Você está na página 1de 1

TERAPIA FONOAUDIOLÓGICA EM PACIENTE

COM FISSURA LABIOPALATINA

Brenda Kehl, Diego de Souza Leal, Débora Adamatti Cole Stangherlin, Julia Souza
de Oliveira, Maria Cristina de Almeida Freitas Cardoso

INTRODUÇÃO acompanhamento da aquisição da linguagem.


A terapia foi composta por encontros
A fissura labiopalatina é uma malformação semanais, e por vezes quinzenais, de 45
capaz de levar a diversas alterações que minutos, totalizando aproximadamente 78
interferem a vida do indivíduo. A fonoaudiologia atendimentos em 4 anos. Com a terapia
auxilia na adequação das estruturas e funções fonoaudiológica foram observados os
afetadas, além de prevenir compensações que seguintes resultados expressos no fluxograma
possam surgir durante o desenvolvimento do a seguir:
indivíduo. Alongamento do lábio
superior
OBJETIVO T Direcionamento aéreo
Relatar o acompanhamento fonoaudiológico de E para a cavidade oral
uma paciente com fissura labiopalatina R
transforame incisivo unilateral. Vedamento labial
A
RELATO DE CASO P
Diminuição da espessura
I da cicatriz labial
O estudo foi aprovado em Comitê de Ética e
Pesquisa (1900382), cuja paciente, do sexo
A
feminino, apresenta fissura labiopalatina
Adequação
transforame incisivo unilateral já corrigida fonoarticulatória
cirurgicamente, conforme a figura (Figura 1)
A terapia fonoaudiológica teve, portanto, todos
mostrada a seguir:
os objetivos alcançados.

CONCLUSÃO
O acompanhamento e a terapia
fonoaudiológica proporcionam ao paciente
fissurado a adequação das estruturas
A paciente iniciou o acompanhamento orofaciais e consequentemente um melhor
fonoaudiológico no Hospital da Criança Santo estabelecimento das funções
Antônio aos 3 anos e 2 meses. Foi realizada estomatognáticas e da comunicação. A
avaliação inicial e traçados objetivos evolução clínica é variável, mas há a
terapêuticos como direcionar o fluxo aéreo necessidade do seu acompanhamento a partir
para a cavidade oral, adequar a mobilidade e do nascimento até a finalização das cirurgias
postura das estruturas orofaciais e ampliar a corretivas e/ou estéticas, pois cada etapa do
mobilidade do esfíncter velofaríngeo, além de desenvolvimento possui uma demanda clínica
corrigir as alterações fonético-fonológicas a fonoaudiológica específica.
partir do