Você está na página 1de 34

VOIP

Voz sobre IP

Redes Wireless
Aula 12 – VOIP: características técnicas
Prof. Espec. Diovani Milhorim
CODECs

 Codificam e descodificam dados analógicos para


transporte sobre redes digitais (independe/ do tipo de
rede)
 Série g para audio;Série h para video

 Comum - pulse code modulation (PCM)


 amostragem -> quantização -> codificação

 G.711: 8000 Hz x 256 Níveis Q= 64 kbit/s

 codecs podem oferecer compressão e detecção de


silêncios
Codificação de Voz
codecs comuns usados na VoIP:
Representative
Data Rate Delay Complexity
Codec Voice Quality
(Kbps) (ms) (MIPS)
(MOS)
G.711 PCM 64.0 4.3 0.125 0
G.721 ADPCM 32.0 4.1 0.125 6.5
G.726 Multirate ADPCM 16 - 40 2.0 - 4.3 0.125 6.5
G.723 MP-MLQ ACELP 5.3, 6.3 4.1 70 25
G.728 LD-CELP 16.0 4.1 2 37.5
G.729 CS-ACELP 8.0 4.1 20 34
G.729a CS-ACELP 8.0 3.4 20 17
Componentes VOIP
Terminal

 Um sistema final onde terminam comunicações e as suas cadeias


de dados (media).
 Telefone hardware ou software, Videofone
 Há uns concebidos para uso por pessoas e outros para
resposta automática
 Tem atribuído um endereço IP
 Podem ser usados vários terminais no mesmo IP mas são
independentes
 Na maior parte das vezes um terminal pode ter mais que
um endereço que são usados para o chamar…
 Se forem usados servidores de Telefone IP os terminais
registam-se.
Telefones VoIP

Escolhas possíveis:
 Telefone Hardware

 Telefone software

 Adaptador de
telefone analógico
Skype

Skype
 Aplicação VOIP mais
popular
 Chamadas gratuitas
para outros utilizadores
Skype
 Chamadas baratas (~
?/min) para fixos e
móveis
 Várias funcionalidades
adicionais
Componentes VOIP
Servidores

 Podem também fornecer mecanismos


adicionais de encaminhamento de
chamadas
 São também responsáveis pela
autenticação de registos, autorização
dos participantes nas chamadas e
elaboração de contabilização
Componentes VOIP
Arquitetura
Componentes VOIP
Arquitetura

 Telefone IP: é o conjunto de terminais telefônicos do sistema VoIP, quais


sejam: telefone IP, telefone analógico com adaptador VoIP (ATA) e PC's com
softphone.
 Gateway (GW):é a funcionalidade responsável pela interoperabilidade entre
a rede VoIP e o rede telefônica pública. Ela executa a conversão de mídia em
tempo real (Voz analógica x Voz digital comprimida) e a conversão de
sinalização para as chamadas telefônicas que entram e saem da rede VoIP.
 Gatekeeper (GK): é a funcionalidade responsável pelo gerenciamento do
telefones IP. Suas principais funções são: executar a tradução de
endereçamento dos diversos terminais, controlar o acesso e as chamadas
dos terminais na rede e controlar a banda utilizada.
 Application Server (AS): é a funcionalidade que fornece os serviços
adicionais da Rede VoIP. Dentre esses serviços pode ser destacados: caixa
postal, unidade interativa de resposta audível (IVR), serviços de agenda
telefônica, entre outros.
Recomendação ITU-T H.323

 Define os componentes, procedimentos e


protocolos necessários para prover
comunicação de multimídia em redes
locais sem garantia de banda

 Pode ser usado em redes de pacotes


Componentes do H.323

 Terminais
 Gateways
 Gatekeepers
 MCUs (Multipoint Control Units)
Componentes do H.323

Terminais

 Aplicações que rodam no cliente para a comunicação


em tempo real
 Também chamados Endpoints
 Suportar pelo menos áudio
 Módulos do software:
 Controle - admissão e registros de usuário
 Codec - (des)compressão de áudio e vídeo
 Dados - compartilhamento para cooperação
Componentes do H.323

Gateways

 Provê a conectividade e interoperabilidade


global entre as redes
 Conversão entre diferentes tipos de codecs
 Mapeamento de sinalização de chamadas
 Mapeamento de sinalização de controle
Componentes do H.323

Gatekeepers

 Tradução de endereços
 Controle de Admissão
 Controle de Banda
 Gerência de Zona
Componentes do H.323

Multipoint control units (mcus)

Uma unidade de controle multiponto,


ou servidor de conferência permite
que dois ou mais terminais H.323 se
conectem e participem de uma
conferência multiponto.
Recomendações ITU H.323
 O padrão H.323 é parte da família de
recomendações ITU-T (International
Telecommunication Union
Telecommunication Standardization sector)
H.32x
 O padrão H.323 é completamente
independente dos aspectos relacionados à
rede.
 O protocolo H.323 utiliza em suas diversas
funcionalidades uma família de
Recomendações ITU-T
Benefícios do H.323
 Independência da rede
 Interoperabilidade de equipamentos e
 aplicações
 Independência de plataforma
 Representação padronizada de mídia
 Flexibilidade nas aplicações clientes
 Interoperabilidade entre redes
 Suporte a gerenciamento de largura de banda
Protocolos e Normas
H.323 - RAS

Descoberta do gatekeeper, registro de dispositivo


e gerenciamento de chamada

Procedimento de descoberta do gatekeeper

Processo pelo qual o dispositivo determina em


que gatekeeper ele deve se registrar. O
procedimento pode ser manual, onde o
dispositivo é pré-configurado com o endereço de
transporte do gatekeeper, ou automático.
H.323 - RAS

Registro -O registro é o procedimento pelo qual


um dispositivo terminal se junta a uma zona e
informa ao gatekeeper seus apelidos H.323 e o
endereço TSAP (endereço IP e a porta TCP/UDP)

Admissão -Ao realizar qualquer chamada, um


dispositivo deve enviar ao gatekeeper um pedido
de admissão para que possa ser identificado o
endereço do destino e para que a chamada possa
ser autorizada
H.323 – Protocolos de transporte

TCP: protocolo confiável


UDP: protocolo não confiável
Serviço Confiável Serviço Não-confiável

H.225 Audio Streams


H.245
Call Control RAS RTCP RTP
TCP UDP
IP
H.323 – Real time protocol (RTP)

Protocolo de transporte de dados com características


de tempo real

Cabeçalho RTP contém informações de marcação de


tempo e número de sequência, quer permite ao
receptor reconstruir o “timing” produzido pelo
remetente

O número de sequência pode ser usado pelo receptor


para estimar a taxa de perda de pacotes Indica o tipo
de codificação usada pelo remetente A codificação
pode variar dinamicamente
H.323 – Real time protocol control (RTPC)

 Transmissão periódica de mensagens de


controle para todos os participantes de uma
sessão
 Informações sobre o remetente
 Informações sobre a qualidade de recepção

A taxa de transmissão é controlada.

Uma mensagem RTCP do tipo “bye” é


enviada sempre que um participante deixa a
conferência.
H.323 – Segurança

 As conexões associadas ao protocolo H.225 (RAS


e Q.931) são estabelecidas em portas fixas

 os fluxos associados ao protocolo H.245 e à mídia


(RTP e RTCP) utilizam portas dinâmicas

 Firewalls e NAT são um sério obstáculo à


implementação destes protocolos
SIP (Session Initiation Protocol)
 Protocolo de controle ao nível de aplicação
 Pode estabelecer, modificar e terminar sessões e
chamadas multimídia.
 Baseado no protocolo HTTP
 Arquitetura Cliente/servidor.
 Essas sessões multimédia incluem
 conferências multimédia
 ensino à distância
 telefone sobre IP
 O SIP pode convidar participantes
 para sessões unicast como Multicast
 O iniciador não precisa de ser membro da sessão para a
qual é convidado
SIP (Session Initiation Protocol)
 Arquitetura SIP
Servidores SIP

 Servidor Proxy SIP


 reencaminha a sinalização de chamada funcionando tanto
como cliente como servidor
 Funciona de forma transacional, isto é, não mantém informação
de estado

 Servidor SIP Redirect


 Redirecciona chamadas para outros servidores

 Servidor SIP Registrar


 Aceita pedidos de registo dos servidores
 Mantém informações de utilizadores num Servidor de
Localização (como o GSM)
SIP- sinalização

 O protocolo SIP é baseado no HTTP e assim como ele


suporta qualquer tipo de carga em seus pacotes.

 O protocolo SIP funciona em uma arquitetura cliente


servidor e suas operações envolvem métodos de
requisição e resposta como observado no HTTP.

 Chamamos de sinalização o envio e recebimento destas


requisições
SIP- sinalização

 O SIP define dois tipos de mensagens: REQUEST e


RESPONSE.

 Uma mensagem do tipo REQUEST é enviada de um


cliente a um servidor e apresenta o formato indicado a
seguir:

 As mensagens REQUEST podem ter vários métodos


(Method), e cada método representa uma ação
requerida,
SIP- sinalização

Métodos SIP request

 REGISTER: uma mensagem com este método envia informações


sobre identificação e localização do usuário;
 INVITE: este método é utilizado quando se deseja convidar um novo
participante para uma sessão já existente ou para uma nova sessão;
 BYE: método utilizado para encerrar a participação numa sessão;
 ACK: Uma mensagem com este método é enviada por um usuário
que mandou um INVITE para avisar que uma mensagem do tipo
RESPONSE foi recebida. Portanto, para toda mensagem com um
ACK deve existir uma mensagem anterior com INVITE.

 O campo REQUEST URL é um SIP URL e é usado dentro da


mensagem para indicar quem originou a mensagem (From), qual o
destino corrente da mensagem (Request URL) e qual o destino final
(To).
SIP- sinalização

Exemplo de mensagem SIP request.


SIP- sinalização

Métodos SIP response

 Uma mensagem do tipo RESPONSE é enviada após


uma mensagem do tipo REQUEST ter sido recebida e
processada, e apresenta o formato indicado a seguir:

 O campo SIP version da mensagem RESPONSE possui


a mesma função da mensagem REQUEST. Portanto,
garante a interpretação correta das mensagens SIP.
SIP- sinalização

Métodos SIP response

O campo Status code possui um número inteiro que identifica o resultado do


processamento da mensagem REQUEST a qual a mensagem RESPONSE
se refere. Esse campo apresenta as seguintes informações:

 INFORMATIONAL: informa que a mensagem REQUEST foi recebida e esta


sendo processada;
 SUCCESS: informa que a mensagem foi recebida, entendida, processada e
aceita;
 CLIENT ERROR: informa que o servidor não pode processar a mensagem
REQUEST, devido algum problema interno;
 GLOBAL FAILURE: informa que a mensagem REQUEST não pode ser
processada em nenhum servidor disponível.

O campo Reason phrase é uma frase textual com o objetivo de informar de


forma resumida o significado do valor do campo Status code.
Gateway Asterisk: O que é?

 Um software completo de PABX


software para plataformas Linux
desenvolvido pela Digium (M.S.)
 Faz a comutação de chamadas num
PBX, tradução de CODECs, e várias
aplicações
 Software Open Source sob licença
GNU

Você também pode gostar