Você está na página 1de 32

ERROS

EM
QUÍMICA ANALÍTICA
O resultado de uma análise química é antecedido de
uma série de etapas de amostragem e manipulação de
amostras

MESMO QUÍMICOS ANALÍTICOS


EXPERIENTES PODEM COMETER FALHAS
PRIMÁRIAS na escolha e execução de um
método analítico.
FALHAS QUE COMPROMETEM OS
RESULTADOS EXPERIMENTAIS

Exemplos:
•Amostragem estatísticamente não representativa;
•Inadequação de procedimentos de limpeza de materiais e
acessórios analíticos;
•Escolha errada do grau de pureza dos reagentes;
•Escolha inadequada do método analítico
AVALIAÇÃO DE DADOS ANALÍTICOS

Em QA é usual o procedimento repetitivo de


análise (análises em replicatas)

Um resultado baseado em uma única análise, ou


medida, não é CONFIÁVEL devido à incerteza
resultante de possíveis erros (sistemáticos ou
aleatórios) cometidos ao longo do procedimento
de análise.
AVALIAÇÃO DE DADOS ANALÍTICOS

É necessário DISCERNIMENTO para a


interpretação correta dos dados obtidos

Uso da ESTATÍSTICA no TRATAMENTO DE


DADOS
CONFIABILIDADE DE DADOS
ANALÍTICOS

INFELIZMENTE, não existe nenhum método


simples e amplamente aplicável para a
determinação da CONFIABILIDADE de um
dado com ABSOLUTA CERTEZA

O uso da ESTATÍSTICA na análise dos DADOS


EXPERIMENTAIS é de extrema importância
para que um resultado analítico possua uma
CONFIABILIDADE ACEITÁVEL.
CARACTERIZAÇÃO DE MEDIDAS E
RESULTADOS

MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL ( média e mediana)

MEDIDAS DE DISPERSÃO (Faixa; Desvio em relação à


média; Desvio-padrão;
Variância)
MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL ( média e mediana)

Na maioria das vezes o melhor resultado


está
situado ao redor de um VALOR CENTRAL,
definido como média ou mediana

MÉDIA  É obtida pela divisão da soma das réplicas de


medidas pelo número de medidas do conjunto:

X i = valores individuais
N = réplicas de medidas
EXEMPLO
MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL ( média e mediana)
MEDIANA  É o resultado central quando as réplicas
de dados são organizadas de acordo com uma
sequência crescente ou decrescente de valores

Para um número par de resultados, a mediana é


determinada pela média do par central
MEDIDAS DE DISPERSÃO

A média e a mediana fornecem uma estimativa


do valor verdadeiro;

A dispersão de medidas individuais fornece uma


estimativa da variabilidade das medidas
individuais em relação à medida da tendência
central.
MEDIDAS DE DISPERSÃO

Maneiras comuns de medidas de dispersão são:


•Faixa;
•Desvio em relação à média;
•Desvio-padrão;
•Variância;
MEDIDAS DE DISPERSÃO

FAIXA : É a diferença entre o maior e o menor valor


em um conjunto de dados:

Faixa = Xmaior – Xmenor


MEDIDAS DE DISPERSÃO

DESVIO EM RELAÇÃO À MÉDIA, di

Mostra quanto um resultado individual (Xi) difere da


média:
MEDIDAS DE DISPERSÃO

DESVIO-PADRÃO
Descreve a dispersão de medidas individuais ao
redor da média:
MEDIDAS DE DISPERSÃO
DESVIO-PADRÃO

Também pode ser reportado como:


- Desvio-Padrão Relativo (DPR)

COEFICIENTE DE VARIAÇÃO (CV)


ESTATÍSTICA
Exatidão = fidelidade = concordância entre o valor
obtido e o valor verdadeiro.

Precisão = reprodutibilidade = concordância entre


si de uma série de medidas da mesma qualidade.
Classificação dos Erros
Sistemáticos ou determinados  São causados
por fontes identificáveis, e -em princípio- podem ser
eliminados ou compensados.
Ex.: uso inadequado de um indicador, uso de vidrarias
volumétricas não calibradas.

Aleatórios, indeterminados, acidentais ou


estatísticos Decorrem de fatores imprevisíveis. São
flutuações, para cima ou para baixo, que fazem com que
aproximadamente a metade das medidas realizadas
esteja desviada para mais, e a outra metade esteja
desviada para menos, afetando a precisão da medida
Classificação dos Erros Sistemáticos
Erros de métodos
Erros operacionais
Erros instrumentais

Minimização dos Erros Sistemáticos


Corrida em branco
Calibração do aparelho e aplicação de correções
Corrida de uma determinação de controle
Uso de métodos independentes de análise
Corrida de determinações em paralelo
Grandezas Físicas, Medidas,
Algarismos Significativos e Incertezas
1) Suponha que se deseje medir o
tamanho do besouro da figura

Uma vez decidido o que caracteriza o


tamanho do besouro, qual das alternativas
abaixo melhor caracteriza a medida do
tamanho do besouro?

a) Entre 0 e 1 cm
b) Entre 1 e 2 cm
c) Entre 1,5 e 1,6 cm
d) Entre 1,54 e 1,56 cm
e) Entre 1,546 e 1,547 cm
Como expressar o resultado das medidas feitas?
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
A medida de uma grandeza física é sempre
aproximada, por mais capaz que seja o
operador e por mais preciso que seja o
aparelho utilizado. Para representarmos uma
medida usamos algarismos. Além de
utilizarmos algarismos que temos certeza de
estarem corretos, admite-se o uso de apenas
um algarismo duvidoso. O número de
algarismos significativos está diretamente
ligado à precisão da medida, ou seja, quanto
mais precisa a medida maior é o número de
algarismos significativos.
ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS
Ex.: se o resultado de uma medida é 3,24cm,
3 e 2 são corretos e o 4 é duvidoso= não faz
sentido escrever : 3,245
Observações importantes em relação aos AS
A presença de vírgula (casas decimais) no valor de uma
medida não é considerada ao se tratar da identificação de
algarismos significativos

Ex.: 7,45  3 Algarismos significativos

Não é algarismo significativo o zero a esquerda do primeiro


algarismo significativo diferente de zero.

Ex.: 0,45  2 Algarismos significativos


Observações importantes em relação aos AS
Zero a direita de algarismo significativo também é algarismo
significativo

Ex.: 7,40  3 Algarismos significativos

É significativo o zero situado entre algarismos significativos

Ex.: 1,05  3 Algarismos significativos

É significativo o zero situado entre algarismos significativos


Observações importantes em relação aos AS

Quando tratamos apenas com matemática, podemos dizer


por exemplo, que 5; 5,0; 5,00 e 5,000 são iguais.
Entretanto, ao lidarmos com resultados de medidas
devemos sempre lembrar que 5 cm; 5,0 cm; 5,00 cm e
5,000 cm são diferentes, pois a precisão de cada uma
delas é diferente.
Operações com algarismos significativos

Soma e subtração: Primeiro devemos reduzir todas as


parcelas a mesma unidade. Após deve-se observar qual a
parcela que possui o menor número de casas decimais,
esta deve ser mantida e as demais devem ser
arredondadas para o mesmo número de casas decimais.
Após deve ser realizada a soma.

Ex.: 2,0456cm+ 1,85cm

operação 2,04 + 1,85


= 3,89 cm
2,0456 + 1,85