Você está na página 1de 68

“As pessoas usam dinheiro que

não têm, para comprar coisas


de que não necessitam, para
impressionar pessoas que não
conhecem.”

Oystein Dahle
norueguês

Vice – presidente aposentado da EXXON


As mudanças climáticas
podem ser caracterizadas
pelo aquecimento global que
se verifica na Terra, e ocorre
devido ao aumento
indiscriminado das emissões
de gases causadores do
Efeito Estufa.
EFEITO ESTUFA
Fenômeno natural gerado por
gases causadores de efeito
estufa -GEE-, os quais
absorvem luz infravermelha
térmica que deveria ser
direcionada ao espaço,
aquecendo a atmosfera e
garantindo a vida no planeta.
EFEITO ESTUFA
O Efeito Estufa Intensificado,
contudo, causado pelo
aumento das concentrações
de GEE altera as condições de
temperatura naturais, sendo
prejudicial a fauna e a flora
terrestre.
Gases que causam o
Efeito Estufa
Contribuição relativa de
gases provenientes de
atividades antrópicas ao
efeito estufa
•Dióxido de Carbono CO2
•Metano CH4
•Clorofluorcarbonos
(CFCs - artificial)
•Óxido Nitroso
•Ozônio (O3)
Principais Causas do Efeito Estufa
► Queima de carvão, petróleo e gás
natural pela indústria e sistemas de
transporte, que causam grande
emissão de gás carbônico.

► Destruiçãodas florestas e diferentes


tipos de vegetação e mudanças no
padrão de uso do solo.

► Criação de gado e o cultivo de arroz,


atividades que emitem metano, óxido
nitroso e outros gases de efeito
estufa.
ENTENDENDO O EFEITO ESTUFA

A RADIAÇÃO SOLAR ENTRA NA


ATMOSFERA .
PARTE É REFLETIDA PELA ATMOSFERA
E VOLTA PARA O ESPAÇO .
A MAIOR PARTE DA RADIAÇÃO É
ABSORVIDA PELA SUPERFICÍE
TERRESTRE E AQUECE O PLANETA .
UMA PARTE É REFLETIDA PELA SUPERFICÍE
E VOLTA PARA A ATMOSFERA , REFLETE NA
ATMOSFERA E VOLTA PARA A SUPERFICÍE
AQUECENDO NOVAMENTE O PLANETA .
A SUPERFICÍE DA TERRA EMITE RADIAÇÃO
INFRAVERMELHA ( CALOR ) . PARTE DEIXA A
ATMOSFERA .
OUTRA PARTE É ABSORVIDA E IMPEDIDA DE SAIR
PELO VAPOR DE ÁGUA E POR OUTROS GASES , EM
ESPECIAL O CO2 ( DIÓXIDO DE CARBONO ).
Evidências das Mudanças
Climáticas Globais
► Principal
instituição no mundo sobre o
tema: IPCC (Painel Intergovernamental
sobre Mudanças Climáticas).
 Integrado por mais de 2000
cientistas do mundo todo.
 Instância de subsídio científico
para as negociações
internacionais.
AUMENTO DO CALOR EM TODO O MUNDO
Evidências das Mudanças
Climáticas Globais
► Segundo o IPCC:
 As temperaturas mundiais elevaram-se em torno de
0,6oC no curso do século XX;

 Cobertura de neve diminuiu cerca de 10% depois do


final da década de 1960 nas médias e altas latitudes
do Hemisfério Norte;

► Exemplos de incidentes climáticos graves possivelmente


relacionados às mudanças climáticas globais: Katrina e
Rita nos EUA, Catarina em Santa Catarina, as enchentes
em São Paulo em maio de 2005.

► Seca na Amazônia?
Fonte: IPCC
CAMPINAS – PERÍODO DE 100 ANOS

AUMENTO DE 2º C NA TEMPERATURA MÉDIA.


FONTE - AGRITEMPO
PEQUENA ERA GLACIAL
1816 – o ano sem verão
1816

“ ANO SEM VERÃO “

ERUPÇÃO DO MONTE TAMBORA - 1815

a força da erupção do Tambora impeliu cinzas e


gases na estratosfera (de 17 a 50 quilômetros
acima da superfície), onde os ventos os
espalharam por todo o mundo por mais de um
ano. Essas partículas suspensas criaram um
manto de poeira, que refletiu o calor do sol.
CONSEQUÊNCIAS DA ERUPÇÃO
SUIÇA – fome , passaram a comer plantas ( musgos ).

FRANÇA – congelamento das uvas : não houve colheita.

IRLANDA – chuva fria , destruição das colheitas de trigo e batata .

HUNGRIA – nevasca de cor marrom .

INGLATERRA – escassez de comida.

ALEMANHA – fome , os alemães assaram palha e serragem como se


fossem pão.

SALEM ( EUA ) – oscilação da temperatura : em um dia 27º C.

NEW YORK – perda de colheitas .


Evidências das Mudanças
Climáticas Globais Fonte: IPCC
Agricultura
- Maiores temperaturas influenciarão os padrões de
produção;
- A umidade dos solos será afetada pela mudança do
regime de chuvas;
- A produtividade das pradarias e pastagens será
altamente afetada.

Biodiversidade
-Diversidade biológica altamente ameaçada pela mudança
do clima – extinção de diversas espécies;
- Desertos e ecossistemas áridos tendem a apresentar
condições mais extremas;
- Regiões montanhosas serão submetidas a um
considerável stress devido às atividades humanas.
Evidências das Mudanças Climáticas
Globais Fonte: IPCC
► Aumento do nível do mar:
 Elevação média do nível do mar de 9 à 88 cm até o ano 2100
 Inundação de zonas costeiras e ilhas;
 Agravamento das erosões costeiras;
 A água salgada poderá invadir as reservas costeiras de água doce;
 Ecossistemas costeiros e oceânicos serão ameaçados.

► Recursos Hídricos
 A modificação dos padrões de precipitação afetam os suprimentos
de água;
 Evaporações serão mais abundantes;
 Enchentes .

► Saúde
 As doenças propagadas por vetores associados à alteração de
temperatura, como dengue e malária, por exemplo, poderão ter sua
incidência potencializada.
OS EFEITOS NO BRASIL
-Nos próximos anos, as regiões Sul e Sudeste vão sofrer com
chuvas e inundações cada vez mais freqüentes.

-- A floresta Amazônica pode perder 30% da vegetação, por


causa de um aumento na temperatura de vai de 3ºC a 5,3ºC
até 2100.

-- No Nordeste, até o fim do século, a variação deve ficar


entre 2ºC e 4ºC.

-- O nível do mar deve subir 0,5 metro nas próximas décadas


e 42 milhões de pessoas podem ser afetadas.

-- O aumento na temperatura no Centro-Sul do país deve ser


de 2ºC a 3ºC, aumentando a força das tempestades.
O QUE JÁ ACONTECEU
-A temperatura média brasileira
aumentou 0,75º C no século XX ,
1998 foi o ano mais quente 0,95º C
a mais que a média usual.

- O nível do mar subiu 40 cm


nos últimos 100 anos .
O FURACÃO CATARINA
7 de março de 2004.

Muitos prédios foram


devastados no litoral sul de
S. Catarina e litoral norte
gaúcho pela ação do
Furacão Catarina. Ventos
de 150km/h e ondas de 5
metros deixaram Torres, no
litoral gaúcho, em estado de
emergência. Vinte mil
residências foram destruídas
nas cidades litorâneas da
Região Sul.
Furacão Categoria 1

OLHO
LITORAL SUL DE SC LITORAL SUL DE SC

TORRES - RS
TEMPORAIS
ARARAQUARA – MARÇO DE 2007

PORTO ALEGRE – MARÇO DE 2007


AUMENTO DA SECA EM ALGUMAS REGIÕES
O POLO NORTE ESTÁ ENCOLHENDO
A GROELÂNDIA TAMBÉM !
FURACÕES MAIS VIOLENTOS
EXTINÇÃO DE ESPÉCIES ANIMAIS
INUNDAÇÕES
REDUÇÃO DAS GELEIRAS

ARGENTINA - 1906

ARGENTINA - 2004
GLACIAR PERITO MORENO - Argentina

Glaciares ou geleiras são enormes massas de gelo


(podem atingir várias centenas de quilômetros de
extensão) que, por ação da gravidade, sofrem lentos
deslizamentos ao longo de superfícies inclinadas.
► Se hoje existe um consenso entre
cientistas de que mudanças climáticas
globais estão em curso e têm como
origem a influência das atividades
humanas no ambiente, ainda há um
longo caminho a se percorrer no que
diz respeito das causas desse
fenômeno. As negociações
internacionais abriram caminhos para
lidar com esse problema, ao
estabelecerem diretrizes para redução
de emissões dos gases do efeito
estufa (GEEs).
Protocolo de Kyoto
► Adotado em 1997 na cidade de Kyoto,
e em vigor desde fevereiro de 2005, o
Protocolo estabelece que os países
industrializados se comprometam a
reduzir no período de 2008 a 2012 as
emissões dos GEEs em 5,2%, com
relação ao que era emitido em 1990.
Para isso, o acordo prevê uma série de
iniciativas, entre elas, os chamados
mecanismos de flexibilização –
Comércio de Emissões,Implementação
Conjunta e Mecanismo de
Desenvolvimento Limpo (MDL).
Mecanismo de Desenvolvimento
Limpo (MDL)
► É um mecanismo financeiro que possibilita aos
países desenvolvidos, para que cumpram seus
compromissos quantificados de limitação e redução
de emissões de Gases de Efeito Estufa assumidos
na Convenção sobre Mudança do Clima, financiarem
projetos de redução e/ou seqüestro de emissões nos
países em desenvolvimento.

Países que não conseguirem reduções domésticas


poderão adquirir “títulos” (CER) para atender suas
metas.

CER – Certificado de Redução de Emissões


Mecanismo de Desenvolvimento
Limpo (MDL)
CERs são baseados em projetos, como:
► Substituição de fonte de energia: diesel
 para eólica
 para solar
► Seqüestro de carbono por atividades florestais
► Captura de “metano” de aterros sanitários.

Mercado crescente :
► transferência de recursos internacionais para
projetos de energia limpa.
Mecanismo de Desenvolvimento
Limpo (MDL)
Mercados Principais:
►China, Índia e Brasil.

Brasil:
►Matriz energética brasileira é
fundamentalmente renovável.
Desafios para o Futuro
Haverá Protocolo depois de 2012?

Quais serão as metas no segundo


período de compromissos (pós 2012)?

Brasil, China e Índia terão que assumir


compromissos?
Emissões Acumuladas

FONTE: Pew Center – Climate Data:


Insights and Observations
Projeção das Emissões
► Asprojeções das emissões são
extremamente incertas principalmente para
os países em desenvolvimento.

► Asemissões globais de gases efeito estufa


estão projetadas para crescer 39% a 89%
até 2025 e 63% a 235% até 2050.

► Até2025 a parcela de emissões dos países


em desenvolvimento é projetada para ser
aproximadamente 55% do total (comparada
a 48% em 2000).
As emissões tendem a aumentar
exponencialmente.

A comunidade internacional tem cada


vez mais se preocupado com a
questão,

E VOCÊ ?
Desenvolvimento Sustentável
SOCIAL

AMBIENTAL ECONÔMICO
Desenvolvimento Sustentável

“Satisfazer as necessidades do presente


sem comprometer a capacidade das
futuras gerações satisfazerem suas
próprias necessidades”.
Brent Blackwerder, presidente da organização
Amigos da Terra:

"O aquecimento global está afetando tudo o


que vive e respira no planeta. Grandes
tempestades, furacões, ciclones, chuvas em
grande quantidade, enchentes... Algumas
nações desaparecerão totalmente. Isto é o
que nos acontecerá, e será pior do que
imaginamos, se não começarmos a nos tornar
inteligentes."
OPINIÕES CONTRÁRIAS
O Sol é a causa do aquecimento global, diz cientista .
O aquecimento global do planeta deve-se em maior medida à
atividade do Sol, e não ao "efeito estufa" causado pelos
homens, afirmou o diretor do Observatório Astronômico de
São Petersburgo, Khabibullo Abdusamatov.

"O aquecimento global é resultado da elevada e prolongada


atividade solar que aconteceu na maior parte do século
passado, e não se deve ao efeito estufa", disse o cientista à
agência russa *Novosti*. Contrariando a opinião da maioria
das organizações de defesa do meio-ambiente, o cientista
russo afirmou que a atividade industrial não influencia de
forma determinante no clima do planeta, que ao longo dos
séculos passou por períodos de aquecimento e esfriamento.
O que faz com que o clima da terra mude?
A mudança no clima é complexa — há muitas
dinâmicas envolvidas. Um fator importante
pode ser o relacionamento entre a Terra e o sol.
O astrônomo Milutin Milankovitch (1879 – 1958)
estudou as variações na forma da órbita da
Terra em torno do Sol e a inclinação do eixo da
Terra. Ele teorizou que essas mudanças cíclicas
e as interações entre elas eram responsáveis
por mudanças de clima no longo prazo.
Milankovitch estudou três fatores:

1. Mudanças na inclinação do eixo da terra;

2. Variações na forma da órbita da terra em


torno do sol e

3. Precessão: mudanças em como a inclinação


do eixo é orientada em relação à órbita.
A Terra sem estações. Eixo da Terra a 0°.

Final de junho: verão no hemisfério norte


e inverno no hemisfério sul.

Final de dezembro: inverno no hemisfério


norte e verão no hemisfério sul.
PARA PENSAR

"Somos criaturas arrogantes e


estamos prestes a sofrer os danos
que estamos provocando a um
sistema do qual somos apenas uma
parte" .
James Lovelock, cientista, ex-funcionário da Nasa.
QUE MUNDO QUEREMOS PARA ELES ?