Você está na página 1de 46

CICLO CELULAR

DEFINIÇÃO DE CICLO CELULAR

 Período que vai desde a formação de


uma célula, até a divisão dessa célula.

FASES DO CICLO CELULAR


 Interfase
 Divisão celular
 Mitose
 Meiose
Controle do ciclo celular

• O controle do ciclo celular é feito pelas


ciclinas e proteínas quinases
dependentes de ciclinas (CDks).
• Induzem processos no ciclo através de
fosforilação de determinadas proteínas.
• As ciclinas se ligam às CDKs, controlando
a sua atividade de fosforilação.
• A montagem, ativação e desmontagem
do complexo CDK-Ciclina, são eventos
cruciais para o controle do ciclo celular.
GENES ENVOLVIDOS COM O CICLO
CELULAR

• Proto – oncogene: São genes ativos, responsáveis


pela indução da divisão celular.

• Supressores de tumor: Genes responsáveis pela


inibição do ciclo celular.

• Genes de Reparo: Genes que reparam alterações


(mutações) ocorridas na molécula de DNA.
I – DEFINIÇÃO:
 Período do ciclo celular em que uma célula não
está se dividindo

II – Características:
 Intervalo entre duas divisões sucessivas
 Período de maior atividade metabólica da célula
 Período mais extenso do ciclo celular
 É quando as células realizam toda preparação
para uma eventual divisão
III – FASES DA INTÉRFASE:

• Ocorrem os
preparativos • Período mais
finais para extenso da interfase
divisão • Grande síntese de
RNA e proteínas

• Duplicação do DNA, citoplasma,


centríolos e centrossomo .
IV – REPRESENTAÇÃO GRÁFICA
I – DEFINIÇÃO:
 Uma célula dá origem a duas novas células com a
mesma constituição cromossômica da célula inicial
II – IMPORTÂNCIAS:

 Desenvolvimento do organismo após a


fecundação
 Formação de partes corpóreas
 Regeneração tecidual após lesões
 Crescimento do organismo
 Proporciona a reprodução assexuada
 Formação de gametas em seres haplóides
III – FASES
 Prófase
 Prometáfase
 Metáfase
 Anáfase
 Telófase
III – MECANISMO:
 Prófase
 Condensação cromossômica,
 Centrossomos deslocam-se para polos opostos da célula
 Formação do fuso mitótico entre os centrossomos.
 Formação de áster nos centríolos
 A carioteca desorganiza-se e o nucléolo desaparece.
Prófase
 Metáfase

 Ligação dos centrômeros às fibras do fuso.


 Deslocamento e disposição linear dos cromossomos na placa
equatorial (metafásica) da célula.
 Fase de máxima condensação dos cromossomos
Metáfase
 Anáfase
 Encurtamento das fibras do fuso acromático
 Duplicação dos centrômeros e separação das cromátides irmãs,
cromossomos migram aos polos opostos da célula
 Inicia-se a descondensação cromossômica
Anáfase
 Telófase

 Reaparece carioteca e nucléolo


 Desaparece áster
 Desaparece fuso mitótico
 Descondesação total dos cromossomos
 Citocinese – divisão do citoplasma.
Telófase
Variação da quantidade de DNA no curso do
ciclo celular até o término da mitose:
I – Definição:
 Tipo de divisão celular em que uma célula,
após duas divisões citoplasmáticas
sucessivas, dá origem a quatro novas células
com a metade do número cromossômico da
célula inicial.
II – Representação:
III – Importância:

 Formação de células reprodutoras:


 Gametas
 Esporos

IV – Ocorrência:
 Células germinativas
V – Fases:

 Meiose I – Fase reducional, dividindo-se em:


 Prófase I – subdivide-se em:

▪ Leptóteno, Zigóteno, Paquíteno, Diplóteno e


Diacinese
 Metáfase I, Anáfase I e Telófase I

 Meiose II – Fase equacional em que os acontecimentos são


os mesmos da mitose
 Prófase II, Metáfase II, Anáfase II e Telófase II
VI – Mecanismo da Meiose I
A) Prófase I:
 Leptóteno
 Início da condensação cromossômica, que ocorre de forma
irregular, e, por isso, evidenciam-se os cromômeros.
• Zigóteno

• Pareamento dos cromossomos homólogos, sendo esse


denominado de sinapse;
 Paquíteno

 Os braços curtos e longos ficam mais evidentes e definidos


 Os braços dos homólogos, se ligam formando estruturas
denominadas bivalentes ou tétrades
 Momento em que ocorre o crossing-over.
CROSSING-OVER OU PERMUTAÇÃO
• Troca de segmentos entre cromátides não irmãs de
cromossomos homólogos.
• Aumento da variabilidade genética
 Diplóteno

 Começo da separação dos homólogos


 Configurado de regiões quiasmas (ponto de intercessão
existente entre os braços entrecruzados, portadores de
características similares);
 Diacinese

 Final da prófase I, separação definitiva dos homólogos,


com segmentos trocados.
 A carioteca desaparece temporariamente.
B) Metáfase I:

 Os cromossomos homólogos ficam agrupados na região


equatorial da célula, associados às fibras do fuso;
C) Anáfase I
 Encurtamento das fibras do fuso, deslocando os
cromossomos homólogos para os polos da célula.
 Nessa fase não há separação do centrômero.
D) Telófase I

 Desespiralização dos cromossomos, reaparecimento do


nucléolo e carioteca.
 Divisão do citoplasma (citocinese), originando duas células
haplóides.
Meiose II:
 As duas células haplóides (n) formadas na meiose I dão
continuidade à divisão, dando origem a um total de quatro
células haplóides (n).
 A meiose II é denominada divisão equacional (E!), pois as
células ao se dividirem formam células filhas com o mesmo
número de cromossomos
Prófase II:
Os cromossomos voltam a se condensar
O nucléolo e a carioteca desaparecem novamente
Os centríolos se dirigem para os polos,
Formação do fuso mitótico
Metáfase II

Os cromossomos se organizam no plano equatorial, com suas


cromátides ainda unidas pelo centrômero, ligando-se às fibras
do fuso.
Anáfase II

Separação das cromátides irmãs, puxadas pelas fibras em


direção a polos opostos.
Telófase II
Aparecimento da carioteca
Reorganização do nucléolo
Divisão do citoplasma completando a divisão meiótica,
totalizando 4 células filhas haplóides.
MITOSE MEIOSE
FASES (prófase; metáfase; 2 X (prófase;
anáfase e telófase) metáfase; anáfase e
telófase)
FILHAS 2 4
N°cromossomos 2n (diplóide) n (haplóide)
Ocorrência Células Somáticas Células
germinativaas
Características Idênticas à célula - Metade da célula –
mãe mãe