Você está na página 1de 24

ECONOMIA – Micro e Macro

Contabilidade Social
Introdução
Principais Agregados Macroeconômicos
•Economia a Dois Setores Sem Formação de Capital
•Economia a Dois Setores Com Formação de Capital
•Economia a Três Setores: O Setor Público
•Economia a Quatro Setores: O Setor Externo
Valores Reais e Nominais
Identidades Básicas da Contabilidade Nacional
Aspectos Conceituais
1
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Sistema de Contas Nacionais

Contas Básicas:
• Produto Interno Bruto
• Renda Nacional Disponível
• Transações Correntes com o Resto do Mundo
• Capital
Conta Complementar:
• Conta Corrente das Administrações Públicas

2
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Sistema de Contas Nacionais
Definição: o objetivo do sistema de contas nacionais é permitir a
mensuração e a agregação em uma única conta, onde a agregação
é feita através dos preços.
Característica: não considera os chamados bens e serviços
intermediários (que são absorvidos na produção de outros
produtos), ou seja, esse sistema considera apenas os bens e
serviços finais.
Pressupostos:
1. As contas procuram medir a produção corrente. Não são considerados bens
produzidos em período anterior, apenas a remuneração do vendedor (que é
remuneração a um serviço corrente);
2. As contas referem-se a um fluxo (normalmente 1 ano. Os agregados correspondem
a variáveis fluxo (são consideradas ao longo de um período – dimensão temporal).
3. A moeda é neutra, no sentido de que é considerada apenas como unidade de
3
medida e instrumento de trocas.
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Fluxo Circular de Renda)
Economia fechada, sem governo e sem formação de capital
Três óticas de mensuração: Produto = Despesa = Renda
Produto Nacional (PN): é o valor de todos os bens e serviços finais produzidos
em determinado período de tempo.
PN =  pi qi
Despesa Nacional (DN): é o valor de todas as despesas realizadas pelos agentes:
consumidores, empresas, governo e estrangeiros na compra de bens e serviços
finais.
DN = Despesas de Consumo (C)
Renda Nacional (RN): é a soma dos rendimentos pagos às famílias, que são
proprietárias dos fatores de produção, pela utilização de seus serviços, em um
período de tempo.
4
RN = salários (w) + juros (j) + aluguéis (a) + lucros (l)
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Fluxo Circular de Renda)
Fluxo monetário
Mercado de Bens e Serviços Fluxo real

Despesas de Consumo de Bens e Serviços

Fornecimento de Bens e Serviços


PN = pi.qi

DN = C
Famílias RN = w + j + a + l Unid. Produtoras

Fornecimento dos Serviços dos Fatores de Produção

Remuneração aos Serviços dos Fatores de Produção


Mercado de Fatores de Produção 5
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Fluxo Circular de Renda)
Economia fechada, sem governo e sem formação de capital
Como não existem estoques, tudo que se produz, se vende.
PN = DN
Como no agregado, são excluídas as compras de bens
intermediários. A empresa gasta com pagamentos a fatores de
produção tudo o que recebe pela venda de bens e serviços (PN=DN).
Na prática (mede-se o PN) pelo conceito de Valor Adicionado
Consiste em calcular o que cada ramo da atividade adicionou ao
valor do produto final, em cada etapa do processo produtivo.

V. Adicionado = V. Bruto de Produção – Cons.de Prod. Intermed.


6
(Receita de vendas)
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Valor Adicionado)

Valores (x Mil)
TRIGO FARINHA PÃO
a) Receita de Vendas (VBP) 100 400 1.000 PN=DN= 1.000
b) Compras Intermediárias 0 100 400
Valor adicionado (a-b) 100 + 300 + 600 = 1.000 = RN

Renda paga pelo setor de trigo aos fatores de produção (VA trigo)
Renda paga pelo setor de farinha aos fatores de produção (VA farinha)
Renda paga pelo setor de panificação aos fatores de produção (VA pão)

7
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos

Existem 04 formas diferentes de medir o resultado econômico


de um país, todas conduzindo a um mesmo valor numérico:

Soma dos produtos finais das empresas produtoras (PN)


Soma das despesas dos agentes com o Produto Nacional (DN)
Soma de rendimentos de salários, juros, aluguéis e lucros (RN)
Soma de valores adicionados dos setores de atividade (RN)
Orgão Responsável no Brasil: IBGE

8
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos
Economia fechada, sem governo e com formação de capital
Hipóteses:
• As Famílias além de consumir podem poupar;
• As Empresas além de produzir bens de consumo, produzem e investem em
bens de capital.

POUPANÇA (S): parcela da RN não consumida no período. Sendo assim:


S = RN – C
INVESTIMENTO (I): gasto com bens que aumentam a capacidade produtiva da
economia (Capacidade de gerar Rendas Futuras = Taxa de Acumulação de Capital).
I = PN – C
onde: PN = Bens de Consumo + Bens de Investimento
I = Ibk +  E 9
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos
Observações sobre o investimento:
1. E = Et – Et-1 (Variável fluxo, medida ao ano);
2. Não se deve confundir Investimento no sentido vulgar com investimento
no sentido econômico. Ex.: Investir em ações não representa aumento da
capacidade produtiva, a não ser que se esteja investindo, por exemplo,
em instalações.
3. O investimento em ativos de segunda mão (imóveis,...) não é
contabilizado como investimento agregado, sendo apenas uma
transferência de ativos, que se compensa: alguém “desinvestiu”. Esses
bens já foram computados no passado.
4. Os bens de consumo duráveis (TV, automóveis,...), embora não sejam
consumidos no presente e gerem fluxo de serviços no futuro, não são
considerados como investimento (há controvérsias).
10
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos
Economia fechada, sem governo e com formação de capital

DEPRECIAÇÃO (d): é o consumo de estoque (desgaste) de capital físico, em dado


período. Conseqüência: sucata ou obsolescência.

Investimento Bruto (IB) e Investimento Líquido (IL)


IL = IB - d
IL = Acumulação Líquida de Capital = Diferença entre novos inv. (IB) e
depreciação

PRODUTO NACIONAL BRUTO (PNB) E LÍQUIDO (PNL)


PNL = PNB - d

11
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos

A identidade S = I “ex-post”

Como: S = RN – C e I = PN – C e PN = RN

Logo: S=I

12
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos

Ex.: PN = RN = 100. Com a venda do produto (PN)


as empresas remuneram as famílias (RN). Se as
famílias decidem consumir apenas 80 (C = 80):
S = RN – C = 20
Parte de PN = 100 não foi comprada, pois as
famílias não gastaram tudo. Assim:

I= E = 20 e S = I = 20
13
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos

Ex.: PN = 100.
Sendo: Bens de Consumo = 70
Bens de capital = 30 (Investimento)
RN = 100 (As famílias receberam 100)
Sobraram para as famílias 30 (corresponde à Poupança)

S = I = 30

14
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Economia a três setores: O Setor Público)

Receita Fiscal:

IMPOSTOS INDIRETOS (Ti): incidem sobre bens e serviços. Ex.: ICMS, IPI.

IMPOSTOS DIRETOS (Td): incidem sobre as pessoas (físicas e jurídicas). Ex.:


IR, IPTU.

CONTRIBUIÇÕES À PREVIDÊNCIA SOCIAL: encargos trabalhistas recolhidos


de empregados e empregadores.

OUTRAS RECEITAS: taxas (Ex.: Multas, aluguéis, ...)

15
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Economia a três setores: O Setor Público)

Gastos do Governo:
Gastos com ministérios, secretarias e autarquias = Receitas
provêm de dotações orçamentárias.
Gastos das empresas e sociedades de economia mista
Provêm da venda de bens e serviços no mercado.
Gastos com transferências e subsídios

Gastos > Receita Fiscal Déficit Primário (Fiscal)


Se :
Gastos < Receita Fiscal Superávit Primário (Fiscal)
16
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Economia a três setores: O Setor Público)

PRODUTO NACIONAL A PREÇOS DE MERCADO (PNpm): é


medido a partir dos valores pagos pelo consumidor.

PRODUTO NACIONAL A CUSTO DE FATORES (PNcf): é medido


a partir dos valores pagos que refletem os custos de produção, a
remuneração dos fatores (w + j + a + l). Como é medido pela ótica
dos rendimentos, é a própria RNcf.

PNpm = RNcf + Ti - Sub

Associa-se, normalmente, Renda Nacional à RNcf e Produto Nacional


à PNpm 17
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Economia a três setores: O Setor Público)

CARGA TRIBUTÁRIA BRUTA E LÍQUIDA

�Impostos Indiretos + Impostos Diretos �


Índice de Carga Tributária Bruta = � 100

� PIB pm �
� �

�( Imp. Ind. + Imp. Dir.) - ( Transf. + Sub.) �


Índice de Carga Tributária Líquida = � 100

� PIB pm �
� �

18
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (O Setor Externo)

EXPORTAÇÕES (X): são as compras dos estrangeiros de nossos bens e serviços.


São os gastos do setor externo com nossas empresas.

IMPORTAÇÃO (M): são as aquisições de bens do exterior. Parte da renda gerada


no país que “vaza” para fora.

RENDA ENVIADA AO EXTERIOR (RE): parte do que foi produzido


internamente não pertence aos nacionais (Ex.: capital e tecnologia). A remuneração
desses fatores vai para fora do país, na forma de remessa de lucro, royalties, juros.

RENDA RECEBIDA DO EXTERIOR (RR): recebemos renda devido à produção


de nossas empresas operando no exterior.

RLEE = RE – RR (No Brasil, RLEE > 0)


19
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (O Setor Externo)

PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB): é a renda devida à produção


dentro dos limites territoriais do país.
PRODUTO NACIONAL BRUTO (PNB): renda que pertence
efetivamente aos nacionais, incluindo a renda recebida de nossas
empresas no exterior, e excluindo a renda enviada para o exterior
pelas empresas estrangeiras localizadas no Brasil.

PIB = PNB + RLEE

Se : RE > RR RLEE > 0 PIB > PNB

RE < RR RLEE < 0 PIB < PNB


20
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Despesa Nacional - DN)

DN = C + I + G + X – M
As importações (M) aparece devido ao fato de que elas estão
embutidas nas demais despesas agregadas (C, I, G, X).
A Despesa Agregada é apresentada a preços de mercado, já que são
valores finais. No Brasil, utiliza-se mais o conceito de Despesa
Interna que Nacional. Não é calculada a depreciação pois, são
utilizados os conceitos agregados em termos brutos.

DIBpm = C + I + G + X – M
21
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Valores Reais e Nominais)

PN Nominal (ou PN Monetário): PN a preços correntes do ano


PN2000 =  pi2000 . qi2000 - produto de 2000, avaliado a preços de 2000.
PN2001 =  pi2001 . qi2001 - produto de 2001, avaliado a preços de 2001.

PN Real (ou PN deflacionado): PN a preços constantes de


determinado ano (chamado ano-base).
PNREAL 2000 =  pi2000 . qi2000 Preços permanecem constantes em
2000. Elimina-se a influência dos
PNREAL2001 =  pi2000 . qi2001 preços (Inflação). Com isso tem-se o
PNREAL2002 =  pi2000 . qi2002 crescimento real
22
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Valores Reais e Nominais)

P/ deflacionar:

PNREAL = PN Nominal x 100


Índice de Preços

23
ECONOMIA – Micro e Macro
Contabilidade Social: Principais Agregados
Macroeconômicos (Valores Reais e Nominais)
PIB em dólares correntes: preços em dólares, à taxa de câmbio corrente.

PIBBrasil =  PUS$ qBrasil

(P US$ = preços em reais, convertidos em dólares pela taxa de câmbio corrente)

PIB em dólares PPP (Purchasing Power Parity): produção do país, medida


a preços das mercadorias nos USA (país base, ou de referência).

PIBPPP Brasil =  PUS$USA qBrasil (preços em US$ nos USA)


PIBPPP China =  PUS$USA qChina
PIBPPP USA =  PUS$USA qUSA
24

Você também pode gostar