Você está na página 1de 28

CONTAS NACIONAIS

AULA 15 – BALANÇO DE
PAGAMENTOS
Prof. Fernando Pozzobon
fernando.esag@gmail.com
 http://www.bcb.gov.br/?ecoimpext
 http://www.bcb.gov.br/sddsp/balpagam_p.htm

 http://www.bcb.gov.br/pec/notastecnicas/port/200
1nt01bpm5p.pdf
BALANÇO DE PAGAMENTOS

 Perspectiva contábil: balanço de


pagamentos é um registro das transações
de um país com o mundo exterior.

 Perspectiva econômica: balanço de


pagamentos é o resultado síntese do
funcionamento global da economia
nacional.
DEFINIÇÕES IMPORTANTES
 O Balanço de Pagamentos registra todas as
transações entre RESIDENTES e NÃO-
RESIDENTES de um país num determinado
período de tempo.
 Definem-se como residentes de um país todas as
pessoas, físicas ou jurídicas, que tenham esse
país como seu principal centro de interesse.

Todas as pessoas, físicas ou jurídicas, que tenham


esse país como seu principal centro de interesse, ou
Residentes seja, pessoas que moram permanentemente no país
(mesmo que nascidas em outros países), aquelas que
moram no país mas estão temporariamente em
outros países, empresas sediadas no país, etc...
IMPORTÂNCIA DAS RELAÇÕES COM O MUNDO
 Sabe-se que o desempenho econômico de um país
é fortemente relacionado ao desempenho do setor
externo e do balanço de pagamentos.

 O crescimento da economia se expressa através


da expansão da produção e da renda nacionais,
mas a expansão da oferta pode ser restringida
pela incapacidade de o país expandir suas
importações (principalmente de matérias primas
e de capital – maquinaria) e exportações (vender
lá fora o que o mercado local não absorve).
COMO JÁ SABEMOS...
 Os registros de um Balanço de Pagamentos são
realizados com base no princípio contábil das
partidas dobradas e portanto, do ponto de vista
contábil, o BP está sempre equilibrado.

 Trabalharemos com 2 tipos de contas:


 Contas operacionais: correspondem às transações
geradoras de pagamentos e recebimentos.

 Contas de caixa: registram o movimento dos


meios de pagamentos internacionais à disposição
do país.
ESTRUTURA BÁSICA
 O Balanço de Pagamentos é um conjunto de contas
agregadas.
 A estrutura geral apresenta 3 contas:
 Conta Corrente: exibe todos os fluxos que afetam
diretamente a renda nacional presente. Registra o comércio
de bens e serviços, pagamentos e recebimentos de rendas de
capital e trabalho e as transferências unilaterais de renda
entre o país e o resto do mundo.
 Conta de Capital e Conta Financeira: registra os fluxos
de todos os ativos internacionais que irão afetar a renda
nacional futura. O primeiro registra transferências
unilaterais de ativos reais, financeiros entre residentes e
não residentes. O segundo registra todos os tipos de fluxos
de capitais entre o país e o resto do mundo.
ASSIM...
 Inexistindo Erros e Omissões:

Conta Corrente
(+)
Conta de Capital
(+)
Conta Financeira
---------------------------------------------
( = ) Saldo do Balanço de Pagamentos

O país acumula reservas internacionais quando os


recebimentos do exterior superam os pagamentos
para o exterior e vice-versa.
ERROS E OMISSÕES
 Como, na prática, nem todas as transações entre
residentes e não residentes são devidamente
registradas, é normal que existam discrepâncias
entre a soma das contas correntes, capital e
financeira de um lado e a variação das reservas
monetárias do outro.
 Por isso, existe uma quarta conta, chamada de
Erros e Omissões que correspondem às
transações que não foram registradas mas que
acarretam uma variação das reservas
internacionais do país.
 É um valor de chegada, ou seja, ele é calculado
justamente para tornar nula, no balanço de
pagamentos, a somatória de débitos e créditos.
HAVERES DA AUTORIDADE MONETÁRIA
 A ultima conta, para “zerar” o sistema, é de haveres da
autoridade monetária.
 Um saldo negativo dessa conta representa um aumento nas
reservas internacionais do país e um saldo positivo,
representa uma queda nas reservas internacionais.
 Sendo BP o saldo do balanço de pagamentos e R o valor
resultante da variação de reservas, temos que:

BP = - R
Ou
BP + R = 0

Ou seja, um BP positivo implica em um R negativo.


 http://www.fazenda.gov.br/spe/novo_site/home/set
or_externo.html
NO BRASIL...
CONTA CORRENTE
 Apresenta 4 sub contas: balança comercial, balanço de
serviços, balanço de rendas e balanço de transferências
unilaterais de renda.
BALANÇA COMERCIAL
 O Balança Comercial diz respeito ao intercâmbio de bens
tangíveis, que são as exportações e importações de
mercadorias.
 As transações com mercadorias são geralmente
contabilizadas pelo seu valor de mercado no local de
embarque, excluindo o valor dos fretes, das taxas portuárias,
do seguro e das corretagens.
Daí a diferença entre Free on Board (FOB) X Cost, Insurance
and Freight (CIF).
 Basicamente, esta conta divide-se em Importações e
Exportações. Seu saldo é dado pela diferença entre
exportações e importações.
 Quando se tem dados, pode-se subdividir em bens de
consumo duráveis, não duráveis, intermediários, de capital,
combustíveis, etc.
BALANÇO DE SERVIÇOS
 Registram as receitas e pagamentos relativos à
prestação de serviços, em transações entre
residentes e não residentes. No Brasil...
BALANÇO DE RENDAS
 O Balanço de Rendas registra as rendas de capital e trabalho.
Relata, em sua quase totalidade, as remessas de renda de
capitais estrangeiros e as receitas auferidas pelos capitais
nacionais no exterior.
TRANSFERÊNCIAS UNILATERAIS DE RENDA
 Correspondem as receitas ou despesas (tanto em moeda
quanto em bens) que não têm como contrapartida a
aquisição de um bem, prestação de serviços ou utilização
de fatores de produção.
 Nas Transferências Unilaterais Correntes destacam-se:
recursos destinados a reparações de guerra, transferências
de legados e heranças, donativos privados, doações,
pagamentos de pensões a cidadãos nacionais residindo no
exterior, e remessas enviadas por imigrantes que
trabalham no exterior.
SALDO DA CONTA CORRENTE
 Somando-se os saldos da balança comercial,
balança de serviços e rendas e transferências
unilaterais, obtemos o chamado saldo do
balanço de pagamentos em transações
correntes, ou saldo em conta corrente.

 Este saldo contém um significado muito


importante ao país:
 Se o país envia mais recursos do que recebe
nessas contas, temos um déficit em transações
correntes.
BALANÇO DE CAPITAL E FINANCEIRO
 Conta de Capital registra as transferências
unilaterais de ativos reais, financeiros e intangíveis.
A principal diferença entre ela e as transferências
unilaterais é que as transferências de capital
envolvem direitos de propriedade sobre ativos ao
invés de renda. Envolve a transferência de
patrimônio de migrantes internacionais.
 Conta Financeira registra os fluxos de capital.
Fluxos decorrentes de transações internacionais com
ativos e passivos financeiros entre residentes e não
residentes.
Abrange quatro grupos principais de fluxos:
1. Investimento Direto.
2. Investimento em Carteira.
3. Derivativos financeiros.
4. Outros Investimentos.
CONTA DE CAPITAL E FINANCEIRA
DESAGREGANDO UM POUCO...
 Conta Financeira: Investimentos Diretos
 São investimentos de longo prazo, considera-se
um investimento estrangeiro como investimento
direto quando o investidor detém 10% ou mais
das ações ordinárias ou do direito de voto de uma
empresa.
 No cálculo do IED tem-se, portanto, os aportes de
capital pelo investidor direto (compra de ações ou
quotas, aumento de capital, criação de empresas),
empréstimos líquidos (incluindo empréstimos de
curto prazo e adiantamentos da matriz à filial) e
lucros reinvestidos.
 Greenfield (novos) x Brownfield (já existentes)
 Conta Financeira: Investimentos Indireto
 Um investimento estrangeiro inferior a 10% será
contabilizado como investimento de portfólio. Não tem
necessariamente um caráter de longo prazo.
 Dificilmente contribui para o aumento da planta produtiva do
país.
 Conta Financeira: Derivativos
 É uma conta recentemente incluída nas contas. São contratos
financeiros cujo valor deriva do preço de outros ativos ou
índices (ex: contratos em dólar futuro).
 Como seus valores flutuam, não há renda associada a este tipo
de contrato. Os ganhos ou perdas de capital dos detentores
vem justamente das variações.
 Conta Financeira: Outros Investimentos
 É uma conta residual que registram os valores que não se
enquadram em nenhuma das categorias anteriores.
 Ex: créditos comerciais, empréstimos, moeda e depósitos, etc.
A CONTABILIDADE DO BP
 Natureza dos lançamentos no balanço de
pagamentos:

 Balança Comercial
 Exportações: crédito
 Importações: débito

 Balança de Serviços
 Operação dá origem a entrada de recursos: crédito
 Operação dá origem a saída de recursos: débito
A CONTABILIDADE DO BP
 Transferências Unilaterais
 Operação dá origem a entrada de recursos e merc.: crédito
 Operação dá origem a saída de recursos e merc.: débito

 Movimento de Capitais
 Operação dá origem a entrada de recursos: crédito
 Operação dá origem a saída de recursos: débito

 Variação de Reservas
 Redução das reservas: crédito
 Acréscimo das reservas: débito
A CONTABILIDADE DO BP
 Duas operações merecem comentários adicionais: (1)
 Na operação lucros reinvestidos, o lançamento é
feito a débito na conta rendas de capital. Contudo,
como tal operação não gerou saída de divisas, a conta
a ser creditada não pode ser a conta variação de
reservas. A conta que então é creditada é a conta
reinvestimentos.

  Como de fato a movimentação de divisas não existe


nesse caso, simplesmente debita-se a conta rendas de capital e,
em vez de se creditar a conta investimentos, dá-se um
destaque ao fato de se tratar de recursos reinvestidos pelo
capital estrangeiro no país e credita-se então a conta
reinvestimentos.

A CONTABILIDADE DO BP
 Duas operações merecem comentários adicionais: (2)
 Nas transações unilaterais, apesar do termo
unilateral, tais operações devem respeitar o método
das partidas dobradas. Se tal operação resultou em
entrada de divisas, deve ser feito um lançamento a
débito na conta variação de reservas. Mas qual conta
deverá ser creditada? Justamente, a conta
transferência unilateral.

  Num caso onde ocorra um terremoto ou qualquer tipo


de catástrofe natural, e em função disso tenha recebido ajuda
em bens do exterior, o débito deve ser feito na conta
importações.

AGORA É COM VOCÊS...
EXEMPLOS DE REGISTRO CONTÁBIL
 Refazer os exemplos de:
 PAULANI(2007) pg 145-148

 FEIJÓ(2007) pg 143-145
ARTIGO: ESTUDO DE CASO
 Os alunos serão divididos em grupos de 4 alunos.
 Cada grupo deverá elaborar um artigo nos padrões
metodológicos da UDESC sobre uma das contas do
Balanço de Pagamentos que será sorteado na aula.
 Cada grupo deverá entregar uma versão preliminar no
dia 07 de maio (valendo 50% da nota do artigo).
 Os temas a serem sorteados são: importações,
exportações, investimentos brasileiros diretos,
investimentos estrangeiros diretos.
 O artigo deve conter de 10 a 15 páginas (não contando os
elementos pós-textuais) com informações sobre a conta,
evolução histórica recente (para dados mensais, pelo
menos a última década, para dados anuais as duas
últimas décadas), principais parceiros do Brasil,
principais setores, característica e análise geral.