Você está na página 1de 30

Gerência de Projetos

Aula 07/20

Departamento de Informática
PUC-Rio

Programa Trainee em Informática


Curso Gerência de Projetos
Turmas 8 e 9
Agosto / 2004
Aula 07 – PMBOK I
● MGP - Metodologia de Gerência de
Projetos (Empreendimentos)
● MS Project 2002 (desktop)
● PMBOK - Project Management Body Of
Knowledge
● Norma NBR ISO/IEC 12207
● CMM Capability Maturity Model

PMBOK® Guide 2000 Edition 2


O que é o PMBOK ?
( Project Management Body of Knowledge )

● Um guia que pretende reunir o


conhecimento geral sobre metodologias de
gerência de projetos;
● Apresenta “melhores práticas geralmente
aceitas” conforme contribuintes de grupos
de estudos formados em diversas
entidades;
● Fornece uma referência para qualquer
profissional interessado na profissão de
Gerência de Projetos.
3
O que é o PMBOK ?
● O PMBOK, compilado pela expertise do PMI - Project
Management Institute, é uma linha mestra que pode
conduzir ao conhecimento organizado da Gerência de
Projetos.
● A divulgação de uma versão em Português foi um passo
importante para a disseminação desse conhecimento.
● O PMI Brasil Capítulo Minas Gerais esclarecia que
tratava-se de uma versão preliminar e "não oficial" do
PMBOK.
● www.pmimg.org ou www.pmimg.org.br e www.pmisp.org
• O www.pmisp.org.br informa que o PMI está fazendo uma
licitação mundial para gerar as traduções e não são eles os
escolhidos.
4
Capítulo 01 - Introdução
● Define os termos chaves e apresenta uma visão
geral do resto do documento.
● O Capítulo 2,
O Contexto da Gerência de Projetos,
descreve o ambiente no qual o projeto opera.
● A equipe de gerência do projeto deve
compreender este contexto amplo –
gerenciamento das atividades diárias do projeto
é necessário mas não suficiente.

5
Introdução

O Capítulo 3,
Os Processos da Gerência de Projetos,
apresenta uma visão geral da interação entre
os diversos processos de gerência de
projetos.
O entendimento destas interações é essencial
para a compreensão do material nos capítulos
4 a12.

6
PMBOK 2000 - Capítulos
Capítulo 01 - Gerência de Projetos - Introdução

PMBOK® Guide 2000 Edition


Capítulo 02 - O Contexto da Gerência de Projetos
Capítulo 03 - Os Processos da Gerência de Projetos
Capítulo 04 - Gerência da Integração do Projeto
Capítulo 05 - Gerência do Escopo do Projeto
Capítulo 06 - Gerência do Tempo do Projeto
Capítulo 07 - Gerência do Custo do Projeto
Capítulo 08 - Gerência da Qualidade do Projeto
Capítulo 09 - Gerência dos Recursos Humanos do Projeto
Capítulo 10 - Gerência das Comunicações do Projeto
Capítulo 11 - Gerência dos Riscos do Projeto
Capítulo 12 - Gerência das Aquisições do Projeto
7
Definições: Projeto X Operação
● Características comuns entre Projeto e
serviço continuado
– Pessoas
– Recursos limitados
– Planejamento, Execução e Controle
● Projetos implementados como meios de
realizar uma estratégia
● Diferença
– Natureza contínua vs. Temporária
– Sustentar negócio vs. Objetivo Definido
8
O Projeto tem caráter Temporário
● Início, meio e fim;
● Objetivo, necessidade;
● Nenhuma relação com duração;
● Efeitos transcendem o projeto;
● Relação
– Oportunidades e necessidades
– Equipe especifica para projeto, permanente na
entidade ou não.

9
Resultado
● Desenvolvimento de algo único, mesmo se
parecido ou semelhante a outro.
● Fatores diferentes
– Conhecimento dos participantes
– Experiências pessoais
– Necessidades do momento
● Fatores semelhantes
– Metodologia
– Experiência adquirida
● “Cada prédio em construção é diferente do que
acabou de ser construído.”
10
O que é Gerência de Projetos ?
●Aplicação de conhecimentos,
habilidades e técnicas para projetar
atividades que visem atingir os
requerimentos do projeto.
●Acompanhamento por processos -
iniciação, planejamento, execução,
controle e fechamento;
●Trabalhos gerenciados envolvem o
tratamento de questões de escopo,
tempo, risco, qualidade, parceiros,
requerimentos e limitações diversos.
11
Gerência de Projetos
● A Administração geral engloba o planejamento, a
organização, a alocação de pessoas, a execução e
o controle das atividades de uma empresa em
funcionamento.
● A administração geral também inclui disciplinas de
suporte tais como a programação de computadores,
leis, padrões, estatísticas e teoria das
probabilidades, logística e pessoal.
● O PMBOK cruza a administração geral em muitas
áreas como comportamento organizacional,
previsão financeira e técnicas de planejamento.
12
Gerência de Projetos
● Áreas de Aplicação são categorias de projetos que
têm elementos comuns, mas que não estarão
presentes, necessariamente, em todos os projetos.
● As áreas de aplicação são usualmente definidas
em termos de:
– Elementos técnicos, tais como desenvolvimento de
software, farmacêutica ou engenharia civil.
– Elementos gerenciais, tais como contratação por órgão
do governo e desenvolvimento de um novo produto.
– Grupos de indústria, tais como prospecção, geração e
distribuição de energia, automotiva, química ou
financeira.
13
Empreendimentos Relacionados
● Programa
– Grupo de projetos gerenciados de forma coordenada.
– Obtenção de benefícios que de forma isolada não se
obteria.
❷ Ex. Jornais – esforço continuado mas cada exemplar é
único.
● Subprojetos
– Componentes resultantes da divisão de um projeto mas
que são gerenciados como se fossem projetos
individuais.
● Gerência de portfólio de projeto
– Seleção e suporte aos investimentos dos projetos ou
programas.
14
Áreas para atuação da Gerência
Definição e
Integração das Gestão do Escopo
partes do projeto
Análise de Risco

Recursos
Humanos

Documentos do Projeto Comunicações


Base de Conhecimento

Custo

Aquisições
Tempo

Qualidade 15
Empreendimentos Relacionados
Notícia: Programa Petrobras Fome Zero
seleciona projetos.
Estão abertas as inscrições para a seleção pública
de projetos do programa Petrobras Fome Zero.
O programa tem como objetivo promover o
desenvolvimento com cidadania, por meio das
seguintes linhas de atuação, eleitas pelo
programa como prioritárias: "Educação",
"Qualificação profissional e emprego para jovens
e adultos"; "Geração de emprego e renda"; e
"Garantia dos direitos da criança e do
adolescente". http://rets.rits.org.br/Acontece

16
Visão Geral das Áreas de Conhecimento e
dos Processos da Gerência de Projetos

17
Certificações dos Processos da Gerência de
Projetos na área de TI
SW-CMM – avalia a capacidade dos processos da
empresa em gerar produtos com qualidade
CMMI – avalia a capacidade dos processos de
desenvolvimento e manutenção de produtos de SW
da empresa
ISO9001:2000 – certifica a empresa nos requerimentos
do sistema de gestão da qualidade preconizado pela
norma que abrange todo o processo de
desenvolvimento de produto, produção, gestão dos
processos e melhoria contínua.
BS7799 ou ISO17799 – certifica a empresa quanto à
segurança da informação 18
Certificações dos Processos da Gerência de
Projetos na área de TI
ITIL
Cobit

19
IT Infrastructure Library (ITIL)
● Responsáveis: Escritório de Comércio do governo
Reino Unidos, Pink Elephant e outros.
● O que é: Conjunto de melhores práticas para
operações e gerenciamento de serviços de TI (como
gerenciamento de service desk, mudança,
capacidade, nível de serviço e segurança).
Especialmente popular na Europa.
● O ITIL rastreia problemas em áreas de serviço de TI
como help desk, suporte a aplicações, distribuição de
software e apoio a sistemas de contato com o cliente;
se sobrepõe ao CMM em determinadas áreas, como
gerenciamento de configuração. 20
IT Infrastructure Library (ITIL)
● O ITIL rastreia, por exemplo, as mudanças feitas em
sistemas operacionais, mas a qualidade dessas
mudanças — em termos do número e da gravidade de
problemas resultantes delas — é uma métrica de CMM.
● Pontos fortes: Bem estabelecido, amadurecido,
detalhado e focado em questões de qualidade
operacional e produção de TI. Pode ser combinado a
CMMI para cobrir tudo relacionado a TI.
● Limitações: Não aborda o desenvolvimento de sistemas
de gerenciamento de qualidade. Não é voltado para
processos de desenvolvimento de software. Seu uso
depende imensamente de interpretação. 21
Six Sigma
● Responsável: Desenvolvido pela Motorola.
● O que é: Um método de aprimoramento do
processo estatístico que enfoca a qualidade do
ponto de vista do cliente ou do usuário. Define
níveis de serviço e mede variações em relação a
estes níveis. Os projetos percorrem cinco fases:
definir, medir, analisar, aprimorar e controlar.
● A variante Design for Six Sigma aplica os
princípios deste método à criação de produtos ou
serviços sem defeitos, e não, ao aprimoramento
dos que já existem.
22
Six Sigma
● Pontos fortes: Uma abordagem orientada a dados para
descobrir a raiz de problemas de negócio e resolvê-los. Leva
em conta o custo de qualidade.
● Em TI, é melhor aplicado em atividades passíveis de
repetição e relativamente homogêneas, como operações de
call center ou help desk. Design for Six Sigma pode ajudar a
desenvolver boas especificações de software.
● Limitações: Projetado originalmente para ambientes de
manufatura; pode ser difícil aplicá-lo em processos que
ainda não estão bem definidos e mensuráveis. Pode
aprimorar o processo, mas não diz se você tem o processo
certo.
23
Control Objectives for Information
and Related Technology (CobiT)
● Responsável: Information Systems Audit and
Control Association e IT Governance Institute
● O que é: Um conjunto de diretrizes baseadas em
auditoria para processos, práticas e controles de
TI. Voltado para redução de risco, enfoca
integridade, confiabilidade e segurança. Aborda
quatro domínios: planejamento e organização,
aquisição e implementação, entrega e suporte
e monitoração.
● Apresenta seis níveis de maturidade, similares aos
de CMM. 24
Control Objectives for Information and
Related Technology (CobiT)
● Pontos fortes: Permite que a TI aborde
riscos não endereçados explicitamente por
outros modelos e que seja aprovada em
auditorias. Funciona bem com outros
modelos de qualidade, principalmente ITIL.
● Limitações: Diz o que fazer, mas não como
fazer. Não lida diretamente com
desenvolvimento de software ou serviços de
TI. Não fornece um road map para
aprimoramento contínuo de processos.
25
Capability Maturity Model Integration
(CMMI)
● Responsável: Software Engineering Institute,
Carnegie Mellon University

O que é: O CMMI estende e combina o Capability


Maturity Model for Software (SW-CMM), o Systems
Engineering Capability Model e o Integrated Product
Development Capability Maturity Model.
● SW-CMM é uma coleção de melhores práticas para
desenvolvimento e manutenção de software. Permite
que as empresas avaliem suas práticas e as
comparem com as de outras empresas.
26
Capability Maturity Model Integration
(CMMI)
● O SW-CMM mede a maturidade do processo, que
progride em cinco níveis: 1 (inicial), 2 (gerenciado), 3
(definido), 4 (previsível) e 5 (otimização).
● Pontos fortes: Muito detalhado. Criado especificamente
para organizações de desenvolvimento de software.
Enfoca o aprimoramento contínuo, e não apenas a
manutenção de uma certificação. Pode ser usado para
auto-avaliação.
● Limitações: Não aborda aspectos de operações de TI
como gerenciamento de segurança, mudança e
configuração, planejamento de capacidade, diagnóstico e
funções de help desk. Estabelece metas, mas não diz
como atingi-las. 27
ISO 9000
● Responsável: International Standards Organization
● O que é: Um conjunto de padrões auditáveis de
alto nível voltados ao cliente (ISO 9000, 9001 e
9004) para sistemas de gerenciamento de
qualidade. Destinado a garantir controle,
possibilidade de repetição e boa documentação de
processos (não de produtos).
● Pontos fortes: Bem estabelecido, amadurecido.
Goza de prestígio global. Pode ser aplicado em
toda a corporação. Cobre desenvolvimento de
software e operações e serviços de TI.
28
ISO 9000
● Limitações: Requer adaptação considerável
quando utilizado em organizações de TI.
● Enfoca a possibilidade de repetição e a
consistência de processos, e não diretamente,
a qualidade dos processos.
● Não é bom para descobrir a origem de
problemas.

29
Metodologias Leves

www.joelonsoftware.com Artigos (mal)


traduzidos, com
muito humor,
sobre
metodologias,
processos,
gestão etc na
área de
desenvolvimento
de SW.

30