Você está na página 1de 34

CENTRO UNIVERSITÁRIO 

CATÓLICA DE VITÓRIA

Especialidades da Fisioterapia

Profª: Fabiana e Adriana
Alunas: Thayná, Darah, Maria Eduarda, Fernanda e 
Isabela
FISIOTERAPIA TRAUMATO­ 
ORTOPÉDICA

Definiçao:

• Estuda, diagnostica e trata as disfunções musculoesqueléticas, de


origem ortopédica ou em decorrência de traumatismos.

• Atualmente, no Brasil, a Traumatologia e a Ortopedia são


especialidades unificadas.

• A fisioterapia traumato-ortopédica atua na prevenção e no tratamento


de distúrbios do sistema musculoesquelético, sejam eles agudos ou
crônicos. Esta especialidade da fisioterapia visa tratar as disfunções
osteomioarticulares e tendíneas resultantes dos mais diversos
traumas, reabilitando os indivíduos decorrentes de pós-fraturas,
entorses, contusões musculares, luxações, distúrbios mecânicos
posturais, amputações e póscirurgias ortopédicas.
RESOLUÇÃO N° 260 DE 11 DE FEVEREIRO DE 
2004

• Art. 1º – Fica reconhecida a Fisioterapia Traumato-


Ortopédica Funcional como uma Especialidade própria e
exclusiva do Fisioterapeuta.

• Art. 2º – Receberá o Título de Especialista nesta tipicidade


do conhecimento, o Fisioterapeuta portador de Título,
outorgado nos termos do artigo 2º e incisos da Resolução
COFFITO n.º 207, de 17.08.2000
ATUAÇÃO DO 
FISIOTERAPEUTA ESPECIALISTA EM 
TRAUMATO­ORTOPÉDICA
• A fisioterapia Traumato­Ortopédica atua na investigação, 
prevenção e tratamento das doenças dos ossos, músculos, 
articulações e ligamentos. Estando inserida no processo de 
reabilitação de fraturas, entorses ligamentares, amputações, 
lesões musculares, LER/DORT, distúrbios mecânicos da 
coluna vertebral, pós­cirurgias, dentre outras. 

• Evitar que estas ocorram, ou que suas repercussões 
funcionais sejam diminuídas, em muitos casos a atuação 
destes profissionais também evita a realização de um 
processo cirúrgico, trabalhando de forma preventiva.
BENEFÍCIOS
• A Fisioterapia aplicada à TRAUMATO – ORTOPEDIA é capaz de 
promover:

• Alivio da dor, resolução do processo inflamatório e cicatricial, 
melhora do comprimento muscular, melhora da força muscular, 
melhora do padrão da marcha ( quando causado por patologia 
ortopédica), melhora da circulação sanguínea, reeducação postural 
retorno das AVD (atividade de vida diária) e AVP (atividade de 
vida pratica).
REFERÊNCIAS

https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=3018
https://pt.slideshare.net/CristianeOliveiradePaula/fisioterapia­
traumato­ortopdica 
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/fisioterap
ia/traumato
OSTEOPATIA

O que é osteopatia:

É uma abordagem clínica manipulativa, cujo objetivo é restaurar 
o bem­estar geral dos pacientes.  
 
ESPECIALIDADE: OSTEOPATIA 

• A Osteopatia é baseada em uma filosofia própria onde a 
saúde depende da capacidade natural do organismo em 
resistir e combater as influencias nocivas do ambiente e 
compensar seus efeitos.
 

• Por meio de técnicas manuais busca restaurar a 
mobilidade e eliminar as tensões teciduais favorecendo a 
capacidade de resistência e auto cura do organismo. 
MÉTODO DA OSTEOPATIA 

• Avaliação e diagnóstico centrados na individualidade do 
paciente e na inter­relação de seus tecidos e de seus sistemas 
corporais, bem como na interação destes com o meio.
METODOLOGIA 

• É baseada no conhecimento aprofundado da 
anatomia, fisiologia e patologia do corpo humano, o 
que permite ao Osteopata identificar e tratar 
disfunções de mobilidade dos tecidos corporais.
 

• Articulações
 
•  Músculos

• Nervos
 
• Vasos
 
• Vísceras
TRATAMENTO 

• São realizados com técnicas manuais específicos, elegidas 
pelo Osteopata e voltada para cada tipo de tecido, patologia e 
paciente, tornando­se desta forma um tratamento único e 
individualizado.  
CRITÉRIOS DE FORMAÇÃO EM 
OSTEOPATIA

• A diretoria da AOB – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OSTEOPATAS DO 
BRASIL, entidade reconhecida pelo CONSELHO FEDERAL DE 
FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL, no exercício de suas 
atribuições legais e regimentais:

1) considerando as disposições do benchmark da ORGANIZAÇÃO MUNDIAL 
DE SAUDE – OMS, no que dispõe sobre a formação do profissional 
em Osteopatia.

2) Considerando a Resolução COFFITO 220, de 23 de maio de 2001.

3) Considerando Resolução COFFITO 398, de 03 de agosto de 2011.

4) considerando que a filosofia e abordagem osteopática é distinta de outras 
escolas de saúde e que o entendimento destas é imprescindível para boa pratica 
profissional; que o tratamento manipulativo osteopático (TMO) é componente 
distintivo da osteopatia. Que este exige habilidades sensoriais motoras, 
cognitivas, conhecimento, e que o desenvolvimento destas habilidades teóricas, 
clínicas e manuais exigem tempo e prática.
CLÍNICA OSTEOPÁTICA

• Comprometer a integridade estrutural e funcional tem uma 
influência recíproca sobre o funcionamento fisiológico. O 
tratamento osteopático de disfunção somática modifica limites e 
padrões no sistema nervoso, que por sua vez permite um 
movimento em direção a um nível de função que é ideal para a 
pessoa naquele momento em sua vida.

• Normalizar a mobilidade e funcionalidade articular.

• Normalizar a mobilidade e funcionalidade facial.

• Normalizar a dinâmica e funcionalidade visceral.

• Normalizar a circulação arterial, venosa e linfática.

• Educar pacientes sobre dieta, exercício, cuidados de saúde e estilo 
de vida.
REFERÊNCIAS

http://www.crefito15.org.br
/fisioterapia­osteopatica­tratamento­rapido­e­eficaz­direcionado­a­origem­da
s­dores/
 http://osteopatiabrasil.org.br/
http://osteopatiabrasil.org.br/sobre­a­osteopatia/
O QUE É A QUIROPRAXIA?

• Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a 
Quiropraxia é uma profissão da saúde que lida com o 
diagnóstico, tratamento e a prevenção das desordens do sistema 
neuro­músculo­esquelético e dos efeitos destas desordens na 
saúde em geral.
SURGIMENTO
• Descoberta da Quiropraxia é atribuída a D.D. Palmer em 1895.

• Especialidade profissional de Fisioterapia em Quiropraxia

 ­ Em 23 de maio de 2001 o COFFITO. 

RESOLVE:
 Art. 1º: – Reconhecer a Quiropraxia e a Osteopatia como especialidades do 
profissional Fisioterapeuta;
https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=10768
BENEFÍCIOS

• Resultados rápidos 

• Tratamento nada invasivo

 • Alívio de dores 

• Melhora da saúde mental 

• Promoção da qualidade de vida 

• Redução de problemas de articulação

 • Melhora na postura
PODE SER TRATADO:
• Dores no pescoço, lombar e cabeça

• Tensões musculares

• Lesões esportivas ou de acidentes variados

• Problemas locomotores

 • Hérnia de disco

 • Problemas respiratórios

 • Problemas menstruais 

• Fibromialgia 

• Desvio na postura
REFERÊNCIA

Associação Brasileira de quiropraxia https://www.quiropraxia.org.br/a­
quiropraxia/a­historia­da­quiropraxia 

 https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=2978

https://www.hipolabor.com.br/blog/2018/03/04/o­que­e­e­quais­sao­os­beneficios­
da­quiropraxia/
FISIOTERAPIA NA SAÚDE DA 
MULHER

Introdução:
• Como começou a atuação na área?

• Inicialmente “ginecologia e obstetrícia”

• Registros históricos da área
ASSOCIAÇÕES DA SAÚDE DA 
MULHER

• ABRAFISM (Associação Brasileira de 
Fisioterapia em Saúde da Mulher) 
QUAIS ÁREAS ABRANGEM A 
ATUAÇÃO?

• Assistência fisioterapêutica em Uroginecologia

• Assistência fisioterapêutica em Coloproctologia

• Assistência fisioterapêutica em Ginecologia e 
Obstetrícia

• Assistência fisioterapêutica em Disfunções Sexuais 
Femininas

• Assistência fisioterapêutica em Mastologia
QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS 
DESAFIOS?

• Falta de recursos

• O número insuficiente de fisioterapeutas 
 contratados, principalmente especialidades

• A FISM ainda é uma área pouco conhecida 
pela população e gestores da saúde
                           REFERÊNCIAS

http://www.crefito15.org.br
/fisioterapia­na­saude­da­mulher/

http://www.abrafism.org.br/
FISIOTERAPIA EM TERAPIA 
INTENSIVA

• A Fisioterapia intensiva é uma especialidade da fisioterapia 
cujo objetivo é assistência ao paciente criticamente enfermo em 
unidades de terapia intensiva (UTI).
PARA O EXERCÍCIO DA ESPECIALIDADE 
PROFISSIONAL DE FISIOTERAPIA EM 
TERAPIA INTENSIVA É NECESSÁRIO O 
DOMÍNIO DAS SEGUINTES ÁREAS DE 
COMPETÊNCIA:
• Realizar consulta fisioterapêutica, anamnese, solicitar e realizar 
interconsulta e encaminhamento;

• Solicitar, aplicar e interpretar escalas, questionários e testes funcionais;

• Prescrever e executar terapêutica cardiorrespiratória e neuro­músculo­
esquelética do paciente crítico ou potencialmente crítico;

• Prescrever, confeccionar e gerenciar órteses, próteses e tecnologia 
assistiva;

• Realizar posicionamento no leito, sedestação, ortostatismo, deambulação, 
além de planejar e executar estratégias de adaptação, readaptação, 
orientação e capacitação dos clientes/pacientes/usuários, visando a maior 
funcionalidade do paciente crítico ou potencialmente crítico;
• Avaliar a condição de saúde do paciente crítico ou 
potencialmente crítico para a retirada do suporte ventilatório 
invasivo e não invasivo;

• Manter a funcionalidade e gerenciamento da via aérea natural e 
artificial;

• Avaliar e realizar a titulação da oxigenoterapia e inaloterapia;

• Registrar em prontuário consulta, avaliação, diagnóstico, 
prognóstico, tratamento, evolução, interconsulta, intercorrências 
e alta fisioterapêutica; • Emitir laudos, pareceres, relatórios e 
atestados fisioterapêuticos;
RESOLUÇÃO Nº 402 DE 03 DE AGOSTO DE 2011

• Reconhecer e disciplinar a atividade do 
Fisioterapeuta no exercício da Especialidade 
Profissional Fisioterapia em Terapia Intensiva.
O EXERCÍCIO PROFISSIONAL DO 
FISIOTERAPEUTA INTENSIVISTA É 
CONDICIONADO AO CONHECIMENTO E 
DOMÍNIO DAS SEGUINTES ÁREAS E 
DISCIPLINAS, ENTRE OUTRAS:
• Biomecânica;

• Fisiologia geral e do exercício;

• Fisiopatologia;

• Semiologia;

• Farmacologia aplicada;

• Treinamento muscular respiratório e recondicionamento 
físico funcional;

• Próteses, Órteses e Tecnologia Assistiva específicos da 
terapia intensiva;

• Humanização;

• Ética e Bioética
SÃO ÁREAS DE ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA INTENSIVISTA:

• Assistência fisioterapêutica em neonatologia;

• Assistência fisioterapêutica em pediatria;

• Assistência fisioterapêutica no adulto.
O  FISIOTERAPEUTA ESPECIALISTA  EM 
TERAPIA INTENSIVA PODE EXERCER AS 
SEGUINTES ATRIBUIÇÕES, ENTRE OUTRAS:

• Coordenação, supervisão e responsabilidade técnica;

• Gestão;

• Direção;

• Consultoria;

• Auditoria;

• Perícia.
ATUAÇÃO

• Hospitalar;

• Ambulatorial (clínicas, consultórios, 
• centros de saúde);

• Domiciliar e Home Care;

• Públicos;

• Filantrópicos;

• Militares;

• Privados;
REFERÊNCIA

https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=3165
http://www.unama.br/noticias
/saiba­importancia­da­fisioterapia­em­uti