Você está na página 1de 32

Eletrização e força elétrica

Daiane Carvalho
Física

1
INTRODUÇÃO
- O termo eletricidade origina-se do termo
elektron, nome grego do âmbar.
- Em meados de VI a.C.,Tales de Mileto,
filósofo e matemático grego, após ter
atritado um pedaço de âmbar (resina
fossilizada) com pele de animal, verificou
que o 1º passou a atrair objetos leves como
uma pena.
 No século XVI, o inglês William Gilbert
verificou que além do âmbar, diversas
substâncias se eletrizavam ao ser atritada, ele
chamou esses materiais de elétricos.
 Em 1660, o cientista Otto Von Guericke (1602-
1686) inventou a primeira máquina
eletrostática.
 Otto fez várias experiências com objetos, e
descobriu que alguns materiais eletrizados pela
máquina podiam repelir outros objetos.
Carga elétrica
 É uma propriedade ligada à natureza de um corpo
responsável pela interação elétrica entre os corpos, ou
seja, de atração e repulsão.

Existem partículas menores que os prótons e nêutrons.


Carga elementar
 É o termo que era utilizado para qualificar uma carga que não
poderia ser mais dividida (menor carga elétrica encontrada na
natureza).
 Sendo a carga do elétron a menor quantidade de carga elétrica
existente na natureza, ela foi tomada como carga padrão nas
medidas de carga elétricas.
 No Sistema Internacional de Unidades, a unidade de medida de
carga elétrica é o Coulomb (C).
 Simbolicamente representada pela letra e.

 carga elementar: e= 1,6.10 - 19 C


 carga do elétron: - 1,6.10 - 19 C
 carga do próton: + 1,6.10 - 19 C
Carga elétrica

 Estado natural: carga total zero.


 Elétrons (retirar ou fornecer):
comportamento elétrico.
 Carga quantizada: somente podemos tirar ou fornecer
número inteiro de elétrons.

19
Q  ne  n(1,6 x10 )

6
Princípios da Eletrostática

 Princípio da Atração e Repulsão

F + + F

F
- - F

Duas partículas com cargas elétricas do mesmo sinal se


repelem mutuamente
 Duas partículas com cargas elétricas de sinais
contrários se atraem mutuamente.

+ F F -
- Princípio da conservação de cargas elétricas

Num sistema eletricamente isolado, a


soma das cargas elétricas positivas e
negativas é constante, mesmo que
haja transferência de carga de um
corpo para outro.
Eletrização de um corpo

 Quando há um desequilíbrio entre o número de elétrons


e o número de prótons, o corpo está eletrizado.
- Para que um corpo esteja carregado
positivamente, é necessário que seus prótons
estejam em maior número que os seus elétrons.
- Para que um corpo esteja carregado
negativamente é necessário que os seus elétrons
estejam em maior número que seus prótons.
- Para que um corpo seja considerado neutro, seu
número elétrons deve ser igual ao seu número de
prótons.

+ +
+
+ +
+
+
CONDUTORES

 São as substâncias nas quais os ELÉTRONS se


locomovem com facilidade por estarem
fracamente ligados aos átomos.
 Tem maior facilidade em conduzir a
eletricidade.
ISOLANTES
 Os elétrons estão ligados fortemente ao
átomo, o que dificulta sua livre movimentação.
 São materiais que não transmitem a energia
elétrica com facilidade ou nem transmitem.
Processos de eletrização de um
corpo
Atrito

- Foi o primeiro processo de eletrização conhecido.


- Quando duas substâncias de naturezas diferentes são
atritadas, ambas se eletrizam.
- No início os corpos estão neutros.
- No final os corpos ficam carregados com a mesma
quantidade de cargas, porém de sinais contrários.
Série Triboelétrica

 Para determinar que tipo de carga (positiva ou


negativa) um corpo ficará após ter passado por
um processo de eletrização por atrito.
 É uma lista onde encontramos alguns materiais
em ordem que obedece à propriedade de doar
ou receber elétrons.
 Quando a eletrização ocorre por atrito, os
corpos envolvidos estão inicialmente neutros,
porém, no final do processo, adquirem cargas
com sinais opostos.
Ex: Lã – tendência de
doar elétrons para
quem está abaixo dele
na lista.
Se atritarmos lã e
cobre, o cobre ficará
carregado
negativamente e a lã
positivamente.
Contato
 Quando um corpo neutro é colocado em contato com um
corpo eletrizado, por meio de um fio condutor, o corpo
neutro se eletriza.

No inicio pelo menos um deles deve estar carregado.

 No final , os corpos envolvidos possuem a mesma carga e de


mesmo sinal.

 A divisão das cargas não depende do material das esferas,


basta serem condutoras.
Indução

 Quando um corpo neutro é colocado próximo de


um corpo eletrizado, sem que haja contato
entre eles, o corpo neutro se eletriza. Esse
fenômeno é chamado indução eletrostática.
Eletrização por indução

 Carga do indutor não é afetada.


 Carga do induzido tem sinal sempre
oposto.
 Não confundir o simples fenômeno da
indução com o processo de eletrização
por indução.

25
Lei de Coloumb

- Em 1785, Charles Augustin


Coulomb (1736-1806) fez uma
série de medidas.

-Mediu as forças elétricas entre


duas pequenas esferas carregadas.

- Ele descobriu que a força


dependia do valor das cargas e da
distância entre elas.
LEI DE COULOMB

Consideremos duas cargas puntiformes Q1 e Q2, separadas por uma


distância d . Entre elas haverá um par de forças, que poderá ser de atração
ou repulsão, dependendo dos sinais das cargas. Porém, em qualquer caso, a
intensidade dessas forças é:

F F

. 1) Diretamente proporcional ao produto dos


valores absolutos dessas cargas .
. 2) E inversamente proporcional ao
quadrado da distância entre elas
Onde k é uma constante que depende
do meio. No vácuo seu valor é:

27
Lei de Coulomb

 Unidade de Ko=Nm2/C2

28
Exemplo:
 Calcule a intensidade da força elétrica de repulsão
entre duas cargas puntiformes 3.10-5 e 5.10-6 que se
encontram no vácuo, separadas por uma distância
de 15 cm.

 Uma esfera recebe respectivamente cargas iguais a


2 μC e -4 μC, separadas por uma distância de 5 cm.
a) Calcule a força de atração entre elas.
b) Se colocarmos as esferas em contato e depois as
afastarmos por 2 cm, qual será a nova força de
interação elétrica entre elas?

29
30
A Lei de Coulomb e a Lei
da Gravitação

G  6,67 x1011 Nm2 / kg2

31
Diferenças

 A força elétrica pode ser atrativa ou repulsiva enquanto


a gravitacional é sempre atrativa.
 K depende do meio enquanto G não.

32

Você também pode gostar