Você está na página 1de 32

Trabalho de EAMI02

Avaliação dos Procedimentos de Simulação


Coletores Solares e Reservatórios Térmicos
Sumário
 Introdução
 Objetivo
 Métodos
 Desenvolvimento
 Resultados
 Conclusão

2
3
Introdução
 O trabalho a seguir trata de reservatórios solares e coletores térmicos,
falando não só de sua importância, mas também do potencial de energia
dos equipamentos e também definições e como eles funcionam. Também
trás experiências feitas com os mesmos .
 Apresenta os aspectos dessa eficiência energética e o modelo de sistema
atual de etiquetagem e avaliação deles por meio do selo Procel, além de
mostrar a modelagem proposta para a avaliação do impacto desses
equipamentos pelo EXCEN/UNIFEI que avalia a vida útil do aparelho, e
também seu consumo, perda de desempenho e avaliação por categoria e
região do pais. Analisa as incertezas do projeto e demonstra, por fim, os
resultados obtidos.

4
Objetivo
 Apresentar o funcionamento de coletores térmicos e
reservatórios solares e principalmente mostrar uma forma
de economia de energia e redução de demanda de ponta
nestes equipamentos a partir do modelo atual de etiquetagem
e avaliação Procel.

5
Método
 Para se chegar ao objetivo do trabalho foram, basicamente,
utilizados o método analítico e descritivo. Com ênfase no
Relatório: Coletores Solares e Reservatórios Térmicos - Relatório
Parcial “14” de Dr. Eng. Luiz Augusto Horta Nogueira
(coordenador), Dr. Eng. Jamil Haddad, M.Sc. Eng. Rafael Balbino
Cardoso, Eng. Edson Palhares de Souza, Mestrando Fabiano
Fernandes dos Santos.

6
Desenvolvimento
Radiação solar
 Radiação solar abastece os sistemas de aquecimento e pode ser captada e
transformada em outras modalidades de energia.
 Propagação desse tipo de energia, declividade daTerra em relação ao Sol.
 A intensidade de radiação espectral. Como é mostrado no seguinte gráfico:

7
Radiação solar
 Fórmula para se calcular o comprimento de onda máximo (λmax), no
momento de maior incidência de radiação térmica :
λmaxT = 2898 (μm.K)
 Radiação solar máxima.
 Vidro ótimo material para absorver radiação solar, facilita a captação de energia
e é muito usado em células fotovoltaicas.Comportamento do vidro na captação
de energia solar:

8
Princípio de funcionamento de sistemas de aquecimento solar e
instalações de captação
Coletor Solar
 Coletorsolarconverte radiaçãoeletromagnéticaem energiatérmica paraaquecerfluidos.
 Coletores funcionam de acordo com a temperatura de operação já sua eficiência é medida
ao emprego de alta tecnologia e sua temperatura de funcionamento.Tipo de Coletores:

9
 Coletores solares para residências a água incrementa na eficiência do processo.
Princípio de funcionamento de sistemas de aquecimento solar e
instalações de captação
Aquecimento Solar

Sistema de Aquecimento Solar

10 Instalação Solar em Circulação Natural


Coletores Solares Abertos

11 Coletor Solar Fechado


Princípio de funcionamento de sistemas de aquecimento solar e
instalações de captação

Reservatório Térmico

12
Princípio de funcionamento de sistemas de aquecimento solar e
instalações de captação

Aquecimento Solar

Instalação Solar em Circulação Forçada

13 Sistema de Aquecimento de Água


Total de coletor solar térmico produzido nos EUA, entre 1997-
2006. (EIA, 2007)

14
Capacidade anual incrementada de coletores de placa e de tubo
evacuados instalados por região. (IEA, 2007)

15
Capacidade total de coletores instalados no final de 2006.
(IEASHC, 2008)

16
Novos coletores instalados no ano de 2007 :
Sun and Wind Energy (2008)
País Área de coletor Potência instalada (MW)
instalada (mil m²)
China 2.300 1.600
Alemanha 840 588
Turquia 700 490
Índia 650 455
Brasil 480 336
Israel 300 210
Grécia 279 195
Áustria 277 194
Espanha 251 176
França 243 170
Austrália 237 166
Japão 230 161
Itália 210 147
Estados Unidos 125 87
17 Total 7.122 4.986
Modelo Proposto de Avaliação do Impacto
Energético do Programa Selo Procel

 Itens avaliados:
 impacto energético ao longo da vida útil;
 consideração de duas categorias de eficiência;
 desagregação por região do país;
 perda de desempenho ao longo da vida útil;
 avaliação nas cinco regiões do Brasil.
 Objetivos dessa modelagem.

18
Sistema Computacional

 Funções do sistema computacional:


 BANCO DE DADOS;
 dados de entrada;
 processamento.

19
Dados de Entrada do Modelo Proposto
 Vendas de coletores solares: 90% das vendas para banho e 10% para aquecimento de piscina.
 Abaixo histórico de vendas de coletores solares para banho no Brasil (ABRAVA – 2009):

 Distribuição das vendas de coletores por região do país (ABRAVA - 2009):

20
Dados de Entrada do Modelo Proposto
 Tempo médio de banho, segundo a PROCEL (2007): (Temperatura considerada de banho
40°C):

 Numero médio de moradores por domicilio, nas cinco regiões do país, quatro moradores.
PNAD/IBGE (2009)
 Segundo pesquisa realizada pelo Green Solar (BH-MG), mais de 80% dos coletores de
residências possuem áreas inferiores a 3m², assim 3m² tornou-se a área media dos coletores
instalados.
 Eficiência Energética de coletores solares para banho (PBE/INMETRO):

21
Dados de Entrada do Modelo Proposto
 Fator de degradação ao longo da vida útil de coletores solares térmicos:

 Frações solares das regiões brasileira


(%): (obtidos pelo INPE/CPTEC e
Atlas Solarimétricos da Universidade
Federal de Pernambuco e CHESF)

22
Dados de Entrada do Modelo Proposto

 Perda média de energia específica mensal de reservatórios (400 l): (PUC-MG 2009)

23
Análise de Incertezas

No que consiste as incertezas


 O que é análise de incertezas.
 A determinação das incertezas:
 Incertezas relacionadas ao consumo (C);
 Incertezas relacionadas ao parque de equipamentos instalado (P);
 Incertezas combinadas relacionadas à economia de energia (EE).
 Por que é utilizada?

24
Análise de Incertezas
Propagação das Incertezas

25
Resultados
 Considerando o efeito do Selo Procel
Coletores Solares
• Área total estimada pela ABRAVA (2009) – 4,05 milhões m².
• Número estimado de residências com coletor – 1,35 milhões.

26 Área de coletores solares instaladas nas Número de residências do Brasil com


residências do Brasil coletores solares térmicos.
Coletores Solares
 Consumo “Real” dos chuveiros elétricos : 600 GWh no Brasil,2008.

Economia de Energia de Coletores com Selo


Procel,2008.

Consumo dos chuveiros elétricos no Brasil,ano


2008.
Redução de demanda de ponta de coletores com
27 Selo Procel, 2008.
Reservatório Térmico

Economia de Energia de reservatórios com Selo Procel,2008.

Redução de demanda de ponta de reservatórios com Selo Procel, 2008.


28
Impactos Totais

Economia de Energia de coletores solares e reservatórios térmicos com Selo


Procel,2008.

Redução de demanda de pontos de coletores solares e reservatórios com Selo Procel,


29 2008.
Outros Impactos
 Linha de base : Consumo de energia dos chuveiros elétricos de residência com
coletores solares.

30 Diferentes cenários de consumo dos chuveiros elétricos no Brasil, 2008.


Conclusão
 Tratamos sobre os fundamentos da radiação solar, as
aplicações da energia solar térmica, alem de diferentes
tecnologias e vimos que os selos e os sistemas de etiquetagem
são importantes pra que possa alem de analisar, diminuir o
impacto desses aparelhos por meio de avaliações.

31
32