Você está na página 1de 61

ENCERAMENTO

DIAGNÓSTICO
MANUAL E DIGTAL
PARA PLANEJAR;
• CUIDADOS A SEREM TOMADOS COM A ATM
• PODEMOS FAZER MUDANÇAS POSSIVEIS ,SEM ALTERAÇÃO NA
DIMENSÃO VERTICAL OCLUSAL INDICADA PELO CD
• REGISTRO OCLUSAL FEITO PELO CD.
• E OUTROS CUIDADOS QUE SERÁ VISTO NO PASSO A PASSO DO
PLANEJAMENTO.
A Oclusão no Enceramento de
Diagnóstico
• Devido a um planejamento inicial incorreto, muitos trabalhos protéticos
precisam ser refeitos, no qual, na maioria das vezes, é consequência da
falta de um enceramento de diagnóstico prévio (ZANI et al., 1991). A
oclusão dentária não pode mais ser resumida como uma condição
estática, pois os movimentos mandibulares podem levá-la às mais variadas
posições. A oclusão pode ser cêntrica, desviada para direita e para a
esquerda, protruída ou retruída. Ela se encontra estabelecida por uma
codificação e um plano genético que poderão sofrer alterações intrínsecas
e extrínsecas, antes do nascimento ou, principalmente, na vida pósnatal
(BASSANTA, 1989). Esta revisão de literatura visa enfatizar a importância
do uso do enceramento de diagnóstico, baseado nos determinantes de
oclusão, para se chegar a um resultado final ótimo na reabilitação bucal do
paciente.
VANTAGENS
• As vantagens em se confeccionar o enceramento de diagnóstico estão em poder
realizar uma análise oclusal detalhada, planejar os tipos de preparo a serem
empregados e ainda avaliar a possibilidade de tratamento ortodôntico e cirúrgico
(BASSANTA, 1989). A harmonia entre forma, função e estética é uma das metas
mais procuradas dentre os procedimentos em odontologia, utilizando o
enceramento de diagnóstico, devidamente relacionado, de modo a conseguir, em
laboratório, individualizar a reabilitação do paciente para posteriormente, na
clinica, obter resultado almejado O enceramento é transferido para a situação
clinica usando dois tipos de matriz transparente: placa incolor de polipropileno e
cimento cirúrgico fotopolimerizavel (ZANI et al., 1991). Próteses parciais fixas
convencionais no enceramento de diagnóstico auxiliam na determinação do plano
oclusal e relação intermaxilar, e na obtenção da estética e da anatomia individual
dos dentes (CHICHE et al., 1991).
• No caso clínico onde o enceramento de diagnóstico é utilizado como
base, não somente para o paciente saber do resultado final, mas
moldado com silicona de condensação base pesada, para facilitar as
restaurações realizadas pelo profissional, acarretando resultado final
extremamente satisfatório (BASSANTA, 1989).
• No caso clínico, por meio da técnica do enceramento de diagnóstico
conseguiu a manutenção de uma PPR inferior, classe I de Kennedy, a
reconstrução de dentes artificiais já desgastados pelo uso para preservar
o rebordo alveolar, por intermédio do estabelecimento de
balanceamento bilateral trazendo mais conforto para o paciente além
de menor custo (BASSANTA, 1989).
Sistema Estomatognático
(PRESTON, 1987).
• O conceito de oclusão evoluiu, principalmente sob o aspecto
anátomo-funcional e, na atualidade, sabe-se que os dentes fazem
parte de um sistema complexo que se compõe de ossos, músculos,
articulações, estruturas moles anexas, sistema nervoso e muscular,
denominado Sistema Estomatognático (PRESTON, 1987).
• As funções específicas do sistema estomatognático são: mastigação,
deglutição, respiração, fonação e postura (CARLYLE, RICHARDSON,
1985)
QUANDO A OCLUSÃO É ACEITAVEL;
• Se as estruturas do sistema mastigatório estão funcionando
eficientemente e sem deficiência, a configuração oclusal é
considerada fisiológica e aceitável, não importando os contatos
dentais específicos. Desta forma, nenhuma mudança oclusal é
indicada (SHIRATA et al., 1999
MODELO DE ESTUDO ARTICULADO
• Os modelos de estudo montados são adequados para determinar a
praticabilidade de se alterar o relacionamento funcional dos dentes,
assim como a escolha do melhor método para se conseguir os
objetivos do tratamento. Com desgaste seletivo, o tratamento
sugerido é terminado nos modelos. O enceramento diagnóstico
funcional é desenvolvido no sentido de preencher os objetivos do
tratamento. Enquanto o enceramento está sendo feito, o esquema
oclusal é desenvolvido de maneira apropriada para a situação
específica encontrada.
• O enceramento permite, não somente visualizar o resultado final
esperado, como também dar um discernimento de qualquer
problema que possa ser encontrado enquanto trabalhamos para
alcançar o objetivo. Depois de completado o enceramento, o
tratamento pode ser iniciado com maiores chances de sucesso
(FLORENCE et al., 2010).
INICIANDO O PLANEJAMENTO
• Os modelos de estudo, montados em RC, no articulador, permitem
realizar um enceramento diagnóstico dos dentes faltantes. A partir
deste serão obtidos guias com marcadores para as imagens
tomográficas, guias para procedimentos cirúrgicos e referências para
construção de restaurações provisórias e definitivas. Além do
planejamento prévio, também propicia a oportunidade de planejar os
contornos que facilitem a higienização, promovendo a saúde
periodontal (FLORENCE et al., 2010).
TÉCNICAS
• Através das técnicas de enceramento, as características naturais dos
dentes serão obtidas e analisadas. Pode-se verificar a necessidade de
cirurgias reconstrutivas prévias e/ ou o encaminhamento para outras
especialidades (GALATI, 2008). Outra função do enceramento é
permitir a confecção dos guias que irão assegurar que a
supraestrutura metálica esteja restrita ao volume da prótese
fabricada (HIGASHI et al., 2011).
• É muito frustante quando tempo e dinheiro são investidos na
confecção de uma prótese e o paciente não fica satisfeito com o
resultado estético. Condições preexistentes precisam ser examinadas
cuidadosamente de forma que o efeito de uma prótese na estética
possa ser determinado
• Caso durante o enceramento diagnóstico se verifique que o resultado
estético não seja o desejado, outros tipos de tratamento em conjunto
com a prótese fixa podem ser necessários. Isso pode incluir
Ortodontia, Periodontia, Endodontia ou Prótese Parcial Removível.
Depois que um bom resultado estético é conseguido, o dentista e
paciente podem visualizar a aparência da nova prótese. A expectativa
do paciente agora se torna real, o que minimiza qualquer
desapontamento. O tratamento assim pode começar com grande
chance de sucesso
RESPONSABILIDADE.
• É imprescindível que o profissional ou os profissionais envolvidos
tenham a capacidade de visualizar as características de uma futura
prótese, pois existem vários aspectos que devem ser analisados no
enceramento diagnóstico (FLORENCE et al., 2010).
TÉCNICAS PARA O ENCERAMENTO
O enceramento progressivo é feito através do acréscimo de cera em que se
obtém a função e a forma do dente a ser esculpido (BASSANTA, 1989). A oclusão
cúspide-fossa dá excelente distribuição de forças oclusais no sentido axial e
estabilidade dos dentes, já que nesta relação oclusal todas as cúspides cêntricas
ocluem com fossa. Assim, uma cúspide de suporte, no fechamento, é mantida
normalmente em posição firme e precisa, por três pontos de contato oclusal,
sendo este o conceito de tripoidismo (GALATI, 2008). Tripodismo é o princípio de
equilíbrio ou estabilidade por meio de três pontos. Relação que se estabelece
entre uma cúspide e sua fóssula antagonista, em que apenas suas vertentes se
tocam em três pontos, sem que a ponta da cúspide alcance o fundo da fóssula
(GALATI, 2008). A fossa é uma depressão criada por três
• elevações e a cúspide toma a forma de uma esfera. O contato entre estas
é similar ao de uma bola suportada por três dedos, criando um tripé.
Naturalmente, a cúspide nunca toca o fundo da fossa (GALATI, 2008).
• Esse relacionamento produz o máximo de estabilidade no sentido
vestíbulo-lingual e mesio-distal, com o mínimo contato, o que evita a
abrasão de ponta de cúspide funcional (GALATI, 2008). Ao contrário da
oclusão cúspide x fossa, que é estável com o tripoidismo, na oclusão
cúspide x crista marginal tanto a cúspide de contenção, como as cristas
marginais, tendem a se desgastar e a impactar alimentos no espaço
interproximal sendo potencialmente destrutiva ao periodonto (GALATI,
2008).
CONCLUSÃO
• Após a revisão de literatura pode-se concluir que para que um trabalho de reabilitação
bucal tenha prognóstico favorável, é de fundamental importância o planejamento
prévio e a integração entre o cirurgião, protesista, técnico de laboratório e higienista.
São três os aspectos indispensáveis a serem analisados para que, no final de uma
reabilitação bucal, seja conseguida a estabilidade oclusal, a liberdade de movimentos
mandibulares e a ausência de interferências conferindo assim, um estado de equilíbrio
do sistema estomatognático: dimensão vertical, guia anterior ou incisal e relação
cêntrica ou habitual. O enceramento de diagnóstico realizado nos modelos de estudo
irá auxiliar o cirurgião-dentista a verificar os possíveis locais propostos para a instalação
dos implantes, bem como definir a localização, direção e inclinação destes, e o seu
alinhamento e relacionamento com os dentes remanescentes, facilitando, desta forma,
a futura tarefa do protesista, na obtenção da prótese final. O enceramento de
diagnóstico é uma etapa essencial na avaliação do paciente.
• Através deste procedimento, a posição final dos dentes e o suporte
de tecido duro e mole requeridos podem ser antecipados, orientando
modificações no plano de tratamento
Occlusion in Diagnostic Wax
Revista Brasileira de Ciências da Saúde

• LIS MEIRELLES1 VLADI OLIVEIRA GUIMARÃES JÚNIOR


• LEVI RIBEIRO DE ALMEIDA JÚNIOR
• RITA DE CÁSSIA MARTINS MORAES
• CRESUS VINICIUS DEPES DE GOUVÊA3
CONSTRUÇÃO
ENCERAMEN
TO
DIAGNÓSTIC
O
VIDEO.
EVOLUÇÃO;
• De repente, a tecnologia evolui rapidamente, muda tudo e o que fazíamos de forma
analógica passa a ser realizado digitalmente. A busca incansável pela perfeição e pela
naturalidade sempre foi o objetivo de todos os dentistas e técnicos. A enorme
complexidade em replicar um dente, com todas as suas características, é um desafio
que precisa ser sempre superado.
• As novas técnicas associadas a materiais restauradores modernos podem ser inúteis
se o resultado final não atingir as expectativas estéticas do paciente. Por esse
motivo, a equipe interdisciplinar deve se munir de todas as ferramentas possíveis
para melhorar a visualização dos problemas estéticos, criar soluções e apresentá-las
de forma eficaz para o paciente, e guiar com precisão os procedimentos clínicos e
laboratoriais para atingir resultados previsíveis. A utilização de ferramentas digitais
para aprimorar e facilitar o trabalho em equipe e a comunicação com o paciente
passa a ser fundamental nos dias de hoje – aliás, essa é a chave do sucesso, pois,
como sabemos, a comunicação visual é a mais impactante.
• São inúmeros os benefícios em adicionar a
tecnologia aos processos laboratoriais, em particular
os planejamentos diagnósticos e os provisórios, o
que tem levado à diminuição do tempo de execução
e, consequentemente, ao menor prazo de entrega.
BENEFÍCIO Além da redução dos custos, que é um dos melhores
resultados nos processos digitais, existe um claro
aumento da precisão, pois os planejamentos digitais
S. e os provisórios digitais conseguem atingir detalhes
realistas que auxiliam ainda mais o dentista e o
laboratório (por depender de menos etapas de
confecção). Os planejamentos e os provisórios são
confeccionados a partir de arquivos enviados de
scanners intraorais, modelos de gesso escaneados
em scanner de bancada ou até mesmo escaneando
as moldagens convencionais.
OBJETIVO.
• O objetivo de todo enceramento diagnóstico dental deve ser criar um design que
se integre com as necessidades funcionais, estéticas e emocionais do paciente. O
enceramento diagnóstico pode ser definido como um procedimento no qual as
restaurações ou reabilitações são planejadas e desenvolvidas em cera para
determinar e guiar procedimentos clínicos e laboratoriais.
ENCERAMEN • O enceramento diagnóstico analógico ou
convencional pode ser feito a partir do modelo
TO de gesso, em que as porções desgastadas dos
dentes e/ou de dentes ausentes são
DIAGNÓSTIC reconstruídos em cera ou modificados para
determinar os contatos dentários simultâneos e
O o plano oclusal desejados ao término da
ANALÓGICO reabilitação total.
ENCERAMENTO DIAGNÓSTICO
DIGITAL
• O enceramento diagnóstico digital é uma alternativa moderna e usa
scanners intra orais ou de bancada para ler a anatomia bucal do
paciente ou seu modelo de gesso, depois gera uma imagem 3D.
Aquilo que o cirurgião-dentista ou o técnico em prótese dentária faria
manualmente ou de forma analógica, agora é trabalhado no
computador, com imagens digitais e biblioteca de formas dentais –
dentro de um ambiente que favorece o trabalho altamente estético e
detalhista
3D ALTA RESOLUÇÃO
• partir do trabalho digital em 3D, a impressão 3D em alta resolução foi
um passo natural. Os sistemas de impressão 3D podem ser instalados
nos consultórios e nos laboratórios, no entanto, o mais importante
não é onde a impressora está, mas sim o benefício que ela
proporciona.
• Com o modelo tridimensional utilizado para o planejamento em mãos
– seja para diagnósticos, guias ou moldes para gerar alinhadores –,
todos ganham: o dentista e o técnico em prótese aumentarão a
produtividade, a rentabilidade e o resultado, enquanto o paciente
terá menor tempo de tratamento, maior conforto e maior qualidade.
• Planejamento digital realizado através
de modelo adquirido por scanner
intraoral. Mock-up realizado em boca
MOCK-UP depois de criar uma muralha de silicone
sobre um modelo impresso em
impressora 3D. Caso cedido por
Robertas Barankas, da Lituânia.
IMMODELO DE SCANER
ENCERAMENTO
MANUAL
Enceramento diagnóstico manual realizado em modelo de gesso. Caso
cedido por Nelson Silva.
ENCERAMENTO INDICANDO O PLANEJAMENTO
MANUAL
ESTUDO
DE
ESPAÇOS
DIASTEMA
E LINHAS
EM
OCLUSÃO
• ALINHAMENTO DAS LINHAS;
• LINHA MEDIANA
• LINHA SORRISO
• LINHA CANINA
• DIMENSÃO VERTICAL
CONCLUSÃ
O
LENTE DE CONTATO.
CIMENTAÇÃO.
ANTES
CONCLUINDO.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• O enceramento diagnóstico apresenta soluções personalizadas para o
planejamento do caso e oferece, por meio de estudo prévio, uma
resolução clínica ao paciente. Tem importância fundamental para
reabilitações extensas, casos complexos, comunicação com pacientes
ansiosos pelo resultado e integração entre profissionais da área,
resultando em uma perfeita função e estética da prótese dental,
independentemente de ser no modo analógico ou digital
• A Odontologia Digital proporcionou a redução de preços e de prazos
de entrega mantendo o padrão de alta qualidade. Consultórios e
laboratórios podem desfrutar dos benefícios de utilizar a tecnologia
para produzir planejamentos e peças odontológicas diretamente em
arquivos digitais, gerados por softwares de CAD/CAM ou por exames
de diagnóstico por imagem.
COORDENAÇÃO E CONVIDADO.
• Guilherme Saavedra
• Professor assistente do Depto. de Materiais Odontológicos e Prótese, e
professor da especialidade de Prótese Dentária do programa de pós-
graduação em Odontologia Restauradora – ICT Unesp.
• Telmo Rodrigues dos Santos
• Técnico em prótese dental; Dental designer – CAD/CAM oral designer;
Diretor técnico da Coterc Prótese Odontológica; Diretor científico do
Reference Learning Center; Autor do livro Clinical cases – restaurações
adesivas cerâmicas; Coautor dos livros A arte na Prótese Dentária: um
universo em harmonia, CAD/CAM no laboratório e na clínica: a Odontologia
digital e Visão clínica: casos e soluções.
Aplicações Clínicas do Enceramento
Diagnóstico na Reabilitação Oral
• O objetivo do presente trabalho é apresentar uma revisão crítica da
literatura científica, apresentando conceitos, definições, empregos e
limitações do enceramento diagnóstico
• Desta forma, o enceramento diagnóstico possibilita o planejamento
personalizado para cada caso clínico, resultando em uma perfeita
função e estética da prótese dental e consequente harmonia do
sistema. Palavras-chave: reabilitação bucal, oclusão dentária, sistema
estomatognático.
FINALIDADE
• O ED tem a finalidade de reconstruir a porção desgastada dos dentes
e substituir os dentes ausentes, de modo a determinar corretamente
o plano oclusal, os contatos simultâneos nos dentes posteriores e guia
anterior.3 A técnica do ED tem a função de guiar o cirurgião-dentista
no correto diagnóstico
DEFINIÇÃO
• O enceramento diagnóstico pode ser definido como um
procedimento em que restaurações e reabilitações são planejadas e
desenvolvidas em cera para determinar e guiar os procedimentos
clínicos e laboratoriais.
• Pompeu e Prado8 relataram que a técnica de ED pode ser importante
também para evitar o sobrecontorno de próteses fixas na região
cervical e, desta forma, facilitar o acesso à higienização e,
consequentemente, a diminuição do acúmulo de placa
bacteriana,8,9,10 proporcionando longevidade ao tratamento
reabilitador.
• A montagem dos modelos de estudo em articulador oferecem duas
vantagens principais no diagnóstico. Primeiro, melhora a visualização
do relacionamento estático e dinâmico dos dentes e possibilita a
observação da oclusão do paciente que pode ser visualizada por
lingual, a qual não pode ser examinada clinicamente. A segunda
vantagem diz respeito à facilidade de visualização dos contatos
oclusais por meio dos movimentos mandibulares. No articulador, os
movimentos mandibulares do paciente e os contatos oclusais podem
ser observados sem a influência do sistema neuromuscular, o que
tolera alteração na dimensão vertical de oclusão (DVO) para
• futura instalação da prótese. Dessa maneira, a utilização do
articulador semiajustável tornase imprescindível na montagem dos
modelos de estudo para diagnóstico do caso clínico.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
• 1. Viana PC, Correia A, Neves M, Kovacs Z, Neugbauer R. Soft tissue waxup and mock-
up as key factors in a treatment plan: case presentation. Eur J Esthet Dent. 2012; 7(3):
310-23. 2. Zani IM, Rode SM, Santos JFF. O uso de resina composta como auxiliar na
reabilitação oral. Rev Amb Odontol. 1991; 1(6): 119-22. 3. Kahng LS. Patient-dentist-
technician communication within the dental team: using a colored treatment plan
wax-up. J Esthet Restor Dent. 2006; 18(4): 185-93. 4. Simon H, Magne P. Clinically
based diagnostic wax-up for optimal esthetics: the diagnostic mock-up. J Calif Dent
Assoc. 2008; 36(5): 355-62. 5. Chiche CA, Pinault DC, Bassanta AD, Morgan G.
Consideration for fabrication of implantsupported posterior restaurations. Int J
Prosthodont. 1991; 4(1): 37-44. 6. Moslehifard E, Nikzad, S, Geraminpariah F,
Mahboub F. Full-mouth rehabilitation of a patient with severely worn dentition and
uneven occlusal plane: A clinical report. J Prosthodont. 2012; 21(1): 56-64.
•7
Aplicações Clínicas do Enceramento
Diagnóstico na Reabilitação Oral.
• Mestranda do Departamento de Prótese Dentária e Periodontia
Faculdade de Odontologia de Piracicaba, UNICAMP Universidade
Estadual de Campinas
• PauLa FurLan Bavia Mestranda do Departamento de Prótese Dentária
e Periodontia Faculdade de Odontologia de Piracicaba, UNICAMP
Universidade Estadual de Campinas.
• Larissa soares reis viLanova Doutoranda do Departamento de Prótese
Dentária e Periodontia Faculdade de Odontologia de Piracicaba,
UNICAMP Universidade Estadual de Campina
• Lis MeireLLes Mestranda do Departamento de Prótese Dentária e
Periodontia Faculdade de Odontologia de Piracicaba, UNICAMP
Universidade Estadual de Campinas
• PauLa FurLan Bavia Mestranda do Departamento de Prótese Dentária
e Periodontia Faculdade de Odontologia de Piracicaba, UNICAMP
Universidade Estadual de Campinas.
• Larissa soares reis viLanova Doutoranda do Departamento de Prótese
Dentária e Periodontia Faculdade de Odontologia de Piracicaba,
UNICAMP Universidade Estadual de Campinas
• Submetido em: 13-4-2013 Aceito em: 4-6-2013
ESTUDO;
TRANSFERÊNCIA
DO ESTUDO E DO
ENCERAMENTO
PARA SILICONE
ANTES E
DEPOIS
VARIOS TIPO
PRÓTESES
MOCK-UP
• O mock-up é uma ferramenta que ajuda tanto ao profissional quanto ao paciente
antecipar o que seria o resultado final do tratamento em apenas alguns minutos!
• Quando traduzido da lingua inglesa mock-up significa "maquete", mas em se tratando
de dentes consideramos um "ensaio intra-oral" que permitirá que possamos avaliar as
proporções, naturalidade e até mesmo fonética. O mais interressante é saber que para
fazer este teste estético não é necessário qualquer desgaste nos dentes, porém para
que a "mágica" aconteça como apresentada no vídeo, foi necessário moldagens das
arcadas, fotos intra e extra orais, que são enviadas para o nosso laboratório de próteses
aonde os ténicos se dedicarão criteriosamente a "esculpir" em cera o seu novo sorriso.
• A partir deste enceramento de diagnóstico uma barreira de silicona é confeccionada
para servir de uma espécie de "fôrma" para que a resina bisacrílica de teste seja
aplicada aos dentes.