Você está na página 1de 27

Curso de Enfermagem

Disciplina de UTI
 Diminuição do
estresse do paciente
e da equipe por
repetidas punções;
 Maior relação custo/
benefício para a
unidade;
 Menos invasivo para
o bebê;
- Necessidade de acesso
venoso por tempo
maior de 6 dias
(Antibioticoterapia);
- Avanço na prevenção
de infecção;
- Nutrição parenteral
total;

O Picc deve ser sempre a primeira escolha de


acesso venoso.
1º - Escolher o acesso venoso

Veias preferenciais
para inserção:
- Basílica
- Cefálica
- Mediana cubital
Outras veias como a jugular,
cefálica, safena podem ser
escolhidas…
A pele sobrejacente à veia escolhida
deverá estar íntegra e não apresentar
sinais de:

Hematomas

Infecções como flebites,


celulites e abscessos)
É considerado
posicionado em nível
central, quando se
localiza dentro dos
limites do tórax.

A Posição ideal é no
terço distal da veia
cava superior.
 O cateter é considerado
periférico quando se
localiza fora dos limites
do tórax com a ponta
próxima a veia axilar.

 Não deve ser ministrado


soluções vesicantes ou
irritantes e
hiperosmolares se o
cateter estiver em
posição periférica.
 A responsabilidade técnica dos profissionais
enfermeiros e os técnicos de enfermagem devem
estar preparados para auxiliar no procedimento.

 É Indispensável treinamento teórico – prático para


inserção do PICC.

O trabalho em equipe contribui para um


procedimento de sucesso!
COFEN resolução 258/2001, reconhece a implantação
do PICC, como competência do ENFERMEIRO

com cursos de treinamento e capacitação administrados


pela SOBETI (Sociedade Brasileira de Enfermagem em
Terapia Intensiva).
1º 2º Mensuração
Escolha da
veia
3º Inserção
4º Confirmação do
Posicionamento

Racadio, J.M. & Doellman, D.A – Radiology, 1999


Fricke, B.L. et al – Radiology, 2005
 Tempo de permanência (sem
especificação)
 Permeabilização do cateter (diária)
 Realizar flush de SF 0,9% ao término de
infusões venosas e também a cada 2 hs
(ficando a escolha, a critério da rotina
estabelecida pelo serviço).
SOMENTE COM SERINGA DE 10 ML!!!
 Primeira troca : Deverá ser realizada sempre
após 24 horas após o procedimento.

Trocas Subseqüentes:
 Curativo transparente ou convencional –
Deverá ser trocado a cada 7 dias ou em
casos de sujidade, umidade ou
desprendimento. Não há necessidade de
gaze.
•Trocar equipo conforme rotinas da unidade:
•EBS e EQL – 72/72h;
•Trocar equipo imediatamente após infusão de
NPT;
•Usar via exclusiva para infusão de NPT;
Todas as medicações podem ser
infundidas no PICC, alguns cuidados com
a infusão do Hidantal, são importantes
como:

- Deve ser bem diluído;


- Infundir rapidamente;
- Lavar com SF 0,9% antes e após a
infusão.
Outros cuidados:

Hemoderivados – PICC de 3FR, 4FR, 5FR,


6FR;

Coleta de Sangue – PICC acima de 3FR;


Critérios para Remoção
Fim de indicação por término da terapia;
Presença de sinais flogísticos no sítio de inserção;
Obstrução, fratura ou qualquer intercorrência
mecânica;
Infecção que possa ser associada ao cateter;
Infecções fúngicas;

Não há indicação de troca ou remoção rotineira do PICC por tempo


de uso.
Miller, D.L. & O’Grady, N.P – J Vasc Interv Radiol, 2003
Shiamandle, R.B. – Infect Control Hosp Epidemiol, 1999
• Observar sinais de infecção ou sugidade na inserção
do PICC;
• Verificar PB conforme nova rotina estabelecida.
• Sempre lavar o cateter antes e após a infusão de
medicações com 1ml de SF 0,9%;
• Usar somente seringa de 10ml para lavagem do
cateter;
• Observar cuidados quando infundir Hidantal;
• Observar e respeitar rotinas de troca de equipo.
• Auxiliar o enfermeiro na realização do
procedimento, preparando o material, posicionando
o bebê e durante a inserção do cateter;
• Cuidado para não tracionar o cateter na hora de
movimentar o paciente;
• Se o PICC obstruir, estiver vazando, avisar
prontamente o enfermeiro;