Você está na página 1de 19

Combate a Incêndio em Sistemas

Elétricos - NR 10
Técnicos de segurança do
trabalho

 Cíntia Espíndola
 Leonardo Soares
 Eduardo Rosso
 Bruno Cathoud
 Lucas Araújo
Causas de Incêndio de Origem
Elétrica

Os incêndios de origem
elétrica têm início com o
superaquecimento dos
condutores, inflamando o
revestimento plástico que os
protegem ou as matérias em
sua volta.
Causas de Incêndio de Origem Elétrica

 Excesso de carga: Utilização de conexões


múltiplas (“tê” ou “benjamim”) para alimentar
vários aparelhos elétricos, causando
superaquecimento dos condutores que não foram
calculados para suportar cargas excessivas;
 Curto circuito: Instalação defeituosa,
estabelecendo contato entre a fase positiva e a
negativa, gerando centelhas, altíssima
temperatura e superaquecimento do condutor;
Causas de Incêndio de Origem
Elétrica
 Contato imperfeito (mau contato): Conexões
imperfeitas com produção de centelhas ou
superaquecimento;
 Fusíveis e disjuntores inadequados: São
dispositivos para proteger a instalação elétrica.
Sua ausência ou o seu dimensionamento
incorreto podem acarretar incêndios;
 Superaquecimento: Aparelhos elétricos
deixados em funcionamento, que atingindo
materiais de fácil combustão, provocam
incêndio;
Causas de Incêndio de Origem
Elétrica

 Dimensionamento incorreto da rede


elétrica;
 Realização de emendas, junções de fios,
entre outros;
Rede elétrica muito antiga.
Prevenção à incêndio
 Contratar profissionais qualificados, utilizar materiais de boa qualidade, realizar a
troca de materiais danificados;
 Para evitar que os condutores aqueçam muito, deve se inserir nos quadros de luz os
disjuntores ou fusíveis, sendo eles obrigatórios para desligar a instalação sempre que a
temperatura aumentar, a ponto de derreter e expor o cobre, deve se realizar
manutenção preventiva, e as emendas dos fios devem estar fora dos eletrodutos e
estarem bem isoladas;
 Não fazer uso de extensões improvisadas, benjamins e o uso excessivo de “Ts”, fazer a
manutenção da fiação interna e externa quando necessário, manter os fios bem
isolados, e sempre recapados, realizar a troca de materiais danificados.
 Aterramento de instalações elétricas.
Proteção Ativa

Extintores
Detecção;
Alarme
Proteção Passiva

Conceito: conjunto de medidas incorporado ao sistema construtivo do


edifício, sendo funcional durante o uso normal da edificação e que
reage passivamente ao desenvolvimento do incêndio, não
estabelecendo condições propícias ao seu crescimento e propagação,
garantindo a resistência ao fogo, facilitando a fuga dos usuários e a
aproximação e o ingresso no edifício para o desenvolvimento das ações
de combate. (ABNT NBR 14432).
Proteção Passiva

Segurança Estrutural
Acesso de viaturas
Saídas de emergências
Combate ao Incêndio
Classificação

Incêndio em instalações elétricas é


classificado como incêndio de classe
C, por envolver combustíveis
energizados.
Combate ao Incêndio - Aparelhos
Extintores

Os aparelhos extintores são


aparelhos que contêm um agente
extintor. Eles possuem como
objetivo principal o combate a
incêndios em sua fase incipiente.
Combate ao Incêndio
Aparelhos Extintores
1. Aparelho Extintor de Gás Carbônico (CO2):
Aparelho extintor com gás carbônico
pressurizado em seu interior. Possui capacidade
variável, a mais comum com 8 Kg. Seu alcance
médio é de 2,5 m e o tempo de uso de
aproximadamente 30 s. É eficiente no combate a
incêndio classe B e C. Esse agente extintor é
considerado limpo por não deixar resíduos e age
principalmente por abafamento.
Combate ao Incêndio
Aparelhos Extintores

2. Aparelho Extintor de Pó Químico Seco


(PQS):
É o aparelho extintor que contém pó químico
seco pressurizado por um gás inerte. Sua
capacidade varia, a mais comum é de 8 Kg.
Seu alcance médio é de 5 m e sua duração de
aproximadamente 20 s. É eficiente no
combate a classe B e C, existe um tipo de
PQS que também atua na classe A. Age
principalmente por abafamento.
Combate ao Incêndio -
Aparelhos Extintores - Modo de Usar

1º Identificar a classe de incêndio e escolher o


aparelho extintor mais adequado;
2º Retirar o extintor do local que estiver
acondicionado;
3º Retirar o lacre e o pino de segurança;
4º Com o esguicho ou difusor voltado para o
solo, realizar o teste;
Combate ao Incêndio -
Aparelhos Extintores - Modo de Usar
5º Aproximar-se do foco com o vento
pelas costas e explorar o alcance do
extintor como distância de segurança;
6º Acionar o gatilho de forma contínua,
na direção da base do fogo, com movimento
de leque para que toda a área que queima
seja atingida;
7º Avançar na direção do foco à medida
que ele reduz a intensidade.
Principal causa de incêndio
residencial e comercial

Uma pesquisa realizada em 2015 pela Geneva Association colocou


o Brasil entre os três países onde mais morrem pessoas por
incêndios em todo mundo. Apenas o Corpo de Bombeiros do Rio
de Janeiro respondeu a mais de 26 mil atendimentos de combate a
incêndios no ano de 2016 e estima-se que no Brasil ocorram quase
280 mil incêndios por ano, entre residenciais, comerciais e
florestais.
Principal causa de incêndio
residencial e comercial

Segundo a Comissão de Prevenção de Acidentes do Crea-RJ, 90% dos


incêndios residenciais e comerciais que ocorrem no estado são causados por
problemas elétricos. A maioria deles tem origem na falta de manutenção na
rede e envelhecimento da fiação. Principalmente prédios antigos, que não
têm a fiação trocada, podem sofrer sobrecarga com a instalação de
equipamentos eletrônicos e eletrodomésticos de última geração, como
computadores, ar-condicionados e chuveiros elétricos.
Bibliografia

https://www.bucka.com.br/quais-sao-as-principais-causas-de-
incendios/
http://anais.unespar.edu.br/xi_eepa/data/uploads/artigos/8/8-04.pdf
http://www.sesipr.org.br/uploadAddress/As_Instalacoes_eletricas_na
_pratica_e_a_NR-10_dez18[84944].pdf
http://cbmerj.rj.gov.br/pdfs/semana_prevencao/apostila_semana_pre
v_2019.pdf
https://ser-tel.com.br/maiores-causas-de-incendios/