Você está na página 1de 12

POLÍGRAFO

COLÉGIO E FACULDADE MAUÁ


NOMES: ANNE KAROLYNE, HIAGO D'LUCA E KLEYTON DE ARAÚJO
DATA:05/09/2019
O QUE É UM POLÍGRADO
O Polígrafo é um aparelho que é utilizado para monitorar e
detectar os sinais e as reações de uma pessoa. Esses sinais e
reações estão ligados aos níveis de ansiedade da pessoa ligados
ao ato de mentir. Os polígrafos medem sinais corporais como: as
batidas do coração, a pressão arterial, a respiração. E é através
da análise dessas variações fisiológicas, que os especialistas
conseguem detectar indícios ou não se a pessoa está a contar
uma mentira.
HISTÓRIA DO POLÍGRAFO
O instrumento do polígrafo teve um desenvolvimento que se foi adaptando
aos avances da tecnologia electrónica.
Em 1915 William Marston aplicou um método descontínuo de registrar a
pressão sanguínea sistólica na detecção da mentira, realizando perguntas
com intervalos e pressões diferentes. O Dr. Marston, seguindo trabalhos
anteriormente realizados, publicou os resultados de seu trabalho da pressão
sistólica como sintoma da mentira. Hoje em dia este canal de medição, canal
cardíaco está baseado nos trabalhos do Dr. Marston, com a diferença que a
medição cardíaca atualmente é contínua e não descontínua.
COMO FUNCIONA
O instrumento do polígrafo é um aparelho médico que regista
reações fisiológicas emitidas pelo organismo humano. Estas
reações são consequência de estímulos apresentados a um
examinado. O estímulo mais comum utilizado num teste do
polígrafo são perguntas. As reações fisiológicas de um
examinado são registadas pelo polígrafo e mais tarde analisadas
pelo técnico do polígrafo.
O sistema nervoso autónomo no momento que percebe esse perigo prepara
o nosso organismo para se defender e libera adrenalina no organismo que
prepara o nosso organismo para se defender. Esta defesa se torna
normalmente em fuga, na luta ou congelamos.

Este estado de fuga, luta ou imobilização faz que o nosso organismo


experimente alterações. Estas mudanças são entre outras, subida de pressão
sanguínea, alteração na respiração e no suor.

O instrumento do polígrafo digital tem como base um sistema de aquisição de


dados (SAD) e diferentes acessórios que vão permitir ler/registar as
alterações fisiológicas no organismo do sujeito examinado.
Um polígrafo regista pelo menos os 3 canais principais para poder ser
considerado um polígrafo. Estes canais são:
• Respiração;
• Pressão sanguínea;
• Suor.
O polígrafo utiliza diferentes acessórios para medir estes canais que são:
• Pneumógrafo para medir e registar o canal da respiração;
• Esfigmomanómetro para medir e registar o canal da pressão sanguínea que
se compõe de uma braçadeira e um manómetro;
• Galvanómetro, também conhecido como GSR para medir e registar o canal
da condutância galvânica da pele (suor).
PASSOS PARA FAZER O TESTE

Os passos 1 até 3 são normalmente realizados numa só sessão. Esta sessão


que é a de recolha de informação para posterior analise tem uma duração de
aproximadamente 60 a 120 minutos, dependendo do caso a tratar.
• Definição do objectivo do teste e explicação do funcionamento do polígrafo
• Entrevista sobre o tema a investigar/aclarar
• Recolha dos dados fisiológicos com polígrafo
• Relatório do resultado e opinião do técnico do polígrafo
• roximadamente 60 a 120 minutos, dependendo do caso a tratar.
CASOS ESPECÍFICOS

• ENGANO NÃO DETECTADO: O examinado era verdadeiro nas suas respostas


às perguntas apresentadas sobre o assunto investigado e por isso passou o teste
do polígrafo

• ENGANO DETECTADO: O examinado não era verdadeiro nas suas respostas


às perguntas apresentadas sobre o assunto investigado e por isso não passou o
teste do polígrafo

• INCONCLUSIVO: Os dados recolhidos foram escassos para poder dar uma


opinião profissional sobre o assunto investigado.
FORMAS DE BURLAR O POLÍGRAFO

• Diga apenas o necessário;


• Não admita nada relevante;
• Responda as perguntas de maneira séria e firme, sem hesitar;
• Respire normalmente;
• Altere o ritmo da sua respiração durante as perguntar de controle;
• Lidar com a entrevista pós-teste.
CONCLUSÃO

• o poligrafo NÃO DETECTA MENTIRAS, pois indica mudanças emocionais


nas pessoas, normalmente relacionadas ao nervosismo, desconforto ou
medo, ocasionando em uma pista com a ajuda do Programação
Neurolinguística (PNL) para descobrir se o entrevistado esteja mentindo e
descobrir a verdade