Você está na página 1de 44

Aula 2 – Língua Portuguesa

Profª Regina S Maia


Unitpac
 QUEM ESTÁ FALANDO?

 ESTÁ FALANDO O QUÊ?


Mademoiselle estava consciente de que um dia
teria de parar de fugir.

Mademoiselle é uma palavra francesa. Classificada como


substantivo feminino. O termo é o diminutivo de madame, que
originalmente era ma dame, em que ma significa “minha” e dame quer
dizer “senhora”, proveniente do Latim domina, com mesmo
significado.

O significado de Mademoiselle é, traduzindo-se para a Língua


Portuguesa, “senhorita” ou “senhora”.

A definição de mademoiselle também pode aparecer como “donzela”,


em especial em histórias antigas, repletas de romances e em
períodos anteriores da história.
Faziam-lhes pé-de-alferes.

 Fazer a corte, tentar conquistar, "dar em cima", tentar


"ficar", tentar "pegar“.
Esse rapaz aí é janota!
 Pessoa que se veste com esmero; elegância exagerada;
almofadinha.
Finda a arrumação dos teréns.
 Objeto pequeno ou de pouco valor; treco.
 Utensílios e móveis domésticos; trastes.
Mana, tu viste a facada que tá esse sapato? É muita
bufunfa pra tanta caboquice. Só sendo muito buiado
mesmo.
 caboquice: extravagância, comportamento de quem
quer chamar a atenção
 buiado: com muito dinheiro
Até queria ir no sol lagartear, mas bah! Tá um frio
de renguear cusco só se levarmos o chimarrão e a
japona.
 Lagartear = tomar sol
 Japona = jaqueta de inverno
 Renguear = tremer
 Cusco = cachorro pequeno
Ah, tá ligado que o negócio tá osso lá no escritório
né? Novo funcionário não manja nada!
“Égua, mano, tu não vais acreditar na quantidade de
carapanã que tinha no igarapé. A coisa ficou ralada lá à
noite.”

 égua: expressão de espanto, “vírgula do paraense” dita


em toda frase, seria o equivalente ao “poxa” ou
“caramba”.
 carapanã: mosquito, pernilongo
 igarapé: rio pequeno, riacho
 ralada: feia, difícil (situação)
Português do século XIX – Boletim da República Brasileira
16 de novembro de 1889

 Fadado = destinado
 Commetimentos = cometimento = tentativa/empreendimento
 Conseguio = conseguiu
 N’elle = nele
 Acondicionar = arranjar; acomodar; preservar
 Cebruthius =
 Chavoso =
 Bugado =
 Crush =
 Militou =
 Pisa menos =
 Probleminha =
 Tiltado =
 Cebruthius = Após o hit "Envolvimento" de Mc Loma, o Brasil adotou essa gíria.
Ou melhor dizendo, os jovens adotaram a palavra. A cantora explicou que a palavra
significa "The Bluetooth", um som emitido por pequenas caixas reprodutoras de
áudio. A partir daí, as pessoas começaram a usar o termo em qualquer situação e
para qualquer coisa.

 Chavoso = Essa palavra muito usada pelos jovens quer dizer algo que achamos
bacana. Os mais velhos, que mais conhecem isso como a gíria "massa", sentem-se
esquecidos quando veem alguém falando chavoso por aí. "Esse tênis aí é bem
chavoso, hein".

 Bugado = O termo saiu do mundo eletrônico. "Bug" é algo que está estragado, com
defeito. Hoje os jovens utilizam em qualquer momento e situação. "meu celular está
bugado" ou "estou meio bugado hoje".

 Crush = Crush quer dizer uma paquera, algum flerte. "Eu tenho um crush
nela". Quer dizer que tal pessoa é afim de outra.
 Militou = A expressão é usada para definir uma pessoa defendendo algo, como uma
minoria. Se alguém se posiciona contra a política imposta em determinado lugar, por
exemplo, as pessoas já falam que ela militou.

 Pisa menos = define alguém que deu uma boa resposta a algum comentário maldoso
ou simplesmente está "formidável". Podemos comentar em uma foto bonita de um
amigo "pisa menos".

 Probleminha = Conversa privada. É algo que eles usam para chamar uma pessoa
para papear. "Chama no probleminha que a gente resolve".

 Tiltado = Os jovens de hoje usam esse termo para definir alguém bravo com
algo. "Tal pessoa está tiltada por causa de uma prova que fará amanhã".
Pois é. U purtuguêis é muinto fáciu di aprender, purqui é uma
língua qui a genti iscrevi ixatamenti cumu si fala. Num é cumu
inglêis qui dá até vontadi di ri quandu a genti discobri cumu é
qui si iscrevi algumas palavras. Im purtuguêis não. É só
prestátenção. U alemão pur exemplu. Qué coisa mais doida?
Num bate nada cum nada. Até nu espanhol qui é parecidu, si
iscrevi muinto diferenti. Qui bom qui a minha língua é u
purtuguêis. Quem soubé falá sabi iscrevê.

Jô Soares – Revista Veja


Fundamentos da Comunicação
1. Língua oral e língua escrita

 Língua - sistema de signos (código) convencionais e


arbitrários;

 A fala é um ato intencional, em nível individual, de


vontade e de inteligência.
 A Linguagem por sua vez, é o meio que se utiliza para
exprimir ideias, desejos, sentimentos.

Exercício oriundo da faculdade, inerente ao homem, que


lhe possibilita a comunicação.

 A comunicação estabelece-se mediante o uso da


linguagem, verbal (uso de palavras) ou não verbal
(sinais, imagens, expressão corporal, mímica).
REGISTROS OU NÍVEIS DE LÍNGUA (GEM)

 Tanto a língua oral como a escrita apresentam níveis


ou registros.
 A língua oferece uma multiplicidade de possibilidades de
usos que são atualizados conforme as exigências do
momento da comunicação.
 Por que isso acontece?

ambiente
época

região geográfica status


 http://memoria.bn.br/hdb/periodico.aspx
E TUDO MUDOU...

E tudo mudou… O rouge virou blush


O pó-de-arroz virou pó-compacto
O brilho virou gloss
O rímel virou máscara incolor
A Lycra virou stretch
Anabela virou plataforma
O corpete virou porta-seios
Que virou sutiã
Que virou lib
Que virou silicone
 A peruca virou aplique, interlace, megahair, alongamento
A escova virou chapinha
"Problemas de moça" viraram TPM
Confeti virou MM
A crise de nervos virou estresse
A chita virou viscose.

 Ping-Pong virou Babaloo


O à-la-carte virou self-service
A tristeza, depressão
O espaguete virou Miojo pronto
A paquera virou pegação
A gafieira virou dança de salão
O que era praça virou shopping
A areia virou ringue
A caneta virou teclado
O long play virou CD
A fita de vídeo é DVD
O CD já é MP3
É um filho onde éramos seis
O álbum de fotos agora é mostrado por e-mail
O namoro agora é virtual
A cantada virou torpedo
E do "não" não se tem medo
O break virou street
O samba, pagode
O carnaval de rua virou Sapucaí
O folclore brasileiro, halloween
O piano agora é teclado, também
O forró de sanfona ficou eletrônico
 A AIDS virou gripe
A bala antes encontrada agora é perdida
A violência está coisa maldita!
A maconha é calmante
O professor é agora o facilitador
As lições já não importam mais
A guerra superou a paz
E a sociedade ficou incapaz… … De tudo.
Inclusive de notar essas diferenças.
Luis Fernando Veríssimo
Texto II (escrito)
“Digo a vocês que ela estava lá, diante dos meus olhos. Perfeita. Olhei-a
imaginando um jeito de dizer o quanto era importante para mim, dizer o que
pensava dela quando estava a sós comigo mesmo. Pensei ser a hora certa para
conversar. Mas me faltou coragem. Fugi”.
Pronominais
Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro

Oswald de Andrade
Variações linguísticas
 A Língua Portuguesa, como qualquer outra, configura-se como
um conjunto de variantes, isto é, não é um todo uniforme.
Língua falada: culta
Língua escrita: padrão

Falada
pelas Niveladas
pessoas de pela escola
instrução

Obedece à
gramática É mais
da língua- restrita.
padrão
Língua coloquial
 É espontânea;
 Usada para satisfazer as necessidades vitais do falante;
 Sem muita preocupação com as normas linguísticas;
 Língua cotidiana;
 Comete pequenos – mas perdoáveis – deslizes
gramaticais.

Ex.: Cadê o livro que te emprestei? Me devolve em seguida,


sim?
Língua vulgar ou inculta

Exemplo:

Própria das Natural, Nóis ouvimo falá do


pessoas sem colorida, pograma da televisão.
instrução expressiva

Infringe
Livre de totalmente
convenções as
sociais convenções
gramaticais.
Língua grupal: técnica e gíria

Técnica
 Desloca-se para a escrita;
 Existem tantas quantas forem as ciências e as profissões;
 Só é compreendida, quando sua aprendizagem se faz junto
com a profissão.

Gíria
 Existem tantas quantos forem os grupos fechados.
Linguagem profissional e burocrática
 Padrão de linguagem que, geralmente, se aproxima do
nível culto da linguagem.
 Determinados profissionais fazem uso da variante popular.
 Ausência de criatividade
 Repleta de formalidade
 Uso de jargão
No entanto..... Temos que adequar nossa
linguagem
 Usar a linguagem adequada a cada situação é uma das
qualidades do bom usuário do idioma;
 Não se pode afirmar que exista um padrão de linguagem
superior em termos absolutos: a situação de comunicação
é que determina a forma de linguagem mais ou menos
eficiente.