Você está na página 1de 16

Estudando o Currículo: uma

perspectiva construcionista social

Dinah Vasconcellos Terra


João Augusto Galvão Rosa Costa
Ivor Frederick Goodson
• Trabalhou em Universidades na Inglaterra,
Canadá e E.U.A.
• Atualmente Professor de Teoria da
Aprendizagem no Centro de Pesquisa em
Educação, a Universidade de Brighton, Reino
Unido.
• Especializações em história de vida e pesquisa
narrativa.
• Recentemente, Ivor recebeu o prêmio Michael
Huberman por seu trabalho sobre vida dos
professores.
• Possui mais de 50 livros publicados em
diversos países.
O LIVRO
• Capítulo I – Currículo: a Invenção de
• Coleção: uma tradição.
• Ciências Sociais e Educação. • Capítulo II - Etimologias,
epistemologias e o emergir do
• Coordenadores: Maria Alice currículo.
Nogueira e Léa Pinheiro Paixão. • Capítulo III - Compreendendo o
• Tradução : Attílio Brunetta currículo: a alienação da teoria
curricular
• Produções selecionadas por Tomas
• Capítulo IV – Estudando o currículo:
Tadeu da Silva. uma perspectiva construcionista
social.
• Capítulo V – A forma curricular: notas
para uma teoria do currículo
• Capítulo VI – estruturando a
escolarização: do pessoal ao
programático
• Capítulo VII – História do currículo,
profissionalização e organização social
do conhecimento: paradigma para a
história da educação.
Apresentação por Tomas Tadeu da Silva
• Nova Sociologia da Educação. (NSE)
• Iniciada por Michael Young na Inglaterra
por volta de 1970.
• Livro: Knowledge and control: new
directions for the Sociology of
Education.
• Historização do currículo.
• Artefato social e histórico.
• Rupturas e descontinuidades.
• Conexões entre fabricação do currículo e
o processo de inclusão e exclusão na
sociedade.
Currículo como Prescrição
• Primado da ideologia do currículo (CAP).
• Estudo do currículo.
• Currículo como construção social.
• Especialização e controle dos governos centrais,
burocracias educacionais e comunidade
universitária.
• Os professores e o discursos sobre a
escolarização.
Barganha Diabólica: Críticas e
Contragolpes
• Contracultura a pesquisa curricular.
• “Resumindo, as escolas de educação envolveram-se numa
barganha diabólica quando entraram no meio universitário. O
resultado foi uma mudança de função: deixaram de se preocupar
primordialmente com as questões fundamentais da prática de
escolarização e começaram a se envolver em problemas de status,
através de uma erudição universitária mais convencional. A
predominância, daí resultante, das formas “disciplinares”
convencionais teve um impacto desastroso sobre a teoria
educacional em geral e sobre o estudo curricular em particular”
(GOODSON, 1995, p.70)
• Referência aos estudos de Mills sobre a
separação entre o saber universitário e o
saber público.
Por uma perspectiva construcionista social:
do diagnóstico para a solução
• Enfoque descontextualizado na prescrição.
• Como as prescrições curriculares estão, na realidade,
construídas para uso em escolas?.
• O problema é o tipo de enfoque e a sua singular natureza.
• Pesquisa curricular:
• Enfoque individual: História de vida e carreira.
• Enfoque de grupo ou coletivo: as profissões, categorias,
matérias, disciplinas etc.
• Enfoque relacional: as várias transformações das
relações entre indivíduos, entre grupos e coletividades
e a forma como essas mudam com o tempo.
• Estudo sobre escolarização e a metodologia
história de vida.
• História de vida x Individualismo.
• Enfoque Integrado.
• Vida particular do professor e currículo pré-
ativo e interativo.
• Não podemos visualizar o currículo como um
sistema fechado.
Um programa de Trabalho
• Perspectivas construcionistas enfoque
reintegrado.
• “Portanto, o trabalho em relação à história da
construção social do currículo escolar é pré-
requisito essencial para o estudo da
reconceitualização do curriculo”. (GOODSON,
1995, p.76)
“Enfoque: individual até
chegar no coletivo.
Histórias de vida individuais
e sua contribuição para
desenvolver temas e sistemas
para o exame de estruturas e
organizações”.(p.76)
“Enfoque coletivo pelos
estudos das matérias escolares
em sua evolução
histórica”.(p.76)
Subjects and schooling: the social
construction of curriculum
• Discussão sobre diversos enfoques e suas integrações.
• Esse trabalho adotou “o compromisso de que o teórico e
o prático, ou a estrutura e ação, podem ser de novo
conectados em nossa visão sobre conhecimento de
currículo. Se isso acontecesse poderíamos nos livrar da
constante ‘fuga para a teoria’, que, para contrabalançar é
acompanhada da ‘fuga para a prática’ (e ocasionalmente
da ‘fuga para o pessoal’)”. (GOODSON,1995, p.77).
• “Tradição inventada”. (HOBSBAWN E RANGER,
1985).
• “A elaboração do currículo pode ser considerada um
processo pelo qual se inventa uma
tradição”.(GOODSON,1995, p.78)
• Desafio: “desenvolver novos, substantivos e
metodológicos enfoques que integrem os estudos em
nível pré-ativo e interativo”. (p.77)
• “Precisamos buscar e desenvolver enfoques
integradores para o estudo construcionista social. Neste
sentido, um exame do nível relacional ofereceria uma
estratégia para fortalecer e aproximar,
significativamente, estudos sobre ação e estudos sobre
contexto”.(GOODSON,1995, p.79)’
Referências Bibiográficas
• GOODSON, Ivor. F. Estudando o currículo:
uma perspectiva construcionista social.
Currículo: Teoria e História. Petrópolis (RJ):
Vozes, 1995. p.67-79.