Você está na página 1de 14

Programa Circuito Campeão

DESENVOLVENDO O POTENCIAL
DAS NOVAS GERAÇÕES
PARÁGRAFO
Concepções do grupo

• Como se estrutura um parágrafo?


O parágrafo é uma unidade de composição constituída
por uma ou mais frases, em que se desenvolve determinada
idéia central a que se somam outras, secundárias,
relacionadas pelo sentido e logicamente decorrentes dela.
O parágrafo é indicado por um afastamento da margem
esquerda da folha. Ele facilita ao escritor a tarefa de isolar e
depois ajustar convenientemente as idéias principais de seu
texto, permitindo ao leitor acompanhar-lhes o
desenvolvimento nos seus diferentes estágios.
• Qual o tamanho ideal para um parágrafo?
Os parágrafos são moldáveis como a argila, podem ser
aumentados ou diminuídos, conforme o tipo de texto, o leitor a
que se destina e o veículo de comunicação onde o texto vai
ser divulgado. Se o escritor souber variar o tamanho dos
parágrafos, dará colorido especial ao texto, captando a
atenção do leitor, do começo ao fim. Geralmente o parágrafo é
mais longo que uma frase e menor que uma página impressa
no livro, e a regra geral para determinar o tamanho é o bom
senso.
Se usamos poucos parágrafos os textos tornam-se
visualmente cansativos, fica difícil acompanhar o
desenvolvimento das idéias do autor. Se usamos muitos
parágrafos, corremos o risco de não concluir as idéias, os
textos também cansam a visão, além de dar a aparência de
superficialidade, falta de argumento.
. Como é apresentada a idéia central de um
parágrafo? Onde identificá-la?
A idéia central do parágrafo é apresentada através do que
chamamos de tópico frasal. É ele que orienta o resto do
parágrafo; dele nascem outras frases secundárias que
reforçam e ordenam as idéias escritor.
O tópico frasal ajuda o leitor a agarrar o fio da meada do
raciocínio do escritor, introduz o assunto, leva o leitor a
esperar mais do escritor (uma explicação, uma prova,
detalhes, exemplos) para completar o parágrafo ou
apresentar um raciocínio completo.
A idéia central ou tópico frasal geralmente vem no começo
do parágrafo, seguida de outras frases que explicam ou
detalham a idéia central.
Exemplos:
Para se detectar o uso de drogas entre crianças e adolescentes deve-se estar
atento às mudanças bruscas de comportamento. Crianças ou adolescentes que, de
repente tornam-se eufóricos ou oscilam facilmente entre euforia e depressão,
demonstram diminuição ou aumento de apetite, diminuição ou aumento da necessidade
do sono, diminuição ou aumento do cansaço físico, olheiras profundas, olhos muito
vermelhos ou lacrimejantes, podem estar envolvidos com drogas.

Uma das queixas mais comuns aos pais de filhos viciados é: “Mas fizemos
tudo por ele, conversamos, explicamos, nos colocamos como amigos... Ele teve a
mesma educação dos outros filhos, porque então, só ele viciou-se?”

Para dar início ao tratamento, deve-se conversar com o viciado. Procurar


saber como entrou em contato com a droga, que tipo de droga usou, se a continua
usando, com que freqüência e, acima de tudo, há quanto tempo está drogando-se.
Estas informações são essenciais para, inclusive, definir qual o melhor tratamento para
este indivíduo.
ATIVIDADE EM GRUPO
Ler o texto e responder as questões
As Drogas e a violência escolar
Um dos principais motivos da violência escolar está no uso e no tráfico de drogas (ilícitas
ou não). Muitos alunos usam e comercializam drogas dentro e nas proximidades da escola. Isso
também atrai maus elementos para os arredores das instituições. Em uma pesquisa sobre o uso
de Drogas nas escolas, “27% das escolas pesquisadas relataram que alunos portavam e
consumiam bebidas alcoólicas durante as aulas. 19% das escolas foram invadidas por
estranhos, com objetivo de furto, roubo, estupro, tráfico de drogas. 18% acusaram porte ilegal
de armas, por parte dos alunos.” Um levantamento publicado pelo jornal argentino Clarín, no
ano passado, mostra que o Brasil é o 3º em uso de cocaína na América do Sul.“1,7% dos
brasileiros matriculados no ensino médio já consumiram a droga.” O Brasil perde apenas para a
Argentina e para o Chile. Isso pode nos dar uma idéia de como o problema é grande. Sem
contar o uso de bebidas alcoólicas e de cigarro comum. A solicitação de um bom policiamento
às autoridades, como se já não fosse um dever, pode ajudar. Às vezes, apenas a presença de
uma viatura da Guarda Municipal já é o suficiente para intimidar possíveis problemas nas saídas
das escolas e o comércio de drogas – pelo menos em frente aos portões.
A criança com muito tempo livre e ocioso acaba por assistir a muitos programas violentos
e que incentivam o uso de álcool, por exemplo. A ausência dos pais no dia-a-dia dos filhos
também contribui para a disseminação do vício. Em primeiro lugar, vale o velho ditado: “É
melhor prevenir do que remediar”, portanto os pais devem dialogar muito com os filhos não só
sobre drogas, mas também sobre namoro, sexo, família. Enfim, deve haver muito diálogo aberto
e amizade entre as famílias para evitar-se que os adolescentes cometam os erros freqüentes a
esta fase e que, muitas vezes, refletem negativamente para o resto da vida.
A escola precisa colaborar neste sentido incentivando o diálogo entre
professores/pais/alunos, promovendo palestras esclarecedoras com bons profissionais e
estimulando os alunos a integrarem-se a sua escola como sua segunda casa. Campanhas,
projetos e seminários sobre o uso e o efeito das drogas no organismo também podem ajudar no
combate a esse uso indevido na rua e nas salas de aula.
1. Qual é a idéia central que percorre todo o texto?

2. Qual a idéia central de cada um dos parágrafos? Marque o


tópico frasal de cada um deles.

3. O que levou o autor a organizar o texto em 03 parágrafos?

4. Você concorda com a paragrafação feita pelo autor?


Justifique sua resposta.

5. Sugira outra forma de paragrafar este texto ( façam as


marcações na folha que receberam).
ATIVIDADE EM GRUPO

- No mesmo grupo da atividade anterior, fazer a


paragrafação do texto: Efeito do álcool é altamente destrutivo
no organismo infantil.
Efeito do álcool é altamente destrutivo no
organismo infantil
Um fato ocorrido nesta semana levantou a discussão sobre os efeitos do álcool no
organismo infantil. Uma menina de 11 anos foi atendida no Pronto-Socorro após
passar mal ao ingerir bebida alcoólica. A menina conseguiu a bebida na casa de uma
vizinha, no bairro Vila Martins. O caso está sendo investigado pela polícia. Situações
como essa são mais corriqueiras do que pensamos. De acordo com a médica
psiquiatra Ana Cecília Marques, doutora em Ciências pela Unifesp e pesquisadora do
Instituto Nacional de Políticas sobre Drogas; crianças e adolescentes têm fácil
acesso ao álcool porque não existe uma política pública efetiva de controle sobre a
venda do produto, como a que está sendo realizada atualmente contra o fumo. ´´Não
existe campanha dizendo que a criança não pode beber e que informe sobre os
malefícios do álcool´´, diz. Ela conta que uma pesquisa realizada em cidades do
Interior revelou que 65% das crianças e adolescentes que participaram do estudo
conseguiram comprar facilmente a bebida nos estabelecimentos comerciais. O fato é
preocupante. Isso porque, o álcool é altamente destrutivo para a criança. ´´O
organismo infantil está em formação e as drogas psicotrópicas agem diretamente
sobre o cérebro alterando toda a estrutura do organismo´´, explica a médica. Ela
lembra que o homem somente completa a formação da estrutura celular do cérebro
por volta dos 22 anos. Nesse período, qualquer interferência pode ser altamente
prejudicial. Como o cérebro manda em todo o corpo, qualquer alteração pode resultar
em prejuízos diversos.
Folha de São Paulo, 29 de Agosto de 2010
APRESENTAÇÃO
DOS GRUPOS
TEXTO, PARAGRAFADO NO ORIGINAL

Efeito do álcool é altamente destrutivo no organismo infantil


Um fato ocorrido nesta semana levantou a discussão sobre os efeitos do álcool no
organismo infantil. Uma menina de 11 anos foi atendida no Pronto-Socorro após passar mal ao
ingerir bebida alcoólica. A menina conseguiu a bebida na casa de uma vizinha, no bairro Vila
Martins. O caso está sendo investigado pela polícia.
Situações como essa são mais corriqueiras do que pensamos. De acordo com a
médica psiquiatra Ana Cecília Marques, doutora em Ciências pela Unifesp e pesquisadora do
Instituto Nacional de Políticas sobre Drogas, crianças e adolescentes têm fácil acesso ao álcool
porque não existe uma política pública efetiva de controle sobre a venda do produto, como a
que está sendo realizada atualmente contra o fumo. “Não existe campanha dizendo que a
criança não pode beber e que informe sobre os malefícios do álcool”, diz.
Ela conta que uma pesquisa realizada em cidades do Interior revelou que 65% das
crianças e adolescentes que participaram do estudo conseguiram comprar facilmente a bebida
nos estabelecimentos comerciais. O fato é preocupante.
Isso porque o álcool é altamente destrutivo para a criança. “O organismo infantil está
em formação e as drogas psicotrópicas agem diretamente sobre o cérebro alterando toda a
estrutura do organismo”, explica a médica. Ela lembra que o homem somente completa a
formação da estrutura celular do cérebro por volta dos 22 anos. Nesse período, qualquer
interferência pode ser altamente prejudicial. Como o cérebro manda em todo o corpo, qualquer
alteração pode resultar em prejuízos diversos.
Folha de São Paulo, 29 de Agosto de 2010
ATIVIDADE INDIVIDUAL:
Produza um texto, estruturado em parágrafos criados a partir dos seguintes
tópicos frasais:

1- Alguns dos problemas mais graves que afetam a infância são o consumo e o
tráfico de drogas.
2- Existem muitos tipos de drogas, não só as proibidas.
3- Muitas vezes a criança se vicia porque tem curiosidade para experimentar.
4- A melhor maneira de evitar o problema com as drogas entre as crianças é a
prevenção.

Você pode organizar os parágrafos na ordem que quiser. Vamos lá então?