Você está na página 1de 89

Desenho e

Organização de
Produtos
Turísticos
Objectivos
• O que é a animação
• Perfil do profissional do Turismo
• Equipamentos de Atração e animação Turística
• Objetivos dos Eventos
• Tipologia dos eventos
O que é a animação
1. Ato ou efeito de animar;
2. Vivacidade, entusiasmo;
3. Movimento;
4. Técnica cinematográfica que se baseia na sequenciação de
fotografias de desenhos ou bonecos, visando a sugestão de
movimentos, cinema de técnica cinematográfica que usa o
desenho; desenhos animados ( do lat. Animatiõne, "id")
• Nota: O papel da Animação é encontrar novas formas,
métodos e metodologias que visem a integração de grupos.
Perfil do profissional do Turismo
• Qual o perfil do profissional de Turismo ?
• Quais são as competências e funções a desempenhar por este
profissional ?
• Equipamentos de Atracão e animação Turística
Perfil do profissional de Turismo
• O novo profissional de turismo necessita estar atualizado com
as mudanças que as redes sociais estão a causar no mercado
do turismo.
• O momento atual é a presença efetiva, participação e
interação, são os fatores que geram melhores resultados para
si e sua empresa.
Perfil do profissional de Turismo
• O agente de viagem, o gerente de um hotel, o dono de
uma pousada, um animador turístico, um guia, enfim, o
profissional de turismo, deve ir mais além, procurando
compreender a estrutura que envolve as redes sociais e a
nova forma que o profissional de turismo poderá
desenvolver na sua atividade, baseado nas informações,
relações e experiências que os consumidores procuram
antes, durante e depois com os demais profissionais e
gestores de serviços turísticos.
Equipamentos de Atração e animação
Turística
• São as atrações turísticas que definem os destinos turísticos
e que constituem um dos principais componentes do sistema
turístico.
• Os visitantes deslocam-se para um determinado destino,
porque aí existem elementos ou fatores que sobre eles
exercem uma atração.
Equipamentos de Atração e animação
Turística
• Deste modo considera-se atração turística, qualquer elemento
ou o fator que, por si só ou em conjunto com outros,
provoque a deslocação de pessoas em resposta a uma
motivação ou motivações destas.
• Enquanto a motivação é a razão, o motivo inerente à pessoa
que se predispõe a deslocar, a atração é o elemento que
responde a essa razão.
• Exemplo: Se o motivo que leva uma pessoa a deslocar-se é
cultural, o elemento que o atrairá poderá ser um museu, o
modo de vida de outros povos ou uma catedral, mas se o
motivo for o contacto com a natureza, então a atração
poderá ser um parque natural ou uma paisagem
deslumbrante.
Equipamentos de Atracão e animação
Turística
• Por sua vez, considera-se como animação turística todas as
atividades que visam contribuir para melhorar ou aumentar as
condições de atração, constituindo assim um meio para a
ocupação de tempos livres dos visitantes ou para a
satisfação das necessidades e experiências decorrentes da
sua permanência no local visitado.
Equipamentos de Atracão e animação
Turística
• Existe portanto uma grande variedade de atrações, de origem
natural ou artificial, que podemos classificar como:
1. Atrações naturais: praias, montanhas, parques naturais,
cataratas, rios, etc.
2. Atrações criadas pelo Homem sem a intenção de atrair
visitantes: Catedrais, monumentos, centros de peregrinação,
museus, palácios, centros urbanos, etc.
3. Atrações artificiais criadas com o fim de atrair visitantes:
parques temáticos, ecomuseus, casinos, centros de
exposições, centros comerciais,
4. Eventos especiais e mega eventos: festivais de arte, jogos
desportivos, exposições, aniversários históricos, etc..
Equipamentos de Atracão e animação
Turística
• A capacidade de gerar movimentos turísticos, difere de
atração para atração, em função das suas características,
localização e das condições de acesso:
• Uma atração singular (paisagem ou obra notável), próxima de
centros urbanos e de fácil acesso terá, obviamente, uma
maior capacidade de atração do que uma outra, que não
possua elementos distintivos marcantes, e que se situe em
locais distantes e de difícil acesso.
Equipamentos de Atracão e animação
Turística
• No entanto, o elemento mais importante de uma atração que
lhe concede maior capacidade de gerar movimentos turísticos
é a sua singularidade, exemplo:
 A s cataratas de Vitória (Zimbabwe)
 Ayers rock (Austrália)
 Taj Mahal (Índia)
 Museu do Louvre (Paris)
 As Pirâmides (Egipto)
 Grand Canyon (EUA)
 Disneyworld (EUA)
Equipamentos de Atracão e animação
Turística
• As atrações mencionadas, provocam por si só, a deslocação
de grandes fluxos turísticos porque são singulares.
• Algumas encontram-se à disposição do homem por
resultarem da natureza embora exijam uma intervenção
humana (proteção, construção de acessos) e podem ter um
carácter lúdico, cultural, espiritual ou comercial.
• A visita a estas atrações pode implicar o pagamento de uma
entrada.
Equipamentos de Atracão e animação
Turística
• Outras atrações turísticas têm caracter histórico, cultural ou
religioso e foram construídas sem intenção comercial, porque
os motivos da sua criação ou recuperação e manutenção, são
de domínio espiritual.
• Neste caso a visita a estas atrações não implica
necessariamente o pagamento de uma entrada, mas quando
existe é simbólico e destina-se á manutenção e conservação.
Equipamentos de Atracão e animação
Turística
• Outras porem, têm um caracter fundamentalmente lúdico e
são construídas com um fim comercial e a sua visita implica
um pagamento ou um dispêndio que garanta um lucro.
• O que provoca a sua construção é a ideia de uma exploração
comercial cujo objetivo é a obtenção de um lucro como é o
caso dos parques temáticos.
Objetivos do Eventos

• Existem diversas razões para a realização de um evento.


• Basta inspiração, motivação e dedicação para enaltecer uma
equipa capaz de transformar um simples objetivo, num
evento de grande relevância.
• Após a identificação do propósito do evento, será necessário
fragmentá-lo em várias etapas.
• É fundamental que os objetivos sejam percecionados e
acordados por todos os envolvidos, devendo cada parte
assumir um compromisso de responsabilidades para a
concretização dos mesmos
Tipologia dos eventos

• As empresas e particulares organizam cada vez mais eventos e


as atividades que neles se realizam são cada vez mais
diversificadas.
• São inúmeros os tipos de eventos que conseguimos identificar
nos dias de hoje.
• A tipologia dos eventos definem-se tendo em conta a
natureza das atividades que promovem.
Tipologia dos eventos

• Como num único evento se podem realizar muitas e


diferentes atividades, este pode assumir várias tipologias.
• Por exemplo: um evento desportivo pode ser considerado
simultaneamente social e de entretenimento.
Feiras

 Direcionadas para segmentos específicos


 Atraem um grande nº de consumidores a um único local
 Boa oportunidade para com atuais e potenciais clientes
 Incentivam as alianças com parceiros comerciais
 A participação numa feira deve ser encarada como um
investimento e não como um custo
 Permitem a recolha de informação acerca da concorrência
 Boa oportunidade para realizar demonstrações e oferecer
brindes
Tipos de eventos

Feiras Convenção de vendas


Congressos Roadshows
Workshops Brainstorming
Eventos Sociais Eventos Culturais
Eventos desportivos Eventos sustentáveis
Convenção de Vendas

 Eventos destinados às equipas de venda interna, externa e


aos canais de distribuição
 Visam a discussão acerca de aspetos comerciais
 Usada para as chefias fazerem passar a informação
pretendida
Congressos

 Reúnem profissionais da mesma área, mas de empresas


diferentes
 Promovem a discussão de temas de interesse dos
participantes
 São muito abrangentes e podem envolver seminários,
workshops, etc.
 Servem muitas vezes para fazer prospeção do mercado,
acompanhar a concorrência
Roadshows

 São eventos ambulantes que aproximam o evento do público


 Implicam a deslocação de meios
 Geram participação e permitem recolha de opiniões
“Workshops”

 Reúnem profissionais da mesma area e por vezes até da


mesma empresa
 São muitas vezes cursos intensivos que acontecem em locais
neutros, fora da empresa
“Brainstorming”

• Técnica de dinâmica de grupo


• Atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa
de um individuo ou de um grupo
“Eventos sociais”

• Atraem o publico pela informalidade


• Podem ter vários objetivos, desde reunir executivos, premiar
colaboradores, etc.
• Podem usar o fator surpresa para surpreender o publico
“Eventos culturais”

• Servem para impressionar clientes e parceiros


• Podem ser organizados pela empresa ou podem ser utilizados
eventos que estão em cartaz e a empresa organiza a
participação
• Trazem benefícios para a imagem da empresa
• Podem ser usados para transmitir a preocupação da empresa,
para o bem estar e qualidade de vida dos convidados
• São eventos interativos e personalizados, principalmente se
forem organizados pela empresa
“Eventos desportivos”

• Atualmente são muito frequentes, pois permitem maior


envolvência com o publico
• Tem as mesmas vantagens dos eventos sociais e tanto podem
ser organizados pela própria empresa, como podem já existir.
• São uma ótima opção se o objetivo for motivar e envolver as
pessoas da(s) equipas(s).
“Eventos sustentáveis”

• Englobam atividades que aplicam princípios da


sustentabilidade, tanto no que diz respeito à conceção, como
preparação e realização do evento.
• São eventos que se alicerçam essencialmente em três tipos de
preocupações; Sociais, ambientais e económicas.
Lugares para a realização de eventos

Hotéis ou pousadas Adegas


Centros de congressos Centros desportivos
Lugares com história Spas e lugares de charme
Bares e discotecas Lugares temáticos
(teatros, castelos,
marinas, etc.)
Restaurantes
Serviços especializados – área técnica

Produção audiovisuais Pirotecnia


Multimédia Equipamento informático
Luz e som Soluções interativas e
Efeitos especiais videoconferências
Serviços especializados – comida

Serviços de “catering” Empresas de bebidas


Serviços especializados - Transporte

Logística e transporte de Aluguer de aviões e


passageiros (Limusines, charters
Autocarros, Minibus,
Carros)
Aluguer de barcos, Aluguer de veiculos com
veleiros diferentes tipos de
mobilidade (Bicicletas,
segueway, veiculos
eléctricos, etc)
Aluguer de comboios para
serviços especiais
Serviços especializados - Logística

Aluguer de móveis e Aluguer de ar


expositores condicionado
Candeeiros Cafetaria
Stands (várias dimensões) Sanitários
Decoração floral
Equipa de trabalho

Rececionistas Orador
Promotoras Fotógrafos e vídeo
Equipa de seguranças Assistência médica
Intérpretes Guias turísticos
Entretenimento e atividades

Animação Cantores
Atividades desportivas Discoteca
Atividades culturais Espetáculos
Artistas
Serviços extras

Seguros para eventos Merchandising


Assessores de protocolo Imprensa
Agências de comunicação
e relações publicas
Caracterização dos eventos

• No âmbito da caracterização dos eventos, é habitual classificá-


los através de critérios como a finalidade, a periocidade, a
área de abrangência, o público alvo e o nível de participação.
• Começando pela distinção dos eventos, tendo em conta a sua
finalidade podemos designá-los de:

Eventos institucionais: Eventos promocionais:


Preveem essencialmente São os que claramente visam o
manter ou aperfeiçoar a aumento das vendas de
imagem de determinada produtos / serviços
empresa / instituição
Organizar um evento na prática

• Organizar um evento implica planear, liderar, apoiar, e


acompanhar todas as ações implícitas ao evento, quer ao nível
administrativo , de recursos financeiros, humanos, entre
outros.
• Qualquer que seja o detalhe, nenhum pormenor deverá ser
esquecido e todos deverão ser acompanhados até ao final da
desmontagem de todo o equipamento
Organizar um evento na prática – O
planeamento
• É inquestionável que todos os eventos necessitam de
planeamento, porque é nesta fase que se definem os
objetivos que se pretendem alcançar.
• É nesta fase que se devem estabelecer diferentes passos:
1. Passo – Faça perguntas sobre o evento
2. Passo - Estabeleça os objetivos
3. Passo – Faça um estudo de viabilidade
4. Passo – Elabore um programa com ações de planeamento e
implementação de ações
5. Passo - Garanta o financiamento
Organizar um evento na prática – O
planeamento – cont.
6. Passo – Contrate os recursos necessários
7. Passo – Estabeleça sistemas de controlo
8. Passo - Garanta um bom sistema de comunicação interno e
externo
9. Passo – Promova publicamente o evento
10. Passo – Faça uma check-list
11. Passo - Siga o plano estabelecido
12. Passo – Faça um relatório final do evento para reflexão e
correção de eventuais falhas
Organizar um evento na prática –
Questione-se
• Antes de organizar um evento faça todas as questões
possíveis, tais como:
Qual a natureza do evento?
Quando irá ser organizado?
Onde irá decorrer?
Como poderá ser promovido?
Quais os custos?
Quem irá organizar?
Quem deverá ser convidado?
Qual o público-alvo?
Organizar um evento na prática –
Planeamento prévio
• Objetivos do evento (nº de pessoas, segmentação e
localização).
• Decidir necessidades, interesses e expectativas
• Orçamento disponível
• Plano de execução
• Definir assunto do evento, divulgação, patrocinadores,
convites.
• Data e horário do evento
Organizar um evento na prática –
Planeamento operacional
• Equipas de trabalho (planeamento, execução e controle das
ações a realizar)
• Empresas de Outsourcing (Catering, animação, decoração,
meios audiovisuais etc.)
• Estrutura do programa e o conteúdo das palestras /
conferências / comunicações / horários/ durações etc.
• Elaboração e envio dos convites (Caso se verifique)
• Divulgação do evento (meios de comunicação social)
• Lista e registo dos participantes / visitantes.
• Verificar o investimento total previsto para o evento
• Formulários e questionários de avaliação
Organizar um evento na prática – Controlo

• O controlo possibilita um acompanhamento claro durante o


evento com o programado / planeado, “timmings” corretos
e parâmetros definidos.
• Para isso deve-se elaborar uma lista para que o controlo das
diversas etapas seja mais fácil de examinar.
• Nesta fase a equipa está focada somente no controlo e no
acompanhamento das atividades programadas.
• É fundamental que as equipas tenham competências para
lidar com conflitos e gerir muito bem os recursos envolvidos.
Organizar um evento na prática – Controlo

• Fatores como o “stress” e o tempo poderão ser os piores


inimigos para os organizadores de eventos.
• Assim as equipas deverão:
→ Ser classificadas e ordenadas de forma lógica com as
atividades que deverão desempenhar.
→ Ter atribuições responsabilidades e tarefas especificas
→ Definir alternativas entre elas para eventuais situações
imprevistas
→ Preparar listagem de registo de visitantes
→ Ser conhecedor do programa geral do evento
Organizar um evento na prática –
Licenciamento dos eventos
• O licenciamento dos eventos diz respeito às licenças e
autorizações necessárias para a realização dos mesmos
• Independentemente da natureza das atividades que se vão
realizar no âmbito do evento, o seu promotor do evento
deve ter em consideração todos os requisitos legais que
devem ser cumpridos.
• O primeiro passo deverá ser sempre o contacto com o
município local para saber que leis ou regulamentos,
(incluindo municipais), são aplicáveis ao evento.
Organizar um evento na prática –
Licenciamento dos eventos
• O promotor do evento deve informar-se, com a maior
brevidade acerca dos prazos para pedir autorizações à(s)
entidade (s) oficiais.
• Muitos pareceres são simples emissões de documentos que
declaram que a entidade emissora tem conhecimento na
realização do evento e que não vê inconveniente no
mesmo.
• O número de licenças a serem emitidas e os valores de taxas
a pagar dependem da tipologia do evento, do seu impacto
no ambiente envolvente e, claramente, da complexidade
logística.
Organizar um evento na prática –
Licenciamento dos eventos
• As licenças mais comuns para eventos que se realizam na via
publica e que têm impacto no meio envolvente são:
• Licença de publicidade
• Licenciamento do exercício de atividades de espetáculos de
natureza desportiva e de divertimentos públicos
• Licença especial de ruido
• Licença de instalação e de funcionamento de recintos
improvisados
• Licença para serviços ocasionais e ou esporádicos
Organizar um evento na prática –
Licenciamento dos eventos
• De uma forma sumária, e independentemente das regras
especificas impostas pelo município local ou por outras entidades
competentes, existe um comportamento que deve ser adotado na
organização de qualquer evento:
 Manter a área cedida para a realização de eventos devidamente
limpa, enquanto durar o evento
 Não armazenar, utilizar ou permitir que alguém utilize, nos
espaços cedidos substâncias altamente inflamáveis ou explosivas,
gases, substâncias ou materiais perigosos.
 Acatar as instruções emanadas do município local, a respeito da
segurança e da higiene
 Não utilizar o espaço cedido para fins diferentes daqueles que
foram estabelecidos entre ambas as partes
 Não exceder a capacidade de lotação dos espaços locados
Organizar um evento na prática – Gestão
de equipas
• A organização de um evento pressupõe uma enorme
capacidade de auto-organização, centrada na eficiência
pessoal dos indivíduos que compõem a equipa.
• No entanto, somente com a soma dos esforços do grupo no
seu todo, se atingem os objetivos.
• É importante mas extremamente difícil, atribuir
responsabilidades e autoridade às equipas.
• Este facto prende-se com a necessidade de que se torne
necessário tomar decisões assertivas (por vezes num curto
espaço de tempo), no âmbito da sua missão.
Organizar um evento na prática – Gestão
de equipas
• Numa equipa deverá sempre existir um líder
• Uma das capacidades inerentes a essa condição de líder é a
capacidade de compreender aspirações, expectativas,
anseios e desejos do grupo.
• O líder deve ainda tentar conhecer a sua equipa, de forma a
conseguir tratar de forma individual cada um dos elementos.
Animação turística nas suas
diferentes formas
Animação turística nas suas diferentes
formas
• As Rotas do turismo moderno continuam associadas às
transformações industriais, económicas e sociais que
ocorreram durante o século XIX e primeira metade do século
XX.
• Os motivos para o surgimento foram:
 Inovação tecnológica
 Aumento dos níveis sociais e culturais
 Aumento do tempo livre
 Urbanização
 Trabalho industrial
Animação turística nas suas diferentes
formas
• No final do século XIX dá-se
a “democratização do
turismo” no entanto já no
fim do século XVIII com a
invasão do “Grand Tour”
por parte da burguesia a
aristocracia abandona o
tradicional Tour Europeu e
procura lugares mais
exclusivos o que consistia
num sinal que essa
democratização estava a
caminho.
Animação turística nas suas diferentes formas
(Definição de Grand Tour)
• Grand Tour é a definição
atribuída a uma viagem pela
Europa, feita
principalmente por jovens
de classe-média alta.
• Este tipo de viagem
desenvolveu-se desde o
século XVII, até ao
surgimento da linha férrea,
no século XIX, e costumava
estar sempre associado a
um determinado itinerário.
Animação turística nas suas diferentes
formas
• O fator responsável pelo desenvolvimento do “Grand Tour”,
foi o progresso tecnológico (caminho de ferro) mas as
mudanças na estrutura da sociedade também determinaram
onde, quando, e como os diferentes grupos sociais iriam
participar no turismo.
• Assim e apesar do maior incremento turístico ter sido
registado na 2ª metade do século XX as bases para esse facto
foram lançados no século XIX.
Animação turística nas suas diferentes
formas
• A atenção dos turistas virou-se para a praia.
• Até 1830 a praia era um refúgio das classes mais prósperas
devido a 2 fatores:
• Os banhos de mar eram uma atividade medicinal e não de
lazer
• As viagens eram grandes, lentas e caras.
• A partir de 1830 surge o caminho de ferro, um transporte
rápido, barato e seguro o que permite a deslocação das
populações em direção à praia.
Animação turística nas suas diferentes
formas
• A atenção dos turistas virou-se para a praia.
• Até 1830 a praia era um refúgio das classes mais prósperas
devido a 2 fatores:
• Os banhos de mar eram uma atividade medicinal e não de
lazer
• As viagens eram grandes, lentas e caras.
• A partir de 1830 surge o caminho de ferro, um transporte
rápido, barato e seguro o que permite a deslocação das
populações em direção à praia.
Animação turística nas suas diferentes
formas
• Não foi só a melhoria nos transportes que conduziu a esta
mudança, idêntica importância tiveram as mudanças sociais
que levaram à criação de tempos livres, de dinheiro e talvez o
aspeto mais importante o desejo de participar neste
“movimento turístico”
• Essas mudanças sociais consistiram num aumento
generalizado do rendimento “per capita” (expressão latina
que significa "por cabeça". ) da população, na introdução do
meio dia de descanso, introdução pelo patronato de períodos
de férias, em férias pagas e numa urbanização sem dimensão
humana criando o desejo de fuga.
Animação turística nas suas diferentes
formas – Turismo de massas
• O turismo de massas é uma consequência da revolução
industrial e o turismo de um modo geral passou a ser visto
como um meio normal de escape e fuga ao stress e tensão
provocados pela vida moderna.
• O turismo continuou a crescer depois da II Grande Guerra
especialmente na Europa que passou a ser um destino
turístico para os Americanos que visitavam a Europa aos
milhares tirando partido do desenvolvimento dos navios
transatlânticos e especialmente da aviação.
Animação turística nas suas diferentes
formas
• Outro fator de importância vital para a prática do turismo foi o
aumento do tempo livre socialmente permitido.
• Durante a segunda metade do século XIX produziu-se alguma
legislação que melhorava as condições de trabalho, contudo é
no século XX no final da década de 30 que as férias pagas são
instituídas.
• A 2ª Guerra Mundial foi nefasta para o turismo mas os 50 que
se seguiram, foram espetaculares no que respeita ao
desenvolvimento do mesmo, o turismo passa a
internacionalizar-se e a ser visto como algo que faz parte do
modo de vida dos indivíduos, passa a ser uma necessidade,
uma atividade de massa e não um luxo
Animação turística nas suas diferentes
formas
• Em 1950 existem 25 milhões de chegadas internacionais, mas
em 1998 esse número sobe para 500 milhões.
Para este notável crescimento são responsáveis 4 fatores :
 tempo, dinheiro e tecnologia.
 O fator tecnologia (expansão da industria e transportes)
tende a aumentar a oferta
 O fator tempo também tende a aumentar 35 horas semanais
40 anos de trabalho.
 O aumento da riqueza equivale ao aumento dos ordenados e
a um aumento nas viagens.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
 Vulgarmente o termo animação turística aparece associado a
atividades cuja única semelhança é desenvolverem-se dentro
do âmbito do turismo.
 Isto indica sem duvida a ausência de uma definição
clarificadora que sirva de referência a todos que utilizam essa
terminologia, de forma indiscriminada e com frequência
inadequadamente, e favorece a confusão em torno dos
conteúdos a que se refere.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
• O termo animação turística advém naturalmente e por
extensão da chamada animação sociocultural, de origem
francesa, a qual se considera fundamental na ocupação dos
tempos livres.
• A animação sociocultural tem por objetivo motivar dinamizar
todos os meios que levem à participação ativa dos indivíduos
e grupos nos fenómenos socioculturais em que estes se
encontram envolvidos, dando-lhes o seu protagonismo.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
Um dos aspetos de atuação mais evidentes onde se
desenvolve a animação sociocultural é o dos tempos livres, o
tempo do lazer.
Se se entende como necessário dinamizar a participação ou
favorecer a protagonismo do indivíduo e dos grupos na vida
social e cultural, especialmente nos tempos livres (tempos de
lazer), o turismo como parte importante do lazer
(especialmente nas sociedades evoluídas), não pode estar
alheio a tal necessidade.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
 Assim podemos definir animação turística como :
“ O conjunto de ações e técnicas estudadas e realizadas com o
sentido de motivar, promover e facilitar uma maior e mais
ativa participação do turista no desfrutar e aproveitamento
do seu tempo turístico, a todos os níveis e dimensões”.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
 Por outro lado a animação turística acontece no seu pleno
sentido quando é resultante de uma vontade consciente que
se materializa em projetos, estratégias e ações concretas que
se realizam ou praticam segundo técnicas específicas
apropriadas.
 Isso exige um nível de conhecimentos vastos, estudo e
profissionalização.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
 Para existir animação não basta que exista oferta turística,
pois o turista, por os seus próprios condicionamentos
socioculturais e, porque o turismo se realiza em tempos
curtos, assim como em espaços e lugares normalmente
desconhecidos para ele, não tem, com frequência a
capacidade necessária para aproveitar só pela sua vontade
todas as possibilidades que a oferta contenha.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
 Trata-se pois de tornar participativas todo um conjunto de
atividades de interesse comum evitando-se que existam
espectadores passivos ou seja, motivando as pessoas não só a
participarem mas, a animarem-se, convivendo.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
• Na verdade o turismo não é um espaço fechado mas sim um
mundo vivo de comunicação e intercâmbio de relações e
conhecimentos, de emoções, de sensações e experiências,
que exigem uma atitude viva, curiosa e dinâmica por parte do
seu protagonista possível: o turista.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
 O turista não pode ser, tão somente, um número dentro de
uma massa anónima e impessoal, antes pelo contrário possui
características peculiares determinadas pela sua origem
geográfica, cultural e social que em qualquer programa de
animação seja ele qual for, têm de ser tidos em conta.
 E tudo isto sem perder de vista que o fim é desfrutar, dar
prazer, satisfação, numa palavra contribuir de forma
harmoniosa, leve e facilmente absorvível para a higiene
mental absolutamente necessária como terapêutica mais
adequada para o stress.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
• A animação turística é absolutamente inseparável das
atividades lúdicas entendidas no seu sentido mais sério
obviamente.
• E este juízo de valor vem contrariar ou dar a melhor resposta
a muitos detratores da animação turística que por
desconhecimento da sua importância real perante o
fenómeno social que o turismo representa, o mais importante
deste século ou até por ignorância a consideram contrária à
rentabilidade económica global do próprio turismo.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
 A animação turística analisada globalmente tem uma
envolvência e um impacto de tal forma importante no acto
turístico que não pode nem deve, considerar-se e analisar-se
apenas num determinado espaço restrito.
 É certo que programada dentro de espaços restritos (como
hotéis etc)
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
 Animação turística desenvolvida em espaços restritos não é
lesiva dos interesses económicos de outras estruturas de
inegável interesse turístico, como sejam casinos, discotecas,
festas populares ou qualquer outro tipo de espetáculo que
tem custos e por isso necessidade de angariar receitas.
 Antes pelo contrário é sobretudo em grandes ou médias
unidades hoteleiras que a planificação, programação e
execução de programas de animação turística têm tipos de
participação específicos que normalmente não procuram, por
razões de ordem diversa, sair do espaço de alojamento das
suas férias.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística
• Por outro lado a animação turística quer se queira quer não,
um catalizador económico da gestão hoteleira.
• Na verdade a animação turística assume particular
importância, como um conjunto de atividades dedicadas aos
utentes em períodos específicos de cada dia da respetiva
estada seja de manhã pela tarde ou á noite.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística - Lazer
 Lazer não é simplesmente o resultado de factores externos,
não é o resultado inevitável do tempo de folga, um feriado,
um fim de semana ou um período de férias. É uma atitude de
espírito uma condição da alma.
 Lazer é o tempo livre do trabalho e de outro tipo de
obrigações, englobando atividades caracterizadas por um
volume considerável do fator liberdade.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística - Lazer
• O Lazer é todo o tempo excedente ao tempo devotado ao
trabalho, sono e outras necessidades, ou seja, considerando
as 24 horas do dia e eliminando:
 o trabalho
 o sono
 a alimentação
 as necessidades fisiológicas

obtemos o tempo de lazer.


Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística - Lazer
• O Lazer é uma série de atividades e ocupações com as quais o
indivíduo pode comprazer-se de livre e espontânea vontade,
quer para descansar, divertir-se, enriquecer os seus
conhecimentos, aprimorar as suas habilidades ou para
simplesmente aumentar a sua participação na vida
comunitária.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística - Lazer
• O Lazer de que as pessoas precisam hoje não é tempo livre,
mas um espírito livre, em lugar de hobbies ou diversões, uma
sensação de graça e paz, capaz de nos erguer acima da nossa
vida tão ocupada
• O Lazer é:
 Repouso
 Divertimento
 Enriquecimento cultural
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística - Lazer
• O Lazer é uma atividade comprometida por:
 Espaços temporais
 Regras sociais
 Indivíduos que o exerçam
 Indivíduos que o promovam
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística - Recreação
• É um termo frequentemente utilizado para designar algo
semelhante ao lazer.
• A recreação indica sempre um tipo de atividade e como o
lazer e o jogo, não possui uma forma única. No seu sentido
literal pode ser visto como uma das funções do lazer; a de
renovar o ego ou preparar o trabalho.
Definição de conceitos – Lazer, Recreação, Turismo e
Animação Turística - Recreação e Entretenimento

• - Concursos de Teatro e Literários


• - Organização de concursos de dança e bailes
• - Concursos de Gastronomia/Cozinha
• - Desfiles de Moda
• - Secções de Magia
• - Jantares de Gala
• - Organização de Concursos
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística - Desportivas
• - Concursos de Pesca e Caça
• - Torneios de Ténis ou golfe
• - Canoagem
• - Passeios Pedestres
• - Outras competições/atividades em instalações desportivas
Definição de conceitos – Lazer, Recreação,
Turismo e Animação Turística - Infantis

 - Competições desportivas e jogos tradicionais


 - Trabalhos manuais
 - Festas, Teatro, Marionetas etc
 - Cursos de língua
Metodologia da Animação Turística - Planeamento
da Animação Turística / Motivação

• Há que constantemente rever as motivações do turista


• Tendo em conta:
 Quais os fatores que motivam a fidelização dos clientes
 Que fatores desmotivam os mesmos
 Que expectativas dos turistas se encontram realmente
realizadas ou satisfeitas e quais as que podem ser ainda
melhoradas
 Que apetências inovadoras e diferenciais poderão ser
potenciadas a fim de transformá-las em reais expectativas
Metodologia da Animação Turística - Planeamento
da Animação Turística / Meio Socioeconómico (análise
de mercado)

• Que imagem temos junto do mercado alvo


• Características socioeconómicas desse mercado
• Qual o espectro etário dos mesmos
• Nível de educação
• Estada média do cliente e época do ano em que mais se deslocam
• Desenvolvimento dos países emissores/ regiões de “outgoing”
• Ofertas da concorrência dos países/ regiões de “incoming”
• Meios de transporte disponíveis de acesso á região e ao país em
causa
• Alojamentos disponíveis
• Categorias socioprofissionais dos clientes
• Vencimentos e despesas médias
Metodologia da Animação Turística – Conceito
de City break

• City-Break é definido por uma viagem curta em que o objetivo


é a visita a uma cidade com a finalidade de conhecer as
atrações relacionadas com os vários temas:
• Histórico
• Cultural
• Social
• Leisure shopping, etc.
City Break – exemplo de Trabalho
• City-break 5 dias / 4 Noites
• Destino: Barcelona ou Madrid.
• Escolher companhia aérea e voo mais barato.
• Escolher Hotel Central, perto do Metro 3 ***, Regime APA.
• Actividades:
– 1 Noite de Sevilhanas e visita da cidade no Hop On Hop Off.
– Indicar preço aproximado dos táxis – Aeroporto para o hotel (ou outra
maneira de chegar).
– Fazer um itinerário com lugares de interesse mais importantes a visitar.
– Recomendação de zona de compras.
– Entrega de mapa da cidade.
– 1 Dia para um parque temático.
– Recomendação de 1 bom restaurante para jantar.
• Fazer trabalho em Word com proposta (carta ou email) para cliente e
trabalho em Excel com os Cálculos dos custos