Você está na página 1de 37

A partir do século XI, a Europa

feudal começa a mudar; a


MUDANÇAS NA IDADE MÉDIA expansão das áreas de cultivo e
as inovações técnicas contribuíram
para um aumento significativo da
produção de alimentos.
QUAIS AS CONTRIBUIÇÕES DO PERÍODO
MEDIEVAL PARA NOSSA SOCIEDADE?
Você utiliza garfo na sua refeição?
Você pensa em fazer curso universitário?
Já imaginou janelas sem vidros para clarear?
Óculos? Conhece alguém que precise usar óculos?
Pois bem, estas são invenções medievais. O livro, como nós o conhecemos,
também é um exemplo de criação deste período.
INOVAÇÕES TÉCNICAS
As principais inovações técnicas
ocorridas na Europa no século XI
foram:
O uso do arado de ferro,
conhecido como charrua, em lugar
do arado de madeira;
A utilização do cavalo para puxar
o arado e o início do atrelamento
pelo peito do cavalo
CHARRUA (ARADO DE FERRO)
ROTAÇÃO TRIENAL DOS CAMPOS
 O aprimoramento e a difusão dos
moinhos acionados pela força do vento
ou da água contribuíram para aumentar
a velocidade e a qualidade de moagem
do trigo.
 A introdução do sistema de cultura em
três campos (chamado rotação trienal
de cultura). Antes disso era apenas dois
campos (rotação bienal).
MOINHOS D’ÁGUA E DE VENTO
ATRELAMENTO DO CAVALO PELO PEITO E OS
MOINHOS.
CRESCIMENTO Século População da Europa

POPULACIONAL IX 18 Milhões

O aumento da produção de
alimentos colaborou, por um XI 22 Milhões

lado, para grande crescimento


da população e, por outro, para XII 26 Milhões
um revigoramento do comércio e
das cidades, a tabela abaixo
XIII 35 Milhões
dá uma dimensão do
crescimento da população no
período. XIV 55 Milhões
CIDADES CRESCEM ...
 Muitos camponeses deixaram o
campo em busca de outro meio de
vida nas cidades
 os moradores do campo passaram a
trocar sua produção por produtos
feitos nas cidades
 Crescimento do artesanato e o
comércio local
COMÉRCIO DE LONGA DISTÂNCIA
Crescimento do comércio de longa distância a partir do
século XI
Cidades italianas eram o principais polo comercial (Genova
e Veneza) devido ao intercâmbio com o Oriente
Outros polos importantes: Lubeck, no norte da atual da
Alemanha, e Bruges, na atual Bélgica.
COMÉRCIO DE LONGA DISTÂNCIA
ROTAS ...

O comércio entre o sul e o norte da


Europa se fazia por meio de duas
importantes rotas terrestres: uma que
ligava Gênova a Bruges, passando pelas
feiras da região de Champagne, e outra
que ligava Veneza a Hamburgo.
A VIDA NAS CIDADES
MEDIEVAIS
 As feiras medievais duravam
de 15 a 60 dias e aconteciam
uma ou duas vezes por ano,
reunindo mercadores de várias
partes do mundo.
 Nelas era possível ver um
veneziano vendendo
seda chinesa, um inglês
oferecendo lã, um nativo de
Bruges comercializando tecido e
etc.
AS CIDADES VOLTAM A SER IMPORTANTES
Nos primeiros séculos da Idade Média, as cidades eram geralmente pequenas,
como poucos moradores, que viviam, sobretudo, do trabalho no campo. A vida no
campo tinha mais importância do que a vida urbana.
A partir do século XI, no entanto, com o aumento do artesanato e do comércio, as
cidades cresceram e outras surgiram.
 Algumas nasceram ao redor das feiras; outras, às margens de rios, e outras
ainda em torno do castelo de um nobre.
BURGOS
Os comerciantes, banqueiros e
artesãos viviam geralmente
numa área afastada do centro da
cidade, o burgo, e compunham um
grupo chamado de burgueses.
CORPORAÇÕES DE OFÍCIO
Nas cidades medievais, a pessoa só podia
trabalhar se pertencesse a uma
corporação, isto é, a uma associação de
profissionais do mesmo ramo de atividade.
Os artesãos formavam as corporações de
ofícios.
Funções - controlava o preço, a qualidade,
e a quantidade do que ia ser produzido e
estabelecia as regras para o ingresso na
profissão, além de amparar os profissionais
idosos, inválidos e doentes.
LIGA HANSEÁTICA
Os comerciantes também tinham suas corporações, que reuniam
profissionais de diversas cidades da Europa, conhecida como
Ligas, a mais conhecida delas era a Liga Hanseática, que era
muito poderosa, possuía muitos navios e dominava o comércio no
norte da Europa, o objetivo dessa liga era comandar o comércio
em determinada área e evitar a concorrência entre seus membros.
CARTA DE FRANQUIA
As cidades medievais nasceram dentro
das terras da nobreza ou do clero.
Com o passar do tempo, foram
adquirindo, por força das armas ou do
dinheiro, direitos que lhes garantiam
autonomia administrativa e judiciária.
O documento que lhes assegurava essa
autonomia era chamado
de carta de franquia. Essas cidades
eram governadas pelo patriciado
urbano, isto é, as camadas mais altas
de mercadores e artesãos.
AS UNIVERSIDADES
Com esse renascimento das
cidades, favoreceu mudanças na
área do conhecimento e da arte,
como a necessidade de saber ler,
calcular para praticar o comércio,
o clima de maior liberdade nas
cidades, o estreitamento do
contato entre pessoas de diversas
regiões. Tudo isso propiciou o
surgimento de um novo tipo de
escola, favorecendo também o
avanço da ciência e a criação da
universidade.
AS UNIVERSIDADES
O CONTEXTO RELIGIOSO E A POLÍTICA DA IGREJA
A hierarquia, que havia marcado as relações
sociais durante o feudalismo, estendia-se também
para as relações religiosas, ou seja, na relação
entre Deus e os homens havia uma hierarquia: o
homem havia recebido o direito de habitar a
terra como se o planeta fosse um grande feudo;
em troca tinha de jurar fidelidade a Deus
prestando-lhe fidelidade e prestar-lhe serviço
militar.
Era como funcionava a relação entre um suserano
e um vassalo.
AS CRUZADAS
Em 1095, o papa Urbano II convocou os cristãos para uma guerra contra os “infiéis”,
a fim de reconquistar a Terra Santa que estava sob o poder dos muçulmanos.
reuniram milhares de pessoas, homens, mulheres, crianças, mendigos, nobres,
camponeses, ricos, civis e religiosos.
Elas tinham como função conquistar novos fiéis e territórios para o ocidente, foi
também chamada de Guerra Santa.
O termo Cruzada não era conhecido na época em que ocorreram. Só foi assim
nomeado porque seus participantes se consideravam soldados de Cristo e se
distinguiam pela cruz em suas roupas.
AS CRUZADAS - MOTIVOS
RELIGIOSOS
o exército de "vassalos" cristãos deveria lutar pelo seu "suserano", que era
Deus. Eis as origens da ideia de guerra santa
O guerreiro era recompensados com a indulgência ( perdão dos pecados
),bem como sua esposa, caso lhe permanecesse fiel.
ECONÔMICOS
 Os nobres visavam expandir seus domínios conquistando territórios e
riquezas no Oriente
SOCIAIS
 a Igreja buscava com as Cruzadas, concentrar o ímpeto guerreiro da
nobreza contra um inimigo em comum: os MUÇULMANOS.
JERUSALÉM, UMA CIDADE DISPUTADA.
AS CRUZADAS: EXPEDIÇÕES MILITARES QUE PARTIRAM
DA EUROPA, ENTRE OS SÉCULOS XI E XIII, A FIM DE
COMBATER OS MUÇULMANOS NO ORIENTE.
REFLEXÃO!
CONSEQUÊNCIAS
As Cruzadas foram um fracasso em seu objetivo de conquistar a Terra Santa para os
cristãos. Custaram muito caro para a nobreza europeia e resultaram em milhares de mortes.
No entanto, essas expedições influenciaram grandes transformações no mundo medieval:
Elas causaram o enfraquecimento da aristocracia feudal
 fortaleceram o poder real
possibilitaram a expansão do mercado. O Mar Mediterrâneo volta a ser a principal rota
de comércio da Europa.
A civilização oriental contribuiu muito para o enriquecimento cultural europeu, promovendo
desenvolvimento intelectual.
Nunca mais Jerusalém foi dominada pelos cristãos, mas as movimentações ocorridas no
trajeto para a Terra Santa expandiram os relacionamentos com o mundo conhecido na
época.
DOENÇAS, FOME E
REVOLTAS
A PESTE ERA PROVOCADA POR UMA BACTÉRIA TRANSMITIDA POR PULGAS QUE PICAVAM OS RATOS
E, DEPOIS, OS SERES HUMANOS. CALCULA-SE QUE A GRANDE PESTE MATOU CERCE DE UM TERÇO
DA POPULAÇÃO EUROPEIA.
REVOLTA DE CAMPONESES
Com as mortes provocadas pela fome, pela peste e pela Guerra dos
Cem anos (Guerra entre 1337 e 1453 deflagrada pela Inglaterra e
França) começou a faltar mão de obra nos campos, o que levou à
diminuição da produção agrícola, acarretando prejuízo para a
nobreza. Para compensar suas perdas, a nobreza aumentou o controle
sob os camponeses e os tributos pagos por eles.
Os camponeses, por sua vez, reagiam incendiando colheitas, fugindo e
promovendo revoltas. Exemplos dessa importantes revoltas ocorreram
na França em 1358 e na Inglaterra em 1381.
JACQUERIE
Na França essas revoltas eram
conhecidas como Jacquerie, nome
pejorativo que a nobreza dava
aos camponeses, que começaram
nos arredores de Paris e no
interior na França, ao mesmo
tempo. Os cem mil camponeses
que delas participaram
incendiaram castelos e mataram
muitos nobres. Estes reagiram e,
de posse de melhores armas e de
treinamento militar, sufocaram a
revolta, massacrando os rebeldes.
WATT TYLER
Na Inglaterra, a revolta foi liderada por Watt Tyler, cerca de dez mil
camponeses ingleses se dirigiam a Londres e exigiram do rei de seu
país, Ricardo II, o fim da servidão e a diminuição dos impostos pagos
por eles. Na presença dos rebeldes, o rei concordou, mas em seguida,
voltou atrás e se uniu aos nobres, arrasando as aldeias camponesas
sublevadas.

Embora tenham sido massacradas pelos exércitos do rei e da nobreza,


essas revoltas contribuíram para o enfraquecimento do feudalismo na
Europa.
QUEDA DE CONSTANTINOPLA EM 29 DE MARÇO
DE 1453, MARCO DO FIM DA IDADE MÉDIA.

Você também pode gostar