Você está na página 1de 34

INTRODUCÃO:

 Introdução da indústria têxtil


 Origens
 Indústria têxtil no Brasil
 Industria têxtil no mundo
 Um lado sombrio
 Impactos:
 Possíveis soluções
 conclusão
SOBRE A INDÚSTRIA :
A indústria têxtil tem, como
objetivo, a transformação
de fibras em fios, de fios
transformar em tecidos e de
tecidos em peças
de vestuário, artigos
têxteis para o lar e uso
doméstico roupa de cama e
mesa e banho e
também, tapetes, cortinas et
c.) Ou em artigos para
aplicações técnicas
(produtos geotêxteis, airbags
, cintos de segurança etc.).
ORIGENS :
 Naturais animais
 Naturais vegetais
 Naturais minerais
 Químicas Orgânicas
 Químicas inorgânicas
BICHO-DA-SEDA:
 O bicho-da-seda é criado aos
milhões. Após trinta dias se
alimentando apenas de folhas de
amoreira, o bicho-da-seda tece o
seu casulo.
 vale da seda e situa-se no Paraná e
é responsável pela produção de até
92% do Brasil.
 São necessários 2,5 hectares para
gerar trabalho
 Enquanto na soja precisa de 300
hectares para gerar um emprego
OVELHAS:
 A lã é derivada do pelo da ovelha que,
depois de tosquiado, é processado
industrialmente para usos têxteis.
 O tecido feito de pele da ovelha em
comparação ao tecido sintético
 Importância econômica : Desde os
tempos mais remotos este animal pode
fornecer leite, lã, couro e carne. Os
maiores produtores de ovelhas (per
capita), estão no hemisfério sul
ALGODÃO:
 O algodão é uma fibra branca
esbranquiçada que cresce a volta
das sementes de algumas espécies do
gênero Gossypium, família Malvaceae.
 Somente 4 espécies são aproveitadas
em larga escala para a confecção de
tecidos e instrumentos médicos.
 Estima-se que a produção mundial gire
em torno de 25 milhões de toneladas
anualmente.
 Na época da Revolução Industrial, o
algodão era tão importante quanto o
petróleo é desde meados do século XIX.
FIBRA DE COCO
 A fibra de coco, também chamada Coir,
provém do coqueiro comum, é a
única fibra de fruta que é usada em
quantidade digna de ser mencionada.
 Amadurecimento
 Usos principais da fibra do coco:
Manufatura de colchões, Tapetes,
Escovas, Vassouras, Amplamente
utilizado na área de jardinagem e
decoração e como substrato no plantio
de orquídeas, substituindo
completamente o xaxim que é uma
arvóre em extinção cuja extração é
proibida pelo Ibama no Brasil.
FIBRA DE BASALTO:
 Provém do tratamento da rocha basáltica,
composta
por minerais como plagioclase, piroxina e livina.
Produto derivado do processo de fundição do
próprio basalto (ingrediente único utilizado para a
produção da fibra.
 a fibra de basalto é um tipo de fibra com
melhores prestações quanto a propriedades
físico-mecânicas.

 Principais usos

 A fibra de basalto é substancialmente mais


barata em termos de produção que a fibra de
carbono o que lhe confere um preço de venda
menor que o valor pretendido pela fibra de
carbono.
FIBRA DE ARAMIDA:
 De nome comercial o Kevlar é a marca
registada da Dupont. produzida pela
reação de polimerização de p-
fenilenodiamina com cloreto de
tereftaloila.
 Seu principal uso é na fabricação de cintos
de segurança, cordas, construções
aeronáuticas, velas, coletes à prova de bala,
e celulares como o Motorola.

 O tanque de combustível dos carros


de Fórmula 1
ELASTANO:
 Conhecido comercialmente
como Lycra é uma fibra
sintética de elevada elasticidade.
Pode ser produzido num processo
de polimerização onde
o polietileno-glicol é substituído por
um poliéster-poliol,
 utilizações: fabricação
de luvas para manuseamento de
peças que não pode estar em
contato com a pele das mãos
como por exemplo componentes
eletrônicos.
FIBRA DE CARBONO:
 É uma fibra sintética de finos
filamentos e composta
principalmente de carbono.
Cada filamento é a união de
diversos milhares de fibras de
carbono. É uma fibra sintética
porque é feita a partir
de poliacrilonitrila. Possui
propriedades mecânicas
semelhantes às do aço e é leve
como madeira ou plástico. Por
sua dureza tem maior
resistência ao impacto do que o
aço.
 Aplicações
FIBRA DE VIDRO:
 É um material composto da
aglomeração de finíssimos
filamentos de vidro que não são
rígidos e são muito flexíveis..
 É leve e não conduz corrente
elétrica, sendo utilizado também
como isolante estrutural.

 O gigantesco Airbus A380 usa


fibra de vidro em sua fuselagem
e asas
IMPORTÂNCIA PARA NOSSO PAÍS:
 Foi uma das pioneiras
no processo de industrialização
no Brasil
 Tem quase 200 anos no País

 Atualmente o Brasil é referência


mundial em design de moda
praia, jeanswear , tendo crescido
também os segmentos
de fitness e lingerie.
 São cerca de 1,5 milhão de
empregos 75% são mulheres, que
fazem parte da 4ª maior folha de
pagamento do setor.
ECONOMIA:
Dados gerais do setor referentes entre 2017 e 2018:
Faturamento da Cadeia Têxtil e de Confecção: US$ 51,58 bilhões
Exportações (sem fibra de algodão): US$ 1,0 bilhão
Investimentos no setor: R$ 3,1 milhões
Produção média de confecção: 8,9 bilhões de peças; vestuário,meias, acessórios,
cama, mesa e banho
2º. Maior gerador do primeiro emprego
Número de empresas: 27,5 mil em todo o País dentre elas : Capricórnio Têxtil,
Cedro Têxtil, Santanense, Coteminas, Duloren, Demillus entre outras.
DADOS ESTATÍSTICOS :
Estados brasileiros nos quais as empresas possuem mais atividades:
HISTORIA DA INDUSTRIA TÊXTIL NO MUNDO:

 A manufatura dos tecidos é


uma das mais
velhas tecnologias do homem.
Desde o Antigo Egito, já se
utilizava o tear.
 A produção de seda foi
descoberta por Aristóteles e
levada à Europa por padres, já
a lã veio das estepes da Ásia
Central e chegou até
a Inglaterra. A indústria têxtil
tem se envolvido
em contravenções no século
XXI de trabalho escravo.
ESCRAVIDÃO MODERNA NO MUNDO:
 Alguns países como China
Camboja, Bangladesh, Indonésia e
Vietnã conseguem oferecer
produtos até 50% mais baratos do
que similares fabricados no Brasil
 Empresas como Nike, e Victorias
Secret são apontadas como
empresas da escravidão moderna.
 Infância perdida
QUAL É A INDÚSTRIA QUE MAIS POLUI O MEIO
AMBIENTE DEPOIS DO SETOR DO PETRÓLEO?
 O processo de produção na
indústria têxtil é composto
de várias etapas as quais
podem ser causadoras de
degradação ambiental
caso não sejam tomados
os cuidados necessários.
 Calças ou malhas de
poliéster
 Em seu setor industrial um
dos principais insumos
utilizados para fabricação é
água.
CONSUMO DE ÁGUA E ENERGIA:
 O consumo de água na
indústria têxtil causa
impactos ambientais
significativos, em termos
de demanda de água
limpa, geração de
efluentes, além do
consumo energético.
 são necessários 10.000
litros de água para a
produção de 1 kg de
algodão)
EMISSÕES ATMOSFÉRICAS:
 A indústria têxtil e de vestuário
emitem 1,7 bilhão de toneladas
de dióxido de carbono e enxofre
por ano.
 O principal efeito desses
poluentes no caso do Co2
 O So2 reage com água
precipitada da chuva tendo
como resultado a chuva ácida.
 substâncias tóxicas, como o
acetaldeído, os
clorofluorcarbonos, o
diclorobenzeno, o acetato de
etila e o clorotolueno, entre
outras.
EFLUENTES E CONTAMINAÇÃO DO SOLO E DA
ÁGUA:
 Os poluentes presentes nos
efluentes podem incluir
corantes orgânicos sintéticos
Acid Blue, indigo carmim,
vermelho congo, , agentes
redutores como cloro,
hidrossulfito de sódio, sólidos,
óleos minerais, agentes
antiespuma, graxa,
lubrificantes e outros
compostos orgânicos e
halogenados. presença de
metais pesados como o
Cromo, o Cobre, o Zinco, o
Chumbo e o Níquel,
SUBSTANCIAS QUÍMICAS:
 As substâncias químicas
utilizadas vão de metais pesados
e compostos orgânicos de
estanho, encontrados em
pigmentos, estabilizadores e
catalisadores, a arilaminas e
hidrocarbonetos poliaromáticos,
 podem ser utilizados compostos
orgânicos de estanho e de
hidrocarbonetos poliaromáticos,
muitos deles classificados como
tóxicos e bioacumulativos.
GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS:
 A geração de resíduos sólidos é
decorrente, sobretudo, de
perdas e/ou ineficiências no
processo produtivo. É um tema
crítico quando se trata da gestão
ambiental na maioria dos
setores industriais, inclusive na
indústria têxtil.
 Resíduos específicos para a
indústria têxtil incluem retalhos,
guarnições, recortes de tecidos e
fios, corantes, pigmentos e lodo,
que contém fibras e gorduras,
proveniente do tratamento de
águas residuais.
EXISTEM SOLUÇÕES PARA DIMINUIR IMPACTOS
AMBIENTAIS ?
Sim !!!
 Verificar o balanço hídrico da
região, bem como a necessidade
de obtenção de Outorga de
Direito de Uso de Recursos
Hídricos.
 Um exemplo mostrado pela
empresa Hering é a sua fábrica
em Blumenau - SC. A água que
é devolvida para o ribeirão da
Velha tem sua qualidade em
termos de impurezas melhor do
que quando é captada.
RESIDUOS SÓLIDOS
 Segundo os dados da
Associação Brasileira da
Indústria do PET –, a cadeia
têxtil tem papel importante
na reciclagem de PET no
âmbito nacional. As fibras
de poliéster, geradas da
reciclagem de PET, são
utilizadas para confecção
de peças de cama e mesa
e também em tecidos para
produção de camisetas e
calças.
QUANTO A EMISSÃO DE GASES ?
 Instalar filtros para evitar emissões
externas; utilizar técnicas de
controle de emissão como, por
exemplo, absorção e depuração
química; instalar e modificar
equipamentos de forma a diminuir o
uso de solventes; substituir os
solventes utilizados por outros
menos tóxicos, especialmente os
clorados; capturar e tratar os gases
emitidos no processo produtivo.
POLUIÇÃO DE SOLOS E ÁGUAS ?
 Utilizar detergentes e surfactantes biodegradáveis;
 instalar equipamento para reduzir o conteúdo de utilizar peróxido de hidrogênio
como agente branqueador, em vez de agentes redutores contendo enxofre e
cloro;
 Possuir estação para o tratamento do resíduos a serem despejados nos
efluentes
QUANTO AOS PRODUTOS QUÍMICOS ?
 Substituir surfactantes químicos perigosos por compostos biodegradáveis que
não gerem metabólitos tóxicos; evitar o uso de solventes clorados e fluoclorados
e de compostos pesados de benzeno.
 Podemos citar como exemplo os métodos químicos de tratamento adsortivo,
 Outro método que pode ser utilizado é o uso de zeólitas sintetizadas no
laboratório para a adsorção de metais pesados nos efluentes via troca iônica.
TENDÊNCIAS: UTILIZE RESÍDUO PARA TRATAR
OUTRO RESÍDUO !!!
A pesquisadora da Unicamp Meuris Gurgel desenvolve projeto piloto que utiliza argila para
remover corantes que sobram dos processos das lavanderias.
Ainda não se sabe a quantidade de retenção desses materiais na argila, mas a
pesquisadora afirma que em outros projetos, ela pôde verificar que a argila tem
capacidade de retenção de até 90% de metais pesados como cádmio, níquel, zinco,
cromo, chumbo e cobre.
Após o tratamento dos efluentes, a idéia é aproveitar a argila na construção civil. A
engenheira esclarece que “há um limite legal aceitável para que o material seja
empregado na fabricação de telhas e não cause danos à saúde”, já que o material
conterá corantes. O aproveitamento da argila no tratamento de efluentes das
indústrias de jeans foi considerada por ser um material residual da extração de gipsita
(gesso), abundante (no Araripe) na região do Araripe (sertão de PE), região vizinha de
Torirama, com reservas estimadas em 1,2 bilhão de toneladas do mineral, que
representa 40% das reservas do mundo.
BIOQUÍMICA EM TRATAMENTOS RESIDUAIS:
A biodegradação faz referência ao processo onde determinado micro-organismo
presente no ambiente, é capaz de converter uma molécula química complexa em
uma molécula mais simples. Essas moléculas são utilizadas por esses micro-
organismos como fonte de carbono, a fim de se obter energia necessária ao seu
crescimento e manutenção do metabolismo
O fungo Trametes villosa SC10, foi coletado em Santa Cruz do Sul, RS- Brasil, isolado
e identificado em um trabalho prévio realizado no LACOURO (Laboratório de
Estudos em Couro e Meio Ambiente) (Ortiz-Monsalve, 2015)
O fungo produz uma enzima chamada lacase que é capaz de descolorir o corante
Acid Blue.
ATIVIDADE ENZIMÁTICA DA LACASE
Os altos valores de atividade enzimática estiveram associados aos melhores valores
de remoção do corante. Vários autores têm associado a descoloração de
corantes industriais à produção de enzimas lacase por fungos do gênero
Trametes.
CONCLUSÃO:
É de extrema importância buscar novas tecnologias de tratamento para poluentes , como
é o caso dos corantes sintéticos e metais pesados, na sociedade moderna. A nível
industrial não há como substituir esses compostos, já que eles são matéria prima
essencial em muitos segmentos, principalmente na indústria têxtil que têm
representativo valor econômico no cenário brasileiro e mundial. O que podemos fazer
é encontrar tratamentos eficientes que sejam capazes de transformar essas
moléculas altamente tóxicas, em moléculas biodegradáveis e sem risco toxicológico
para os organismos a elas expostos. Essa é uma tarefa muito difícil pois as leis
infelizmente não são devidamente aplicadas, mas com investimentos, conscientização
ambiental, e senso de preservação do meio ambiente há como utilizar essas
substâncias de maneira que elas não causem prejuízos a esses ecossistemas.
Entretanto cabe aos donos das empresas visar o lucro sem prejudicar o meio
ambiente e isso, é possível.
“O país não deve parar a indústria, mas buscar o equilíbrio entre o atendimento da
necessidade humana e a preservação ambiental” - Meuris Gurgel Carlos da Silva