Você está na página 1de 40

Desfrutando a Alegria na

Esperança da Salvação
3º Trimestre
Ano 2019

A RAZÃO DA NOSSA
ESPERANÇA
Alegria, Crescimento e
Firmeza nas Cartas de
Pedro.
1 Pedro 1.3-12
3 - Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que,
segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para
uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os
mortos,
4 - para uma herança incorruptível, incontaminável e que se
não pode murchar, guardada nos céus para vós
5 - que, mediante a fé, estais guardados na virtude de Deus,
para a salvação já prestes para se revelar no último tempo,
6 - em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora
importa, sendo necessário, que estejais por um pouco
contristados com várias tentações,
7 - para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o
ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e
honra, e glória na revelação de Jesus Cristo;
1 Pedro 1.3-12
8 - ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo
agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso,
9 - alcançando o fim da vossa fé, a salvação da alma.
10 - Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os
profetas que profetizaram da graça que vos foi dada,
11 - indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito
de Cristo, que estava neles, indicava, anteriormente testificando
os sofrimentos que a Cristo haviam de vir e a glória que se lhes
havia de seguir.
12 - Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para
nós, eles ministravam estas coisas que, agora, vos foram
anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu,
vos pregaram o evangelho, para as quais coisas os anjos
desejam bem atentar.
"Bendito seja o Deus e Pai de
nosso Senhor Jesus Cristo,
que, segundo a sua grande
misericórdia, nos gerou de
novo para uma viva
esperança, pela ressurreição
de Jesus Cristo dentre os
mortos."
(1 Pedro 1.3)
A salvação em Cristo produz
esperança legítima e alegria
verdadeira, e capacita
espiritualmente o crente a
enfrentar os sofrimentos e
desafios deste mundo.
No contexto da primeira carta
por repudiarem a cultura e os costumes da época,
os seguidores de Cristo eram hostilizados e
violentamente perseguidos,
principalmente por
cidadãos
e vizinhos não
crentes.
Esse contexto
desfavorável fazia
brotar no coração
daqueles cristãos
sentimentos de
marginalização,
desprezo e até
mesmo desânimo.
Era preciso revigorar neles a esperança viva e a alegria
verdadeira decorrentes da salvação em Cristo.
Pedro faz isso logo no início da sua Carta, tema do
estudo de hoje!
I – Gerados para uma Viva Esperança

1 – Vida nova, Esperança viva.


Pedro introduz sua Carta com um ato de gratidão,
bendizendo a Deus por ter nos gerado novamente
para uma viva esperança (1Pe 1.3).

Nascemos Viva
Espiritualmente, Esperança
E Fomos
Regenerados
Para uma
I – Gerados para uma Viva Esperança

1 – Vida nova, Esperança viva.


A esperança cristã não é um conceito teórico ou o
mero otimismo humano; é a confiança plena na
providência divina.
I – Gerados para uma Viva Esperança

1 – Vida nova, Esperança viva.


A esperança cristã implica tanto esperar
confiantemente o futuro preparado pelo Senhor,
quanto vivenciá-la hoje como um estilo de vida.
I – Gerados para uma Viva Esperança

2 – Porque Ele vive, podemos crer.


Nossa nova vida em esperança, escreve Pedro, se
deu "pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os
mortos" (1Pe 1.3).

Este
acontecimento
histórico é a
base da
confiança dos
salvos.
I – Gerados para uma Viva Esperança

2 – Porque Ele vive, podemos crer.


Muitas pessoas se frustram por depositarem as
esperanças no dinheiro, na política ou na capacidade
humana, pois tudo isso não passa de ilusão.
I – Gerados para uma Viva Esperança

2 – Porque Ele vive, podemos crer.


A fé cristã, com os olhos voltados para a cruz, dá
significado e perspectiva de futuro a todos quantos
recebem a salvação em Cristo.
I – Gerados para uma Viva Esperança

3 – Uma herança superior.


A seguir, Pedro o "apóstolo da esperança" revela
que a salvação aponta para uma herança sublime,
com três atributos especiais:

❶ ❷
“para uma herança incorruptível, incontaminável
e que se não pode murchar, guardada nos céus
❸ para vós.” (1Pe 1.4)
I – Gerados para uma Viva Esperança

3 – Uma herança superior.


Trata-se de uma herança incomparável,
imensamente mais valiosa que os bens e os
tesouros deste mundo, os quais perecem...

“Louco! Esta noite te


pedirão a tua alma; e
o que tens
preparado, para
quem será ?”
(Lucas 12.20)
Não confunda autoajuda com esperança cristã.
Pela autoajuda, o homem olha para dentro de si
em busca de respostas. Na esperança, olhamos
para Jesus, autor e consumador da fé.
A fé cristã dá significado à vida e
perspectiva de futuro a todos
quantos recebem a salvação em
Cristo.
II – A Alegria da Salvação

1 – Alegria no sofrimento.
A salvação não produz somente uma herança
futura, mas também alegria presente (1 Pe 1.6).

Enquanto vive nesta


terra, o cristão pode
desfrutar de todas as
suas bênçãos, inclusive a
alegria verdadeira
(Sl 35.9; 68.3; 1 Ts 5.16).
II – A Alegria da Salvação

1 – Alegria no sofrimento.
Esta alegria não se confunde com um
Estado de euforia ou com um sentimento
de prazer passageiro.

O homem sem Deus


persegue sem sucesso
algum tipo de alegria
para a sua vida.
II – A Alegria da Salvação

1 – Alegria no sofrimento.
A alegria resultante da salvação não é um fim em
si mesma, mas sim o contentamento que advém
da transformação interior e da comunhão que o
crente tem com Deus.

É uma alegria
espiritual profunda
(Lc 1.46,47; At 16.34;
1 Pe 4.13).
II – A Alegria da Salvação

2 – A fé que é provada.
As perseguições que os cristãos daquela
época suportaram eram intensas devido ao
compromisso com Cristo.
Apesar de possuirmos
uma ampla liberdade
religiosa... O cristão é
passível de ser
hostilizado, perseguido
ou tratado com
indiferença.
II – A Alegria da Salvação

2 – A fé que é provada.
Apesar de tudo, não devemos nos sentir
atemorizados, pois sabemos que Deus está
conosco em qualquer circunstância.

O sofrimento
do crente
por causa do
Evangelho é
proveitoso.
II – A Alegria da Salvação

3 – Cristo, o motivo da alegria cristã.


O júbilo do cristão está alicerçado em Cristo,
mediante a fé (1Pe 1.5).
Ele é a razão da nossa Alegria.
Os destinatários da
carta não chegaram
a ver Jesus
O mundo valoriza e se
pessoalmente, mas
satisfaz somente com
o amavam e nEle se
aquilo que se pode ver
alegravam, assim
e tocar.
somos nós.
À luz das Escrituras, a alegria não é uma
conquista, é uma dádiva. O ser humano pode
forçar um sorriso, mas somente a graça de Deus
proporciona contentamento ao coração.
A salvação não produz somente uma
herança futura, mas também alegria
presente. Então, desfrute-a!
III – A Maravilhosa Salvação

1 – O propósito da fé.
Apesar do
contentamento
que o cristão
pode desfrutar
nesta terra, o
propósito
central da fé é a
salvação da
alma
(1 Pe 1.9).
III – A Maravilhosa Salvação

2 – A salvação é pela graça.


O verso de 1Pe 1.10 deixa transparecer que a
salvação é pela graça (do grego charis).
É esta
benevolência da
parte de Deus que
possibilita ao
homem ter os seus
pecados perdoados
e o nome escrito
no Livro da Vida
III – A Maravilhosa Salvação

3 – A salvação profetizada.
Pedro destaca que a vinda de Cristo era um
cumprimento profético.
Com efeito, da mesma maneira que o sofrimento se
cumpriu, a glória também há de ser efetivada.
O crente não foi salvo para ser feliz.
É feliz porque é salvo!
Apesar do contentamento que o
cristão pode desfrutar nesta terra, o
propósito central da fé é a salvação
da alma.
Pedro leva aos seus leitores uma mensagem de
ânimo e confiança em Deus.

"Desfrutem da alegria na esperança da salvação"


é a mensagem de Pedro que ecoa na primeira
seção da sua epístola.

Assim como os irmãos daquela época, somos


inspirados pela Palavra a encontrarmos a legítima
alegria que advém da nova vida em Cristo.

Em tempos de desânimo e desespero, os salvos têm


razões para viver de maneira esperançosa e alegre.
Como o apóstolo Pedro introduz
a sua Carta?

Com um ato de gratidão, bendizendo a Deus por


ter nos gerado novamente para uma viva
esperança.
Quais as características da
herança dos salvos?

Ela é incorruptível, incontaminável e


não pode murchar (1.4).
Com o que a alegria decorrente da salvação
não se confunde?

Não se confunde com um estado de euforia ou


com um sentimento de prazer passageiro.
De acordo com a Primeira Carta de Pedro,
qual o propósito da nossa fé?

A salvação da nossa alma (1.9).


Por que a graça de Deus é uma bênção
abrangente?

Além de ser uma provisão do Senhor para com o


indigno transgressor da sua lei (cf. Rm 3.9-26), ela
convida, convence, e capacita o pecador a ir ao
encontro de Cristo.
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Deus Abençoe !