Você está na página 1de 37

Alunos: Bianca Stéfani Arantes Leite

João Vitor Lima Magalhães


Leonardo Carrijo Piau
Natália Monte Negro dos Santos Jacobi
Rainer Henrique Silva Teixeira
Introdução
• Problema de insetos (pragas) na agricultura;
• Final do séc. XIX – o Verde Paris, e o início do uso
oficial de pesticidas;
• Método de controle autocida (criado em 1937 com
aplicação bem sucedida em 1955-Edward Fred
Kniplink).

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/
commons/thumb/7/72/EdwardF.Kniplin http://periodictable.com/Samples/03
gEntomologist.jpg/220px- 3.10/s13.JPG
EdwardF.KniplingEntomologist.jpg
• Tem como objetivo reduzir o potencial reprodutivo
de determinada praga;
• Método realizado com indivíduos de mesma
espécie;
• A esterilização química e física é um dos
métodos mais utilizados nesse tipo de controle
biológico;
• Grandes quantidades de machos da espécie 
esterilização  liberação em zonas infestadas por
sua espécie  não irá produzir descendência 
população da praga diminui.
Esterilização Química
• Impedem a formação de óvulos e
espermatozóides;
• Mata células reprodutoras após formação;
• Danifica o material genético das células;
• Capacidade de atingir 100% de controle;
• Testes realizados com Anthonomus
grandis (Afolato) e Anastrepha ludens
(Tepa 5%);
• Na prática é pouco usado.
Principais substâncias
quimioesterilizantes

• Alquilantes (Tepa e Afolato);


• Bussulfan;
• Antimetabólicos;
• Triazinas (Hemel);
• Uréias (Tiouréia de Etileno);
Esterilização Física
• Método realizado através de radiação ionizante;
• Para esterilização a modo de pesquisa é
empregada as seguintes formas:
-Em forma de energia, produzida pelos raios x e
gama;
-Em forma de partículas, produzidas pelos raios
alfa, beta, neutrôns acelerados e elétrons
acelerados.
• Em 1916, utilizou-se raio x em Lasioderma
serricorne, onde gerou-se ovos inférteis.

Fonte: http://barry.fotopage.ru/gallery/show_image.php?imageid=25316
Radiações ionizantes
• Podem ser empregadas de duas
formas:
-Esterilização total;
-Técnica do Inseto Estéril.
• Desvantagens:
-Aplicação reduzida somente a algumas
espécies;
-Método dispendioso;
-Método contínuo, exigindo sempre
grandes quantidades de machos.
Exemplos de erradicação por
esterilização
• Mosca do mediterrâneo (Ceratitis capitata)
– Havaí;
• Traça da maçã (Cydia pomonella) –
Canadá;
• Praga de raízes (Melolontha vulgaris) –
Suíca;
• Mosca oriental (Dacus dorsalis) – Ilha de
Guam;
• Mosca do melão (Dacus curcubitae) – Ilha
de Rota.
Estudos realizados no Brasil
• Zabrotes subfasciatus;
• Ceratitis capitata;
• Diatraea saccharalis;
• Planococcus citri;
• Anastrepha fraterculus;
• Tribolium castaneum.

Fonte: https://analarcher.files.wordpress.com/2007/10/naturlink2.jpg
Técnica do Inseto Estéril:
• Estratégia de controle biológico na
Convenção Internacional de proteção de
plantas.Sendo incorporada aos
programas de Manejo Integrado de
Pragas;

• Promoveu a ampliação e
desenvolvimento da biologia e
nutrição.Está técnica foi a primeira a ser
empregada para o controle de insetos.
Técnica do Inseto Estéril:
• O Entomologista Edward F. Kniplink
idealizou essa técnica em 1937 para o
controle da mosca varejeira no sudeste
dos Estados Unidos;

• Em 1955 o conceito de liberação de


insetos estéreis para o seu próprio
controle como pragas agrícolas,também
conhecido como AUTO – CIDA.
Técnica do Inseto Estéril:
• Inundativo visando reduzir a população
de insetos;

• O inseto estéril e incapaz de produzir


proles viáveis, está técnica utiliza
quimioesterilizantes ,por devida a
resistência que pode surgir em insetos
tratados.
Técnica do Inseto Estéril:

•Mas por este modo,oferecer problemas


tóxicos aos organismos e ao meio
ambiente,estão usando atualmente o modo
por Radiação ionizante;

•As pulpas são induzidas a raios


.
gama,danificando os cromossomos presentes
no esperma do macho,a divisão celular e
interrompida e o embrião morre.
Técnica do Inseto Estéril:
• Estes machos são liberados por meio
aéreos,e em grande quantidade, para
que aja uma competição.
Técnica do Inseto Estéril:

Fonte: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CPATSA/36843/1/OPB1625.pdf
Requisitos para implantação da TIE
I. Técnicas para criação de milhões de
insetos economicamente viáveis;

II. Os insetos estéreis devem ser de rápida


dispersão;

III. A irradiação deve produzir a esterilidade


sem afetar o comportamento do inseto;
Requisitos para implantação da TIE

IV.As
fêmeas devem se acasalar apenas uma
vez;

V.Oinseto a ser controlado, em alguma fase


do seu ciclo, deve apresentar baixa
população.
Princípios matemáticos da TIE

 Segundo Knipling (1964), quando não tem


práticas de controle, o crescimento
populacional da maioria das pragas aumenta
cinco vezes por geração.
Princípios matemáticos da TIE

 Introduzindo insetos estéreis na população


selvagem na proporção 2:1 causaria apenas
uma redução na taxa de crescimento.

 Liberando sistematicamente insetos estéreis no


mesmo ecossistema (proporção 9:1), após
cinco gerações, a população nativa seria
erradicada.
Tendência de uma população de
insetos submetidos a liberação do
inseto estéril

MOSCAMED - Brasil
Aplicações da TIE

 Em 1952-1953, nas Ilhas de Sanibel e Captva,


no Golfo do México, no estado da Flórida;

 Implantação da técnica com intuito de reduzir a


população nativa da mosca varejeira.
Aplicações da TIE

 Após oito semanas de liberações (40 machos


por km²), a população nativa foi erradicada.

 Devido à proximidade das ilhas ao continente,


após três meses ocorreu uma reinfestação
(BAUMHOVER et al., 1955; WALDER, 2000;
DYCK et al., 2005).
Aplicações da TIE

 Na África, a Agência Internacional de Energia


Atômica.

 Programa de erradicação da mosca do sono


(tsé-tsé "Glossina" spp.).

 Transmite protozoários do gênero


"Trypanosoma" a humanos e animais
(KLASSEN; CURTIS, 2005).
Fonte: MOSCAMED - Brasil
Aplicações e benefícios da Técnica do
Inseto Estéril no controle da mosca-das-
frutas

 Moscas-das-frutas: grande importância


econômica e facilidade de criação massal.

 Programas de TIE:
 Estabelecimento de colônias e criação
massal seguidos de esterilização, transporte
e liberação na população-alvo.
Aplicações e benefícios da Técnica do
Inseto Estéril no controle da mosca-das-
frutas
•Programas que integram a TIE no controle de
mosca-das-frutas são agrupados em:

•Erradicação;

•Supressão;

•Contenção.
Aplicações e benefícios da Técnica do
Inseto Estéril no controle da mosca-das-
frutas

•Teste realizado em 1960: machos e fêmeas estéreis


(Ceratitis capitata). → apenas supressão (migração)
•Década de 80: linhagem mutante → fêmeas = pupas
brancas;
•Década de 90: mutação nas pupas brancas →
sensibilidade letal à temperatura de 34ºC por 24
horas;
•Menor custo de produção.
Aplicações e benefícios da Técnica do
Inseto Estéril no controle da mosca-das-
frutas

Pupas de Ceratitis capitata. (Foto: Adalton Raga)


Aplicações e benefícios da Técnica do
Inseto Estéril no controle da mosca-das-
frutas
 Programa Moscamed (1976): criado para estabelecer uma
barreira de contenção entre Guatemala e México;

 1982: erradicação da população de mosca-das-frutas a


nível continental, mantendo barreira de contenção;

 Maior fábrica de mosca-do-mediterrâneo no mundo


(Tapachula, México) – atualmente, unidade da Guatemala;

 Utilização de outros métodos de controle (inseticida,


destruição de frutos infestados, armadilhas, etc.).
Aplicações e benefícios da Técnica do
Inseto Estéril no controle da mosca-das-
frutas

 Japão: erradicação da mosca-do-melão


(Bactrocera cucurbitae Coquillett) pela
aplicação da TIE;

 Chile, 1995: C. Capitata declarada


erradicada da região. Relação
benefício/custo em torno de 17/1 (são gastos
por ano cerca de US$ 4 milhões para manter
o país livre).
Técnica do Inseto Estéril no Brasil
 2005: implantação da Moscamed em Juazeiro,
BA – localização estratégica (95% exportações
de manga e uva) ;

 2012: produção e liberação de mosquitos Aedes


aegypti estéreis em áreas teste;

 2015: preocupação em fornecer frutos sadios e


garantir segurança quarentenária aos países
importadores.
Técnica do Inseto Estéril no Brasil

 A TIE é pouco explorada no Brasil.

 Resultado não imediato.

 Incentivo: sucesso da técnica em todo o


mundo.
Vantagens da TIE

 Ambientalmente segura;

 Especificidade: dirigida a uma única espécie


(não produz efeito em organismos
benéficos);

 Compatível com outros métodos de controle;


Vantagens da TIE

 Atua em baixa densidade populacional da


praga;

 Efetivo controle de área-ampla;

 Mais econômico –> TIE + CB = 2,16 dólares/ha


e Convencional = 30,80 dólares/ha (Knipling,
1992).
Desvantagens da TIE

 Alto custo inicial (planta);

 Treinamento de alto nível ao pessoal de


produção e liberação.
Referências:
 TÉCNICA DO INSETO ESTÉRIL: Tecnologia ambientalmente segura no combate às pragas.
EMBRAPA. Disponível
em:</https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CPATSA/36843/1/OPB1625.pdf/> Acesso em: 10
mar. 2017

 TÉCNICA DO INSETO ESTÉRIL: A Experiência da Moscamed Brasil. MOSCAMED. Disponível em:


</http://api.ning.com/files/FahG5jLcUUQ-vDMRxA-
rLRdNo*PNNM5MhWvn6dwYNghiIWy9ydcMiHDMyFapVAMc-18RxnaJ8LlJEH-FhmOJ2nHYdxpD-
gzW/ApresentaoMOSCAMED.pdf/> Acesso em: 10 mar. 2017

 MÉTODOS DE CONTROLE. DocSlide. Disponível em: </http://docslide.com.br/documents/aula-14-


metodos-de-controle-de-pragas-1a-parte-alunos.html#/> Acesso: 10 mar. 2017

 GALLO, Domingos at al. Entomologia Agrícola. Piracicaba, SP: FEALQ, 2002. 10 v.

 Controle por esterilização ou autocida. Disponível em:


http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfc5gAK/controle-por-esterilizacao-autocida. Acesso 04 de
março. 2017.

 IMPERATO, Renata; RAGA, Adalton. Técnica do inseto estéril. Campinas: Apta, 2015. 16 p.
Disponível em: <http://www.biologico.agricultura.sp.gov.br/docs/dt/DT_tecnica_inseto_esteril.pdf>.
Acesso em: 18 mar. 2017.
Obrigado!

Fonte: http://www.diptera.info/forum/attachments/ceratitis_capitata_2-2.jpg