Você está na página 1de 33

PLANEJAMENTO E CONTROLE

 Planejar significa decidir antecipadamente. Implica


optar por uma alternativa de ação em detrimento de
outras.
 Decidir antecipadamente constitui-se um controlar
seu próprio futuro.
Três níveis de decisão:
a) estratégicas- diz respeito a tudo o que se refere as
relações entre a empresa e o seu ambiente (Ansoff).
Voltado aos assuntos externos
b) táticas- consiste em estruturar os recursos da
empresa para obter maximização do desempenho.
c) operacionais- ligadas a obtenção dos objetivos,
metas e indicadores em nível operacional
Prentice Hall 1
PLANEJAMENTO E CONTROLE
 Planejamento empresarial - abrange o processo em
sua totalidade, envolvendo o plano estratégico, o
administrativo e o operacional

 Plano de negócio ou empresarial - é a formalização


do processo de planejamento. Decidir fazer
antecipadamente antes do fator requerer a decisão.

 Significa selecionar no ano x0 as alternativas que irá


implementar em x1, quais os produtos que deve
lançar, o volume de investimentos, o nível de vendas.

Prentice Hall 2
PLANEJAMENTO E CONTROLE
 Vantagens de planejamento:
1) coordenação de atividades de maneira apropriada
2) tomada de decisões antecipadas revelando novas
perspectivas e abordagens
3) comprometimento da gerencia a priori com as metas
4) transparência entre as várias áreas da empresa
5) definição de responsabilidades por unidade de negócio,
por departamento ou por centro de resultado
6) permite monitoramento dos indicadores e avaliação do
progresso

Prentice Hall 3
PLANEJAMENTO E CONTROLE
 Limitações do planejamento:
1) baseia-se em estimativas;
2) deve se adaptar as novas circunstâncias-
necessidade de revisões periódicas, em face da
volatilidade do ambiente;
3) a execução não é automática- depende das
pessoas;
4) não deve tomar o lugar da administração- deve se
inserir alterações sempre que algo de importante o
exigir

Prentice Hall 4
Premissas Planejamento empresarial

Estratégico Tático Operacional

Ambientação Formulação Programação Planejamento


da empresa da estratégia estratégica financeiro e
orçamento
•missão •Objetivos:
Competências •objetivos negócio •orçamento
e capacidades •estratégias funcional negócio
da empresa •alocação de funcional
recursos •controles
•indicadores •validação da
Expectativa
•estratégia
dos interesses
internos e
externos Revisão e validação

Prentice Hall 5
QUADRO SINÓTICO DE PLANEJAMENTO
 Âmbito das premissas:
 a) expectativas dos agentes externos - acionistas,
clientes, comunidade - pressionando os internos -
executivos; b) diagnóstico é analisado segundo fatores
macroambientais: potencialidade do setor, riscos e
micro- ambientais: potencialidades regionais do
segmento; c) competências físicas, operacionais e de
pessoas devem ser analisadas

 Planejamento Estratégico
 a) definição da missão: explicita porque a organização
existe e qual sua contribuição para o ambiente. Na
missão deve se considerar o mercado, o cliente, os
produtos, o acionista e as atividades a serem
desenvolvidas
Prentice Hall 6
QUADRO SINÓTICO DE PLANEJAMENTO

 b) objetivos de longo prazo: possibilitam o


monitoramento da missão no longo prazo. Devem
ser negociados com os acionistas, conter indicadores
quantitativos (principalmente financeiros) de curto e
médio prazo.Para sua elaboração, deve se analisar o
ambiente externo: o cenário econômico, político,
fiscal, tecnológico, a concorrência e o mercado.

Prentice Hall 7
QUADRO SINÓTICO DE PLANEJAMENTO

 c) estratégias: explicam como os objetivos podem


ser atingidos. Faz-se uso da técnica do SWOT:
 c1) ameaças e oportunidades- mostra a organização
olhando para fora e identificando oportunidades
potenciais e ameaças existentes ou por vir;
 c2) pontos fortes e fracos- o lado interno em que a
organização aprimora suas forças e persegue
eliminação das fraquezas.

Prentice Hall 8
FATORES INTERNOS
FATORES EXTERNOS Fraquezas Forças
SOBREVIVÊNCIA MANUTENÇÃO
Ameaças

• Redução de Custos
• Desinvestimento
• Liquidação do
Negócio
Oportunidades

CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO

Prentice Hall 9
FATORES EXTERNOS FATORES INTERNOS
Fraquezas Forças
SOBREVIVÊNCIA MANUTENÇÃO
Ameaças

• Estabilidade
• Nicho
• Especialização
Oportunidades

CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO

Prentice Hall 10
FATORES EXTERNOS FATORES INTERNOS
Fraquezas Forças
SOBREVIVÊNCIA MANUTENÇÃO
Ameaças
Oportunidades

CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO
• Inovação
• Joint-Venture
• Expansão
• Internacionalização

Prentice Hall 11
FATORES INTERNOS
FATORES EXTERNOS Fraquezas Forças
Ameaças
Oportunidades SOBREVIVÊNCIA MANUTENÇÃO

CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO
• De Mercado
• De Produção
• Financeiro
• Diversificação

Prentice Hall 12
QUADRO SINÓTICO DE PLANEJAMENTO
 Planejamento Tático
 Destina-se a escolher os meios pelos quais vão ser
atingidos os objetivos específicos de cada atividade
desenvolvida pela organização - vendas, marketing,
finanças, recursos humanos. Envolve as seguintes
fases:
a) planejamento organizacional - promove alterações
na estrutura da organização para acompanhar as
mudanças;
b) programas de ação no âmbito funcional -
alterações na estrutura funcional;
c) programas de ação no âmbito dos negócios -
alterações no mercado e clientes;
d) planejamento e desenvolvimento dos recursos -
alocação das verbas, definição de responsabilidades
Prentice Hall 13
QUADRO SINÓTICO DE PLANEJAMENTO
 Planejamento Operacional
 É a pormenorização dos objetivos e estratégias do
planejamento tático em cada área da organização,
visando especificar os objetivos traçados. A peça mais
importante desta etapa é o planejamento financeiro ou
a orçamentação.
 Os elementos básicos de política para o planejamento
financeiro compreendem: a) oportunidades de
investimento que a empresa pretende aproveitar; b) o
grau de endividamento que a empresa decide adotar; c)
política de dividendo aos acionistas.
 Importantes implicações financeiras nas estratégias da
IBM para alcançar objetivo de igualar crescimento do
mercado de computadores, de 15%

Prentice Hall 14
PLANEJAMENTO FINANCEIRO
 Planej. Financeiro formaliza o método pelo qual as
metas financeiras devem ser alcançadas. É uma
declaração formal do que deve ser feito no futuro.
 O que se consegue com o processo de
planejamento?
1) Interações. Explicitar vinculações entre propostas
de investimento e as alternativas de financiamento
disponíveis; 2) Opções. Oportunidade de examinar e
escolher a melhor dentre as diversas opções de
investimento e financiamento; 3) Viabilidade. Escolha
da opção que melhor se ajusta aos objetivos da
empresa; 4) Antecipar-se. Elaborando diversos
cenários, a empresa deve identificar o que ocorrerá
no futuro caso certos eventos aconteçam.
Prentice Hall 15
PLANEJAMENTO FINANCEIRO
 Em resumo, o planej. financeiro envolve:

– construir um modelo financeiro da empresa


– descrever cenários distintos do futuro
– usar os modelos para preparar demonstrações
financeiras projetadas
– aplicar os modelos sob cenários diferentes
– examinar as implicações financeiras dos planos
estratégicos resultantes

Prentice Hall 16
The Master Plan
1. Metas da organização 3. Plano de
investimento
2. Plano de Vendas

5. Plano de Produção 6. Plano de capacidade


4. Política de estoque
Produtiva

7. Plano de
8. Plano de MOD e RH 9. Gastos
Matéria-prima
operacionais
10. Resultado Financeiro
Esperado

11. Demostrativo de Fluxo 12. Balanço e Lucros


de caixa e perdas projetados

Prentice Hall 17
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Cenário e premissas
Devem estar definidos antes da montagem do
planejamento. Considera o cenário político,
econômico, mercadológico e as premissas
econômico financeiras - inflação, salários, méritos,
variação cambial, variação dos insumos, juros.

Plano de Marketing
Composto de : plano de vendas. É a peça que
dispara todo o planejamento. Deve ter relação com
os objetivos estratégicos, participação da equipe de
vendas para sua elaboração e conter quantidade a
ser vendida, preços, prazos, juros, descontos etc
Prentice Hall 18
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano de vendas:previsões podem ser feitas de
algumas maneiras:
- pesquisas de mercado
- modelos estatísticos a partir de tendências e previsão
de atividades econômicas e sua relação com o padrão
de vendas passado
- taxa estimada sobre níveis anteriores de demanda
- julgamento da equipe comercial
- previsão das vendas a partir do crescimento do
mercado e o market share desejado ou possível
Plano de marketing: contém ações nas áreas de
propaganda e publicidade para suportar as vendas e
normalmente definido como percentual sobre as
vendas previstas.
Prentice Hall 19
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano de despesas comerciais: todos os gastos
relacionados com a atividade comercial, como
salários dos profissionais da área, administração de
vendas, verba de representação, cobertura dos
vendedores por zona.

Tanto o plano de marketing como o de despesas


comerciais farão parte do plano de gastos
operacionais

Plano de Produção
É o confronto do plano de vendas com a política de
estoques e o nível de capacidade para se determinar
o plano de produção. É a etapa que disponibiliza os
produtos que serão comercializados.
Prentice Hall 20
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano de Produção
A definição da política de estoque depende de vários
elementos como demanda esperada e sua
vulnerabilidade e sazonalidade, o prazo de
produção, natureza do produto (deteriorável, de
moda etc), benefício da escala de produção versus
custo de estocagem (conceito do lote econômico).

Análise da capacidade instalada e necessidade de


novos investimentos para atender a demanda. O
pessoal da produção deve considerar antes formas
de modificar instalações existentes que gargalam o
processo de produção antes de investir em
capacidade. Potencial de terceirização deve ser
tratada como uma ação de longo prazo.
Prentice Hall 21
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano de compra/consumo de matéria prima
A partir da premissa de consumo de cada matéria
prima e a política de estoque, são calculados os
consumos por tipo de insumo.
Este plano serve para notificar os fornecedores das
necessidades e dos períodos esperados de entrega.
Como vendas se alteram ao longo do ano, o plano
de compras deve refletir essas mudanças e os
fornecedores estariam capazes de ajustar seus
planos também.

A partir da definição de preços, prazo de pagamento,


aumentos esperados e os impostos, as compras
valorizadas saem como conseqüência deste plano.
Prentice Hall 22
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano de necessidade de mão de obra
Consiste no cálculo do número de funcionários que
produzirão as quantidades definidas no plano de
produção. A partir das premissas das horas
trabalhadas, dos indicadores padrão horas
produtivas por produto/unidade e horas produtivas
por hora trabalhada, calcula-se o número de
pessoas necessárias.
Este plano se inicia pela data que os funcionários
são necessários e volta até a data em que eles são
recrutados e treinados a tempo. Este plano pode
incluir situações de expansão e contração, devendo
prever ações no caso de demissão de funcionários.

Prentice Hall 23
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano de Investimentos
Consiste na etapa em que as decisões de
investimento são consolidadas. Porque esses
projetos envolvem horizontes de tempo superiores a
um ano, este plano é função de um processo de
planejamento a longo prazo, ao invés de se restringir
a apenas o ciclo operacional de um ano.
Isto deve contemplar também as baixas ou vendas
de ativos não mais necessários a operação da
empresa.
Alem dos aumentos em máquinas e equipamentos,
este plano deve incluir investimento em informática,
instalações, móveis, carros etc

Prentice Hall 24
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano de Recursos Humanos
Deve incorporar as decisões referentes a estrutura
da organização, número de pessoas e as políticas
de RH, tais como, percentual de aumento de salário,
méritos, comissões dos vendedores.
Como decorrência, é possível projetar os gastos com
salários, encargos, demissões e admissões.
Este plano deve ser elaborado em consonância ao
plano de necessidade de mão de obra e plano de
marketing.
Nas áreas administrativas, todas ações de
automatização e produtividade devem se refletir no
número de funcionários.

Prentice Hall 25
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano de Gastos Operacionais
Tanto os custos como as despesas serão projetados
levando se em conta a sua adequação aos centros
de custos.
Um cuidado a ser tomado neste plano é a análise
das informações para evitar a repetição dos gastos
passados para o futuro ajustado pela inflação. Assim
as gorduras ou ineficiências serão repetidas para o
próximo exercício.
Deve-se questionar o porque dos gastos atuais e
envolver os responsáveis pelas áreas que tem
impacto sobre os gastos incorridos.

Prentice Hall 26
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Custo do produto
Perante o fisco, o único método aceito de custeio de
produto é o de absorção, onde todos os custos de
fabricação são alocados aos produtos.
Todos os custos transitam pelos estoques antes de
se constituírem em custos dos produtos vendidos.
O grande desafio consiste na escolha de critérios de
rateio dos custos indiretos de fabricação que
minimizem distorções no custo final dos produtos.
A abordagem do ABC contribui para redução das
distorções geradas pelos rateios.

Prentice Hall 27
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Plano Financeiro
É a etapa financeira do orçamento, onde todas as
decisões tomadas durante o planejamento financeiro
são traduzidas em sobra ou deficit de caixa.
Uma proposta de orçamento que não viabilize o
objetivo financeiro de longo prazo implica em
revisões e alterações.
As seguintes premissas são consideradas:
prazo de faturamento e dias de contas a receber;
prazo de pagamento e dias de contas a pagar;
as sobras ou deficits operacionais de caixa dão
margem a aplicações ou empréstimos;
juros de empréstimos ou de aplicação;
Prentice Hall 28
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Plano financeiro
política de financiamento a curto ou longo prazo?
se longo prazo, decidir pelo tipo de captação
se curto prazo, decidir pelo prazo de captação
outras movimentações não operacionais
consideradas, como pagamento dividendos,
aumento de capital, recebimento pela venda de
ativos etc

Prentice Hall 29
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Demonstrativo de Resultado
Consolida os impactos que definem o resultado da
empresa em um dado período.
Indicadores de desempenho são calculados com o
objetivo de identificar a adequação operacional da
empresa contra os objetivos inicialmente estipulados, tais
como:
% de lucro bruto e resultado líquido sobre o faturamento;
retorno sobre investimento;
retorno sobre patrimônio;
ponto de equilíbrio;
margem de segurança;
alavancagem operacional

Prentice Hall 30
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO
Balanço Patrimonial
Consolida a posição dos ativos e passivos da
empresa. A exemplo do Demonstrativo de
Resultados, indicadores de desempenho devem ser
estabelecidos, tais como:
índices de liquidez; posição de endividamento;
giro dos ativos

No encontro dos itens da demonstração de


resultados e do plano financeiro para se fechar o
balanço, surge a figura da variável de fechamento. A
compatibilidade entre os itens do ativo e passivo só
será possível mexendo na conta de capital, de
endividamento, reserva ou qualquer outra.
Prentice Hall 31
ETAPAS DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Análise de sensibilidade - what if


O processo de planejamento permite que a
administração considere estratégias alternativas.
Testam se modelos diferentes de planejamento
variando variáveis chaves.
Se o preço subir concomitante com redução no
volume (efeito elasticidade), que impacto traz nos
resultados, no caixa e na estrutura patrimonial?
E o inverso?
Se redesenhar o processo de manufatura, trazendo
redução no tempo de fabricação, como isto melhora
meus resultados?

Prentice Hall 32
ACOMPANHAMENTO ORÇAMENTÁRIO
Processo de controle é parte integrante do
planejamento, já que permite aprender, distinguir
desempenhos, alterar as premissas e implementar
as providências de correção. Não controlar não
indica onde se quer chegar.

Uma vez calculadas as variações, deve se investigar


as suas causas que podem ser devido a:
- erro de informações reais: elaboradas inadequadas
- decisões administrativas de instância superior
- fatores exógenos: sem alternativas para se evitar
- causas desconhecidas: indica baixo controle sobre
o fenômeno
- incompetência gerencial: má leitura do mercado
Prentice Hall 33