Você está na página 1de 14

Temas Polêmicos de Licitação e

Contratos Administrativos
Tatiana Camarão
LICITAÇÃO

Licitação é o procedimento administrativo mediante o qual a


administração pública seleciona a proposta mais vantajosa para o
contrato de seu interesse e visa propiciar iguais oportunidades aos
que desejam contratar com o Poder Público, dentro dos padrões
previamente estabelecidos pela Administração, e atua como fator de
eficiência e moralidade nos negócios administrativos (Hely Lopes
Meireles, “Licitação e Contrato Administrativo”).
Licitação

1. CONSTITUIÇÃO FEDERAL: Art. 22, Inciso XXVII

2. Lei n° 8.666/93: PREOCUPAÇÃO COM O COMBATE À CORRUPÇÃO

3. PRINCÍPIOS A SEREM OBSERVADOS (Art. 3º da Lei n° 8.666/93)

A licitação destina-se a garantir a observância do princípio constitucional da


isonomia e a selecionar a proposta mais vantajosa para a Administração e será
processada e julgada em estrita conformidade com os princípios básicos da
legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da
publicidade, da probidade administrativa, da vinculação ao instrumento
convocatório, do julgamento objetivo e dos que lhe são correlatos.

4. TESE DE MESTRADO DO DR. ALEXANDRE RIBEIRO MOTTA.


Planejamento da Licitação

• Identificação da Demanda
• Adequação da Demanda ao Mercado
• Adequação da Demanda às Novas
Tecnologias Disponíveis
• Verificação da disponibilidade Orçamentária
da Adequação ao Planejamento
Termo de Referência, instrumento que
contém – segundo dizemos – o código
genético das aquisições levadas a
efeito pelo Poder Público.

CHRISPIM, Anna Clara Duarte; SANTANA, Jair; CAMARÃO, Tatiana. Termo de Referência. 2ª
Edição. Editora FORUM. 2013
Legislação

LEGISLAÇÃO - COMPRAS
Lei 8.666/93
Art. 14. Nenhuma compra será feita sem a adequada caracterização
de seu objeto e indicação dos recursos orçamentários para seu pagamento,
sob pena de nulidade do ato e responsabilidade de quem lhe tiver dado
causa.
LEGISLAÇÃO – PREGÃO
Lei nº 10.520/00 – Lei que rege o pregão – mais técnica
Art. 3º, inciso II: “a definição do objeto deverá ser precisa, suficiente e
clara, vedadas as especificações que, por excessivas, irrelevantes ou
desnecessárias, limitem a competição.”
Termo de Referência - Legislação

Art. 8. A fase preparatória do pregão observará as seguintes regras:


I – a definição do objeto deverá ser precisa, suficiente e clara,
vedadas especificações que, por excessivas, irrelevantes ou
desnecessárias, limitem ou frustrem a competição ou a realização do
fornecimento, devendo estar refletida no Termo de Referência;
II – o Termo de Referência é o documento que deverá conter
elementos capazes de propiciar a avaliação do custo pela
Administração, diante de orçamento detalhado, considerando os
preços praticados no mercado, a definição dos métodos, a estratégia
de suprimento e o prazo de execução do contrato;
Importante para elaborar TR

O que se quer?
Quem quer?
Por quê se quer?
Como quer?
Para quando quer?
Para quê quer?
SÚMULA Nº 177 DO TCU

A definição precisa e suficiente do objeto licitado


constitui regra indispensável da competição, até
mesmo como pressuposto do postulado de igualdade
entre os licitantes, do qual é subsidiário o princípio da
publicidade, que envolve o conhecimento, pelos
concorrentes potenciais das condições básicas da
licitação, constituindo, na hipótese particular da
licitação para compra, a quantidade demandada uma
das especificações mínimas e essenciais à definição do
objeto do pregão.
Procedimentos

Padronização
Pré-Qualificação
Amostra
Indicação de marca
Licitação Sustentável

Pilares da licitação:
- promoção do desenvolvimento nacional
sustentável (Lei 12.349/10)
- princípio constitucional da isonomia;
- seleção da proposta mais vantajosa para a
Administração.
POSICIONAMENTO DO TCU

• Revista Licitações e Contratos, Orientações e


Jurisprudência do TCU: recomendação de que
na definição do objeto há que se observar as
peculiaridades do mercado, as exigências da Lei
de Licitações e os critérios de sustentabilidade
ambiental.
• TCU, Acórdão n° 1152/2011: os órgãos de
controle estão mais antenados e punirão no
caso de descuido com a sustentabilidade.
Dispositivos Legais que tratam da Pesquisa Mercadológica

Lei n° 8.666/93
- Art. 7º,§ 2º, II;
- Art. 40º
Lei nº 10.520/02
- Art. 3º, I e III
INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 5, DE 27 DE JUNHO DE 2014
(MPOG)

I - Portal de Compras Governamentais -


www.comprasgovernamentais.gov. br;
II - pesquisa publicada em mídia especializada, sítios
eletrônicos especializados ou de domínio amplo, desde
que contenha a data e hora de acesso;
III - contratações similares de outros entes públicos, em
execução ou concluídos nos 180 (cento e oitenta) dias
anteriores à data da pesquisa de preços; ou
IV - pesquisa com os fornecedores.