Você está na página 1de 25

REANIMAÇÃO NEONATAL

“O nascimento é o evento mais


perigoso com o qual o ser
humano se defronta durante toda
a sua existência”

“Um em cada 4 recém-nascidos


(RN) no Brasil morre por asfixia.
No Estado de São Paulo,
ocorrem 2 óbitos por dia de RN
a termo por asfixia perinatal”

Verônica Sales
REANIMAÇÃO NEONATAL:

“A reanimação neonatal é uma das 5 ações prioritárias para


diminuir a mortalidade infantil no mundo”.

Em nosso país, em 2005 e 2006, 15 recém-nascidos morreram ao


dia devido a condições associadas à asfixia perinatal, sendo cinco
deles a termo e sem malformações congênitas.

A necessidade de procedimentos de reanimação é maior quanto


menor a idade gestacional e/ou peso ao nascer.

Verônica Sales
Estatísticas para a intervenção da reanimação:

Academia Americana de pediatria: 5 a 10% de todos os bebês necessitam de


alguma manobra de reanimação ao nascimento e 1 a 10% dos nascidos em
hospitais precisam de ventilação com pressão positiva.
Em todo o mundo, ocorrem por ano mais de 5 milhões de mortes no período
neonatal, e em 19% dos casos, a asfixia é responsável por estas mortes.
No Brasil, de quase 3 milhões de crianças nascidas vivas, 54.000 morrem
antes de 1ano de idade, sendo 27.500 abaixo de 7 dias de vida (51%), com
uma mortalidade neonatal precoce de 12/mil nascidos vivos.

Verônica Sales
Preparo para reanimação:

 Antes do parto: - informar a equipe neonatal previamente


- disponibilidade de material
- paramentação adequada

 Durante o parto: - acompanhar atentamente todo o processo do parto


- apoio emocional aos familiares e parturiente

Verônica Sales
Técnicas de reanimação neonatal:

 Objetivos:
- Prestar assistência imediata ao recém-nascido (RN), desde o
seu nascimento até a chegada à unidade de cuidados intensivos
ou berçário.
- Desobstruir as vias aéreas superiores, oxigenar corretamente,
aquecê-lo adequadamente e seguir com os demais
procedimentos de rotina.

Verônica Sales
Antecipação e preparo na reanimação:

a) História: a maioria dos casos de asfixia perinatal pode ser


antecipada através de uma anamnese adequada.
b) Pessoal: em toda sala de parto deve estar presente pelo menos um
profissional capacitado em reanimação neonatal (pediatra) e outra
pessoa adicional prontamente disponível em caso de eventual
necessidade.
c) Equipamento: o material necessário deve ser preparado, testado, e
estar disponível na sala de parto antes do nascimento de todos os
recém-nascidos.

Verônica Sales
Condições perinatais associadas à necessidade de
reanimação neonatal
Fatores Antenatais
Idade <16 anos ou >35 anos Idade Gestacional <39 ou >41 semanas
Diabetes Gestação múltipla
Hipertensão na gestação Rotura prematura das membranas
Doenças maternas Polidrâmnio ou Oligodrâmnio
Infecção materna Diminuição da atividade fetal
Alto-imunização ou anemia fetal Malformação ou anomalia fetal

Fatores Relacionados ao Parto


Parto cesáreo Padrão anormal de FC fetal
Uso de fórcipe ou extração a vácuo Anestesia geral
Apresentação não cefálica Hipertonia uterina
Trabalho de parto prematuro Líquido amniótico meconial
Perguntas logo apos o clampeamento do cordão?

1-Gestação a termo?
2-Ausência de mecônio?
3-Respirando ou chorando?
4-Tônus bom?

A pergunta em relação à cor logo após o nascimento não


existe mais.
A reanimação depende da avaliação simultânea da
respiração e da frequência cardíaca (FC).
A FC é o principal determinante da decisão de
indicar as diversas manobras de reanimação. Logo
após o nascimento, o RN deve respirar de maneira
regular, suficiente para manter a FC acima de 100
bpm.
Se o RN é pré-termo ou se, logo após nascer, apresentar-se hipotônico,
, respiração irregular, freqüência cardíaca <100 bpm, deve ser
instituído os seguintes passos:
-Prover calor ;
-Posicionar a cabeça em leve extensão;
-Aspirar vias aéreas, se excesso de secreções;
- Secar e desprezar os campos úmidos;
-Reposicionar a cabeça, se necessário.

executados no máx em 30 seg.


-Manutenção da temperatura: manter ao redor de 36°C. Evitar a hipotermia e
hipertermia. Para diminuir a perda de calor nos neonatos prematuros, é importante
pré-aquecer a sala na qual serão realizados os procedimentos de reanimação (de
preferência até 27°C).
-Nos RN com idade gestacional inferior a 29 semanas, é necessário o emprego de
filme plástico poroso e transparente de polietileno de 20x50cm.
A VENTILAÇÃO É A PARTE CENTRAL DA REANIMAÇÃO

- Evitar a introdução da sonda de aspiração de maneira brusca


ou na faringe posterior, pois este procedimento pode induzir a
resposta vagal e espasmo laríngeo, com apnéia e bradicardia. É
importante que seja enfatizado que 9 de cada 10 RN ventilados
com balão e máscara, melhoram se a técnica estiver correta.
Ventilação com Pressão Positiva (VPP):

- RN com apnéia ou “gasping”


- FC < 100bpm (ou entre 60 e 80 bpm)

 Manejo:
Manutenção da pressão inspiratória de 40 cmH2O e frequência de
40 a 60 rpm, são parâmetros frequentemente adequados para
uma boa ventilação.
Verônica Sales
Intubação Endotraqueal:

Indicação:
necessidade de aspiração traqueal de
mecônio (RN deprimidos); ventilação com
balão e máscara ineficaz ou prolongada;
após a correção de possíveis problemas
técnicos relacionados ao seu uso; hérnia
diafragmática; RN <30 semanas de idade
gestacional para receber surfactante
pulmonar exógeno; necessidade de
massagem cardíaca:
SÓ FAZER MASSAGEM CARDÍACA
SE O RECÉM-NASCIDO ESTIVER EM
VPP OU INTUBADO.
Verônica Sales
Intubação Endotraqueal:

Equipamento:
- laringoscópio
- tubo orotraqueal (TOT)
ou cânula orotraqueal (COT)
Seleção da cânula traqueal:
De acordo com IG e peso do RN.

Verônica Sales
Massagem Cardíaca Externa:

Consiste na compressão rítmica do externo com o objetivo de


comprimir o coração contra a coluna vertebral, aumentando a
pressão intratorácica permitindo que o sangue seja bombeado para
as artérias.
Indicação:
Quando a ventilação por pressão positiva com técnica efetiva
e O2 a 100% não resultarem em freqüência cardíaca cima de
60 bpm.

Verônica Sales
Massagem Cardíaca Externa:

Técnica: dois polegares ou dois dedos


(indicador e médio ou anular)
Local da compressão: terço inferior do esterno,
logo abaixo de uma linha imaginária ligando os
mamilos
Freqüência: 120 vezes por minuto, ou seja, a
cada 5 seg. deve-se movimentar os dedos 10
vezes. Associada a ventilação, realizar
movimento sincrônico numa relação de 3:1.
Profundidade da compressão: engloba cerca de
1/3 da dimensão antero-posterior do tórax, de
maneira a produzir um pulso palpável.
I
Verônica Sales
Massagem Cardiaca
Medicação (drogas):

- estimular o coração
- aumentar a perfusão tecidual
- restaurar o equilíbrio ácido-básico
 Vias administrativas:
Veia umbilical, veias periféricas e instilação
endotraqueal (primeira escolha).

Verônica Sales
Indicação:

FC do RN permanece abaixo de 80 bpm, apesar da VPP com O2


a 100% e massagem cardíaca por no mínimo 30 seg.ou FC = 0.
 Drogas:
- adrenalina (vaso constrictor periférico)
- bicarbonato de sódio (espansor de volume)

Verônica Sales
QUESTÕES ÉTICAS

As questões relativas às orientações para não iniciar a reanimação


neonatal e ou interromper as manobras são bastantes controversas
e dependem do contexto nacional, social, cultural e religioso. Em
condições nas quais o prognóstico é incerto e a chance de
sobrevida com sequelas muito graves é grande, o desejo dos pais
deve ser levado em conta.
RESUMO

-Verificar a vitalidade da criança ao nascer, prover calor,


posicionar, aspirar e secar

-É normal o RN ter um pouco de cianose ao nascimento. Refrear a


vontade de deixar o RN rosado. É fisiológico um pouco de cianose
no RN ativo, com frequência cardíaca acima de 100 bpm e com
bom tônus.

- Um em cada 10 RN necessita de VPP com balão e máscara. Deve


ser bem feita, pois a ventilação é a parte central da reanimação.
Nascer é prejudicial à saúde,
porque não há no mundo nenhum
ambiente mais controlado e
confortável do que o útero
materno. Mas como viver é um
risco inevitável e necessário, é
bom saber que tem gente
empenhada em
garantir maior qualidade ao
nascimento e à vida.