Você está na página 1de 29

PIAGET

Teoria Genética da Aprendizagem


PIAGET

• Início: primeiras décadas do século


passado (1896 – 1980);

• Teoria distante das preocupações


educativas;
PIAGET
• Interesse – questões epistemológicas:
* Como é possível um conhecimento?
* Que papel tem o indivíduo no ato do
conhecimento?

• Defendia que o o conhecimento vai


sendo adquirido e o indivíduo, neste
processo, tem um papel ativo e especial;
O SUJETO CONSTRÓI SEU
CONHECIMENTO
• “O sujeito tem o protagonismo da
aquisição de conhecimentos, ou melhor
dizendo, as ações do sujeito o tem”;

• O indivíduo seleciona e filtra as


informações que chegam do mundo
exterior;

• É o sujeito que dá sentido aos estímulos;


O SUJETO CONSTRÓI SEU
CONHECIMENTO
• Na época, que se entendia?
* Que os estímulos tinham um papel
organizar o conhecimento, não o
indivíduo;

* Os sentidos, mais do que a ação, eram


os principais responsáveis pelo
conhecimento;
O QUE É CONHECER?
= É atuar diante da realidade que nos
envolve;

= O sujeito conhece quando atua (age) na


realidade que o envolve;

Não são necessariamente, movimentos


externos e visíveis, e sim internos e
mentais (até pode se basear em objetos físicos).
ESQUEMAS DE
AÇÃO
• É a estrutura que
permite que o
conhecimento
possa ser
adquirido;
• É o aspecto
organizativo de
uma ação;
ESQUEMAS DE
AÇÃO
• Os primeiros esquemas são os
reflexos, por exemplo, a sucção;

Como vão evoluindo?


ESQUEMAS DE AÇÃO
• Vão aparecendo outros padrões, que são
os de ação propriamente ditos. Depois
passam a ser esquemas representativos

São representados mentalmente, e não de


forma externa.
• “ O esquema é um mediador entre a
diversidade e a complexidade caótica do
mundo e do sujeito”
ESQUEMAS DE AÇÃO
• MORAL DA HISTÓRIA: Serve para
dar sentido e interpretar a realidade;

• É um processo comum
a todos os seres
humanos;
ASSIMILAÇÃO E
ACOMODAÇÃO
ASSIMILAÇÃO é o processo pelo qual o
sujeito tenta entender a realidade com o
esquema que tem;
“a realidade sempre se
assimila aos esquemas que
o sujeito tem”;
ASSIMILAÇÃO E
ACOMODAÇÃO
ACOMODAÇÃO acontece quando o sujeito
não consegue assimilar um estímulo, por
causa das particularidades dele;
• Restam duas saídas
criar um novo esquema;
modificar um esquema existente;

O que gera?
ASSIMILAÇÃO E
ACOMODAÇÃO

Gera mudança na estrutura cognitiva;

O estímulo é prontamente assimilado.


ESQUEMAS DE AÇÃO
• Significa dizer que crianças com idades
semelhantes tem o número de esquemas
parecido?
• Não só, tem também uma organização
diferente dos esquemas. Repercute na:

Maneira de ver o mundo

Capacidade de resolver problemas


ESQUEMAS DE AÇÃO
• Como o sujeito vai conhecendo?
Construindo espontaneamente os
conhecimentos através da interação com
a realidade.

“Não significa dizer que os conhecimentos


já existem e que ele os assimile em suas
ações”
O sujeito atribui à realidade
significados diferentes
COMO O INDIVÍDUO
APRENDE
• Depende dos esquemas que ele construiu
e da maneira como ele os organizou;

• É “um processo de aprendizagem


espontâneo e solitário – o aluno aprende
sozinho de maneira natural mediante
ações que desenvolve em interações com
o objeto”.
A IMPORTÂNCIA DO NÍVEL
DE DESENVOLVIMENTO
• Piaget subordina a aprendizagem ao
desenvolvimento

O que a pessoa consegue


aprender, depende do seu nível de
desenvolvimento.

A construção da aprendizagem
adota a mesma progressão para
todos os sujeitos;
A IMPORTÂNCIA DO NÍVEL
DE DESENVOLVIMENTO
• Estágios de desenvolvimento, p.252;
• Ao mesmo tempo que é interessante
(até para delinear tarefas escolares), é
perigosa na medida em que for
generalizada demais;

• Seu interesse é da ordem de sucessão


dos estágios, não da idade específica
que a criança consegue fazer algo
(exemplo – processo da digestão).
IMPORTÂNCIA DO NÍVEL DE
DESENVOLVIMENTO
• Por que “teoria genética”?
Porque está atrelada ao
desenvolvimento, que é igual para todos.
Não lhe interessa saber o que acelera o
desenvolvimento, interessa como se dá a
evolução do conhecimento.
APRENDIZAGEM NO
SENTIDO RESTRITO
• É a aquisição e incorporação de
informações específicas;
• É possível graças à abstração simples ou
empírica – identifica-se e extrai-se
propriedades de um objeto de acordo
com o seu objetivo;
• Desdobramento: não ocorrem
progressos significativos, e o nível de
compreensão não se modifica.
APRENDIZAGEM NO
SENTIDO AMPLO
• São mudanças cognitivas e qualitativas,
novas formas de organizar os esquemas,
de estruturar a realidade;
APRENDIZAGEM NO
SENTIDO AMPLO
• Demanda a abstração reflexionante –
não se extrai propriedade dos objetos,
mas das suas próprias ações. Obtém-se
conhecimentos de natureza lógica;
EQUILÍBRIOS, DESEQUILÍBRIOS
E CONFLITOS
• Aprender não é fácil – dificuldades,
esforço e erros são comuns;
• Para Piaget, o erro tem um lugar central
na teoria genética
São indicadores de uma
atividade organizadora, mesmo
insuficiente, mas fundamental
para se poder progredir;
ERROS
• São indícios que as pessoas não
adquirem passivamente os
conhecimentos;
ERROS
• Forçam a organização dos esquemas;

• É um nível, que com o tempo, o sujeito


superará.
EQUILIBRAÇÃO
• É a tendência ao equilíbrio;
• Tentamos o tempo todo assimilar e
acomodar informações;
• O desequilíbrio é inevitável;
• Existe uma sucessão de desequilíbrios,
ajustes, novos equilíbrios, desequilíbrios
etc...
EQUILÍBRIOS, DESEQUILÍBRIOS
E CONFLITOS
• Os desequilíbrios são acompanhados
de sentimentos de conflito e
contradição

Porque a solução do problema


leva a um resultado inesperado ou
insatisfatório;
EQUILÍBRIOS, DESEQUILÍBRIOS
E CONFLITOS
• A partir daí, surgiu propostas
instrucionais delineando situações
potencialmente conflituosas para os
alunos

• Os conflitos provocados gerarão


tentativas de superação.
EQUILÍBRIOS, DESEQUILÍBRIOS
E CONFLITOS
• O conflito não aparece somente na
interação aluno/tarefa, mas também
entre alunos... Como?

• Quando se tem que coordenar pontos de


vista diferentes sobre um mesmo
fenômeno – confrontação entre pontos
de vista diferentes.