Você está na página 1de 39

FONTES RENOVÁVEIS DE ENERGIA

DIRETORIA DE GRADUAÇÃO
CURSO ENGENHARIA ELÉTRICA

TÓPICOS ESPECIAIS EM ENGENHARIA ELÉTRICA – N01

Prof. MSc. Felipe Santana Santos

1 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa /Everton Felix 15/11/2019


FONTES RENOVÁVEIS DE ENERGIA

HIDRELÉTRICA, EÓLICA E SOLAR

2 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa /Everton Felix 15/11/2019


ENERGIA HIDRELÉTRICA

3 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa /Everton Felix 15/11/2019


FONTE RENOVÁVEL

4 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


ENERGIA HIDRELÉTRICA

5 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


TIPOS DE CENTRAIS HIDRELÉTRICAS
• Quanto ao uso das vazões naturais:
 Centrais de acumulação:

Hidrelétrica de Sobradinho (BA)


6 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019
TIPOS DE CENTRAIS HIDRELÉTRICAS
• Quanto ao uso das vazões naturais:
 Centrais a fio d’água:

Hidrelétrica de Belo Monte (PA)

7 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


TIPOS DE CENTRAIS HIDRELÉTRICAS
• Quanto ao uso das vazões naturais:
 Centrais Reversíveis:

Hidrelétrica de Edgard de Souza (SP)

8 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


TIPOS DE CENTRAIS HIDRELÉTRICAS
• Quanto á potência as centrais podem ser:

1. Micro: P ≤ 100 KW;


2. Mini: 100 < P ≤ 1.000 KW;
3. Pequena: 1000 < P ≤ 30.000 KW;
4. Média: 10.000 < P ≤ 100.000 KW;
5. Grandes: P ≥ 100.000 KW.

9 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


TURBINAS
• São constituídas basicamente de 5 partes:

1. Caixa espiral;
2. Pré-distribuidor;
3. Distribuidor;
4. Rotor e eixo;
5. Tubo de sucção.
Tubo de sução

10 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


TIPOS DE TURBINAS
• Turbina Francis:

11 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


TIPOS DE TURBINAS
• Turbina Kaplan:

12 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


TIPOS DE TURBINAS
• Turbina Pelton:

13 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


TIPOS DE TURBINAS
• Turbina Bulbo:

14 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


POTÊNCIA GERADA E ENERGIA PRODUZIDA

 Potência elétrica (KW): Onde,


ɳ 𝑇𝑂𝑇 : rendimento total do conjunto;
P = ɳ 𝑇𝑂𝑇 𝑥 𝑔 𝑥 Q 𝑥 H 𝒈: aceleração da gravidade – 9,8 m/s²;
Q: vazão (m³/s);
H: queda bruta (m);
ɳ 𝑇𝑂𝑇 = ɳ 𝐻 𝑥 ɳ 𝑇 𝑥 ɳ 𝑔 P: potência elétrica (KW);
ɳ 𝐻 : rendimento do sistema hidráulico (ɳ 𝐻 ≥ 0,96);
ɳ 𝑇 : rendimento da turbina (0,94 ≤ ɳ 𝑇 ≥ 0,88);
ɳ 𝑔 : rendimento do gerador (0,97 ≤ ɳ 𝑔 ≥ 0,90).

15 15/11/2019
Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix
POTÊNCIA GERADA E ENERGIA PRODUZIDA

 Energia produzida: Onde,


P: potência máxima fornecida durante o ano (que pode
confundir-se com a potência instalada;

E = 𝑃 𝑥 𝐹𝐶𝑈 𝑥 8760 horas FCU: é o Fator de Capacidade da Usina, ou seja, a


relação entre a potência média do ano e a potência
máxima (de pico);
8760: é o número de horas no ano.

16 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


DESVANTAGENS DA ENERGIA HIDRELÉTRICA

Impactos ambientais;
Desapropriação de pessoas das regiões;
A inundação de florestas;
Muitas vezes desvia o curso de rios;
Construção cara e demorada.

17 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


ENERGIA EÓLICA

18 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa /Everton Felix 15/11/2019


ENERGIA EÓLICA

19 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


ENERGIA SOLAR

20 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa /Everton Felix 15/11/2019


ENERGIA SOLAR

A energia solar fotovoltaica é a energia


obtida através da conversão direta da luz
do sol em eletricidade ou calor.

21 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


SOL

22 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


EFEITO FOTOVOLTAICO

23 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


POTENCIAL SOLAR COMPARADO COM OUTRAS
FONTES

24 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


ENERGIA SOLAR
VANTAGENS DESVANTAGENS
 A energia solar não polui durante seu uso.  Existe variação nas quantidades produzidas de acordo
 As centrais necessitam de manutenção mínima. com a situação climática, e que durante a noite não
 Os painéis solares são a cada dia mais potentes ao existe produção alguma, o que obriga a existência de
mesmo tempo que seu custo vem decaindo. O tempo meios de armazenamento da energia produzida durante
médio de vida útil é de 25 anos. o dia em locais onde os painéis solares não estejam
 A energia solar é excelente em lugares remotos ou de ligados à rede de transmissão de energia.
difícil acesso, pois sua instalação em pequena escala
não obriga a enormes investimentos em linhas de  As formas de armazenamento da energia solar são
transmissão. pouco eficientes quando comparadas por exemplo aos
 Em países tropicais, como o Brasil, a utilização da combustíveis fósseis e a energia hidroelétrica.
energia solar é viável em praticamente todo o
território, e, em locais longe dos centros de produção  Os painéis solares têm um rendimento de apenas 25%,
energética sua utilização ajuda a diminuir a procura apesar deste valor ter vindo a aumentar ao longo dos
energética nestes e consequentemente a perda de anos.
energia que ocorreria na transmissão.

25 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


SISTEMAS FOTOVOLTAICOS
OFF-GRID (Sistemas Isolados) ON-GRID (Sistemas Conectados)

26 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


APLICAÇÃO DOS SISTEMAS OFF-GRID

27 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


DEFINIÇÃO DA QUANTIDADE DE BATERIAS PARA
SISTEMAS OFF-GRID
Parâmetros: 1° - Calcular o consumo de carga de
 Energia Ativa Consumida [C]:Wh/dia potência corrigido [Cbc]:
 Autonomia: dia
𝐶. 𝐴𝑢𝑡𝑜𝑛𝑜𝑚𝑖𝑎
𝐶𝑏𝑐 =
𝑃𝑑
 Profundidade de Descarga da Bateria
[Pd]: % Assim,
1420𝑥2
Dados: 𝐶𝑏𝑐 =
0,4
C=1420Wh/dia
Autonomia = 2 dias
𝑪𝒃𝒄 =7100 Wh/dia
Pd=40%

28 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


DEFINIÇÃO DA QUANTIDADE DE BATERIAS PARA
SISTEMAS OFF-GRID
2° - Calcular o consumo de carga de 3° - Calcular a descarga diária.
corrente [Cbi]: Dado:
Dados: Ciclo de descarga de 4 horas
Tensão de Operação do Sistema = 12V
40% ------------- 4h
𝐶𝑏𝑐 100% -------------- x
𝐶𝑏𝑖 =
𝑉𝑠𝑖𝑠𝑡. Assim,
Assim, O Ciclo de Descarga completo é de 10 h.
7100
𝐶𝑏𝑖 =
12

𝑪𝒃𝒊 = 592 Ah

29 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


DEFINIÇÃO DA QUANTIDADE DE BATERIAS PARA
SISTEMAS OFF-GRID

30 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


DEFINIÇÃO DA QUANTIDADE DE BATERIAS PARA
SISTEMAS OFF-GRID

31 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


DEFINIÇÃO DA QUANTIDADE DE BATERIAS PARA
SISTEMAS OFF-GRID
Quantidade de Baterias:
 Utilizando o modelo DF300:
𝐶𝑏𝑖
𝐷𝐹 300 =
𝐴ℎ

592
𝐷𝐹 300 = = 24,67 𝑏𝑎𝑡𝑒𝑟𝑖𝑎𝑠
24
 Utilizando o modelo DF2000:
592
𝐷𝐹 300 =
94

592
𝐷𝐹 300 = = 6,29 𝑏𝑎𝑡𝑒𝑟𝑖𝑎𝑠
24

32 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


QUESTÕES

33 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


QUESTÃO – ENERGIA HIDRELÉTRICA

34 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


QUESTÃO – ENERGIA EÓLICA

35 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


QUESTÃO – ENERGIA SOLAR
QUESTÃO 1
A energia solar, apesar de amplamente vantajosa no sentido ambiental e em seu nível
de produtividade, não é amplamente utilizada no Brasil e na maior parte do mundo,
em função de suas desvantagens, entre as quais, podemos assinalar:
a) o baixo índice de radiação solar em países tropicais, a exemplo do território
brasileiro.
b) a baixa capacidade de aquecimento do sol mesmo nos períodos de maior insolação.
c) a elevada instabilidade dos geradores solares no atual nível de tecnologia.
d) os painéis solares são caros e o seu rendimento é baixo.
e) as usinas de energia solar necessitam de grandes áreas, destruindo florestas e áreas
agricultáveis.

36 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


QUESTÃO – ENERGIA SOLAR
Resposta:
a) Falso – as zonas tropicais apresentam um elevado índice de captação da radiação solar,
incluindo o Brasil.
b) Falso – o Sol possui uma elevada capacidade de emissão de energia e de aquecimento, do
contrário não haveria vida na Terra.
c) Falso – o nível de tecnologia dos geradores de energia fotoelétrica é avançado e
praticamente não há instabilidade.
d) Verdadeira – os painéis de captação da energia solar são caros, além de todo o sistema
de armazenamento também apresentar custos elevados. Além disso, o rendimento desses
painéis, atualmente, não ultrapassa os 25%.
e) Falso – As usinas solares, ao contrário das hidrelétricas, não necessitam de grandes áreas
para a produção.

37 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


QUESTÃO – ENERGIA SOLAR
QUESTÃO 2
A Energia solar não provoca danos ambientais, podendo ser considerada uma fonte de energia limpa.
A afirmativa acima está:
a) Incorreta, pois toda a produção de energia elétrica pelos raios de sol emite poluentes na
atmosfera.
b) Correta, pois não há queima de combustíveis e nem ocupação de grandes áreas para a
utilização dessa fonte de energia.
c) Incorreta, pois muitos animais morrem em função da insolação causada por essas usinas,
gerando danos ambientais relacionados com a quebra da cadeia alimentar.
d) Correta, pois a energia gerada pelo sol não ocasiona transformações imediatas na
atmosfera, que seriam sentidas apenas a longo prazo.
e) Incorreta, pois a proliferação de energia solar agravaria o problema do efeito estufa.

38 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019


QUESTÃO – ENERGIA SOLAR
Resposta:
A produção de energia solar é considerada uma fonte de energia limpa, pois, como
não há queima de combustíveis, ela não emite poluentes na atmosfera. Além disso, ela
não ocupa grandes áreas, como ocorre com a produção de energia hidrelétrica.
Apesar de haver casos de mortes de animais pela insolação, esse fato não é impactante
a ponto de alterar o equilíbrio alimentar dos ecossistemas.

Alternativa correta: letra B.

39 Alessandro Bezerra / Paula Barbosa / Everton Felix 15/11/2019