Você está na página 1de 26

USCA

UNIDADE DE SUPERVISÃO DE
CORRENTE ALTERNADA
USCA – UNIDADE DE SUPERVISÃO DE CORRENTE ALTERNADA

A Unidade Supervisora de Corrente Alternada, destina-se a efetuar o


comando, medição, sinalização e proteção de grupo gerador em automático
ou manual.
MENSAGENS VIA TELA
COMANDO MANUAL

Liga GMG

Desliga GMG

Liga Carga GMG

Desliga Carga GMG

Liga carga da Rede

Desliga Carga Rede

Reposição da USCA

Silencia Alarme (Buzina)

Teste de LEDs
Características das classes de falha (Alarmes e Desligamento)

Classe 1

Apenas uma mensagem de aviso irá aparecer no display. São elas:

a) Bateria anormal;
b) Nível de combustível;
c) Defeito na unidade retificadora de bateria (Carregador de bateria);

Classe 2

São falhas que provocam a abertura do contator/disjuntor motorizado do GMG, mas não faz
parar o motor imediatamente, iniciando antes o processo de resfriamento do motor. Nos
modos Manual e Teste, ou se o grupo não tiver alimentado a carga, a parada ocorrerá
imediatamente após detectada a falha.

a) Sobrecarga;
b) Alta temperatura;
c) Sub-freqüência;
d) Falha na partida;
e) Baixo nível de água;
f) Subtensão.
Características das classes de falha (Alarmes e Desligamento)

Classe 3

São falhas que provocam a parada imediata do GMG, independente do modo de


operação.

a) Sobrefrequência;
b) Sobrevelocidade;
c) Sobretensão;
d) Baixa pressão de óleo;
PROTEÇÕES QUE A USCA DEVE CONTER

Em geral, ajusta-se os sensores para variações de 10% de Tensão e 5% de


Frequência, e um tempo de confirmação de 2 a 5 seg.
REPOSIÇÃO DA USCA
FUNCIONAMENTO EM MANUAL ( TRANSFERÊNCIA ABERTA)

A rede poderá ser conectada ou desconectada do barramento de carga, sendo a


conexão imediata, isto é, sem o tempo de retardo para comutação dos
dispositivos de conexão ao barramento de carga desde que a tensão e a
frequência estejam dentro das faixas adequadas de operação.
Através das teclas do painel frontal do módulo da USCA pode-se partir ou parar o
GMG de forma imediata, isto é, sem o tempo de arrefecimento do GMG.

O GMG poderá ser conectado ou desconectado do barramento de carga, sendo


sua conexão imediata, isto é, sem o tempo de retardo para comutação dos
dispositivos de conexão ao barramento de carga, porém isto somente será
possível se a tensão e a freqüência estiverem dentro das faixas adequadas de
operação.
FUNCIONAMENTO AUTOMÁTICO ( TRANSFERÊNCIA ABERTA)

Toda vez que houver energização CC (Tensão da Bateria: 12, 24 ou 36V) do


equipamento e estando a energia comercial (Rede) dentro das características
especificadas, será comandada a sua imediata conexão ao barramento de carga.

Quando for detectado pela USCA que a tensão ou frequência da concessionária


estão fora dos valores especificados, o disjuntor de rede desconecta a carga do
barramento de carga, obedecendo a temporização de rede anormal programada.
Após esta temporização será iniciada a temporização de retardo de partida do
GMG, e em seguida será comandada a partida do Grupo.

Caso a energia comercial (REDE) retorne às condições especificadas durante a


temporização de confirmação de rede anormal, está temporização será
cancelada e haverá comando para religamento do contator/disjuntor da rede,
observado a temporização de retardo para comutação.
FUNCIONAMENTO AUTOMÁTICO

Quando ocorrer tensão ou frequência de rede anormal e o contator/disjuntor da rede


apresentar defeito (dispositivo não abre), não haverá o comando para acionamento
do contator/disjuntor motorizado do GMG.

Nos casos de ocorrência de sobrecarga no barramento de carga quando o GMG


estiver alimentando a carga, ocorrerá uma falha do tipo classe 2 provocando
abertura imediata do contator/disjuntor do GMG, porém o motor não irá parar
imediatamente até que o processo de pré-resfriamento seja concluído, a sinalização
local e remota permanecerá até a normalização do defeito.

A partida sem sucesso do GMG ocorrerá em número ajustável de até duas vezes
obedecendo a temporização de acionamento do motor de arranque, havendo um
tempo de descanso do motor de arranque entre cada tentativa. Caso o GMG não
parta após a última tentativa, haverá uma falha do tipo classe 2 ocorrendo
sinalização local de Falha na Partida, está sinalização será mantida até a reposição
do defeito.
FUNCIONAMENTO AUTOMÁTICO

Caso haja partida do GMG bem-sucedida, haverá sinalização remota de “GMG em


Operação” vinculada a este evento.

A conexão do GMG ao barramento de carga será efetuada após o tempo de


estabilização pré-programado no módulo da USCA.

A detecção de sobrevelocidade do GMG será realizada contínua e


ininterruptamente, portanto se ocorrer o evento haverá uma falha do tipo classe 3,
com sinalização local de sobrevelocidade e o grupo é comandado para parar
imediatamente.

Se a rede estiver com os parâmetros estabilizados, a USCA confirmará a volta à


normalidade pelo final da temporização de confirmação de rede normal. A
temporização será reiniciada toda vez que os sensores de tensão ou freqüência de
rede acusar o seu retorno às condições especificadas. Ao fim desta temporização
será comandada a desconexão do GMG e a conexão da REDE ao barramento de
carga.
FUNCIONAMENTO AUTOMÁTICO

Após a desconexão do GMG, a USCA colocará o GMG em funcionamento em vazio


durante o tempo de arrefecimento pré-programado, se durante este tempo de
arrefecimento do GMG ocorrer nova falha da rede, será executado o comando para
desconexão imediata da rede do barramento de carga, isto será sinalizado local e
remotamente e será efetuada a conexão do GMG ao barramento de carga após a
temporização de retardo para comutação dos dispositivos de conexão, cancelando o
procedimento de arrefecimento em curso.

Se durante o tempo de arrefecimento do GMG ocorrer algum defeito de GMG


(sobrefrequência, baixa pressão, sobretensão ou parada de emergência) será
comandada sua parada imediatamente.

Decorrido o tempo de arrefecimento do GMG, haverá o comando de parada do


GMG, ficando impossibilitado um comando de partida durante o tempo de parada do
GMG.
FUNCIONAMENTO AUTOMÁTICO

Caso ocorra uma “Falha na Parada” este será sinalizado local e remotamente,
impedindo um novo comando de partida do GMG até a reposição do defeito.

Ocorrendo a inoperância da unidade de controle (por exemplo, PLC), haverá a


sinalização local de “Defeito” tanto na USCA como na própria unidade de controle e
sinalização remota de “USCA Anormal”. Na ocorrência desses eventos haverá
desconexão da fonte CA em operação do barramento de carga, além do imediato
comando de parada do GMG, quando aplicável. Se a USCA perder a condição de
automatismo, passará a ser controlada de forma totalmente manual através de
dispositivos especiais.

No caso de ocorrência de falha na abertura do contator/disjuntor motorizado do


GMG (dispositivo não abre), haverá a sinalização local e remota do defeito,
permanecendo o GMG conectado ao barramento de carga até a reposição do
defeito. Ocorrendo algum defeito de GMG, será comandada a sua parada imediata,
além da respectiva sinalização local e remota.
USCAS - ANTIGAS
USCA - MICROPROCESSADA
USCA - MICROPROCESSADA
QUADRO DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA

O Quadro de Transferência Automática (QTA) é composto basicamente de


dois dispositivos de conexão, tendo-se por finalidade conectar fontes CA
distintas (Rede/GMG) ao barramento de carga, através de
contatores/disjuntores e sob o comando da USCA.
CARACTERÍSTICA DOS DISJUNTORES DO QTA – TRANSFERÊNCIA ABERTA
QTA – QUADRO TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICO
QTA - TRANSFERÊNCIA ABERTA ( FALTA DE ENERGIA )
TRANSFERÊNCIA ABERTA - RETORNO DE ENERGIA
COMANDO DOS DISJUNTORES DO QTA – TRANSFERÊNCIA ABERTA
TRANSFERÊNCIA ABERTA - CONTATORES
QTM – QUADRO DE TRANSFERÊNCIA MANUAL
DIAGRAMA QTA E QTM

Você também pode gostar