Você está na página 1de 70

SISTEMAS DE PREPARO PERIÓDICO

DO SOLO
Introdução
 Preparo do solo: conjunto de práticas que, quando utilizadas
racionalmente, visam o aumento da produtividade a baixos custos e
com mínimos impactos ao ambiente.

 Objetivo: propiciar condições físicas adequadas ao solo para a


semeadura, germinação e desenvolvimento da planta.

 Ideal: executar a operação com o mínimo de movimentação   do nº


de operações, rugosidade da superfície do solo e manter o máximo de
resíduos.
Introdução
 Manejo inadequado do solo:
 Degradação física, química e biológica do solo (redução do
desenvolvimento de mudas).

 Conseqüências:
 Plantio convencional após desmatamento  em 2 anos houve
redução de 3% no teor de MO do solo.

 Erosão  perda de solo.


Introdução
PERDAS DE SOLO ASSOCIADO AO USO AGRÍCOLA NO ESTADO DE
SÃO PAULO

Fonte: Silva et al (2003).


Tipos de Sistemas de Preparo do Solo
 Sistema de Preparo Convencional (SPC)
 Características:

 1º sistema a ser adotado em grande escala no Brasil.

 Introduzido por colonizadores europeus


(inviável para o relevo e as condições pluviométricas de
algumas regiões tropicais).

 Ainda é bastante empregado.

 Consiste em duas operações principais:

 preparo primário e secundário.


Tipos de Sistemas de Preparo do Solo e
maquinários a serem usados.
 A. Preparo primário do solo:
 Operações: Aração (+ usada), escarificação ou gradagem aradora 
consiste no corte, elevação e inversão da fatia de solo (leiva).

 Objetivo: Romper compactação e permitir a infiltração de água,


aeração, troca de temperatura, porosidade, incorporação (resíduos,
corretivos, etc), expor camadas aos raios solares (leito adequado
para a germinação da cana de açúcar).

 Equipamentos: arados, escarificadores ou grades pesadas.


Sistema de Preparo Convencional (SPC)

Arados> Arados de Aivecas


▪ Um dos implementos mais antigos (Romanos, Chineses, etc).

▪ Os arados de aivecas podem ser:


- Acionamento: animal ou mecânica;
- Acoplamento: arrasto, montado ou
semi-montado;
- Movimento do órgão ativo: fixo ou
reversível;
- Número de órgãos ativos:
monocorpo ou corpos múltiplos.
Arados> Arados de Aivecas> Fixo

1. Chassi
2. Torre de Engate
3. Suportes das Aivecas
4. Aivecas

Opcionais:
5. Placas de Polietileno
6. Discos de Corte Ø 16" Lisos ou
Estriados
Fonte: www.marchesan.com.br
7. Roda de Profundidade
8. Bico e Picão Reversível
1. Corpo do Chassi
Arados> Arados de Aivecas> Reversível
2. Cabeçalho
11 3. Válvula de Retenção
Fonte: www.marchesan.com.br
1 4. Barra de Engate
5. Mangueiras
6
3 2 6. Cilindros Hidráulicos
10
9 7. Revestimento de
polietileno
8. Aivecas Simétricas
8
9. Pedestais
5 7 10. Roda de profundidade
4 11. Estabilizador
12
Opcionais:
12 - Bicos Suplementares
Arados> Arados de Aivecas> Constituição

1. Relha (corta o solo e levanta a leiva)


2. Aiveca (eleva e inverte a leiva)*
5 3. Rasto (absorve esforços laterais)
4
4. Suporte
2
5. Coluna

*Podem ter forma cilíndrica, cilindróide,


3 helicoidal e semi helicoidal.
1
Arados> Arados de Aivecas> Esforços

Centro de resistência

Forca de arraste
(principal forca atuante)

Depende: forma do arado, da


velocidade, profundidade de
trabalho e da condição do solo
Arados> Arados de Aivecas> Condições de solo

Solos com resteva Solos pegajosos

Uso geral, solos com resteva Uso geral, solos argilosos


Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

 Objetivo:
 Melhora qualidade da operação
(equilíbrio das forcas que atuam no arado).

 Arados de aivecas montados:


 Bitola do trator, acoplamento, alinhamento do centro de
resistência, nivelamento e largura de corte do arado,
alinhamento e ângulo de trabalho do aiveca, profundidade de
aração, roda-guia e sega circular.
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

▪ Bitola do trator: especificado nos manuais dos


implementos.

As bitolas das rodas dianteira e traseira deverão ser


iguais (medidas tomadas de centro a centro dos
pneus); devendo ser ajustadas próximas as indicações
seguintes:
para AAH 2 Aivecas - Bitolas de 1,42 metros,
para AAH 3 Aivecas - Bitolas de 1,64 metros,
para AAH 4 Aivecas - Bitolas de 2,20 metros
Localização da bitola de tratores agrícolas.
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

 Acoplamento:
- Mante-los em lugar plano e dar marcha-a-re no trator, coincidindo os

eixos de simetria do trator e arado, até encostar nos braços inferiores do


sistema hidráulico;

- Engate o braço inferior esquerdo e coloque o contrapino de trava.

- Engate o braço superior (3º ponto) e coloque o contrapino de trava.

- Finalmente engate o braço inferior direito (possui movimentos de subida

e descida pela manivela niveladora).

- Com a rosca extensora do 3º ponto, pode-se aproximar ou afastar o

arado, facilitando o engate do mesmo.


Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

Manivela
niveladora Rosca extensora
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

 Alinhamento do centro de resistência do arado:


 Linha de tração deve passar no centro de resistência do arado que deve
coincidir com o eixo de simetria do trator.
 Pode ser regulada pelas barras estabilizadoras reguláveis, do sistema
hidráulico do trator.

 Nivelamento do arado:
 No planto longitudinal (braço do 3º ponto) e transversal (manivela do
braço direito)  todas as aivecas na mesma altura em relação ao solo.

 OBS: O nivelamento devera ser realizado apos a primeira passada do


trator no campo, com o rodado direito dentro do sulco.
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens
Alinhamento transversal do arado
(manivela do braço direito)

Barras
estabilizadoras

- Alinhe o cabeçalho do arado com o terceiro ponto do trator.


- Levante totalmente o arado.
- Verifique se as distâncias entre os braços inferiores e os pneus são iguais
dos dois lados (Medida "A"), devendo os mesmos estarem nivelados
(Medida "B").
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

Regulagem pelo 3° ponto

Alinhamento longitudinal
(rosca extensora do 3º ponto)
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

Alinhamento transversal
(manivela do braço direito)
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

 Largura de corte do arado:


• Posição da barra transversal do chassi  primeira aiveca com
extremidade posterior da relha alinhada com a face interna do
pneu traseiro que trabalha dentro do sulco.

 Alinhamento da aiveca:
 - folga entre o corpo da aiveca e o solo de 5 a 13 mm (sucção vertical)
 penetração no solo.
 - folga entre o rasto e a lateral de 5 a 13 mm (sucção lateral) 
contato com a parede do sulco, absorvendo os esforços laterais.
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

 Profundidade de trabalho:
 Local plano, colocar o rodado dianteiro e traseiro esquerdo do
trator sobre calços e regular e profundidade, colocando o
batente da alavanca de controle na posição desejada.

 Lastros:
 A adição de lastro d'água nos pneus, conjunto de pesos na
dianteira e nas rodas traseiras, são os meios mais utilizados
para aumentar a tração no solo e dar maior estabilidade ao
trator.
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

▪ Regulagem da roda de
profundidade permite, após
encontrada a profundidade
adequada de aração, manter
esta profundidade constante
em toda área trabalhada.
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

▪ Sega circular:
•disco deve ficar a uma
distancia de 10 a 19 mm do
ombro da aiveca, com o centro
do mancal alinhado com a
ponta relha e com a borda a 20
20 mm
mm acima da ponta da relha.
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

▪ Mecanismo de segurança:
sistema de desarme da aiveca
(molas, hidráulico, etc).
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

Regulagens em função da
resistência do solo:
A - Para solos compactados,
B - Para solos normais, leves e
soltos.

A1 - Para solos compactados,


B1 - Para solos normais, leves
e soltos.
Arados> Arados de Aivecas> Regulagens

 Desacoplamento:
 Ordem inversa ao acoplamento
(fixar o pe de apoio do arado antes de iniciar o desacoplamento).

 Roda-guia (absorve esforços laterais):


 Deslocamento do trator para a direita ou esquerda dependendo do
ângulo de inclinação 
 Regular para que o trator se desloque em linha reta,
(regulagem do ângulo do disco e mola)
Sistema de Preparo Convencional (SPC)

Arados> Arados de Discos

▪ Órgãos ativos  discos  trabalham em movimento de rotação


(menos susceptíveis a impactos).

▪ Ideais para o preparo de


solos realizados na abertura
de novas áreas destinadas a
agricultura (tocos e raízes).
Arados> Arados de Discos

▪ Corta e inverte as fatias de


solo por meio da rotação, o
que produz fatias com menor
inclinação.
Arados> Arados de Discos> Fixo 01 - Chassi
02 - Torre de Engate
03 - Eixo da Manivela
04 - Pinos de Engate
05 - Descanso
06 - Cubo
07 - Pedestal
08 - Limpador
09 - Disco Liso
10 - Roda Guia
Arados> Arados de Discos> Reversível
01

01 - Chassi
02 – Pistão de reversão
03 - Pedestal
04 - Cubo
05 - Disco
06 - Limpador
07 – Regulagem do ângulo
horizontal (velocidade)
08 – Roda guia
09 - Descanso
Arados> Arados de Discos> Constituição

01 - Disco
02 – Campânula
03 – Eixo da campânula
04 - Retentor
05 – Rolamento
06 – Base da coluna
8
07 – Porca de fixação
3
5 4 1
2 08 – Tampa do mancal
6
7
Arados> Arados de Discos> Discos

•Discos recortados:
•condições de restos culturais em grande quantidade;
•Discos lisos:
•para a maioria dos casos.

Discos côncavos e cônicos. Discos lisos e ondulados


Arado de Discos – Número de Discos e Capacidade de Trabalho
Arados> Arados de Discos> Regulagens

 Principais regulagens:
 bitola do trator, acoplamento, alinhamento do centro de
resistência, nivelamento e largura de corte do arado,
profundidade de aração, roda-guia e ângulo dos discos.

 Acoplamento, alinhamento, nivelamento e


profundidade de aração 
 mesmo procedimento dos arados de aiveca .
Arados> Arados de Discos> Regulagens

▪ Bitola: as bitolas dianteiras e traseiras


devem ser iguais (centro a centro dos
pneus)  relação direta com a largura
de corte do 1º disco (observada após a 2º
passada)  1º disco deve atuar com a
mesma largura que os demais.
Arados> Arados de Discos> Regulagens

▪ Largura de corte: arados fixos  eixo da manivela.

O movimento de rotação permite alterar a


largura de corte do arado em função das
condições do solo. Assim temos:
I. Menor Largura: solos duros e resistentes.
II. Largura Média: solos normais.
III. Maior Largura: solos leves e soltos.
Arados> Arados de Discos> Regulagens

▪ Largura de corte: arados reversíveis manuais.


Regulagem por meio de parafusos
na lateral do chassi (A) e de travas
de reversão (B), que devem ser
regulados seguindo a seguinte
instrução:
Solos leves  aumentar a largura
de corte;
Solos pesados e compactados 
diminuir a largura de corte
Arados> Arados de Discos> Regulagens

▪ Roda-guia: responsável pelo alinhamento do conjunto


trator-arado estabilizando a traseira do implemento (evita
desvios laterais)  deve caminhar no fundo do sulco com
leve inclinação contra a parede.

Regulagens importantes: pressão da mola e ângulo de


corte.
Arados> Arados de Discos> Regulagens

▪ Roda-guia: pressão da mola


(profundidade de trabalho)
Solos leves e soltos  aumentar a pressão
para suportar parte do peso do arado
(evitar penetração excessiva);

Solos duros  reduzir a pressão da mola,


com maior transferência de peso aos discos
(aumentar a penetração do arado).
Arados> Arados de Discos> Regulagens

▪ Roda-guia: ângulo da roda-guia


(estabilizar o conjunto trator-implemento).
Deve estar em acordo com a
regulagem da manivela, sendo:
I. Solos duros (maior ângulo de
inclinação);
II. Média de inclinação;
III. Solos leves (menor ângulo de
inclinação).
Arados> Arados de Discos> Regulagens

▪ Ângulo dos discos: ângulos vertical e horizontal.

O ângulo horizontal (largura do corte e capacidade de


revolvimento do solo) pode variar de 42 a 55º de acordo com o tipo de
solo que se pretende preparar:
- solos argilosos – 42º
- solos médios – 45º
- solos arenosos – 55º
O ângulo vertical (capacidade de penetração dos discos
nos solos) pode variar de 15º a 22º, devendo ser:
- solos argilosos – 15º
- solos médios – 18º
- solos arenosos – 25º
Arado de Discos – Ângulo Vertical e Horizontal
ARADO GRADEADOR

Você também pode gostar