Você está na página 1de 44

Doutrina G01322 διδαχη didache

1) Ensino 1a) aquilo que é ensinado 1b) doutrina, ensino a respeito de algo
Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal
pedra da esquina; No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor.
No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito.
Efésios 2:20-22
Fundamento G02310 θεμελιος themelios ou θεμελιον themelion
1) assentado como fundamento, fundamento (de uma construção, parede, cidade)
2) metáf. fundamentos, bases, princípios básicos

Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis
com ele, para que se envergonhe.
2 Tessalonicenses 3:14

G01992 επιστολη epistole


de 1989; TDNT - 7:593,1074; n f
1) carta, epístola
É necessário, pois, que, dos homens que conviveram conosco todo o tempo em que o Senhor Jesus entrou
e saiu dentre nós, Começando desde o batismo de João até ao dia em que de entre nós foi recebido em
cima, um deles se faça conosco testemunha da sua ressurreição. E apresentaram dois: José, chamado
Barsabás, que tinha por sobrenome o Justo, e Matias. E, orando, disseram: Tu, Senhor, conhecedor dos
corações de todos, mostra qual destes dois tens escolhido, Para que tome parte neste ministério e
apostolado, de que Judas se desviou, para ir para o seu próprio lugar. E, lançando-lhes sortes, caiu a sorte
sobre Matias. E por voto comum foi contado com os onze apóstolos. Atos 1:21-26

Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal
pedra da esquina; Efésios 2:20
E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.
Apocalipse 21:14

Porque convosco falo, gentios, que, enquanto for apóstolo dos gentios, exalto o meu ministério;
Romanos 11:13

G0652 αποστολος apostolos


de 649; TDNT - 1:407,67; n m
1) mensageiro, alguém enviado com ordens
1a) especificamente aplicado aos doze apóstolos de Cristo
A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o
homem emprega força para entrar nele.
Lucas 16:16
Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.
Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til
jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido. Mateus 5:17,18

Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade


Hebreus 7:18

Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.
Romanos 3:31

Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê. Romanos 10:4

E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha
que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e
nos Salmos. Lucas 24:44
Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no
meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. 1 Coríntios 11:25

Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade


Hebreus 7:18

Novo καινος kainos


1) novo
1a) com respeito à forma
1a1) recentemente feito, fresco, recente, não usado, não surrado

Testamento διαθηκη diatheke


1) disposição; arranjo de qualquer natureza que se espera que seja válido, última disposição que
alguém faz de suas posses terrenas depois de sua morte, testamento ou vontade
2) pacto, acordo, testamento

Precedente αθετησις athetesis


1) abolição, anulamento, remoção, rejeição

Mandamento εντολη entole


1) ordem, comando, dever, preceito, injunção
2) mandamento
Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo
testamento diatheke no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de
mim. 1 Coríntios 11:25

Testamento διαθηκη diatheke


1) disposição; arranjo de qualquer natureza que se espera que seja válido, última
disposição que alguém faz de suas posses terrenas depois de sua morte, testamento ou
vontade
2) pacto, acordo, testamento

Novo G02537 καινος kainos


1) novo
1a) com respeito à forma
1a1) recentemente feito, fresco, recente, não usado, não surrado
Carta: vem do Latim charta , “folha para escrita, tablete”, do Grego khartes, “folha de
papiro”.
Epistola: nem todos sabem, mas é sinônimo exato de carta. Vem do Latim epistola e
Grego epistola, “carta, mensagem”, do verbo epistellein,”mandar, enviar”, formado por
epi–, “a, para”, mais stellein, “enviar”.
Diferença Carta X Epistola
O N. T., a forma literária dominante é a carta ou epístola.
Tecnicamente, carta é uma forma de comunicação menos literária e
mais pessoal, cuja finalidade é manter o relacionamento entre o
remetente e o destinátario. Surge sempre de uma situação
determinada e fala para um realidade específica. Uma epístola é mais
artística na forma e é projetada como um tratato auto-explicado para
um público bem extenso. Contudo, a distinção entre ambas pode ser
de forma obscura. Os escritos de Paulo parecem coloca-se entre as
duas formas. Asemelha-se a uma carta em Filemon e, em Romanos, a
uma epístola. Hoje em dia, as cartas possuem forma literária particular
(data, endereço, saudação, contexto, conclusão e nome).
Os livros aceitos por todos — homologoumena
Como o Antigo Testamento, a maioria dos livros
do Novo foi aceita pela igreja logo de início, sem
objeções. Tais livros foram chamados
homologoumena, porque todos os pais da igreja
se pronunciaram favoravelmente pela sua
canonicidade. Os homologoumena aparecem em
quase todas as principais traduções e cânones da
igreja primitiva. Em geral, 20 dos 27 livros do
Novo Testamento são homologoumena. Incluem-
se todos menos Hebreus, Tiago, 2Pedro, 2 e
3João, Judas e Apocalipse. Outros três livros,
Filemom, 1Pedro e 1João, às vezes ficam fora do
reconhecimento. No entanto, é melhor dizer que
foram omitidos, não questionados. Como os
livros chamados homologoumena foram aceitos
por todos, voltaremos nossa atenção para outros
grupos de livros.
Introdução

Os livros do NT, foram escritos em diferentes gêneros literários, dos quais 75% são
Epístolas (21/27). É uma nova forma literária em relação à literatura da AT. Nos livros do
antigo cânon, acha-se que Deus fala e se dirige ao povo através do profeta (Torah e
Neviim), em um tom mais autoritário. Por outro lado, a linguagem epistolar contém um
gênero, mais rebuscado, as cartas são escritas com a intenção de encorajar, repreender ou
instruir, mas acima de tudo ensinar. Os escritos neotestamentários são redigidos em um
tempo muito mais limitado que os do AT. Seu gênero literário é análogo aos escritos do
primeiro século dC. As epístolas são, em muitos casos, a resposta a perguntas feitas por
uma comunidade, pedindo direcionamento ao autor inspirado (apóstolo). Em muitos
casos, essas perguntas podem ser ouvidas no desenvolvimento do livro (carta). Essas
cartas foram escritas para responder, encorajar, exortar, repreender, ensinar, informar as
comunidades-alvo.
Introdução
AS CARTAS DE PAULO são claramente distintas tanto do gênero
narrativo dos Evangelhos e de Atos quanto do gênero profético-
apocalíptico de Apocalipse. Elas compartilham seu gênero epistolar
com as Cartas Gerais, mas foram escritas por um único autor e têm
mais em comum umas com as outras do que com as cartas escritas
por Tiago, Pedro, João, Judas e o autor desconhecido de Hebreus. O
número de cartas atribuídas a Paulo provê um banco de dados
importante que tem atraído diversos estudiosos, incluindo aqueles
que procuram analisar seu gênero literário.
Introdução

O livro dos Atos dos Apóstolos deve ser considerado como um livro histórico; as Epístolas,
em si mesmas, não podem ser consideradas como livros históricos, embora seja certo que
nasceram em um marco histórico concreto (social, político, religioso, filosófico ...). As
epístolas foram dirigidas, a princípio, a crentes que viviam em um contexto concreto. Para
entender cada um deles, devemos conhecer o contexto histórico-teológico que os
sustenta. A fim de compreender este contexto, devemos situar a cronologia que emerge
do livro dos Atos dos Apóstolos, como a referência bíblico-histórica do início e
desenvolvimento do cristianismo primitivo. O objetivo de Lucas, ao escrever seu duplo
trabalho, era fornecer um relato coordenado das origens do cristianismo. Do ponto de
vista científico, essa abordagem das epístolas é chamada de aproximação diacrônica.

Diacrônica. Que estuda ou entende uma situação, ou reunião de fatos, de acordo com a
sua evolução no tempo.
CRITÍCA TEXTUAL
A CRITÍCA TEXTUAL estuda as seguintes áreas:
Seção Propedêutica (a reunião dos preceitos, dos conhecimentos
preliminares e básicos de uma disciplina).
a) A língua em que foram escritas.
b) A história por trás da escrita.
c) paternidade literária.
d) A data aproximada da escrita.
e) A situação histórica e os problemas contemporâneos a que o autor
inspirado se refere, como porta-voz de Deus.
f) O texto original, com o estudo das diferentes variantes encontradas nos
manuscritos.
A língua em que foram
escritas
A proposta Causa do Novo Testamento (Processo de comunicação entre Deus
e o homem) Grego Koiné Epistolar Limitação do canônico e do não canônico.
Linguagem da escrita O AT já foi deixado para trás, o que foi escrito em
hebraico, principalmente e em aramaico no resto, as duas línguas de origem
semítica. Agora o NT será escrito em outra língua identificada como: Koiné, o
termo significa grego comum, fazendo referência à proposta pessoal do
processo de escrita dos livros do NT.

Introdução Crítica às Epístolas de Paulo A língua grega do período helenístico, na qual tanto a
versão da LXX como o Novo Testamento foram escritos. A linguagem escolhida por Inspiration
é um dos testes que confirmam o contexto bíblico da época: o Novo Testamento e a LXX
compartilham o mesmo idioma. O conjunto de epístolas
A língua em que foram
escritas
Ele é o autor mais helenizado dos judeus de Alexandria, e sua obra pertence mais à
literatura grega do que à literatura judaica. Platão fez o mesmo com ele como o AT.
Tente conciliar essas duas obras através da aplicação da exegese alegórica.Os escritos
em mosaico, para Philón, são alegóricos. Este método não era o dos rabinos, que
estavam ligados ao significado literal do texto. O método filoniano se desenvolve e
identifica por uma clara influência grega. Os textos de Philon são admitidos muito
bem centros pagãos que não são rejeitados pelos textos rígidos da Bíblia. VII.
Conclusão Sem dúvida, a obra de escrita de Paulo é a mais importante e prolífica do
NT, as Epístolas de sua autoria formam um importante conjunto de livros inspirados
que desempenharam um papel importante na difusão e consolidação da Igreja Cristã
Primitiva. As Epístolas de Paulo são parte do plano de Deus na formação do Povo da
Nova Aliança.
O Apostolo Paulo e seu uso da filosofia grega
Paulo esta citando Epimênides em: Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos
Atos 17:28.
Ele cita Menandro, autor de peças teatrais, em: As más conversações corrompem os bons costumes.
1 Coríntios 15:33
Quando Aristóteles diz que “Contra tal não há lei, pois eles mesmos são a lei”, Paulo concorda
quando diz: Contra estas coisas não há lei.
Gálatas 5:23.
Sócrates: Conhece-te a si mesmo
Paulo: Examine-se, pois, o homem a si mesmo - 1 Coríntios 11:28a

Platão: Mas estes são verdadeiros corredores, chegando ao fim, ambos recebem os prêmios e são
coroados.
Paulo: ...todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis.
- 1 Coríntios 9:24b

Platão: Ser mentalmente carnal era a morte.


Paulo: Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção - Gálatas 6:8

Platão: Se viver é assim, eu digo que morrer é ganho.


Paulo: Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. - Filipenses 1:21

Platão: Mas me é imposta essa obrigação – a palavra de Deus que eu pensei que deveria ser
considerada primeiro.
Paulo: Pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! - 1 Coríntios
9:16
A história por trás da escrita.
2 esté siempre de ac-tualidad. Las Epístolas fueron concebidas, y
por influencia del contexto socio-escritural,como circulares que
se enviaron a una o varias comunidades: Cuando esta carta
hayasido leída entre vosotros, procurad que también se lea en la
iglesia de los laodicenses;y la de Laodicea leedla también
vosotros. 3 En su origen epístola y carta eran sinónimos, pero
con la publicación (siglo IV aC.,) de colecciones de las cartas de
Isócrates y Platón, comenzaron a surgir un estilo y una forma
epistolar. La epístola llegó a ser el escrito extenso destinada a
muchas personas.
A história por trás da escrita.
Mais especificamente, pode-se identificar a partir do ponto de vista temático, outros
grupos de letras: a) cristológicas (Fp, Philemon, Colossenses e Ef); b) eclesiologias
(Timóteo e Titus); c) e o sermão de Paulo aos hebreus. Perguntas para a lição 1) Quantas
epístolas formam o Novo Testamento? E quantos são atribuídos a Paulo? 2) Quais são as
assim chamadas Epístolas Universais? 3) Em que idioma as versões da LXX e do Novo
Testamento foram escritas? 4) Do ponto de vista geral Quais são as epístolas? 5) Quais são
as assim chamadas Epístolas Gerais? 6) Quais são as chamadas epístolas do cativeiro? 7)
Em que Conselho Geral e ano foi a lista definitiva oficial dos livros que compõem o Novo
Testamento publicado? 8) Em que ano o catálogo de livros do Novo Testamento foi
descoberto na cidade de Milão? 9) Quem disse que a Bíblia foi traduzida para o grego com
a intenção de propaganda? 10) Qual é o texto de referência de Paulo em suas citações?
paternidade literária.
O corpo paulino é composto de 13 epístolas dos 21 que compõem o NT, a autoria
literária de alguns foi e ainda é questionada por críticos, mas não por cristãos
conservadores. Graças a epístolas de Paulo, como exponente escritural de sua
conversão e chamada, o cristianismo superou os limites de Israel tierra de e entrou e
tomou raiz, como descrito no livro de Atos de os Apóstoles, até os confins da terra .
(Atos 1: 8) Fora do mundo cristão, Paulo é considerado uma das figuras importantes que
marcou a civilização ocidental. Seus textos não deixam ninguém indiferente.
Reagrupados em um volume, seus escritos mal exceder sessenta páginas, mas sua
densidade é tal que levantaram e ainda levantar numerosos reacciones.Se escreve
sobre Paul, seus escritos ainda são discutidos, é eles são tomados como pontos de
referência e ainda são considerados normativos. Paulo é certamente o homem, depois
de nosso Senhor Jesus Cristo, que tem a maior influência no pensamento cristão e na
história do cristianismo.
A data aproximada da escrita.
É interessante que Paulo não escreveu um livro ou tratados teológicos para ensinar a
cristandade da sua época.
As cartas de Paulo foram todas escritas dentro de um espaço de mais ou menos 20 anos.
A situação histórica e os problemas contemporâneos a que o
autor inspirado se refere, como porta-voz de Deus.

As Epístolas de Paulo são parte do plano de Deus na formação do Povo da Nova Aliança.
Usando a linguagem universal da época como meio de disseminação e compreensão de
sua mensagem, o apóstolo ajuda a consolidar as novas comunidades nos princípios
fundamentais da fé. As primeiras epístolas (tessalonicenses, coríntios e romanos)
destinam-se a ensinar a doutrina da Nova Aliança, a partir das necessidades dos novos
convertidos do judaísmo e do mundo helênico.

Esses textos estão ligados às necessidades da Igreja Cristã primitiva em sua fundação e
subsequente expansão. A grande expansão do cristianismo primitivo tornou necessário
começar a transmitir por escrito os pontos essenciais da nova doutrina, em Cristo.
Gálatas lida com o problema mais importante que surgiu no início do cristianismo: a
relação entre o cristianismo e o judaísmo. 1 e 2 Tessalonicenses: Eles foram escritos com
a intenção de corrigir os conceitos errados de origem católica.
COMUNICAÇÃO NO SÉCULO 1º
Paulo escreveu suas cartas dentro de uma cultura complexa, caracterizada pela
interação entre os ambientes oral, retórico e literário. Será útil entender cada um desses
ambientes e a interação entre eles.
Visto que compõem para o ouvido dos ouvintes, os oradores em culturas orais adotam
certos hábitos de composição. Sua fala tende a ser estereotipada no sentido de
depender bastante de fraseologia para facilitar reconhecimento, compreensão e
aceitação. Ela também tende a ser repetitiva, visto que a repetição facilita a
compreensão, reflexão e memória. Esses hábitos de composição oral persistem muito
tempo depois que uma cultura começa a fazer a transição da oralidade para o
letramento, e seu impacto residual ainda pode ser encontrado em obras escritas
posteriormente. Por exemplo, como este capítulo aborda, os escritores de cartas gregas
tendem a usar linguagem estereotipada comum para introduzir várias porções de suas
cartas.
COMUNICAÇÃO NO SÉCULO 1º
A retórica era muito importante no século 1º. Quando estudantes alcançavam a idade
de 15 até os 17 anos, sua educação secundária incluía os “primeiros exercícios” em
retórica. Depois dos 18, as escolas de retórica preparavam os estudantes para as
profissões de professor, advogado, oficial público e líder cívico. Além disso, a retórica
formal ensinada nas escolas, que poderia ser considerada retórica “prática”, era
amplamente usada nas arenas públicas, como o mercado e as câmaras das
cidades.

A retórica do dia a dia da cultura mediterrânea do século 1º pode ser mais bem descrita
como “prática”, uma combinação da tradicional e da clássica: “Categorias e figuras
retóricas eram parte da cultura daqueles dias. Elas estavam “no ar” e qualquer um,
fosse formal ou informalmente educado, era influenciado pela retórica”.
Assim, a cultura em que Paulo ministrou e escreveu envolvia uma interação complexa entre os
ambientes oral, retórico e literário. Visto que a cultura ainda era amplamente oral, havia um
prêmio colocado na palavra falada, e a comunicação era formada para o ouvido, mais do que
para os olhos. Por causa da grande ênfase em retórica prática dentro da cultura, as técnicas da
retórica clássica eram adotadas e adaptadas para propósitos de persuasão. Visto que a cultura
era de letrados de escrita, escrita e leitura eram feitas em voz alta, havia sistemas de
abreviação e anotação e secretários eram comumente usados.
POSSÍVEIS LOCAIS DA ESCRITA DAS EPISTOLAS DE PRISÃO

A PRISÃO EM CESAREIA

Paulo era prisioneiro quando escreveu a epístola (“minhas algemas” – 1.7 e “minhas
cadeias” – 1.13). Porém, a qual de seus períodos de aprisionamento Paulo se refere?
Provavelmente não àquele de Cesareia, porque ali Paulo não podia pregar
publicamente, como está implícito em 1.12-13 (comparar com At. 24.23). Além disso,
Paulo teria reconhecido que se fosse solto em Cesareia acabaria sendo linchado
pelos judeus, e sua única possibilidade de segurança seria apelar para César, e assim
partir para Roma sob custódia. No entanto, lê-se em Filipenses 1.2-26; 2.24 e Fm. 22
que Paulo esperava ser solto em breve. Esses argumentos
praticamente excluem Cesareia como lugar da escrita.
A PRISÃO EM ÉFESO
Éfeso representa melhores probabilidades como local da escrita por uma série de razões:
1- Paulo escreveu que esperava enviar Timóteo a Filipos (2.19,23) e Lucas escreveu que Paulo
enviou Timóteo e Erasto a Filipos de Éfeso (At. 19.22). Todavia existe a objeção que Paulo
omite
Erasto em Filipenses 2.19ss.
2- Há inscrições que testificam o fato que um destacamento da Guarda Pretoriana estacionou
em Éfeso por algum tempo. Paulo menciona a “guarda pretoriana” em 1.13. Por semelhante
modo “os da casa de César” (4.22) são palavras que poderiam aludir aos servos civis imperiais
que se encontravam em Éfeso.
3- Em consonância com o livro de Atos, Lucas acompanhou Paulo a Roma, mas não esteve em
sua companhia em Éfeso. O fato de Paulo não mencionar Lucas em Filipenses, como faz em
Colossenses 4.14 e Filemom 24, seria mais um argumento a favor de Éfeso.
4- Se Paulo tivesse escrito a Carta aos Filipenses Roma, dificilmente ele poderia ter dito aos
seus leitores que “faltava oportunidade” para enviar-lhe assistência financeira (4.10). Pelo
tempo que o apóstolo ficou preso em Roma, mais de dois anos, eles tiveram muitas
oportunidades, mas uma anterior detenção em Éfeso caberia nessa afirmativa.
5- Outro argumento forte a favor de um aprisionamento em Éfeso, em contraposição a Roma,
são as viagens mencionadas a partir de Filipos, que ficava distante de Roma 1.300km. Uma
viagem entre essas cidades podia levar de 2 a 6 meses. Já a distância muito menor entre Éfeso
e Filipos torna muito mais possível as viagens entre as duas cidades, dentro de um breve
período de tempo. As viagens pressupostas na Carta aos Filipenses são as seguintes:
a) A mensagem levada do local da prisão para Filipos, informando que Paulo fora preso;
b) O envio da ajuda financeira de Filipos para Paulo (na prisão) através de Epafrodito;
c) As notícias da grave enfermidade de Epafrodito levadas do local da prisão para Filipos;
d) A resposta dos filipenses sobre as notícias da enfermidade de Epafrodito (de Filipos para o
local da prisão).
6- Paulo escreveu a epístola aos Filipenses quase no fim do período de seu aprisionamento,
pois declarou que esperava receber a liberdade em breve (1.19-26) e que visitaria os filipenses
(2.23-24). Na carta aos Romanos o apóstolo diz que sua intenção era ir à Espanha quando
fosse
solto (Rm. 15.23-38).