Você está na página 1de 97

Metrologia Dimensional

Leonardo Santana
Metrologia Dimensional

Na realização de quaisquer medições, devem ser considerados três


elementos fundamentais: o método, o instrumento e o operador. O
operador é, talvez, dos três, o mais importante. É ele a parte
inteligente na apreciação das medidas. De sua habilidade depende,
em grande parte, a exatidão pretendida. Um bom operador,
servindo-se de instrumentos com piores níveis de exatidão,
consegue melhores resultados do que um operador inábil com
excelentes instrumentos.
Metrologia Dimensional

METROLOGIA

É a ciência da medição. Trata dos conceitos básicos, dos métodos de


medição, dos erros e sua propagação, das unidades e dos padrões
envolvidos na representação de grandezas físicas, bem como da
caracterização do comportamento estático e dinâmico dos sistemas de
medição.
Metrologia Dimensional

MEDIÇÃO

É a atividade que visa determinar o valor do mensurando, ou seja,


é uma sequência de ações que permitem efetuar a medida
propriamente dita . É aplicável a ensaios, testes, controle de
qualidade, análises ou processos equivalentes. O resultado da
medição, em geral numérico, é um valor observado, medido, lido,
etc.
Metrologia Dimensional

UNIDADE DE MEDIDA

Grandeza especifica, definida e adotada por convenção, com a


qual outras grandezas de mesma natureza são comparadas
para expressar seu tamanho em relação àquela grandeza.
História

Como fazia o homem, cerca de 4.000 anos atrás, para medir comprimentos?
História
História

No Gênesis, lê-se que o Criador mandou Noé construir uma arca com dimensões
muito específicas, medidas em côvados. Padrão dos Reis.

Os egípcios usavam, como padrão de medida de


comprimento, o cúbito.
História
Em lugar do próprio corpo, eles passaram a usar, em suas medições,
barras de pedra com o mesmo comprimento. Foi assim que surgiu o
cúbito-padrão. Com o tempo, as barras passaram a ser construídas de
madeira, para facilitar o transporte.

Nos séculos XV e XVI, os padrões mais usados na Inglaterra para medir


comprimentos eram a polegada, o pé, a jarda e a milha (mil passos).

Na França, no século XVII, ocorreu um avanço importante na questão de


medidas. A Toesa, que era então utilizada como unidade de medida
linear, foi padronizada em uma barra de ferro com dois pinos nas
extremidades e, em seguida, chumbada na parede externa do Grand
Chatelet, nas proximidades de Paris.
História
Metro

• Tinha que ser encontrado na natureza.

• Deveria ter seus submúltiplos estabelecidos segundo o sistema decimal.

Metro é a décima milionésima


parte de um quarto do meridiano
terrestre.
História
Metro
Sistema Métrico
Neste sistema utilizamos as seguintes divisões:
Sistema Métrico

1000

100

10

0,1

0,01

0,001
Sistema Métrico – Exercício
Defina as divisões e transforme em metros.

1ª- 23,1 mm Vinte e três milímetros e um decimo de milímetros.


0,0231 m

2ª- 7,45 mm Sete milímetros e quarenta e cinco centésimo de milímetros.


0,00745 m

3ª- 154,758 mm Cento e cinquenta e quatro milímetros e setecentos e cinquenta e oito milésimo.
de milímetros.
0,154758 m
4ª- 874,03 mm Oitocentos e setenta e quatro milímetros e três centésimo de milímetros.
0,87403 m

5ª- 36,001 mm Trinta e seis milímetros e um milésimo de milímetro.


0,036001

6ª- 4,010 mm Quatro milímetros e dez milésimo de milímetros.


0,004010

7ª- 0,120 mm Cento e vinte milésimo de milímetros.


0,000120
Sistema Métrico
Sistema Métrico
Sistema Métrico – Exercício
Determine em centímetros cúbicos a cilindrada total de um
motor de seis cilindros, sabendo que:
a) diâmetro do cilindro .......... D = 100 mm;
b) curso do êmbolo ................ L = 150 mm;
c) número de cilindros............ n = 6.

Solução:
Na prática, para obter a cilindrada total em
centímetros cúbicos, você pode resolver o
problema de duas maneiras: ou entra na
fórmula com os valores de D e L em milímetros
e
depois transforma o resultado obtido em mm3
para cm3, ou então converte os valores de D e
L para centímetros, antes de entrar na fórmula.
1a maneira:
V1 = 0,7854 x 1002 x 150 x 6
V1 = 0,7854 x 10000 x 150 x 6
V1 = 7068600 mm3 v1= 7068 cm3
Sistema Inglês
O sistema inglês, que predomina na Inglaterra e nos Estados Unidos,
tem como padrão a jarda. Nestes países, vem sendo implantado o
sistema métrico.
Em 1959, a jarda passou a ser definida em função do metro, valendo
0,91440 m – 91,44 cm.

As divisões da jarda ( 3 pés, cada pé com 12 polegadas ) passaram,


então, a ter seus valores expressos no sistema métrico:

1 polegada: 2,54 cm – 25,4 mm


1 pé: 30,48 cm (12 polegadas)
1 jarda: 91,44 cm (3 pés)
1 milha: 1.609 metros
1 braça: 2,20 metros
1 palmo: 22 cm
1 cúbito egípcio: 52,4 cm
Sistema Inglês

A polegada divide-se em frações ordinárias de denominadores


iguais a: 2,4,8,16,32,64,128.... Temos, então, as seguintes divisões:

1” : (meia polegada).
2
1” : (um quarto de polegada).
4
1” : (um oitavo de polegada).
8
1” : (um dezesseis avos de polegada).
16
1” : (um trinta e dois avos de polegada).
32
1” : (um sessenta e quatro avos de polegada).
64
1” :(um cento e vinte e oito avos de polegada).
128
Sistema Inglês

Os numeradores das frações devem ser números ímpares:


1” , 3” , 5” , .... 15” , etc.
2 4 8 16

Quando o numerador for par, deve-se proceder à simplificação da fração:

6” = 3” , pois 6 :2 = 3 8:2=4
8 4

8” = 1” , pois 8 : 8 = 1 64 : 8 = 8
64 8
Sistema Inglês

A fração ordinária na indústria complicava os cálculos, por essa


razão, criou-se a divisão decimal da polegada . Na prática, a
polegada subdivide-se em milésimos e décimos de milésimos.
Ex:

1.003”= 1 polegada e 3 milésimos


1.1247”= 1 polegada e 1247 décimos de milésimos
.725”= 725 milésimos de polegada
Transformação de Medidas
Transformação de Medidas
Transformação de Medidas
Transformação de Medidas
Transformação de Medidas - Exercício

As respostas corretas são:


a) 3,969 mm
b) 7,937 mm
c) 0,198 mm
d) 127,00 mm
e) 41,275 mm
f) 19,050 mm
g) 10,716 mm
h) 6,548 mm
i) 53,975 mm
j) 92,075 mm
Transformação de Medidas - Exercício
A conversão de milímetro em polegada fracionária
Transformação de Medidas - Exercício
Transformação de Medidas - Exercício
Transformação de Medidas - Exercício
Transformação de Medidas - Exercício
Régua Graduada
Régua Graduada

TIPOS DE RÉGUAS

Régua sem encosto

Régua com encosto


Régua Graduada

TIPOS DE RÉGUAS

Régua de
profundidade
Régua de encosto interno

Régua de dois encosto


Régua Graduada

Aprendendo Polegada
Régua Graduada

Aprendendo Polegada
Régua Graduada

Aprendendo Polegada
Régua Graduada

Aprendendo Polegada
Régua Graduada

Aprendendo Polegada
Régua Graduada

Cuidados com a Régua.


Régua Graduada

Cuidados com a Régua.


Paquímetro
Paquímetro

Leitura com Paquímetro


Paquímetro

Leitura com Paquímetro


Paquímetro

Leitura com Paquímetro


Paquímetro

Leitura com Paquímetro


Paquímetro

Tipos de Paquímetros
Paquímetro

Tipos de Paquímetros
Paquímetro

Tipos de Paquímetros
Paquímetro

PRINCIPIO DO NÔNIO (VERNIER)


Paquímetro

DIVISÃO DO NÔNIO (VERNIER) – SISTEMA MÉTRICO

UEF – Unidade da escala fixa


NDN – Numero de divisões do nônio
Paquímetro

DIVISÃO DO NÔNIO (VERNIER) – SISTEMA MÉTRICO


Paquímetro

DIVISÃO DO NÔNIO (VERNIER) – SISTEMA MÉTRICO


Paquímetro

DIVISÃO DA ESCALA PRINCIPAL – SISTEMA INGLÊS


Paquímetro

DIVISÃO DO NÔNIO (VERNIER) – SISTEMA INGLÊS

UEF – Unidade da escala fixa


NDN – Numero de divisões do nônio
Paquímetro

DIVISÃO DO NÔNIO (VERNIER) – SISTEMA INGLÊS

Exemplo de leitura
Paquímetro
Exercício

5_” 13_” 9_” 1 3_”


128 128 32 32

2 39_”
128
Micrômetro
Micrômetro
Micrômetro

TIPOS DE MICRÔMETRO

Micrômetro de profundidade Micrômetro de arco profundo


Micrômetro

TIPOS DE MICRÔMETRO

Micrômetro medir
parede de tubos

Micrômetro digital eletrônico


Micrômetro

TIPOS DE MICRÔMETRO

Micrômetro interno de três pontas


Micrômetro

TIPOS DE MICRÔMETRO

Micrômetro tubular para medições internas


Micrômetro

TIPOS DE MICRÔMETRO

Micrômetro para medições externas


Micrômetro

LEITURA COM RESOLUÇÃO DE 0,01 mm


Micrômetro
Micrômetro

LEITURA COM RESOLUÇÃO DE 0,01 mm


Micrômetro

LEITURA COM RESOLUÇÃO DE 0,001 mm


Micrômetro

SISTEMA INGLÊS
Micrômetro

SISTEMA INGLÊS
Micrômetro
Exercício
Micrômetro

SISTEMA INGLÊS
Micrômetro
Exercício
Micrômetro

SISTEMA INGLÊS

SOMA

.250”

.017”

.0007

.2677”
Micrômetro

• Conservação

• Limpar o micrômetro, secando-o com um pano limpo e macio (flanela).


• Untar o micrômetro com vaselina líquida, utilizando um pincel.
• Guardar o micrômetro em armário ou estojo apropriado, para não deixá-lo
exposto à sujeira e à umidade.
• Evitar contatos e quedas que possam riscar ou danificar o micrômetro e sua
escala.
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador
Relógio Comparador

TÉCNICA DE UTILIZAÇÃO
Relógio Comparador

TÉCNICA DE UTILIZAÇÃO
Outros Instrumentos
Outros Instrumentos
Técnicas de medições de motores

DIÂMETRO DO MUNHÃO E MOENTE

Munhão

Moente
Técnicas de medições de motores

VERIFICAÇÃO DE PLANICIDADE

O valor medido não deve ser superior a 0,2 mm


Técnicas de medições de motores

FOLGA AXIAL E RADIAL DO VIRABREQUIM

Folga Radial Folga Axial


Técnicas de medições de motores

DIÂMETRO DO CILINDRO, OVALIZAÇÃO E CONICIDADE


Técnicas de medições de motores
FOLGA DE ABERTURA ENTRE PONTAS DOS ANÉIS
Técnicas de medições de motores

FOLGA ENTRE ANEL E CANALETA

Você também pode gostar