Você está na página 1de 52

Fonte: Google Imagens

ANDREZA DUMONT SOUZA


MARTA VIEIRA
RAFAELE DE SOUSA CRUZ

PROFº DR MAURÍCIO BARBOSA


O tomate, pertence à famila Solanaceae.
Cultivado pelos astecas no México o tomate é
classificado pela botânica, como uma fruta, por
se tratar de uma baga com sementes, mas é
considerado como um legume (Qualidade desde
à origem, 2010).

Fonte: Globo Rural


O Tomate é uma planta herbácea, de porte
arbustivo. Possui um sistema radicular
aprumado e relativamente profundante. O seu
porte pode variar entre erecto e semipostrado,
atingindo alturas entre os 0,5 a 2 m.

Fonte: Google Imagens


O tomate é um alimento rico em licopeno
(agente anticancerígeno). Possui também boa
quantidade de vitaminas C, A e complexo B.
Possui sais minerais como, por exemplo,
ácido fólico, potássio e cálcio.

Fonte: Google Imagens


Os tipos mais consumidos no Brasil para mesa
são: italiano, carmem, caqui e santa cruz
(MARIA GEBRIELA, 2012).

Fonte: Isla sementes


O tomate ocupa o segundo lugar em
importância econômica entre as hortaliças no
Brasil, ficando atrás somente da batata, sendo
cultivado em todas as regiões do país (Paula
Júnior & Venzon, 2007) (LUZ JMQ.; et al, 2010).

A condução do tomateiro é difícil, por ser muito


susceptível a pragas e doenças e exigir vários
tratos culturais, causando assim um risco
econômico elevado.
O cultivo do tomateiro é feito pelo sistema
tutorado, quando a produção é destinada ao
comércio do natural, ou seja, mercado para
mesa, e o não tutorado, para a produção de
tomates para industrialização (EMBRAPA
HORTALIÇAS, 2005).
Cultivo tutorado: por este sistema são
cultivadas as plantas de crescimento
indeterminado ou semi-determinado, para
evitar que elas se desenvolvam em contato com
a terra e, assim, minimizar os problemas com
doenças nas folhas e frutos (EMBRAPA
HORTALIÇAS, 2005).
Para o cultivo tradicional ou convencional o
preparo do solo consiste de arações e gradagens
(Macedo, J. R., et. al, 2005).
Nos cultivos a céu aberto, as plantas crescem
apoiadas em estacas de madeira ou bambu ou
enroladas em cordões ou fitas.
Em caso de cultivo com o solo com coberta de
plástico ou em casa de vegetação, também com
o solo coberto com o filme de plástico, ou
plantio sem solo, e as plantas tutoradas com
cordão, não se faz a eliminação do broto apical
permitindo o crescimento das hastes após
alcançarem o arame.
O termo cultivo hidropônico é empregado
quando utiliza apenas meio líquido, associado
ou não a substratos não orgânicos naturais
(SILVA & MELO, 2003).
Segundo Faquin et al., 1996, os cultivos
hidropônicos possibilitam a obtenção de
produtos de boa qualidade quando comparados
aos sistemas convencionais, devido a maior
uniformidade na colheita e eficiência no uso da
água para fins de irrigação.
No cultivo do tomate em hidroponia, o sistema
mais utilizado é o fluxo laminar de nutrientes
(NFT). No entanto, este sistema ainda carece de
informações quanto aos aspectos de montagem
e manutenção, exigindo a intensificação de
pesquisas visando, principalmente, as condições
locais (GENÚNCIO GC., ET. AL, 2006).
Dentre os fatores de produção, a nutrição
mineral é essencial para elevar a
produtividade e melhorar a qualidade do
produto (Furlani et al., 1999).
Segundo Martinez et. al., 1997, as maiores
vantagens do cultivo hidropônico frente ao
cultivo tradicional são: maior eficiência na
regulação da nutrição, possibilidade de
emprego em diversas regiões do mundo com
carência de terras cultiváveis, utilização mais
eficiente da água e dos fertilizantes e maior
densidade de plantio, resultando num
incremento na produtividade.
Segundo Castellane & Araújo, 1995, as
principais desvantagens do sistema hidropônico
são os custos iniciais elevados, devido a
necessidade de terraplenagens, construção de
estufas, mesas, bancadas, sistemas
hidráulicos e elétricos. Dependência grande
de energia elétrica.
O meio de cultivo deve prover suporte às raízes e
estruturas aéreas das plantas, reter boa umidade e,
ainda, apresentar boa drenagem, ser totalmente
inerte e facilmente disponível. Somente
materiais inertes podem entrar em contato com
as.
A média de produção tomateiro no Brasil em
cultivo tradicional, está em torno de 55 t/ha,
demonstrando maior produção do cultivo
hidropônico, que apresentou uma média de 80
t/ ha.
O cultivo pelo método convencional é limitado
pelos fatores adversos a que as plantas ficam
sujeitas no campo. Dentre esses fatores,
estão; períodos chuvosos, maior dificuldade
de controle de pragas e doenças, problema com
alta umidade do solo e do ar.
O tomateiro é uma planta exigente em
relação à água. Entretanto, o excesso de
umidade pode prejudicar o cultivo .
Atualmente, quase todas as áreas cultivadas
com tomateiro destinado ao processamento
industrial são plantadas com mudas produzidas em
bandejas e transplantadas com auxílio de
máquinas ou até mesmo manualmente,
dispensando o uso de canteiros.
Realizar o plantio no período de fevereiro a
meados de junho. Antes desta época, o excesso
de chuvas pode prejudicar a plantação, devido à
ocorrência da mancha-bacteriana.
Aração, calagem, gradagem, preparo das mudas
(bandejas), preparo e adubação das covas,
plantio, tutoramento, manutenção, colheita.
Sendo que para esta cultura, o ciclo que vai de
plantio à primeira colheita demanda de cerca de
90 dias.
Cada planta produz em média de 7,0 a 9,0 kg
(PAULO E. TRANI, 2003). Desta forma será
possível produzir cerca de 11432 kg/1000 m²,
(114,3 ton/ha).
Os requisitos básicos para o sucesso no cultivo,
como qualidade, produtividade e oferta
constantes, são plenamente alcançados com a
hidroponia. O aumento da produtividade dos
tomateiros com a utilização dessa técnica tem
sido de 20% a 25%.
As maiores vantagens do cultivo hidropônico
incluem eficiência na regulação da nutrição,
possibilidade de cultivo em diversas regiões do
mundo com carência de terras cultiváveis,
utilização mais eficiente da água e dos
fertilizantes e maior densidade de plantio.
A produtividade é o grande trunfo do sistema
hidropônico. Desde que se conduza uma
nutrição bem balanceada, é possível contar com
safras bastante estimulantes.

Atualmente, tem-se atingido valores cerca de


três vezes maiores que as médias de campo.
A utilização do sistema NFT em hidroponia de
tomates é recomendado por dois motivos
básicos:
 Controle da solução nutritiva
 O sistema NFT não utiliza substratos de difícil
manejo, o que facilitará a renovação da área.
Nesse sistema, a canaleta terá uma largura de
aproximadamente 20cm a 25cm. Para que a
solução nutritiva desça por gravidade, o terreno
onde será construída a estufa deve ficar com
uma declividade de 2% a 3%.
A solução nutritiva é aplicada em um fluxo de 4
a 7L por minuto sendo controlada por um
temporizador.
Para uma área de 1000 m²
Espaçamento de 40 x 70 cm
Densidade populacional de 3333 plantas
O reservatório terá que ter capacidade para
13332 – 23331 L.
As plantas se desenvolvem em bancadas de
cultivo com calhas de polipropileno ou outro
material.
O tutoramento das plantas é feito com madeira
e fitas de náilon.
Atinge produtividade de cerca de 21,5
kg/planta.
Assim na área de 1000 m², alcançará produção
de 71659,5 kg, (716,6 ton/ha).
A solução nutritiva deve ser sempre preparada
através do uso de fertilizantes solúveis em água.
Segundo Carrasco & Izquierdo (1996), a solução
nutritiva para tomateiros pode ser preparada a
partir de duas soluções estoque:
Sendo a primeira composta por 4330 g de
nitrato de cálcio em 100 L de água
a segunda preparando 8295 g de nitrato de
potássio, 3270 g de nitrato de magnésio
2070 g de MKP, 3665 g de sulfato de potássio,
400 g de quelato de ferro (FeDTA – 13% Fe) e
1,25 g de Squelene® em 100 L de água.
Sendo assim, para preparar 1000 L de uma
solução nutritiva, com condutividade elétrica
(CE) de 2,5 a 3,0 mS/cm, basta acrescentar 10 a
12 litros de solução ao reservatório e completar
o volume com água.
RECURSOS CULTIVO HIDROPÔNICO CULTIVO CONVENCIONAL
R$ R$
ADUBOS 300 630
Agroanual 2012
No sistema convencional a colheita inicia-se aos
85-125 dias após a semeadura e pode variar
em função do número de cachos por planta
e da variedade. A colheita manual é
geralmente feita em duas etapas.
A primeira, quando 70% a 80% dos frutos estão
maduros.

A segunda, cerca de dez a quinze dias após a


primeira colheita.
(EMBRAPA HORTALIÇAS, 2006).
Para a colheita de 1000 m² de tomate
estaqueado (para mesa) em um ciclo da cultura,
visando uma produção de 550 caixas de 22 Kg; a
colheita é manual, necessitando de 13 homens-
dia, cujo valor de um homem-dia é R$ 37,90.
Dessa forma, o valor total da colheita em
sistema convencional (estaqueado) é de R$
492,70.

(AGROANUAL, 2012)
Calculando todos os custos na produção de
tomate estaqueado e dividindo pela quantidade
de caixa colhida, o custo total da caixa de 22 Kg
é de R$ 8,50. O valor atual da caixa de 22 kg
vendida nos centros de abastecimentos (CEASA
– SP) é de R$ 24,00. Assim, a margem de lucro
chega a 65%.
O ponto de colheita do tomate em sistema
hidropônico é considerado baseado no ponto
de colheita agronômico, sendo frutos de
coloração rosa-esverdeado.
A quantidade necessária de homens-dia para
realizar esse trato cultural é de 46 homens-dia,
sendo R$ 37,90 o valor unitário do mesmo.
Assim, o valor total para a colheita no sistema
hidropônico é de R$ 1743,40.

(AGROANUAL, 2012)
O alimento hidropônico apresenta grandes
vantagens para a saúde, pois recebe, através da
água, todos os nutrientes necessários para o
desenvolvimento da planta, do fruto e das
folhas, no caso das hortaliças.
Além disso, o uso de agrotóxicos é baixíssimo e
não há contato com o solo, o que melhora as
condições de higiene e limpeza do produto.
As plantas crescem em um ambiente
controlado, procurando atender as exigências
da cultura e com isso o tamanho e a aparência
de qualquer produto hidropônico são sempre
iguais durante todo o ano.
O custo de produção de uma caixa de 22 Kg do
tomate hidropônico desconsiderando o preço
de implantação do sistema é de R$ 13,30.

Porém a vantagem se dá quando se compara o


preço do Kg do tomate hidropônico vendido,
entre R$ 1,20 até R$ 3,20 quando o preço da
cultura no sistema convencional está em baixa.
A caixa é vendida em média a R$ 48,40. Isso
mostra que o tomate hidropônico pode ser 50%
mais valorizado que o tomate de mesa e gerar
um lucro de 73% de lucro.
A adoção do sistema hidropônico é
indicada para produtores que desejam
ter um ciclo longo da cultura, podendo
em um horizonte de planejamento
grande, ter maior lucratividade com a
produção em virtude de menores gastos
de energia pela não adoção do preparo
do solo a cada novo ciclo, diminuição da
intensidade de pragas e patógenos e por
fim, otimização do uso dos insumos e
fertilizantes e corretivos.
OBRIGADO!

Você também pode gostar