Você está na página 1de 14

Plano de Recuperação

de Áreas Degradadas
PRAD Equipe:
Clealdo
Diogo
Jair
Tefersson
Thawan
Walbenir
Fortaleza - Ce 2016
Objetivo
 Objetivo Geral
Contribuir para o conhecimento técnico relacionado ao desenvolvimento de espécies
nativas em plantios de recuperação de áreas degradada.

 Objetivos Específicos
 Efetuar o plantio de 1112 mudas nativas do Cerrado em uma área de nascente que
apresenta degradação por pisoteio de animais de grande porte (bovinos e equinos. etc).
 Prevenir a área de futuros processos de erosão e de lixiviação dos nutrientes.
 Atrair a fauna nativa através do plantio de espécies frutíferas.
 Cercar a área recuperada para evitar a entrada de animais de grande porte (bovinos,
equinos, etc) que possam atrapalhar a recuperação da área.
 Recuperar a vazão normal da nascente.
ATIVIDADES
Avaliação das áreas degradadas
Cobertura vegetal
Observamos ao redor da fonte degradada que somente apresenta alguns fragmentos de
vegetação nativa e no restante da área há presença de espécies consideradas invasoras tais como:
capim Braquiaria (Brachiaria humidicola), sangra d'água (cróton urucurana), lobeira ( solanum
lycocarpum).
Tipos de degradação
Desmatamento da Área de Preservação Permanente (APP), compactação do solo, nascente
assoreada, inicio de processo erosivo.
Condição do solo
Compactado, inicio de processo erosivo sofrendo perda de seus nutrientes através da
lixiviação.
Identificação das áreas para recuperação
A APP não se encontra isolada e preservada de acordo com o que manda a Legislação
Ambiental e se encontra com grande presença de animais (bovinos e equinos), presença de plantas
invasoras, solo parcialmente compactado e presença de pequenos fragmentos de espécies vegetais
nativas.
Levantamento Florístico
Foi realizado um levantamento florístico do local a ser recuperado e foi constatado a presença
das seguintes espécies:
Espécie Grupo Ecológico Tipo de solo
Embaúba Pioneira Encharcado/úmido
(Cecropia pachystachia)
Sangra d'agua Pioneira Encharcado/úmido
(Croton urucurana )
Genipapo Secundaria inicial Encharcado ou inundado
(Genipa americana)
Ingá Secundaria inicial Encharcado ou inundado
(Inga edulis)
Copaíba Clímax Bem drenado
(Copaifera langsdorffii)
Angico vermelho Pioneira Bem drenado
(Anadenanthera macrocarpa)
Aroeira Pioneira Encharcado/úmido
(Lithraea brasiliensis)
Pata de vaca Clímax Úmido ou bem drenado
(Bauhinia forficata)
Técnicas de restauração

Construção de terraços em nível;


Isolamento da área;
Controle de espécies invasoras;
Controle de formigas;
Plantio das mudas para enriquecimento florístico;
Adubação;
Construção de aceiros nas cercas e manejo das mudas.
Modelo de recuperação

O modelo a ser implantado na recuperação


da área será o método de reflorestamento
heterogêneo utilizando espécies nativas do bioma
Cerrado.
Metodologia do reflorestamento
As covas terão dimensões mínimas de 40 cm x 40 cm x 40cm,
espaçadas entre si em cerca de 3m x 3m (cerca de 9m² por planta) que é a
distância média entre árvores adulta nas matas naturais. As espécies serão
combinadas de acordo com seu grupo ecológico (pioneiras, secundárias
iniciais, secundárias tardias ou clímax), de tal forma que as espécies
pioneiras e secundárias iniciais de rápido crescimento, venham a sombrear
as mudas das espécies que se desenvolvem melhor à sombra (secundárias
tardias e clímax). Será respeitada a tolerância das espécies a cada tipo de
solo seja ele úmido/encharcado ou bem drenado. O plantio será realizado
durante o período chuvoso para evitar gastos com irrigação e também
perda de mudas.
ESPECIES UTILIZADAS NA RECUPERAÇÃO
Espécie Grupo Ecológico Tipo de solo
Gameleira Secundaria inicial Úmido
(Ficus catappifolia)
Barriguda Secundaria inicial Úmido
(Chorisia speciosa)
Embaúba Pioneira Úmido
(Cecropia pachystachya)
Peroba Pioneira Bem drenado
(Aspidosperma pyrifolium)
Copaíba Secundaria inicial Bem drenado
(Copaifera langsdorffii)
Pata de vaca Clímax Bem drenado
(Bauhinia forficata)
Tamboril Secundaria inicial Úmido/ bem drenado
(Enterolobium cortisiliquum)
Genipapo Secundaria inicial Encharcado ou inundado
(Genipa americana)
Espécie Grupo Ecológico Tipo de solo
Jatobá Secundaria inicial Bem drenado
(Hymenaea courbaril)
Inga Pioneira Úmido/encharcado
(Inga spp)
Açoita cavalo Pioneira Bem Bem drenado
(Luhea grandiflora)
Murici Secundaria tardia Bem drenado
(Byrsonima verbacifolia)
Mandiocão Secundária tardia Bem drenado
(Didymopamax morototonii)
Feijão- cru Secundária tardia Bem drenado
(Platymiscium floribundum)
Guapeva Secundária tardia Bem drenado/úmido
(Pouteria torta)
Canela de velho Clímax Bem drenado
(Aspidosperma pruinosum)
Cedro Clímax Bem drenado
(Cedrela fissilis)
Espécie Grupo Ecológico Tipo de solo
Mutamba Pioneira Bem drenado
(Guazuma ulmifolia)
Buriti Clímax Úmido/ encharcado
(Mauritia flexuosa)
Cajá do mato Secundária tardia Bem drenado
(Spondias lútea)
Pau- de- jangada Secundária tardia Úmido
(Apeiba tibourbou)
Buritirana Clímax Úmido
(Mauritia armata)
Cagaita Secundaria inicial Bem drenado
(Eugenia dysenterica)
Tucum Secundaria tardia Úmido/bem drenado
(Astrocaryum vulgare)
Xixá Pioneira Úmido/bem drenado
(Sterculia chicha)
Pequi Secundaria tardia Bem drenado
(caryocar brasiliense)
Tingui Secundaria inicial Bem drenado
(Magonia pubences)
Espécie Grupo Ecológico Tipo de solo
Sucupira Secundaria tardia Bem drenado
(Sweetia fruticosa)
Caju Secundaria inicial Bem drenado
(Anacardium occidentale)
INDICADORES DE RECUPERAÇÃO
A área recuperada será monitorada por três (3) anos,
onde serão observados os seguintes fatores:

 Restabelecimento da vazão da nascente (serão realizadas


medições da vazão periodicamente);
 Presença da fauna;
 Cobertura total do solo
 Produção de serrapilheira
 Desenvolvimento das mudas
 Condição do solo
 Perda das mudas
CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO PROJETO
Operações de Campo Meses do Ano
(Atividades) Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai
Preparo da Área e
controle de espécies X X
invasoras
Cercamento da Área X

Covamento X

Adubação X

Produção/Aquisição X
de mudas
Plantio X

Replantio X

Combate às X X X X
formigas/Cupins
Manejo, Coroamento
e controle de espécies X X
invasoras
Construção de X X
Aceiros
ORÇAMENTO
Material Unidade Quantidade Preço unit. R$ Preço total R$

Arame liso Rolo (1000m) 5 280,00 1.400,00

Estacas unidade 90 15,00 1.350,00

Mourões unidade 16 30,00 480,00

Mão de obra unidade 50 45,00 2.250,00

Mudas unidade 1112 1,50 1.668,00

Ferramentas unidade 25 ------------------ Da propriedade

Isca formicida unidade 10 5,00 50,00


granulada
Mangueira de unidade 2 ------------------ Da propriedade
nível
Preço total: R$ 7.198,00

Você também pode gostar