Você está na página 1de 18

ESPIROMETRIA

Caso 4: avaliação funcional


(em paciente ex-tabagista
com anormalidade radiológica pulmonar)

Dr. Paulo Gurgel


Dados clínicos (1)
• JSCM, sexo masculino, 47 anos
• Peso: 66 kg / Estatura: 1,68 m / IMC: 24kg/m2
• Tabagismo: 48 anos-maço (com abstenção há
8 meses após sofrer IAM)
• História pessoal negativa para tuberculose e
para exposições ocupacionais de risco
• História familiar negativa para enfisema
pulmonar (EP)
Dados clínicos (2)

• Indicações da espirometria: anormalidade


radiológica pulmonar / “ex-tabagismo”
• OBS. – Espirometria com prova BD há 6
meses
RX do tórax
TC do tórax
TC do tórax
VVM = 88%

CVL = 102%

IVA = %VVM / %CVL = 88 / 102 = 0,86


Espirograma - Curvas VT
Espirograma - Curvas FV
Resultados

Parâmetro Previsto LIN Pré-BD Pós-BD Pré-BD –


(% Previsto) (% Previsto) Pós-BD
CVF (L) 4,27 3,33 4,41 (103%) 4,43 (104%) 0,02

VEF1 (L) 3,48 2,69 3,34 (96%) 3,37 (97%) 0,03 (1%)

VEF1/CVF 0,82 (90%) 0,76 (93%) 0,76 (93%)

FEF25-75/CVF 0,84 (60%) 0,58 (69%) 0,60 (72%)

PFE (L/s) 8,15 10,96 (134%) 10,29 - 0,67


(126%)
Laudo

• Espirometria normal
• Prova BD: sem variação significativa após
BD durante o exame
• Estabilidade dos parâmetros obtidos nesta
espirometria com relação aos da anterior
Conclusão
EP DPOC
Aumento permanente do espaço Limitação de fluxo aéreo
aéreo distal ao bronquíolo Parcialmente reversível
terminal Usualmente progressiva
Acompanhado de destruição das Resposta pulmonar inflamatória
paredes alveolares
Com ou sem sintomas
Sem “fibrose óbvia” (?)
Consenso Brasileiro sobre a
Terminologia dos Descritores de TC
SEM
do Tórax (J Bras Pneumol 2005;
31(2): 149-56)
DOENÇAS OBSTRUTIVAS

R
O
B
ENFISEMA B.
B. CRÔNICA
Crônica E
S V
T E
R
R
U
Ç S
Ã
O ASMA Ã
O
DPOC sem EP?

Bronquite crônica

DPOC Bronquiolite

Enfisema pulmonar
Função Pulmonar: + estudos

• Pletismografia (VR, CPT)


• Teste de caminhada (distância percorrida,
dessaturação da oxihemoglobina)
• Capacidade de difusão do CO (transferência
gasosa)
• Teste de exercício cardiopulmonar (reserva
ventilatória, potência aeróbica)
• Oscilometria de impulso (resistência de VRI)
CPT (% PREVISTO)
140%
120%
100%
80% CV
60% VR
40%
20%
0%
N O O(HI)

N = normal
O = obstrução
O(HI) = obstrução com hiperinsuflação
Conduta
• Abordagem (anatomia x função)
• Reforço ao abandono do tabagismo – a única
medida efetiva para reduzir o risco do
desenvolvimento da DPOC e interromper
sua progressão (Evidência A)
• Vacina anti-influenza anual (Evidência A)
• Espirometrias de controle
• Exercícios físicos intensos  risco de
pneumotórax
GRATO PELA ATENÇÃO

scribd.com