor de terceiros tendo
apenas o crédito da palavra de quem o
solicita.
Falso
É aquele que se dá sabendo do seu uso
indevido e criminoso, tendo por isso o
carácter doloso;
O que se pune nesta forma de delito é a
inveracidade que o atestado pretende provar.

Atestado piedoso
Está dentro dos atestados falsos e é pedido
como forma de suavizar um diagnóstico mais
severo
Finalidade dos atestados

Resumir de forma objectiva e singela o que


resultou do exame feito em um paciente, sua
doença ou sanidade.
Relatório médico legal

É a descrição ou disposição escrita e


minuciosa de uma perícia médico-biológica a
fim de responder a solicitação da autoridade
policial ou judicial de uma entidade pública ou
privada.
Tipos de relatórios

1. Laudo
2. Auto
• Auto de exame cadavérico
• Auto de exame cadavérico ( infanticídio)
• Auto de exame de parto pregresso
• Auto de exame psíquico de parturiente(
infanticídio)
• Auto de exame de aborto
• Auto de exame de conjunção carnal
Parecer médico legal

É a impressão ou opinião emitida pelo perito,


quando se lhe é colocado quesitos pelas
estruturas judiciárias.
Depoimento oral
Consiste na declaração tomada ou não a termo
em audiência de instrução e julgamento
sobre factos obscuros ou conflitantes.
Conclusão
A arte médico legal não se resume apenas ao
exame clínico ou anatomopatológico da vítima;
Não basta um médico ser simplesmente médico
para que se julgue apto para realizar perícias;
Não basta um médico ser simplesmente médico
para que faça intervenções cirúrgicas;
É indispensável a educação médico legal,
conhecimento da legislação, prática de redação
de documentos e familiaridade processual.
Obrigado pela atenção
dispensada

Você também pode gostar