Você está na página 1de 6

Iniquidades e Injustiça

Social: População Indígena

Equipe: Anna Luísa, Cláudia Maísa, Filipe Ribeiro, Indaiara


Moreira, Jande Santos, João Pedro, Kaio Henriques
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
• JUSTIÇA / INJUSTIÇA
“Justiça é a constante e perpétua vontade de conceder o direito a si próprio e aos outros, segundo
a igualdade. No sentido moral, significa o respeito que há em cada um de dar a cada um o que é
seu. Sendo a Injustiça a falta de justiça, caracterizada pela calúnia, pelo suborno e pelas
falsificações. Mais especificamente: por não nos preocuparmos com o problema social; explorarmos a
miséria alheia; esquecermo-nos de devolver objetos emprestados; calarmo-nos, quando deveríamos
dizer a verdade".
• IGUALDADE/DESIGUALDADE
“Igualdade é a qualidade do que é igual, do que não tem diferença. Na ética e na política é o
princípio segundo o qual as prescrições, proibições e penas legais são as mesmas para todos os
cidadãos, sem acepção de nascimento, situação ou riqueza. E a Desigualdade a qualidade do que não
é igual, do que tem diferença.”
• EQUIDADE/INEQUIDADE
“Equidade é o substantivo feminino com origem no latim aequitas, que
significa igualdade, simetria, retidão, imparcialidade, conformidade. É uso da imparcialidade para
reconhecer o direito de cada um, usando a equivalência para se tornarem iguais. A equidade adapta a
regra para um determinado caso específico, a fim de deixá-la mais justa. Sendo a Iniquidade um
substantivo feminino da língua portuguesa e define algo ou alguém que tem um comportamento contrário
à moral, à religião, à justiça, à igualdade. É praticada por iníquos, ou seja, quem se opõem
a equidade e está associada ao ato de ser mau, injusto e perverso.”
Colonização e Direitos das
Populações Indígenas
• Colonialismo x Colonialidade
(Quijano, 1997, apud Assis, 2014)

• Marcos legais/históricos
Declaração da ONU 2007
Constituição Federal 1988
Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho

• Cidadania x Florestania
Como tratar o conceito de cidadania para os povos das florestas?
(KRENAK,2018)

Psicologia Social e Interintegração (MOESCH et al, 2018)


Populações Indígenas, Políticas Públicas
e Intervenções Psicossociais
• Pesquisa com populações indígenas (Grubits & Sordi, 2016)

• Populações Indígenas e Assistência Social


 Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
 Visitas domiciliares
 "Série Educação preventiva para DST/HIV/Aids e hepatites virais
entre os povos indígenas do Vale do Javari" (UNESCO, 2014)
 PROLIND - Convenção 169 da OIT
• O trabalho com Populações Indígenas e o referencial
teórico\técnico\ético da Psicologia Social
REFERÊNCIAS
ASSIS, Wendell F. T. DO COLONIALISMO À COLONIALIDADE: expropriação territorial
na periferia do capitalismo. CADERNOCRH,Salvador,v.27,n.72,p.613-
627,Set./Dez.2014

GRUBITS, S; Sordi, A. Pesquisas nas Comunidades Indígenas: relações de justiça e


igualdade. Bol. Acad.Paulista de Psicologia, São Paulo, Brasil. V. 37, n 92, p-
11-23, Set./Dez. 2016

KRENAK, Aílton. A Potência do Sujeito coletivo. Revista Periferias, V.1, N.1,


2018. Disponível em: revistaperiferias.org/materia/a-potencia-do-sujeito-
coletivo-parte-i/#_ftn0

MOESCH, Maria C.S.; MAGRO,Marcia L.P.D.; COMERLATTO, D. DISCURSOS E PRÁTICAS


PROFISSIONAIS E O ACESSO DE INDÍGENAS À POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL.Barbarói,
Santa Cruz do Sul, n51, p 90-112, jan/jun 2018
Aílton Krenak, Assembleia
Constituinte, 1987