Você está na página 1de 34

Permaneçam Firmes na Palavra da Verdade

2 Pedro 1.12-21
12 - Pelo que não deixarei de exortar-vos sempre acerca
destas coisas, ainda que bem as saibais, e estejais
confirmados na presente verdade.
13 - E tenho por justo, enquanto estiver neste tabernáculo,
despertar-vos com admoestações,
14 - sabendo que brevemente hei de deixar este meu
tabernáculo, como também nosso Senhor Jesus Cristo já mo
tem revelado.
15 - Mas também eu procurarei em toda a ocasião que
depois da minha morte tenhais lembrança destas coisas.
16 - Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de
nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente
compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade,
2 Pedro 1.12-21
17 - porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória,
quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz:
Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido.
18 - E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele
no monte santo,
19 - E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem
fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar
escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça
em vossos corações,
20 - sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da
Escritura é de particular interpretação;
21 - Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de
homem algum, mas os homens santos de Deus falaram
inspirados pelo Espírito Santo.
"Pelo que não deixarei de
exortar-vos sempre acerca
destas coisas, ainda que
bem as saibais, e estejais
confirmados na presente
verdade."

(2 Pedro 1.12)
Somente firmados na inspirada,
infalível e inerrante Palavra
de Deus podemos identificar
e rejeitar os falsos
ensinamentos.
I – Relembrando Verdades Antigas
1 – Um Chamado à Lembrança
2 – A Importância da Recordação
3 – Consciência da Morte
II – A Autenticidade da Palavra
1 – Um Ensino Verdadeiro
2 – O Testemunho Ocular
3 – O Valor da Experiência
III – O Valor da Palavra Profética
1 – Palavra Confirmada
2 – Palavra Iluminada
3 – Palavra Inspirada
Continuando a segunda
Carta de Pedro

O apóstolo Pedro sabia que se os crentes não se


voltassem para as antigas verdades, seriam
enganados pelas novas mentiras.
As heresias surgem exatamente quando se
desprezam as verdades tradicionais e buscam-se
modismos religiosos.
Nesta Lição

veremos que o incentivo de Pedro


é que os crentes permanecessem firmes nos
fundamentos da sua fé,
lembrando-se das verdades da Palavra de Deus
que haviam aprendido.
I – Relembrando Verdades Antigas

1 – Um Chamado à Lembrança.
"não deixarei de exortar-vos sempre acerca destas
coisas, ainda que bem as saibais, e estejais
confirmados na presente verdade" (2 Pedro 1.12).

O apóstolo Pedro tinha por importante reavivar


na memória de seus leitores alguns princípios
importantes da Palavra de Deus.
I – Relembrando Verdades Antigas

1 – Um Chamado à Lembrança.
Pedro não estava preocupado em atender aos
anseio de seus leitores, pregando novidades,
mas em transmitir a perene mensagem de Deus.

“Nunca na história da igreja


teve uma geração que
apreciasse tanto as
novidades.” E qual é a sua
opinião sobre isso?
I – Relembrando Verdades Antigas

2 – A Importância da Recordação.
A recordação é um aspecto relevante na fé cristã,
porquanto é preciso lembrar os atos divinos
e as palavras
sagradas como
diretriz para
vivermos o
presente e
esperarmos o
futuro.
I – Relembrando Verdades Antigas

2 – A Importância da Recordação.
O Espírito Santo foi dado à Igreja, dentre outros
motivos, para lembrar aos cristãos as lições que já
aprenderam (Jo 14.26).
I – Relembrando Verdades Antigas

2 – A Importância da Recordação.
Pregadores e ensinadores ... ainda que venham a
ser considerados repetitivos e antiquados,
não podem negar a
missão de pregar
princípios atemporais
da Palavra de Deus.
Na minha época...
I – Relembrando Verdades Antigas

3 – Consciência da Morte.
Pedro tinha consciência da iminência de sua morte:
"brevemente hei de deixar este meu tabernáculo"
(2 Pedro 1.12).
Para o servo de Deus,
a iminência da morte
não é algo que leva
ao desespero, pois o
viver é Cristo e o
morrer é lucro
(Fp 1.21).
I – Relembrando Verdades Antigas

3 – Consciência da Morte.
O apóstolo queria que, mesmo depois da sua
morte, suas palavras se mantivessem vivas na
mente de seus leitores. Que legado você vai deixar?

Os homens
passam, mas a
Palavra de Deus
permanece para
sempre
(1 Pe 1.25).
II – A Autenticidade da Palavra

1 – Um Ensino Verdadeiro.
Pedro enfatiza que o seu ensino não seguiu fábulas
artificialmente compostas (2 Pedro 1.16), ... seus
ensinos não foram elaborados pela mente humana.
Cite um exemplo de mitologia
II – A Autenticidade da Palavra

2 – O Testemunho Ocular.
Pedro reivindica a veracidade da sua mensagem ao
colocar-se como testemunha ocular da
manifestação divina em Cristo.
II – A Autenticidade da Palavra

2 – O Testemunho Ocular.
A expressão "nós vimos a sua majestade" (2Pe 1.16)
refere-se ao episódio em que ele

juntamente com
Tiago e João,
presenciaram a
transfiguração
de Jesus no
monte santo...
Ilustração: Jw.org
(video)
II – A Autenticidade da Palavra

3 – O Valor da Experiência.
As experiências com Deus possuem importante
valor na vida cristã, na medida em que autenticam
a veracidade das Escrituras em nós ...

... temos o testemunho


interno do Espírito Santo
(Rm 8.16) e
experimentamos o seu
poder.
II – A Autenticidade da Palavra

3 – O Valor da Experiência.
O livro de Atos dos Apóstolos, em especial, com
suas magníficas narrativas de batismo no Espírito
Santo, falar em novas línguas, curas e milagres,
dentre outros eventos miraculosos
fornecem para a
igreja
contemporânea um
modelo de vida e
experiência
pentecostal.
III – O Valor da Palavra Profética

1 – Palavra Confirmada.
Pedro também diz que devemos estar atentos às
palavras dos profetas. O apóstolo está se referindo
aos vaticínios (Profecias) de Deus constantes do
Antigo Testamento,

pois eles precedem e ao mesmo


tempo confirmam o Evangelho,
tornando a sua verdade ainda mais
incontestável.
III – O Valor da Palavra Profética

2 – Palavra Iluminada.
Pedro compara a palavra profética a uma lâmpada
que ilumina na escuridão.

Assim, os cristãos são encorajados


a se deixarem iluminar por ela, pois
como expressou o salmista:
"Lâmpada para os meus pés é tua
palavra, e luz para o meu caminho"
(Sl 119.105).
III – O Valor da Palavra Profética

3 – Palavra Inspirada.
A totalidade das Escrituras é inspirada, pois seus
autores as escreveram sob a inspiração, supervisão
e orientação do Espírito Santo (2 Tm 3.16).

É o que Pedro explica :


"nenhuma profecia da Escritura é
de particular interpretação"
(2 Pedro 1.20).
III – O Valor da Palavra Profética

3 – Palavra Inspirada.
Ao leitor não é dado o direito de dar ao texto
sagrado o sentido que melhor lhe convém.

Devemos ler a Bíblia ... com o


auxílio do Espírito Santo, pois
sendo Ele o agente de inspiração,
é também Ele que nos ensina a
interpretá-los corretamente e
aplicá-los à vida.
III – O Valor da Palavra Profética

3 – Palavra Inspirada.
Essa Passagem :
"nenhuma profecia da Escritura é de particular
interpretação“ (2 Pedro 1.20).

refuta os falsos mestres e


pregadores que alegam possuir
"revelações especiais" de Deus.
A melhor maneira de ficarmos firmes na fé,
sem nos desviarmos da verdade, é relembrando
os ensinamentos bíblicos.

Para refutar as heresias e os modismos que tentam


se infiltrar em nosso meio, devemos estar
submetidos ao constante estudo das Escrituras,

sabendo que são elas a inspirada, inerrante,


infalível e, portanto, confiável Palavra do Senhor.
Segundo a lição, por que a recordação é um
aspecto importante na fé cristã?

Porque é preciso lembrar os atos divinos e as


palavras sagradas como diretriz para vivermos o
presente e esperarmos o futuro.
Por que o apóstolo insiste com seus leitores
para que não se esqueçam o que haviam
aprendido?

Porque ele tinha uma profunda convicção que tudo


aquilo que havia dado a conhecer sobre Jesus,
notadamente sobre o seu retorno glorioso, eram
ensinos verdadeiros, firmados na realidade, não se
tratando de invenções humanas.
O que Pedro quer dizer quando afirma
que seu ensino não seguiu fábulas
artificialmente compostas?

Que os seus ensinos não foram elaborados


ardilosamente pela mente humana.
A expressão "nós vimos a sua majestade"
(v.16) refere-se a qual episódio na Bíblia?

Ao episódio em que ele, juntamente com Tiago e


João, presenciou a transfiguração de Jesus no
monte santo, conforme registrado nos Evangelhos
(Mt 17.1-13; Mc 9.2-13; Lc 9.28-36).
Conforme a lição, como devemos ler a Bíblia?

Devemos ler a Bíblia com o propósito de entender


o propósito de Deus, com o auxílio do Espírito
Santo, pois sendo Ele o agente de inspiração, é
também Ele quem nos ensina a interpretá-los
corretamente e aplicá-los à vida.
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e
Suas Heresias
Deus Abençoe !