Você está na página 1de 10

Formação de Professores Indígenas em nível

superior: A experiência do 3° grau Indígena.

Autor: Elias Januário

Acadêmicos:
Ernandes Damasceno
Gerson de Almeida silva
Vanilson de Almeida da Luz
O Projeto de Formação

O presente artigo é resultado da experiência de


um projeto de formação, em nível de 3° grau,
para indígenas docentes que atuam em
escolas de aldeias no Estado de Mato Grosso.
Proposta

A proposta de educação do projeto tem um


caráter específico, pois é direcionada para a
realidade das comunidades indígenas, tendo em
vista o respeito à cosmovisão e os valores das
diferentes etnias a proposta promove o exercício
do diálogo intercultural.
O projeto trabalha incentivando o professor índio a
utilizar bibliotecas, buscar livros e informações, a
solucionar problemas relacionados à escola e
compreender o sistema de ensino e as políticas
educacionais.
Através da proposta intercultural é que são
desenvolvidas estratégias que garantem as
discussões dos conhecimentos de caráter geral e
específico de cada área de estudo,
estabelecendo o reconhecimento das diferenças
e uma relação crítica com os conhecimentos
universais.
Nesse sentido, não se pretende ensinar todos os
conhecimentos da sociedade não-índia, procura-
se instrumentalizar o professor índio a partir de
opções curriculares, de modo que ele busque os
conhecimentos que julga importantes para si e
para seu povo.
O projeto 3° grau indígena estrutura-se em duas
etapas: uma de Formação Geral e outra de
Formação Específica.
 A primeira, com formação de quatro anos;
 A segunda etapa, desenvolvida no último ano
do curso.
O calendário é composto de duas modalidades
letivas:
 uma de caráter presencial e trabalho intensivo
com carga horária mínima de 190 horas
semestralmente, coincidindo com o período de
férias escolares;
 a outra, intermediária, de atividades cooperadas
de ensino e pesquisa, nos períodos intermediários
entre uma etapa intensiva e outra.
As duas etapas letivas correspondem a um
semestre do projeto.
Pontos altos do trabalho

 refere-se às atividades solicitadas;


 os encontros que acontecem na própria
comunidade indígena.
Assim o projeto anda em constante movimento,
em direção aos interesses dos povos indígenas
envolvidos, tendo como ponto de partida e de
chegada o que esperam e o que desejam as
comunidades indígenas da educação escolar,
este é um dos eixos fundantes do projeto.
O projeto é implementado por uma parceria
entre SEDUC/MT, UNEMAT, FUNAI, Pref. Mun. De
Barra do Bugres, MEC, FUNASA. Encontram-se
matriculados no projeto 200 acadêmicos, de 36
etnias, pertencentes a 13 Estados.
Referências:

 JANUÁRIO, E. Diversidade na educação: reflexões e


experiências; Formação de professores indígenas em nível
superior: a experiência do 3º grau indígena; Brasília:
Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 2003; pag.
122-128