Você está na página 1de 15

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

ESCOLA DE ENFERMAGEM
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM OBSTÉTRICA –
MODALIDADE RESIDENCIA

Residente: Flávia Duarte de


Oliveira Ribeiro
 A gravidez normal esta associada a ajustes fisiológicos e
anatômicos que se refletem em mudanças no organismo
materno.
• Provavelmente, em mais nenhuma outra fase do ciclo vital
existe maior mudança no funcionamento do corpo humano
em tão curto espaço de tempo.

• Dentre essas várias alterações


fisiológicas, destaca-se nesse
trabalho, as principais alterações
hematológicas desta fase vital,
causadas principalmente pela
hipervolemia.
A hipervolemia induzida pela gravidez tem funções importantes:

 Responder as demandas metabólicas do útero aumentado


com seu sistema vascular intensamente hipertrofiado;
 Prover nutrientes e elementos em abundância para dar
suporte ao rápido crescimento da placenta e do feto;
 Proteger a mãe e, consequentemente, o feto contra os efeitos
deletérios das posições supina e ereta sobre o retorno
venoso;
 Salvaguardar a gestante contra os efeitos adversos da perda
sanguínea associada ao parto.
Principais alterações hematológicas na gestação

• Contagem de hemácias;
• Concentração de hemoglobina;
• Hematócrito.

• Leucócitos;
• concentração de fibrinogenio.
O crescimento do volume sanguíneo da grávida se faz principalmente à
custa do volume plasmático e, secundariamente, pelo aumento do volume
eritrocitário.

Produção de eritrócitos
elevada
Elevação
na gravidez,
de 40%com
do
pico de
volume
15% emplasmático
torno de
32 semanas

Índices hematológicos como:


Contagem de hemácias
Hematócrito
Concentração de Hemoglobina
Contagem de hemácias

 A contagem de hemácias
diminui pois estão
hemodiluidas devido a
hipervolemia.
Diminuição da hemoglobina
 Concentração da hemoglobina reduz de 13,3g /dl (valor médio não
gravídico) para:

11g/dl em 5% das gestantes 12,5g/dl nas demais.

 Assim, concentrações de 11g/dl devem ser consideradas anormais,


particularmente no final da gestação, e geralmente são causadas por
deficiência de ferro e não pela hipervolemia da gravidez.
Ferro
Maior expressão na síntese da
hemoglobina
Aumento na absorção
de Fe no intestino Calcula-se que as Sendo supridas por
necessidades de ferro maior quantidade de
durante toda a ferro alimentar e
Demanda Fetal
gravidez sejam de 1 a suplementação de ácido
1.3g . fólico (em torno de
Produção aumentada
0,4mg/dia no 1 mês e
de hemácias
1º trimestre).

Demanda placentária

Perdas sanguíneas pós


parto
Diminuição Hematócrito
 Hematócrito: Porcentagem de volume ocupada pelas hemácias
no volume total do sangue.

Desproporcional subida do
volume plasmático, quando
Hematócrito
comparado com a massa Cerca de 2 ou 3 pontos
eritrocitária

Nos últimos meses de Sendo a queda do hematócrito


gestação, esse aumento menos significativa, principalmente
plasmático se da de forma mais em gestantes que recebem
lenta. suplementação de ferro.
 Leucócitos
 Concentração de
fibrinogênio.

 Contagem de hemácias
 Concentração de hemoglobina
 Hematócrito.
Aumento de Leucócitos
 Há um aumento de leucócitos para receber o enxerto
fetal semialogênico “estranho”, para que não haja
rejeição.

Aumento na concentração de
fibrinogênio
• Ocorre aumento significante de diversos fatores de coagulação,
notadamente do fibrinogênio, que pode atingir 400 a 600 mg/dl
e redução da atividade fibrinolítica.

• Essas modificações são responsáveis pela hemostasia fisiológica ao


tempo da separação da placenta no secundamento.
Aumento na concentração de
fibrinogênio
 Contração miometrial é o principal mecanismo de defesa,
comprimindo os vasos sanguíneos no leito placentário. Mas
quase imediatamente há deposito de fibrina na ferida
placentária, consumindo 5 a 10% de todo fibrinogênio
circulante.
 Essa hipercoagulabilidade fisiológica da gravidez, em
contrapartida, é responsável pelo risco aumentado de
trombose que a grávida apresenta.
Possíveis Repercussões dessas alterações
para o organismo da mulher.
Alteração Repercussão
Diminuição de hemácias • Anemias
Diminuição na concentração de • Cansaço frequente
hemoglobina • Falta de ar
• Palidez.
Diminuição de hematócrito
Alteração Repercussão

Aumento da concentração de • Hemostasia fisiológica ao


fibrinogênio tempo de separação da
placenta no secundamento
(ajudando a combater riscos de
hemorragia na dequitação
placentária) .

• Vulnerabilidade à coagulação
intravascular, manifestando-se
clinicamente como situações
de trombose e trombembolia
ate hemorragia por coagulação
intravascular disseminada.

Obrigada!!!
Referências
 Chaves Netto, Hermógenes; Moreira de Sá, Renato Augusto.
Obstetrícia Básica. São Paulo: Atheneu, 2004.
 Cunningham, F.Gary; Leveno,Kenneth J. ; Bloom, Steven L.
Williams Obstetrics. 23ª edição, McGraw-Hill, 2010.
 Rezende,J.; Montenegro, Barbosa, Carlos A. Obstetrícia
fundamental. 13ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
2014.
 Souza, Ariani I., B. Filho, Malaquias, & Ferreira, Luiz O. C..
(2002). Alterações hematológicas e gravidez. Revista Brasileira
de Hematologia e Hemoterapia, 24(1), 29-36